Laranja da China

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Laranja da China
1940 •  pb •  80 min 
Direção Ruy Costa
Produção Wallace Downey
Alberto Byington Jr.
Roteiro Ruy Costa
João de Barro
Elenco Barbosa Júnior
Nair Alves
Dircinha Batista
Gênero comédia, musical
Companhia(s) produtora(s) Sonofilms
Lançamento Brasil 12 de janeiro de 1940
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Laranja da China é um filme musical brasileiro de 1940, produzido por Wallace Downey e dirigido por Ruy Costa.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Doutor Flores, um cidadão conservador e sua esposa, são sócios da Liga Contra a Malandragem e proibem a filha Camélia de namorar um sambista e boêmio. Paralelamente, um garoto rouba cobaias inoculadas com o vírus do samba, elaboradas pelo Doutor Salsish e as vende ao Doutor Flores, que acaba contaminado pelo famoso ritmo brasileiro.[2]

Produção[editar | editar código-fonte]

Foi nesse filme que dois artistas brasileiros, Dircinha Batista e Arnaldo Amaral beijaram-se na boca, pela primeira vez diante das câmaras.[3] Neste filme foi repetido o número musical de Carmen Miranda "O que é que a baiana tem" (Dorival Caymmi), já apresentado em Banana da Terra.[4] O filme conta com a participação do internacional cantor mexicano Pedro Vargas.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Números musicais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Fernão Ramos. «Enciclopédia do cinema brasileiro». Consultado em 27 de novembro de 2014 
  2. a b «SONOFILMS: Cinema brasileiro». cinemabrasileiro.net/. Consultado em 27 de novembro de 2014 
  3. Paulo Perdigão. «No ar: PRK-30!». Consultado em 27 de novembro de 2014 
  4. Tânia da Costa Garcia. «O "it verde e amarelo" de Carmen Miranda (1930-1946)». Consultado em 27 de novembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]