Laringite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Laringite
Endoscopia de uma laringe inflamada causada por refluxo gástrico.
Especialidade pneumologia
Classificação e recursos externos
CID-10 J04.0, J37.0
CID-9 464.0-464.4, 476.0-476.1
DiseasesDB 29347
MedlinePlus 001385
eMedicine ent/353 ent/354
MeSH D007827
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Laringite é a inflamação da laringe.[1] O sintoma mais comum é a rouquidão, podendo também ocorrer febre, tosse, dor na parte da frente do pescoço e dificuldade em engolir.[1][2] Na maioria dos casos a duração dos sintomas é inferior a duas semanas.[1]

A laringite é classificada como aguda quando a duração dos sintomas é inferior a três semanas e como crónica quando é superior a três semanas.[1] Os casos agudos são geralmente causados por uma infeção viral do trato respiratório superior.[1] Entre outras possíveis causas estão outro tipo de infeções e trauma físico causado por tosse.[1] Os casos crónicos podem ter como causa o tabagismo, tuberculose, alergias, refluxo gástrico, artrite reumatoide ou sarcoidose.[1][3] O mecanismo subjacente envolve a irritação das cordas vocais.[2]

Entre os sinais de alerta que podem indicar a necessidade de outros exames estão a presença de estridor, um historial de radioterapia ao pescoço, dificuldade em engolir, uma duração superior a três semanas e historial de tabagismo.[1] Quando estes sinais estão presentes, as cordas vocais são geralmente examinadas através de laringoscopia.[1] Entre as condições que podem produzir sintomas semelhantes estão a epiglotite, crupe, inspiração de um corpo estranho ou cancro da laringe.[1][4]

A forma aguda geralmente cura-se por si própria, sendo apenas aconselhados o descanso da voz e a ingestão de líquidos.[1] Os antibióticos não aparentam ter qualquer benefício na maioria dos casos de forma aguda.[5] Embora a forma aguda seja comum, a forma crónica não é.[1] A forma crónica ocorre com maior frequência na meia idade e é mais comum entre homens do que entre mulheres.[6]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l Wood, John M.; Athanasiadis, Theodore; Allen, Jacqui (9 de outubro de 2014). «Laryngitis». The BMJ. BMJ. 349: g5827. ISSN 1756-1833. PMID 25300640. doi:10.1136/bmj.g5827. Consultado em 21 de novembro de 2016.. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2016 
  2. a b «Laryngitis - National Library of Medicine». PubMed Health. Consultado em 9 de novembro de 2016.. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2017 
  3. Dworkin, James Paul (abril de 2008). «Laryngitis: Types, Causes, and Treatments». Otolaryngologic Clinics of North America. 41 (2): 419–436. PMID 18328379. doi:10.1016/j.otc.2007.11.011 
  4. Ferri, Fred F. (2016). Ferri's Clinical Advisor 2017: 5 Books in 1 (em inglês). [S.l.]: Elsevier Health Sciences. p. 709. ISBN 9780323448383. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2016 
  5. Reveiz, L; Cardona, AF (23 de maio de 2015). «Antibiotics for acute laryngitis in adults». Cochrane Database of Systematic Reviews. 5 (5): CD004783. PMID 26002823. doi:10.1002/14651858.CD004783.pub5 
  6. Dhingra, P. L.; Dhingra, Shruti (2014). Diseases of Ear, Nose and Throat (em inglês) 6 ed. [S.l.]: Elsevier Health Sciences. p. 292. ISBN 9788131236932. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.