Laura Flessel-Colovic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Laura Flessel-Colovic
Flessel-Colovic em 2014.
Ministro(a) de Esporte
Período 17 de maio de 2017
presente
Antecessor(a) Patrick Kanner
Dados pessoais
Nascimento 6 de novembro de 1971 (46 anos)
Pointe-à-Pitre
Nacionalidade francesa
Profissão Esgrimista

Laura Flessel-Colovic (Pointe-à-Pitre, 6 de novembro de 1971) é uma política francesa e anteriormente esgrimista, especialista na modalidade espada.

Conquistou cinco medalhas olímpicas, sendo dessas, dois ouros na estreia do evento de espada feminino nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996. Na disputa individual, derrotou sua compatriota Valérie Barlois e na decisão da disputa por equipes contra as italianas, ganhou junto com Barlois e Sophie Moressée-Pichot. Ela também conquistou uma medalha de bronze nos jogos de Sydney, em 2000. Quatro anos depois, nos jogos de Atenas, retornou às finais individuais, quando foi derrotada pela húngara Tímea Nagy, nos mesmos jogos, ela conquistou o bronze na disputa por equipes. Laura Flessel também tem seis títulos de campeonatos mundiais e um continental.

Qualificada para sua quinta e última edição de Jogos Olímpicos, foi a porta-bandeira da delegação francesa durante as cerimônias de abertura e encarramento dos Jogos de Londres em 2012. Apelidada de vespa por causa de sua especificidade em tocar os oponentes nos pés, é uma das esgrimistas francesas mais condecoradas da história.

Em 17 de maio de 2017, ela foi nomeada Ministra dos Esportes no primeiro governo de Édouard Philippe, sob a presidência de Emmanuel Macron. Ela manteve este título no segundo governo de Philippe anunciado em 21 de junho após as eleições parlamentares.

Carreira esportiva[editar | editar código-fonte]

Esgrimista[editar | editar código-fonte]

Laura Flessel-Colovic
Laura Flessel após um round do Campeonato Europeu de Esgrima, 6 de julho de 2007.
Esgrima
Especialidade Espada
Representante  França França
Compleição Peso: 60 kg Altura: 1,70 m
Clube Lagardère Paris Racing
Período em atividade 1995-2012

Laura Flessel começou a praticar esgrima aos seis anos, tornando-se uma esgrimista muito talentosa. Ela progrediu rapidamente e se tornou campeã nacional de Guadalupe. Em seguida, adquiriu sólida experiência nos circuitos caribenho, centro-americano e pan-americano, conquistando em 1990 o campeonato pan-americano na categoria florete e espada. No mesmo ano, ela se juntou à França, praticando no Racing Club de France.[1] Ela também evoluiu dentro do Institut national du sport, de l'expertise et de la performance (INSEP), o que lhe permitiu enfrentar as melhores esgrimistas franceses.

Sua primeira grande conquista foi no mundial de 1995, em Haia, quando terminou em terceiro lugar. No mesmo mundial, ela conquistou uma medalha de prata por equipes junto com Valérie Barlois, Sophie Moressee e Sangita Tripathi, após uma difícil vitória por 45 a 44 contra a Hungria.[2]

Durante a primeira participação do evento espada para mulheres nos Jogos Olímpicos de Atlanta, a França entrou como uma das favoritas para a conquista de medalhas. Laura Flessel era na época a terceira esgrimista do ranking mundial, enquanto sua compatriota Valérie Barlois era a segunda.[3]

Com Valérie Barlois e Sophie Moressée-Pichot, Laura Flessel conquistou o título olímpico no evento por equipes diante da Itália. No evento individual, ela passou por duas esgrimistas húngaras, incluindo a vice-campeão mundial, Szalay, nas semifinais. Na decisão, sua oponente foi a compatriota Valérie Barlois, derrotando-a por 15 toques a 12.[4] · [5].

Depois de uma medalha de bronze por equipes na Copa do Mundo de 1997, e de um nono lugar no individual, ela se tornou a oitava esgrimista francesa e a primeira mulher a ganhar os títulos Olímpicos e Mundiais. Para ganhar o título, ela derrotou a alemã Holzkamp por 15 a 9, esta mesma adversária havia triunfado sobre ela naquela mesma temporada numa etapa da Copa do Mundo.[6] Ela ganhou seu segundo título mundial em 1998, vitória no evento por equipes.[7] Na mesma temporada, terminou na segunda colocação da Copa do Mundo.

