Trem da Alegria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lambada da Alegria)
Ir para: navegação, pesquisa
Trem da Alegria
Informação geral
Origem São Paulo
País Brasil
Gênero(s)
Período em atividade 1984–92
2002–05
Gravadora(s)
Ex-integrantes Luciano Nassyn
Patrícia Marx
Juninho Bill
Vanessa de Carvalho
Fabíola Braga
Amanda Acosta
Rubinho Cabrera
Ricky Bueno
Bárbara Serafim
Yago Silva
Sayuri Oishi
João Augusto Matos

Trem da Alegria foi um grupo musical infantil brasileiro criado em 1985 pelo produtor e compositor Michael Sullivan.[1] Fez sucesso entre o público infantojuvenil durante a década de oitenta e início da de noventa. Ao todo, atingiram a marca de seis milhões de discos vendidos, se tornando um dos grupos musicais infantis brasileiros mais bem-sucedidos até hoje.

História[editar | editar código-fonte]

1984–85: O início, Clube da Criança e entrada de Juninho Bill[editar | editar código-fonte]

O grupo se originou em 1984, após Luciano Nassyn e Patrícia Marx, então ex-participantes da primeira edição do Festival Internacional da Criança exibido pelo SBT, gravarem o álbum Clube da Criança. O álbum serviu de base para divulgação do programa infantil de mesmo nome, então apresentado por Xuxa Meneghel e exibido pela Rede Manchete. Foram lançados como singles as canções "Carrossel de Esperança" e "É de Chocolate". As canções fizeram bastante sucesso fazendo a dupla ser conhecida em todo o país e o álbum alcançar a vendagem de 350 mil cópias, conquistando o disco de platina.[2]

Em 1985, com o sucesso de outras bandas infantis como A Patotinha e Turma do Balão Mágico, o grupo se firma no cenário musical com a entrada de um novo integrante, Juninho Bill. Assim como Patrícia e Luciano, Bill também tinha participado do primeiro Festival Internacional da Criança. Com o grupo sendo um trio, o Trem da Alegria lança seu álbum de estreia, Trem da Alegria do Clube da Criança. Foram lançados como singles as canções "Dona Felicidade", com a participação de Lucinha Lins, e "Uni-Duni-Tê". O álbum acabou alcançando a vendagem de 400 mil cópias, conquistando o disco de platina.

1986–88: Entrada de Vanessa, saída de Patrícia e entrada de Amanda[editar | editar código-fonte]

Em 1986, o grupo virou um quarteto com a entrada de Vanessa de Carvalho, que assim como os outros integrantes, participou do Festival Internacional da Criança.[3]. No mesmo ano, lançaram seu segundo álbum de estúdio, considerado o mais bem-sucedido do grupo até hoje. Foram lançados como singles as canções "He-Man", "Fera Neném", "Zeppelin", "Na Casca do Ovo" e "Tic-Tac do Amor". "He-Man" se tornou a primeira canção assinatura do grupo, assim como uma das mais representativas músicas infantis da década de oitenta no Brasil, juntamente com "Superfantástico" (1983), do grupo Turma do Balão Mágico, e "Ilariê" (1988), de Xuxa Meneghel. Outra canção que se destacou foi "Fera Neném", interpretado por Juninho Bill em parceria com Evandro Mesquita, em que Bill desejava ser Presidente do Brasil.[4] O álbum teve aproximadamente um milhão de cópias vendidas, conquistando o disco de diamante.

Em 1987, o grupo lança seu terceiro álbum de estúdio, em que se destacam as canções "Thundercats", gravado especialmente para a exibição do desenho de mesmo nome no Brasil pela Rede Globo, "Piuí Abacaxi" e "A Orquestra dos Bichos", todos se tornando também canções assinaturas do grupo. O álbum vendeu 850 mil cópias, conquistando o disco triplo de platina no Brasil. Um pouco depois do lançamento deste álbum, Patrícia Marx sai do grupo visando seguir carreira solo.[5] Em seu lugar entrou Fabíola Braga, porém ficou por pouco tempo.

Com a saída de Fabíola, Amanda Acosta foi escolhida como a nova integrante.[6] Com Amanda, o grupo lançou o seu quarto álbum de estúdio. Foram lançados como singles as canções "Iô-iô", "Xa-Xe-Xi-Xo-Xuxa" e os duetos "Pique Pega-Pique Esconde" e "Pra Ver se Cola", se tornando também mais outra canção assinatura do grupo. O álbum obteve 500 mil cópias vendidas, conquistando o disco duplo de platina.[7] Com esse número, o grupo acabou atingindo a marca de 3 milhões de discos vendidos ao total.[7]

1989–92: Saída de Luciano e Vanessa, entrada de Rubinho, declínio e hiato[editar | editar código-fonte]

No início de 1989, Luciano e Vanessa decidem sair do grupo por já estarem na adolescência. Com a saída dos dois, Rubinho é escolhido como o novo integrante, e assim pela primeira vez, o Trem da Alegria era constituído por três crianças da mesma faixa de idade. Já com Rubinho, o grupo lança seu quinto álbum de estúdio e lança como singles as músicas "Jaspion-Changeman" e "Pula Corda". O álbum acabou atingindo a marca de mais de 450 mil cópias vendidas, conquistando o disco de platina.[8] No mesmo ano, o grupo participou do filme A Princesa Xuxa e os Trapalhões, contracenando com Xuxa Meneghel e Os Trapalhões.[9]

Em 1990, com a ascensão de outros gêneros musicais no Brasil como a lambada, o grupo tenta se reinventar gravando músicas do gênero como "Lambada da Alegria" e "Lambada Danada" para o seu sexto álbum de estúdio. Este obteve somente 100 mil cópias conquistando o disco de ouro no país,[10] um número bem menor comparado ao do álbum anterior, representando o começo do declínio do grupo. No mesmo ano, Trem da Alegria visitou Luanda e Portugal, onde realizou sua primeira e única turnê internacional.

