Larry Pinto de Faria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Larry
Informações pessoais
Nome completo Larry Pinto de Faria
Data de nasc. 3 de novembro de 1932
Local de nasc. Nova Friburgo (RJ), Brasil
Nacionalidade brasileira
Falecido em 6 de maio de 2016 (83 anos)
Local da morte Porto Alegre (RS), Brasil
Destro
Apelido Cerebral Larry
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes
1951–1954
1954–1961
Brasil Fluminense
Brasil Internacional
Seleção nacional
1952
1956–1957

Brasil Brasil

Larry Pinto de Faria (Nova Friburgo, 3 de novembro de 1932 - Porto Alegre, 6 de maio de 2016) foi um futebolista e comentarista esportivo brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira no Fluminense, onde jogou de 1951 a 1954, sendo campeão do Campeonato Carioca de 1951 e da Copa Rio (Internacional) de 1952 (fazia parte do elenco tricolor, mas a Copa Rio foi disputada concomitantemente as Olimpíadas, para a qual foi convocado) considerando os títulos mais importantes,[1] ano no qual também foi o artilheiro da Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Verão de 1952, quando marcou quatro gols em três jogos.[2] Em 1954 ele transferiu-se para o Internacional onde jogou até 1961, quando encerrou a sua carreira.[3]

Era um centroavante elegante e técnico, que nem sequer trombava com os zagueiros. Conquistou a torcida colorada no segundo Gre-Nal que disputou, quando marcou quatro gols na goleada de 6 a 2. Foi campeão Pan-Americano em 1956, quando a seleção gaúcha representou o Brasil.

Mas o Cerebral Larry, como era chamado pela torcida colorada, não é tão lembrado pela capacidade de fazer gols quanto pelo estilo clássico, refinado, raro entre os centroavantes da época e de qualquer tempo. Com outro centroavante, o pernambucano Bodinho, Larry formou uma dupla infernal, capaz de tabelinhas só comparáveis às dos santistas Pelé e Coutinho. No Campeonato Gaúcho de 1955, Larry marcou 23 gols em apenas dezoito partidas. Só não foi o artilheiro porque Bodinho chegou aos 25. Larry tinha tanta moral com a torcida colorada que, mesmo perdendo os dois pênaltis contra o Renner que tiraram o Inter da disputa do título gaúcho de 1958, saiu de campo aplaudido. Anos depois, quando abandonou o futebol, foi eleito deputado estadual.

Como jogador Larry conquistou o Campeonato Gaúcho de Campeonato Gaúcho de Futebol de 1955 e o de 1961 pelo Internacional e o Pan-Americano de 1956 pela Brasil, além dos títulos conquistados pelo Fluminense.

Atuou como comentarista esportivo na extinta TV Difusora, canal 10 de Porto Alegre, nos programas Portovisão e Meio-Dia - A Hora Local.

Larry também foi o segundo jogador que marcou um gol do Brasil em olimpíadas, acontecendo isso em 1952 em Helsinque, com o primeiro gol tendo sido marcado por Humberto Tozzi, na vitória de 5 a 1 sobre a Seleção da Holanda.[4]

Morreu devido a uma pneumonia em 6 de maio de 2016, aos 83 anos.[3]

Referências

  1. LIMA, Ricardo - Site Estatísticas do Fluminense - Jogadores - Letra L - Larry, página disponível em 7 de maio de 2016
  2. Livro Seleção Brasileira 90 anos 1914-2004, página 323, por NAPOLEÃO, Antônio Carlos e ASSAF, Roberto (2004)
  3. a b BEHS, Leandro - Luto no Beira-Rio - Ídolo do Inter, Larry Pinto de Faria morre aos 83 anos, página editada e disponível em 6 de maio de 2016
  4. Livro Seleção Brasileira 90 anos 1914-2004, página 323, por NAPOLEÃO, Antônio Carlos e ASSAF, Roberto (2004)



Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço relacionado ao projeto desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.