No ano seguinte, ela demonstrou a ambição de manter seus dois títulos mundiais. No entanto, falhou na competição por equipes, mas venceu seu segundo título individual consecutivo, desta vez contra a suíça Romagnoli. A França terminou o mundial de Seul com oito medalhas, incluindo cinco de ouro.[8].

Nos jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, Laura Flessel entrou como uma das favoritas para a medalha de ouro. No entanto, ela foi derrotada na semifinal para a húngara Timea Nagy, mas conquistou a medalha de bronze. Na competição por equipes, a França terminou no quinto lugar.

Durante o ano pós-olímpico, Laura Flessel-Colovic deu à luz Leïlou, em junho de 2001. No entanto, ela retornou às competições internacionais a partir de outubro, disputando a copa do mundo que ocorreu em Nîmes quando conseguiu a façanha de ganhar uma medalha de prata, sendo derrotada pela alemã Claudia Bokel. "Voltar tão rapidamente ao mais alto nível tem sido a alquimia de muitas coisas. Primeiro de tudo, porque eu fui criada na cultura do prazer de superar a si mesmo. Minha educação e minha comitiva também desempenharam um papel fundamental na minha vida esportiva. Este resultado foi mais mental do que físico, e é tudo sobre um sucesso coletivo."[9]

Apesar de suas duas Copas do Mundo de 2002 e 2003, ela teve que esperar por sua terceira participação nos jogos para obter uma nova medalha. Quando enfrentou novamente a húngara Timea Nagy, que conquistou a medalha de ouro. Em 2005, ela ganhou uma nova medalha de bronze no individual. No entanto, ela se reencontrou com o título mundial com a equipe francesa. Este mundial foi um resultando excelente para a França, que ganhou dez medalhas, incluindo quatro de ouro.[10]

No Campeonato Mundial de 2006, em Turim, ela novamente conquistou uma medalha de bronze no evento individual, sendo derrotada novamente por Nagy.[11][12] Esta medalha foi a única da França nos eventos individuais, pois perdeu várias disputas por medalhas, por contraste, a França ganhou quatro medalhas nos eventos por equipes. Apenas a espada feminina não trouxe uma medalha nos eventos coletivos.

Em 2007, a França decidiu romper com seu hábito de enviar uma equipe chamada "B" no Campeonato Europeu. Esta política destinada a oferecer mais experiência aos jovens esgrimistas se deparou com a necessidade de ganhar pontos na corrida para se qualificar para as Olimpíadas de Pequim. Laura Flessel aproveitou para conquistar o único título que lhe faltava.[13] No mundial daquele mesmo ano, ela voltou a conquistar o ouro no evento por equipes. Naquela temporada, ela também ganhou sua terceira copa do mundo.

Seus bons resultados em 2007, e no início da temporada de 2008, deram a ela um dos dois lugares disponíveis na seleção francesa para o evento individual das Olimpíadas de Pequim, já que o evento por equipes não foi incluído no programa.

Ela teve a oportunidade de participar de seu quarto jogos Olímpicos. Uma quarta participação que marcou um ponto distinto, uma vez que esta foi a primeira Olimpíada na qual Laura Flessel não conquistou uma medalha, pois foi eliminada pela chinesa Li Na (15-9) nas quartas de final.

No ano de 2009, Laura Flessel conquistou um terceiro lugar no Campeonato Europeu em Plovdiv,[14] e uma eliminação dolorosa no mundial de Antália, quando foi derrotada nas quartas de finais pela russa Lyubov Shutova após uma partida equilibrada que foi decidida na morte súbita com o placar de 7 a 8.

No ano seguinte, ela ganhou duas medalhas de bronze no Campeonato Europeu em Leipzig. Na competição individual, ela perdeu na semifinal por morte súbita para a polaca Magdalena Piekarska com o placar de 13 toques a 12.[15] Na competição por equipes, a França perdeu na semifinal para a Itália antes de conquistar a medalha de bronze contra a Alemanha.[16] Nos campeonatos mundiais, disputados no Grand Palais de Paris, Laura Flessel venceu sua compatriota Hajna Kiraly-Picot nas oitavas de finais, mas acabou sendo derrotar para a húngara Emese Szász nas quartas de finais, que por sua vez foi derrotada na final pela outra francesa, Maureen Nisima.[17] No evento por equipes, as francesas terminam no quinto lugar após uma derrota por 45 a 40 contra a Romênia nas quartas de finais.[18]

