Laje da Jagua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Laje da Jagua, também conhecida como Parcel do Campo Bom, ou ainda Pedra do Campo Bom, é uma importante formação rochosa submarina situada no litoral do município de Jaguaruna, em Santa Catarina, a 5,3 km da costa, em frente à Praia do Arroio Corrente e a 5 km do Balneário Nova Camboriú.

Com cerca de dois quilômetros de extensão, a Laje da Jagua pode apresentar em certos dias do ano e de acordo com as marés, uma profundidade de apenas meio metro, o que propicia extraordinárias ondas já registradas de até 40 pés de face.

História[editar | editar código-fonte]

O litoral sul de Santa Catarina, mais precisamente entre Laguna e Jaguaruna, é considerado uma região perigosa para a navegação desde o século XVII. No Cabo de Santa Marta, ao sul da cidade de Laguna, foi construído o Farol de Santa Marta para auxiliar as embarcações em suas rotas e alertar os navegadores para os perigos do lugar.

A maioria dos acidentes ocorreram durante severas tempestades. Houve, porém, casos de choque na Laje, como o do histórico naufrágio do navio Rio Pardo, durante a Revolução Farroupilha, em 1839. O barco, capitaneado pelo revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi, naufragou na Laje da Jagua, onde morreram afogados vários de seus companheiros. Garibaldi, entretanto, conseguiu se salvar com alguns homens e continuou sua invasão ao território de Laguna pelo Cabo de Santa Marta.

Laje da Jagua é uma gíria criada por surfistas amadores e profissionais que exploram suas enormes ondas para praticar seu esporte preferido: o surf em ondas gigantes.

O local, que possui a maior onda do Brasil, e está no mapa mundial das grandes ondas. Foi descoberto como opção para o esporte em 2003 pelos surfistas brasileiros, Zeca Scheffer e Rodrigo Resende. E já em 2007, a Laje da Jagua recebeu o I Mormaii Tow In Pro primeiro evento de tow in do Brasil. Os vencedores foram os surfistas brasileiros Carlos Burle e Eraldo Gueiros, atuando em dupla.

Atualmente, ela é o destino favorito de surfistas de grandes ondas (big riders) do Brasil e de todo o mundo. A Associação de Tow In de Jaguaruna (ATOW-INJ) é responsável pelo monitoramento da prática do surfe e do tow in no local.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]