Lamim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lamim
  Município do Brasil  
Igrejinha São Francisco de Assis em Lamim
Igrejinha São Francisco de Assis em Lamim
Símbolos
Bandeira de Lamim
Bandeira
Brasão de armas de Lamim
Brasão de armas
Hino
Lema Crescendo sob as graças do Divino Espírito Santo
Gentílico laminense
Localização
Localização de Lamim em Minas Gerais
Localização de Lamim em Minas Gerais
Lamim está localizado em: Brasil
Lamim
Localização de Lamim no Brasil
Mapa de Lamim
Coordenadas 20° 47' 24" S 43° 28' 26" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Municípios limítrofes Senhora de Oliveira, Rio Espera, Santana dos Montes, Catas Altas da Noruega, Itaverava, Piranga[1]
Distância até a capital 150 km
História
Fundação 30 de dezembro de 1962 (57 anos)
Aniversário 31 de maio
Administração
Prefeito(a) Marco Antonio de Assis (PPS, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 118,160 km²
População total (Censo IBGE/2010[4]) 3 456 hab.
Densidade 29,2 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 36455-000 a 36459-999[2]
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [5]) 0,691 médio
PIB (IBGE/2008[6]) R$ 15 884,923 mil
PIB per capita (IBGE/2008[6]) R$ 4 350,84
Outras informações
Padroeiro(a) Divino Espírito Santo[7]
Website www.lamim.mg.gov.br (Prefeitura)
www.cmlamim.mg.gov.br (Câmara)

Lamim é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.

História[editar | editar código-fonte]

O povoado que deu origem a esta cidade surgiu em 1710, de uma expedição formada por três bandeirantes, entre eles se destaca José Pires Lamim. Eles lá se instalaram à procura de ouro. Com sua morte, os amigos decidiram dar seu nome ao lugar. Hoje, emancipado, o município tem território pequeno e sua economia é baseada, exclusivamente, na agropecuária.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura da cidade retrata muito bem os povos que aqui se estabeleceram: os colonizadores portugueses e os escravos africanos.Dos escravos africanos foi herdado os grupos de congados.

Festa do Padroeiro[editar | editar código-fonte]

Dedicado ao Divino Espírito Santo, a festa sobressai-se como umas das principais atrações de Lamim, congregando a população de forma expressiva. Justamente dessa festa surgiu a lenda popular mais famosa da cidade. Segundo ela, todos os anos era feita uma grande festa em honra do padroeiro. O festeiro era sorteado e fazia toda a festa por sua conta. Certa vez, a sorte caiu em um agricultor muito humilde. Para não fugir à tradição, ele resolveu fazer uma plantação de feijão destinada a cobrir as despesas da festa. Ao visitar a lavoura, foi grande a surpresa quando notou que todas as folhinhas espelhavam a imagem do Divino. A colheita foi grande, e lhe rendeu dinheiro suficiente para fazer uma bela festa ao padroeiro.

Festa do Rosário[editar | editar código-fonte]

Em outubro de todos os anos é realizada a novena em homenagem a Nossa Senhora do Rosário. Festa essa, que reúne a tradição católico-portuguesa com simbolismos de religiosos africanos. A presença dos grupos de congadas e a devoção fervorosa do povo laminense dão o tom do evento. Toda comunidade participa, inclusive as comunidades escolares.

Congadas e Folias de Reis[editar | editar código-fonte]

Dois tipos de eventos culturais revelam a musicalidade do povo laminense.

O congado, também chamado de congo ou congada mescla cultos católicos com africanos num movimento sincrético. É uma dança que representa a coroação do rei do Congo, acompanhado de um cortejo compassado, cavalgadas, levantamento de mastros e música. Os instrumentos musicais utilizados são a cuíca, a caixa, o pandeiro, o reco-reco. Ocorre em várias festividades ao longo do ano, mas especialmente no mês de outubro, na festa de Nossa Senhora do Rosário. O ponto alto da festa é a coroação do rei do Congo.

Na celebração de festas aos santos, onde a aclamação é animada através de danças, com muito batuque de zabumba, há uma hierarquia, onde se destaca o rei, a rainha, os generais, capitães, etc. São divididos em turmas de números variáveis, chamados ternos. Os tipos de ternos variam de acordo com sua função ritual na festa e no cortejo: Moçambiques, Catupés, Marujos, Congos, Vilões e outros.

Folia de Reis é um festejo de origem portuguesa ligado às comemorações do culto católico do Natal. Na tradição católica, a passagem bíblica em que Jesus foi visitado por reis magos, converteu-se na tradicional visitação feita pelos três "Reis Magos", denominados Melchior, Baltazar e Gaspar, os quais passaram a ser referenciados como santos a partir do século VIII.

Fixado o nascimento de Jesus Cristo a 25 de dezembro, adotou-se a data da visitação dos Reis Magos como sendo o dia 6 de janeiro. As canções são sempre sobre temas religiosos, com exceção daquelas tocadas nas tradicionais paradas para jantares, almoços ou repouso dos foliões, onde acontecem animadas festas com cantorias e danças típicas regionais, como catira, moda de viola e cateretê. Contudo ao contrário dos Reis da tradição, o propósito da folia não é o de levar presentes mas de recebê-los do dono da casa para finalidades filantrópicas, exceto, obviamente, as fartas mesas dos jantares e as bebidas que são oferecidas aos foliões.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lamim». Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Consultado em 23 de agosto de 2014 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 10. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.