Lapônia (província da Suécia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a província histórica sueca da Lapónia. Para outros significados, veja Lapónia (desambiguação).
Lappland
Lapônia ou Lapónia
Lappland vapen.svg
Região histórica Norlândia
Condados atuais Bótnia Setentrional, Bótnia Ocidental
Localização na Suécia
Sverigekarta-Landskap Lappland.svg
Dados
Área total 118 206 km2
População 100 900 habitantes
(2007)
Densidade 0,82 hab./km²
Ponto culminante Kebnekaise (2.111 m)
Maior lago Torne
Maior cidade Quiruna
Símbolos da província
Flor Dryas octopetala
Animal Raposa-polar
Peixe Salvelinus alpinus
O Passo de Lapporten
Rio Abiskojåkka e Lago Torne
A montanha gelada de Kebnekaise
O parque nacional de Sarek
A estação ferroviária de Riksgränsen
O sol da meia-noite em Quiruna

A Lapônia (português brasileiro) ou Lapónia (português europeu) (em sueco: Lappland; pronunciado: láp-land) é uma província histórica da Suécia (landskap) localizada na região histórica (landsdel) da Norlândia.[1][2]

Como província histórica, a Lappland não possui funções administrativas, nem significado político, mas está diariamente presente nos mais variados contextos, como por exemplo em Lapplands kommunalförbund (associação comunal escolar), Lapplands Gymnasium (escola secundária) e Lapplands Djurklinik (clínica veterinária).[3][4]

É a maior província do país, abrangendo mais de 25% da sua superfície. Tem uma população da ordem dos 99 000 habitantes, dos quais cerca de 9 000 são sámi (lapões), e um número incerto pertence à minoria de língua finlandesa dos fino-suecos.[5][6]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O nome geográfico sueco Lappland deriva de lapp (o nome do povo nativo da região) e land (terra), significando por consequência ”Terra dos Lapões”. A província está mencionada em sueco antigo como "Lappalandh", em 1526, e como "Lapland", em 1606. [7] [8]

Apresentação[editar | editar código-fonte]

É a maior província histórica da Suécia, ocupando cerca de um quarto de todo o país. Faz fronteira com a Finlândia e a Noruega, e tem limites com as províncias suecas de Bótnia Setentrional, Bótnia Ocidental, Angermânia e Jemtlândia.[9][10]

É uma província de montanhas no lado oeste – os Alpes Escandinavos – e de planaltos no lado leste.[11] Todas as altas montanhas suecas com mais de 2 000 metros de altura estão precisamente localizadas dentro da Lapónia.[12] A paisagem é dominada pelas enormes florestas de coníferas e pela tundra.[11]

A Lapónia sueca é atravessada pelo Círculo Polar Ártico a sul da cidade de Jokkmokk.[13]

História[editar | editar código-fonte]

Originalmente habitada pelos lapões (MODERNAMENTE Sámi) e por grupos do povo kven, foi sucessivamente colonizada pelos suecos, sobretudo nos séculos XII e XVII. Numa carta do rei Magno II, datada de 1340, está determinado que todos aqueles que sejam cristãos podem estabelecer-se na Lapónia, desde que paguem imposto ao rei. Apesar disso, a população continuou a ser praticamente toda lapónica até ao século XVII, pelo que o rei Carlos XI, em 1673, estabeleceu privilégios especiais para todos aqueles que quisessem ir viver na Lapónia. Em 1695, o mesmo rei decretou que os ”novos habitantes não deviam ocupar todos os terrenos disponíveis”.[14][11][15][16][17][18]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Maiores centros urbanos[editar | editar código-fonte]

Desde a integração da Lapónia no Reino da Suécia, apenas duas localidades receberam o foral de cidade: Lycksele em 1946 e Quiruna em 1948.
Pela Reforma Comunal de 1971, desapareceu a categoria político-administrativa de cidade.
Nos nossos dias, Lycksele e Quiruna são sedes de comuna - centralort - e como tal designadas de cidade - stad.

Comunas[editar | editar código-fonte]

Condados atuais[editar | editar código-fonte]

A província histórica da Lapónia foi dividida em três partes - sendo a parte norte integrada no Condado da Bótnia Setentrional, a parte sul no Condado da Bótnia Ocidental, e uma pequena parte no Condado da Jemtlândia.[22]

Património histórico, cultural e natural[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Lappland». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 212. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  2. «Lappland». Norstedts uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts. 2007-2008. p. 715. 1488 páginas. ISBN 9789113017136 
  3. Ulf Sporrong. «Landskap» (em sueco). Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 11 de junho de 2015. 
  4. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Landskapen». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 212. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  5. Ottosson, Mats; Åsa Ottosson (2008). «Lappland». Upplev Sverige (Conheça a Suécia). En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. p. 201. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  6. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Lappland». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 349. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  7. Wahlberg, Mats (2003). «Lappland». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário dos nomes das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 39. 195 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  8. Wahlberg, Mats (2003). «Lappland». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário dos nomes das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 39. 83 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  9. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Lappland». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 349. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  10. «Lappland». Sveriges landskap. och Stockholm, Göteborg och Malmö (em sueco). Estocolmo: Almqvist & Wiksell. 1995. p. 26-27. 64 páginas. ISBN 91-21-14445-1 
  11. a b c «Lappland | Nationalencyklopedin». www.ne.se. Consultado em 8 de maio de 2012. 
  12. «Swedensite info». www.swedensite.com. Consultado em 8 de maio de 2012. 
  13. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Lappland». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 553. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  14. Örjan Martinsson. «Västerbotten, Norrbotten och Lappland» (em sueco). Tacitus.nu. Consultado em 1 de março de 2018. 
  15. Handlingar rörande Skandinaviens história XXIX.1848, pp. 16–18 - Magnus Erikssons frihetsbref för dem, som nedsätta sig i Lappmarken, dat. Telge d. 16 Mars 1340
  16. «SkogsSverige». skogssverige.se. Consultado em 8 de maio de 2012. 
  17. «pp.57» (PDF). ex-epsilon.slu.se 
  18. «Lappland». Norstedts uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts. 2007-2008. p. 715. 1488 páginas. ISBN 9789113017136 
  19. «Kebnekaise | Nationalencyklopedin» 🔗. www.ne.se. Consultado em 8 de maio de 2012. 
  20. «Kiruna | Nationalencyklopedin». www.ne.se. Consultado em 8 de maio de 2012. 
  21. «Sökning arvidsjaur | Nationalencyklopedin» 🔗. www.ne.se. Consultado em 8 de maio de 2012. 
  22. «Lappland». Norstedts uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts. 2007–2008. p. 715. 1488 páginas. ISBN 9789113017136 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Lapônia (província da Suécia)
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.