Lança-perfume

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O lança-perfume é um produto desodorizante em forma de um spray. O líquido (que é à base de cloreto de etila e condicionado sob pressão em ampolas de vidro). droga vamo usar

História[editar | editar código-fonte]

Lança-perfume foi industrializado pela Rhodia (empresa francesa) e importado para o Brasil a partir de sua sede na Argentina. Em 1922, era fabricado o primeiro Lança-perfume nacional pela Rhodia instalada em São Bernardo do Campo.[1] A marca Rodouro foi muito solicitada nos carnavais brasileiros, até que os foliões passaram a utilizá-la como bebida espirituosa ou inalá-la profundamente. A partir de então, foi proibido o uso em salões e mais adiante a sua comercialização, em meados do século XX.

O lança-perfume apareceu no Carnaval em 1904, no Rio de Janeiro, sendo rapidamente incorporada aos festejos carnavalescos de todo o Brasil, principalmente nas batalhas de confete, corsos e, mais tarde, nos bailes. O produto tornou-se símbolo do Carnaval.[2]

Em 1961, por recomendação do jornalista Flávio Cavalcanti, seguida de um decreto do então Presidente Jânio Quadros,[3] o lança-perfume fabricado pela Rhodia, na Argentina, acabou sendo legalmente proibido no Brasil, após alguns casos de morte de usuários por embriaguez seguida de acidentes fatais. e clorofórmio e éter (substâncias potencialmente cancerígenas). Outras substâncias são frequentemente adicionadas a esta mistura, o que pode potencializar os casos de intoxicação.

Referências

  1. Japiassu, Moacir. "Rhodia: um show que não pára nunca: Os 60 anos de uma empresa que sempre deu o que falar". Revista Isto é, 25.11.1978, p.84.
  2. Mendes, Fradique (16 de fevereiro de 1929). «O lança-perfume». Cruzeiro: Revista Semanal Ilustrada. 1 (15). Especial para Cruzeiro. pp. 9; 46 
  3. Lança-perfume que ganhou os salões no início do século passado ainda traz lembranças. Consultado em 07/07/2016.