Línguas kiranti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Kiranti (línguas)
Falado em: Nepal, Índia
Região: Siquim, Darjeeling
Total de falantes:
Família: Sino-tibetana
 Tibeto-Birmanesa
  Mahakiranti
   Kiranti (línguas)
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

As Línguas Kiranti (ou Bahing–Vayu) formam uma família das línguas tibeto-birmanesas e são faladas no Nepal e na Índia (em Siquim, em Darjeeling, Bengala Ocidental) pelos povos Kirati, Limbu, Rai e outros.

Classificação[editar | editar código-fonte]

As línguas Kiranti são frequentemente classificadas dentro da família das “Maha-Kiranti”, mas há linguístas que não têm certeza da existência de um grupo kiranti ou de seus reais limites.[1]

Línguas[editar | editar código-fonte]

São mais de vinte as línguas kiranti. As mais conhecidas são a Bahing, a Limbu, Vayu, Lohorung e Kulung (ou Rai). Veja-se uma lista mais completa:

Limbu
  • Limbu (tem afinidades com as Kiranti Ocidentais)
Kiranti Orientais
Kiranti Centrais
Kiranti Ocidentais

Verbos[editar | editar código-fonte]

Os verbos do Kiranti não são facilmente segmentáveis em função principalmente de a grande presença de palavras valises, a muitos afixos sequenciados e também de muita alomorfia por vezes não intuitiva.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Matisoff 2003, pp. 5-6; Thurgood 2003, pp. 15-16; Ebert 2003

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Em Inglês:

  • George van Driem (2001) Languages of the Himalayas: An Ethnolinguistic Handbook of the Greater Himalayan Region. Brill.
  • Bickel, Balthasar, G. Banjade, M. Gaenszle, E. Lieven, N. P. Paudyal, & I. Purna Rai et al. (2007). Free prefix ordering in Chintang. Language, 83 (1), 43–73.
  • James A. Matisoff: Handbook of Proto-Tibeto-Burman. University of California Press 2003.
  • Graham Thurgood (2003) "A Subgrouping of the Sino-Tibetan Languages: The Interaction between Language Contact, Change, and Inheritance," The Sino-Tibetan Languages. Routledge. pp. 3–21.
  • Karen H. Ebert (2003) "Kiranti Languages: An Overview," The Sino-Tibetan Languages. Routledge. pp. 505–517.