Lael Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lael Rodrigues
Nome completo Lael Alves Rodrigues
Nascimento 25 de novembro de 1951
Campos do Jordão,  São Paulo
Morte 8 de fevereiro de 1989 (37 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
Ocupação Diretor de cinema, produtor cinematográfico, editor, roteirista
IMDb: (inglês)

Lael Alves Rodrigues (Campos do Jordão, 25 de novembro de 1951Rio de Janeiro, 8 de fevereiro de 1989) foi um diretor, produtor, editor e roteirista cinematográfico brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Rodrigues nasceu em Campos do Jordão, São Paulo, em 25 de novembro de 1951, e foi criado em Caldas, Minas Gerais.[1] [2] Era filho do jornalista Joaquim Rodrigues e de Helle Alves, irmã da ex-atriz Vida Alves. Tendo um gosto por artes desde criança, Rodrigues foi estudar arquitetura na Universidade de Brasília, mas não chegou a concluir o curso; então mudou-se para Niterói, no Rio de Janeiro, onde formou-se em Cinema pela Universidade Federal Fluminense.

O primeiro trabalho de Rodrigues foi no filme de 1973 Vai Trabalhar, Vagabundo!, dirigido por Hugo Carvana, como assistente de direção; seu nome, porém, não foi listado nos créditos finais. Em 1976 fundou junto a Tizuka Yamasaki e a Carlos Alberto Diniz o estúdio de cinema CPC, que trabalhou em inúmeros outros filmes por Carvana e em Parahyba Mulher Macho e Gaijin – Os Caminhos da Liberdade, da própria Yamasaki.

O primeiro filme dirigido (e também escrito) por Rodrigues, Bete Balanço, saiu em 1984 e estrelava Débora Bloch e Lauro Corona.[3] Seria seguido por Rock Estrela, de 1985, e Rádio Pirata, de 1987. Todos os seus três filmes foram de grande sucesso, particularmente entre adolescentes, e são notáveis por suas trilhas sonoras repletas de bandas e artistas de rock e New Wave populares na época, como Celso Blues Boy, Lobão, Titãs, Barão Vermelho, RPM, Azul 29, Dr. Silvana & Cia., Leo Jaime e Metrô, entre outros.

Lael morreu em 8 de fevereiro de 1989, devido a uma ruptura em seu esôfago que acabou por evoluir para uma pancreatite aguda.[4] Seu último trabalho foi como o produtor executivo do filme de 1988 Super Xuxa contra Baixo Astral, que estrelou Xuxa Meneghel. Ele teve um filho, de nome Luan.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Como produtor[editar | editar código-fonte]

Como editor[editar | editar código-fonte]

Como assistente de direção[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]