Língua russina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Língua rutena.
Língua russina

русиньскый язык, русиньска бесїда rusyn'skyj yazyk, rusyn'ska besida

Falado em:  Ucrânia
 Eslováquia
Polónia Polônia
 Hungria
Roménia
 Sérvia
 Croácia
República Checa Tchéquia
Total de falantes: Estimativa: ao menos 600 mil.[1]
Família: Indo-europeia
 Balto-eslava
  Eslavas
   Oriental
    Língua russina
Estatuto oficial
Língua oficial de: Voivodina (Sérvia)[2]
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: rue
Uso oficial do russino panônio na Voivodina, Sérvia

A língua russina ou rusina (autodenominado: русиньскый язык),[3] também chamada de língua cárpato-rutena (um exônimo antiquado), é uma variante linguística eslava oriental falada pelos russinos (cárpato-rutenos) da Europa Central. Alguns linguistas não a consideram uma variante, mas um língua separada[4] que tem seu próprio código ISO 639-3, ao passo que outros a consideram como um dialeto da língua ucraniana. Trata-se de um assunto contemporaneamente controverso, e ambos os entendimentos possuem evidentes implicações políticas.[5]

Falantes[editar | editar código-fonte]

Conforme os censos nacionais, a população total dos falantes é de 70.734:

Geografia[editar | editar código-fonte]

Russino (mais especificamente o cárpato-russino) é falada no Oblast da Transcarpátia na Ucrânia, no nordeste da Eslováquia, sudeste da Polônia (onde era frequentemente descrito como łemkowski 'Lemko' por sua palavra лем / lem 'somente', ou Lyshak) e na Hungria (onde a língua e o povo são chamados "ruteno").

Uso e classificação[editar | editar código-fonte]

Os primeiros especialistas a reconhecer a existência da língua russina como idioma separado pertenciam ao “Instituto de Estudos Balcânicos e Eslavos” de Moscou (Instituto de Estudos Eslavônicos da Academia Russa de Ciências). Isso ocorreu em 1992, e levou à realização de estudos complementares, que foram preparados por especialistas em fenômenos linguísticos.[13]

Especialistas e políticos ucranianos não reconhecem os russinos como uma etnia separada, apesar de alguns falantes da língua russina se considerarem pertencentes a uma etnia separada da dos ucranianos. Linguistas da Ucrânia ainda consideram o russino com um dialeto do ucraniano, ligado ao dialeto Hutsul da região dos Cárpatos ucranianos.

Não há, assim, boas possibilidade de se fazer uma precisa estimativa dos falantes fluentes do russino no país, embora algumas pesquisas indiquem algo como um milhão de falantes vivendo na Ucrânia e na Eslováquia.

Tentativas de padronizar as diversas variantes do russino não foram bem sucedidas. Os russinos vivem em quarto países, e os esforços não tiveram sucesso pois os russinos que vivem fora de sua região tradicional não falam a língua fluentemente. Diversas ortografias foram desenvolvidos (na maior parte dos casos com variantes do alfabeto cirílico) e existem diferentes padrões gramáticas[14] existem, baseados em dialetos regionais.

A Sérvia reconheceu o russino, mais precisamente a língua russina da Panônia, como língua oficial minoritária na Voivodina.[15] Desde 1995, é também reconhecida como língua de minoria da Eslováquia, sendo oficial em municipalidades onde mais de 20% dos habitantes falam a língua.[16]

O russino é um idioma protegido pela Carta Europeia das Línguas Regionais ou Minoritárias na Sérvia, Eslováquia, Croácia e Romênia.

As primeira gramáticas do russino foram escritas por Dmytrij Vyslockij (Дмитрий Вислоцкий) Карпаторусский букварь (Karpatorusskij bukvar') Vanja Hunjanky (1931)[17] Metodyj Trochanovskij Буквар. Перша книжечка для народных школ. (Bukvar. Perša knyžečka dlja narodnŷch škol.) (1935),[18][19] e foi codificada na Eslováquia em 1995. A língua russina é uma das mais novas línguas eslavas com literatura própria.[20]

Jornais[editar | editar código-fonte]

Os seguintes jornais são escritos em russino:

  • Karpatska Rus'
  • Русинська бесіда
  • Нанродны новинкы
  • Podkarpatská Rus - Подкарпатська Русь
  • Руснаци у Швеце - Rusnaci u Svece[21]

Dois são norte-americanos

  • Amerikansky Russky Viestnik †
  • Lemko (Philadelphia) |Lemko †

Dialetos[editar | editar código-fonte]

A Língua cárpato-russina se divide conforme se segue:

Nome Área Anotação
Hutsul nas áreas montanhosas dos distritos de Suceava e Maramures da Romênia, no extremo sul do Oblast de Ivano-Frankivsk da Ucrânia, também em partes do Oblast de Chernivtsi e do Oblast da Transcarpátia, ambos na Ucrânia) e nas encostas norte dos Montes Cárpatos.
Boyko Área norte dos Cárpatos no Oblast de Leópolis e de Ivano-Frankivsk da Ucrânia. Pode ser encontrado ainda ao longo da fronteira na Voivodia da Subcarpácia da Polônia.
Lemko Fora da Ucrânia, em Presov da Eslováquia, lado sul dos montes Cárpatos. Antes era no lado norte das mesmas montanhas, no que é hoje o sudoeste da Polônia, antes da “Operação Vístula”, hoje habitada por diversas comunidades que estavam no norte da Polônia. Sendo revivido, na Polônia com o status de língua de minorias. Um jornal, o “Karpatska Rus”, vem sendo publicado desde 1939.
Rusyn Doliniano Oblast da Transcarpátia da Ucrânia.
Russino subcarpátio
Russino Pryashiv Presov (emn Rusyn: "Пряшів" ) da Eslováquia e em comunidades de emigrados nos Estados Unidos.
Russino da Panônia Noroeste da Sérvia e leste da Croácia. Uma das línguas oficiais da Província Autônoma Sérvia da Voivodina.
Bačka

Boiko, Hutsul, Lemko e Dolinian são por vezes considerados como dialetos do ucraniano, bem como seus falantes são considerados ucranianos.