Em 1991, o grupo lança seu sétimo álbum de estúdio, em que tem os sucessos "O Lobisomem", "Tartaruga Ninja", "Acorda Pai" e "O Passarinho". Esses dois últimos fizeram parte da trilha sonora brasileira da telenovela mexicana Carrusel (1989), então exibida pelo SBT. Assim como seu álbum anterior, este também obteve 100 mil cópias vendidas, conquistando o disco de ouro. No mesmo ano, é realizado um concurso pela extinta Rádio Cidade para escolher um novo integrante com a intenção de substituir Juninho Bill, que então já estava com quatorze anos. O escolhido foi Ricky Bueno, que competiu com mais 10 mil outros inscritos. Ricky chegou a se apresentar com o grupo para a divulgação do single "O Lobisomem" em alguns programas de televisão, ainda mesmo com a presença de Juninho, visto como uma preparação, porém sua permanência durou somente alguns meses. Isso porque a gravadora acabou voltando atrás com a ideia de tirar Juninho Bill da banda, pois àquela altura seria um tanto arriscado tirar seu integrante mais antigo.

Em 1992, já prestes a encerrar suas atividades, o Trem da Alegria pela primeira vez não lança um álbum de estúdio, mas sim somente uma coletânea de seus sucessos com mais quatro canções inéditas. Entre elas, a única lançada como single e a que mais fez sucesso foi "Alguém no Céu", que fez parte da trilha sonora da novela De Corpo e Alma da Rede Globo.[11] No dia 31 de Dezembro, o grupo realiza sua última apresentação durante a última edição do programa Xou da Xuxa, comemorando também seis anos de sua primeira apresentação no mesmo. Após isso, o Trem da Alegria anunciaria oficialmente o seu término.

2002–05: Nova formação[editar | editar código-fonte]

No embalo do revival dos anos 80 no início da década de 2000, o grupo foi recriado dez anos depois, juntamente com a Turma do Balão Mágico.[12] A nova formação foi constituída por Bárbara Serafim, João Augusto Matos, Yago Silva e Sayuri Oishi.[12] Sua primeira aparição foi durante o programa Sabadão do SBT, em que interpretaram a regravação da canção "Uni-Duni-Tê". O primeiro álbum homônimo e o segundo chamado Só Sucessos do Momento (2003), não obtiveram vendagens expressivas em comparação aos anteriores e o grupo somente durou três anos, encerrando suas atividades em 2005.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Originais
Integrante Ano Ordem de entrada
Luciano Nassyn 1984–89 Primeiro integrante
Patrícia Marx 1984–87 Primeira integrante
Juninho Bill 1985–92 Segundo integrante
Vanessa de Carvalho 1986–89 Terceira integrante
Outros
Integrante Ano Substituiu
Fabíola Braga 1987 Patrícia Marx
Amanda Acosta 1988–92 Fabíola Braga
Rubinho Cabrera 1989–92 Luciano Nassyn e Vanessa de Carvalho
Ricky Bueno 1991 Juninho Bill
Nova Geração
Integrante Ano Ordem de entrada
Bárbara Serafim 2002–05 Primeira integrante
Yago Silva 2002–05 Primeiro integrante
Sayuri Oishi 2002–05 Primeira integrante
João Augusto Matos 2002–05 Primeiro integrante

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Trem da Alegria

Referências

  1. Adriana Martins (3 de outubro de 2012). «Dono das canções». Diário do Nordeste. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  2. Barbara Duffles (29 de março de 2009). «Por onde anda Luciano Nassyn, do Trem da Alegria?». EGO. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  3. Renata Sakai (19 de julho de 2009). «Por onde anda a dupla Luan e Vanessa?». EGO. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  4. Barbara Duffles (13 de março de 2011). «Por onde anda Juninho Bill, do 'Trem da Alegria'?». EGO. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  5. Bruno Astuto (27 de Abril de 2012). «"Vou estar velha e ainda vão me ver como criança"». Coluna Revista Época. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  6. Wallace Carvalho (25 de junho de 2010). «Por Onde Anda: Amanda Acosta, do Trem da Alegria». Consultado em 10 de setembro de 2012 
  7. a b «Trem da Alegria vende 3 milhões de discos em 4 anos; releia texto de 1988». Folha de S. Paulo. 24 de abril de 2013. Consultado em 16 de Maio de 2013 
  8. «"Som do Suplício: Trem da Alegria volta com super-hérois japoneses.». Revista Veja. 29 de Março de 1989. Cópia arquivada desde o original em 30 de julho de 2015. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  9. Site Oficial da Xuxa (2013). «A Princesa Xuxa e os Trapalhões». Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  10. CERTIFICADOS - ABPD - TREM DA ALEGRIA. abpd.org.br. Página visitada em 30 de Dezembro de 2016.
  11. «Memória Globo:Novela de Corpo e Alma -Trilha Sonora com Alguém no céu». Globo.com. 2012. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013 
  12. a b Grupos infantis Trem da Alegria e Galera do Balão estão de volta (7/09/02). Folha Online. Página visitada em 30 de Dezembro de 2016.