Lança-perfume

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Frasco de lança-perfume

Lança-perfume ou loló é um produto desodorizante em forma de um spray. O líquido é à base de cloreto de etila e condicionado sob pressão em ampolas de vidro.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Este produto foi criado pela Rhodia (empresa francesa) no final do século XIX e fazia grande sucesso no carnaval brasileiro desde 1907. Era importado para o Brasil a partir de sua matriz na França e de sua filial na Argentina. Em 1922, era fabricado o primeiro lança-perfume nacional pela Rhodia do Brasil, cuja primeira fábrica foi instalada entre o Rio Tamanduateí e a Estrada de Ferro São Paulo Railway, no atual município de Santo André.[2] A marca Rodouro foi muito solicitada nos carnavais brasileiros, assim como outras marcas de lança-perfume. Inicialmente o produto era utilizado como uma brincadeira inocente até que os foliões passaram a utilizá-lo como bebida ou inalá-lo profundamente. A partir de então, foi proibido o uso em salões e mais adiante a sua comercialização, em meados do século XX.[3]

O lança-perfume apareceu no Carnaval em 1904, no Rio de Janeiro, sendo rapidamente incorporada aos festejos carnavalescos de todo o Brasil, principalmente nas batalhas de confete, corsos e, mais tarde, nos bailes. O produto tornou-se símbolo do Carnaval.[4]

Em abril de 1957, o então deputado federal Carlos Albuquerque apresentou na Câmara dos Deputados um projeto de lei que proibia a fabricação, o comércio e uso do lança perfume, argumentando que o consumo desenfreado do produto estava causando acidentes fatais e mortes por embriaguez, [5]argumentos usados pelo jornalista Flávio Cavalcanti, seguida de um decreto[6] de 1961 baixado pelo então Presidente Jânio Quadros,[7] que proibiu o lança-perfume no Brasil, sob a afirmação que o produto contém clorofórmio e éter, substâncias potencialmente cancerígenas e nocivas à saúde. Outras substâncias são frequentemente adicionadas a esta mistura, o que pode potencializar os casos de intoxicação.[8]

Referências

  1. «Sobre o grupo : a Rhodia no Brasil». Grupo Solvay 
  2. «Sobre o grupo : a Rhodia no Brasil». Grupo Solvay 
  3. «Decreto 52.730, de 23 de outubro de 1963» 
  4. Mendes, Fradique (16 de fevereiro de 1929). «O lança-perfume». Cruzeiro: Revista Semanal Ilustrada. 1 (15). Especial para Cruzeiro. pp. 9; 46 
  5. «Gotas perfumadas de saudade». Revista Cooperhodia. Janeiro de 1992 
  6. «Decreto 51.211, de 18 de agosto de 1961» 
  7. Lança-perfume que ganhou os salões no início do século passado ainda traz lembranças. Consultado em 07/07/2016.
  8. «Artigos de saúde : lança-perfume». Boa Saúde