Lago do Céu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lago do Céu
천지 (天池)
Lago Tianchi, Lago do Paraíso
Localização
Coordenadas 42° 00′ 22″ N, 128° 03′ 25″ L
Região geográfica Ásia
Países Coreia do Norte
 China
Características
Tipo Lago de cratera
Área * 9,82 km²
Profundidade média 213 m
Profundidade máxima 384 m
Volume * 2,09 km³
Bacia hidrográfica Coreia do Norte, China
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

O Lago do Céu, também conhecido como Lago Tianchi, (em coreano: 천지, Ch'ŏnji ou Cheonji; chinês: 天池, Tiānchí; manchu: Tamun omo ou Tamun juce) é um lago de cratera localizado na fronteira entre a China e a Coreia do Norte. Encontra-se dentro de uma caldeira no topo da montanha vulcânica Paektu, uma parte da cordilheira Baekdudaegan e da cordilheira de Changbai. Está localizado parcialmente na província de Ryanggang, na Coreia do Norte, e parcialmente na província de Jilin, nordeste da China.

Geologia e limnologia[editar | editar código-fonte]

A caldeira que contém o Lago Tianchi foi criada pela erupção da Montanha Paektu em 946. O lago tem uma elevação de superfície de 2.189,1 m[1] O lago cobre uma área de 9,82 km² com um comprimento sul-norte de 4,85 km e um comprimento leste-oeste de 3,35 km. A profundidade média do lago é de 213 metros e de profundidade máxima de 384 m. De meados de outubro a junho, é normalmente coberto de gelo.

Nomes e lendas[editar | editar código-fonte]

Na literatura chinesa antiga, Tianchi também se refere à Nanming (南冥, às vezes traduzido como "mar do sul"). Outros lagos conhecidos chamados Tianchi também existem em Xinjiang e Taiwan.

A propaganda norte-coreana afirma que Kim Jong-il nasceu perto do lago, na montanha. Por causa disso, as agências de notícias norte-coreanas informaram que em sua morte, o gelo no lago estalou "tão alto que parecia abalar os céus e a Terra".[2]

Monstro do Lago Tianchi[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que o Lago também abriga o "Monstro do Lago Tianchi".[3]

Em 6 de setembro de 2007, Zhuo Yongsheng (diretor do centro de notícias da emissora de TV administrado pelo escritório de administração da reserva natural das Montanhas Changbai, Jilin) filmou um vídeo de 20 minutos de aparentemente seis "monstros do Lago Tianchi", semelhante a focas, perto da fronteira com a República Democrática Popular da Coreia (RPDC). Ele enviou as imagens das criaturas do tipo "Monstro do lago Ness" para o departamento provincial de Xinhua em Jilin. Uma delas mostrou as criaturas nadando em três pares, em paralelo. Outra mostrou-os juntos, deixando ondulações no lago vulcânico.[4]

Visitas notáveis[editar | editar código-fonte]

Como parte do encontro coreano, os chefes de estado Kim Jong-un e Moon Jae-in visitaram o Monte Paektu e o Lago Tianchi em 20 de setembro de 2018. Moon encheu uma garrafa com um pouco de água do lago para levar de volta à Coreia do Sul. A montanha e o lago têm grande significado cultural em toda a península coreana.[5][6]

Panorama aéreo do Lago do Céu.

Referências

  1. «Mount Changbai Sets Two Guinness Records» (em inglês). Diário do Povo. 11 de agosto de 2000. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 25 de junho de 2018 
  2. «'Nature mourns' North Korea's Kim» (em inglês). 22 de dezembro de 2011. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 7 de abril de 2019 
  3. «Chinese monster rivals Nessie» (em inglês). 31 de julho de 2003. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 24 de junho de 2014 
  4. «People's Daily Online - 'Tianchi monster' caught on film». en.people.cn (em inglês). 10 de setembro de 2007. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 16 de março de 2019 
  5. «Fulfilling a dream, South Korea's Moon visits sacred North Korean...». Reuters (em inglês). 20 de setembro de 2018. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 3 de dezembro de 2018 
  6. Haas, Benjamin (20 de setembro de 2018). «'Dream come true' for Moon as Korean leaders make mountain pilgrimage». The Guardian (em inglês). Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 25 de março de 2019