Alfabeto[editar | editar código-fonte]

Letras e Símbolos do alfabeto cárpato-russino
Maiúscula Pequenal Nome Translit. Pronúncia Notas
А а a a /a/
Б б бы b /b/
В в вы v /v/
Г г гы h /ɦ/
Ґ ґ ґы g /ɡ/
Д д ды d /d/
Е е e e /e/
Є є є je /je/
Ё ё ё jo /jo/ não no russino panônio
Ж ж жы ž /ʒ/
З з зы z /z/
И и и y /ɪ/
І і i i /i/ não no russino panônio
Ы ы ы y /ɨ/
Ї ї ї ji /ji/
Й й йы j /j/
К к кы k /k/
Л л лы l /l/
М м мы m /m/
Н н ны n /n/
О о o o /o/
П п пы p /p/
Р р ры r /r/
С с сы s /s/
Т т ты t /t/
У у у u /u/
Ф ф фы f /f/
Х х хы x, ch /x/
Ц ц цы c /ts/
Ч ч чы č /t͡ʃ/
Ш ш шы š /ʃ/
Щ щ щы šč /ʃt͡ʃ/
Ѣ ѣ їть /ji/, /i/ Usada antes da Segunda Guerra Mundial
Ю ю ю ju /ju/
Я я я ja /ja/
Ь ь мнягкый знак (ірь) /ʲ/ indica consoante anterior palatizada
Ъ ъ твердый знак (ір) não no russino panônio

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Тож Шануйме Рідне Слово; Од Велика Аж До Мала; Вшытко Інше Зме Стратили; Лем Бесіда Нам Остала;

Tradução

Respeita tua língua nativa; Desde os mais velhos aos mais jovens; Quando perdemos tudo; Somente nossa língua permaneceu;

Notas e referências

  1. Gordon, Raymond G., Jr., ed. (2005). «Ethnologue report for language code:rue (Rusyn)». Ethnologue: Languages of the World 15th ed. Dallas, TX: SIL International. ISBN 978-1-55671-159-6. Consultado em 27 de abril de 2007 
  2. The Statue of the Autonomous Province of Vojvodina
  3. nomes alternativos são usadas em diferentes áreas russinas, como руска бешеда, rusinščina ou mesmo język łemkowski (na Região Industrial Central do sudeste da Polônia) etc. Nenhum é mais oficial ou academicamente mais aceito, pois a língua não é reconhecida.
  4. Bernard Comrie, "Slavic Languages," International Encyclopedia of Linguistics (1992, Oxford, Vol 3, pp. 452-456.
    Ethnologue, 16th edition
  5. George Y. Shevelov, "Ukrainian," The Slavonic Languages (1993, Routledge, pp. 947-998.
  6. Statistical Office of the Slovak Republic. «Population and Housing Census 2011: Table 11. Resident population by nationality - 2011, 2001, 1991» (PDF). Statistical Office of the Slovak Republic. Consultado em 22 de março de 2012 
  7. Republic of Serbia, Republic Statistical Office (24 de dezembro de 2002). «Final results of the census 2002» (PDF). Consultado em 16 de dezembro de 2010. Arquivado do original (PDF) em 6 de março de 2009 
  8. State Statistics Committee of Ukraine. «About number and composition population of UKRAINE by data All-Ukrainian population census 2001 data». Consultado em 16 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 2 de março de 2008 
  9. «Home» (PDF). Central Statistical Office of Poland. Consultado em 22 de março de 2012. Arquivado do original (PDF) em 16 de janeiro de 2013 
  10. «Republic of Croatia - Central Bureau of Statistics». Crostat. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  11. «1.28 Population by mother tongue, nationality and sex, 1900–2001». Hungarian Central Statistical Office. 2001. Consultado em 28 de fevereiro de 2012 
  12. «5. Národnost a Mateřský jazyk» (PDF). Consultado em 5 de setembro de 2010 
  13. [1]
  14. Rusyn grammar rules - Ябур, Василь - Плїшкова, Анна: Русиньскый язык в зеркалї новых правил про основны і середнї школы з навчанём русиньского языка. Пряшів : Русин і Народны новинкы, 2005, 128 s.[ligação inativa]
  15. Statute of the Autonomous Province of Vojvodina
  16. Slovenskej Republiky, Národná Rada (1999). «Zákon 184/1999 Z. z. o používaní jazykov národnostných menšín» (em Slovak). Zbierka zákonov. Consultado em 18 de maio de 2010. Arquivado do original em 11 de outubro de 2017 
  17. Vyslockij, Dmytrij (1931). Карпаторусский букварь [Karpatorusskij bukvar'] (em russino). Cleveland: [s.n.] 
  18. Trochanovskij, Metodyj (1935). Буквар. Перша книжечка для народных школ. [Bukvar. Perša knyžečka dlja narodnŷch škol.] (em russino). Lviv: [s.n.] 
  19. Bogdan Horbal (2005). Custer, Richard D., ed. «The Rusyn Movement among the Galician Lemkos» (PDF). Pittsburgh. Rusyn-American Almanac of the Carpatho-Rusyn Society (10th Anniversary 2004-2005) 
  20. [2]
  21. «Cópia arquivada». Consultado em 17 de julho de 2012. Arquivado do original em 26 de agosto de 2011 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]