Ladão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ladon)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Ladão (desambiguação).

Ladão ou Ládôn (em grego Λάδων), na mitologia grega, era um deus-rio da Arcádia,[1] o deus do rio Ladão, que nascia no monte Cilene e era um afluente do rio Alfeu.[2] Ele era filho de Oceano e Tétis,[3] filhos de Urano e Gaia.[4]

É citado como o rio que pode apagar as mágoas uma vez que banhado em suas águas. No mito, Deméter, após Posídon acasalar com a deusa e gerar Despina, foi a época da fome, pois Deméter ficou indignada e saiu do Olimpo, então a terra tornou-se estéril. Foi quando ela recebeu outros nomes como, a Negra por ter ficado de luto e também o nome de Erínia por causa de sua ira. A deusa, por fim, decidiu se banhar no rio Ládon e assim apagar as mágoas. Foi assim que Deméter resolveu voltar para o Olimpo.[5]

Os autores antigos mencionam algumas ninfas que foram suas filhas, as Ladônides:[2] Metope,[6] Dafne,[7] Telpusa e Têmis,[8] . Metope foi esposa do deus-rio Asopo, com quem teve filhos e filhas.[6] [9] Dafne era virgem e, perseguida por Apolo, pediu ajuda a Gaia, que abriu a terra e a recebeu.[10] Telpusa deu nome a uma cidade na Arcádia.[11] Siringe é mencionada por Ovídio como irmã das ninfas que viviam perto do rio Ladão, ela foi perseguida por , e foi transformada em uma planta, que Pã usou para fazer sua flauta.[12]

Dragão Ladão (em grego Δρακον Λάδων) era um dragão de cem cabeças (cada uma das quais falava uma língua diferente), junto com as ninfas Hespérides, era o encarregado de custodiar o jardim das Hespérides, também é conhecido como Dragão das Hespérides (em latim Draco Hesperidum). Era filho de Fórcis e Ceto o de Tifão e Equidna segundo Hesíodo.

Hera o enviou para custodiar seu pomar de maçãs de ouro, presente de casamento de Gaia, já que não confiava nas Hespérides filhas de Atlas. Heracles o matou em um de seus doze trabalhos. Para agradecer seus leais serviços, Hera, elevou seus restos no céu, onde desde então forma a Constelação de Dragão.

Notas e referências

Notas

Referências

  1. William Smith, Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology, Ladon
  2. a b Theoi, Ladon [em linha]
  3. Hesíodo, Teogonia, Os deuses titãs, 334-346 [em linha]
  4. Hesíodo, Teogonia, A castração de Urano, 134-138
  5. «Deméter». Consultado em 2016-07-16. 
  6. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.12.6 [em linha]
  7. Pausanias 10.7.8, Philostratus Life of Apollonius of Tyana 1.16, Statius Thebaid 4.289. Nonnus Dionysiaca 42.386
  8. Pausanias 8.52.2, 8.42.2
  9. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 72.1 [ael/fr][en][en]
  10. William Smith, Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology, Daphne
  11. Pausânias, Descrição da Grécia, 8.25.2 [em linha]
  12. Ovídio, Metamorfoses, Livro I, 689-711 [em linha]