No mundial de 2011, ela perdeu por nocaute na primeira fase do torneio, rodada de 32 avos, para a adversária norte-americana Maya Lawrence pelo placar de 15 a 14.[19] Assim como na edição anterior, as esgrimistas francesas perderam nas quartas de final do evento por equipes, desta vez para a China. Laura Flessel foi incapaz de manter a vantagem de três toques que a França possuía antes do último round contra a vencedora do evento individual Li Na, que deu a vitória à sua equipe no placar de 45 a 43.[20]

A equipe de espada falou em sua tentativa de se qualificar para o evento por equipes dos jogos Olímpicos de 2012, em Londres.[21] Em 21 de abril de 2012, ela se classificou para o evento individual ao derrotar Emma Samuelsson por 15 a 6 nas semifinais do Campeonato Europeu de Qualificação realizado em Bratislava.[22] Em 14 de maio de 2012, Laura Flessel foi oficialmente designada como a portadora da bandeira da delegação francesa durante as cerimônias de abertura e encerramento dos jogos de Londres, disputado de 27 de julho a 12 de agosto de 2012.[23][nota 1][24] Em sua última competição, ela derrotou Courtney Hurley, representante dos Estados Unidos (15 a 12), antes de perder para a atleta que na época era a número 4 do mundo, Simona Gherman da Romênia, por 15 a 13.

Dopagem[editar | editar código-fonte]

Em 26 de maio de 2002, durante um evento do Campeonato Mundial em Málaga e após um teste positivo para o estimulante niquetamida, Flessel-Colovic foi suspensa por três meses pela Federação Internacional de Esgrima.[25]

Gestão do esporte[editar | editar código-fonte]

Apesar de sua candidatura, não foi retida pela Federação Francesa para participar da comissão da modalidade espada. [26] Em 2012, assumiu a gestão de Nathalie Moellhausen, italiana que compete pelo Brasil, formando um grupo também composto por dois mestres de armas, Daniel Levavasseur e Michel Sicard,[26] este último já havia treinado Laura.[27] Ela acompanhou Moellhausen nos eventos dos Jogos Olímpicos de 2016, quando a ítalo-brasileira enfrentou as francesas Marie-Florence Candassamy e Lauren Rembi, vencendo a primeira e perdendo para a segunda.[28]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Laura Flessel é casada com Denis Colovic (ex-jornalista do Progrès de Lyon e da Federação Francesa de Esgrima).[29] Ela também é mãe de Leïlou, nascida em junho de 2001.

Consultora de esportes e outras atividades[editar | editar código-fonte]

Meios de comunicação[editar | editar código-fonte]

Em 2008, foi colunista do jornal diário Aujourd'hui Sport, que atualmente se encontra fora de circulação.

De 6 a 20 de outubro de 2012 foi uma das participantes da terceira temporada do Danse avec les étoiles, versão francesa do programa Dancing with the Stars. Na ocasião, ela atuou ao lado do dançarino Grégoire Lyonnet.[30]

Em 2015, ela interpretou Alexandra num especial do programa Nos chers voisins: Nos chers voisins fêtent les vacances.

Durante os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, ela comentou a cerimônia de abertura com Stéphane Guy e Joris Sabi no Canal+,[31] os eventos de esgrima com Frédéric Roullier e a cerimônia de encerramento com Julien Fébreau e Jean Galfione.[32]

Vida associativa[editar | editar código-fonte]

Flessel-Colovic é embaixadora da campanha Stand Up for African Mothers da AMREF Flying Doctors,[33] ela também é a madrinha da Handicap International e embaixadora da Plan International.[34] Seu projeto de longo prazo visa levar a esgrima para cidades e lugares desfavorecidos. Ela também é embaixadora da boa vontade pela UNESCO, promovendo a tolerância nos esportes.[35]

Ela fundou a associação Ti'Colibri, que visa promover a esgrima. Graças à sua ação, conseguiu oferecer meios e equipamentos para clubes com poucos recursos.[36]

Em janeiro de 2008, participou do programa "Envole-toi", que com o apoio da Fundação Jean-Luc Lagardère, que pretendia preparar jovens esgrimistas na perspectiva dos Jogos Olímpicos de 2012.[37]

Ela é a madrinha da associação Paris 2018 pela organização da décima edição dos Jogos Gays em 2018.[38] O maior evento esportivo e cultural do mundo, aberto a todos, cujo objetivo é lutar contra a discriminação. É também a madrinha da Afev (Associação de Fundação Estudantil para a Cidade), uma associação de educação popular que combate as desigualdades nos bairros da classe trabalhadora através do envolvimento de estudantes voluntários e voluntários no serviço cívico.

Carreira profissional e política[editar | editar código-fonte]

Laura Flessel no Dia Olímpico, em 23 de junho de 2017.

Em 28 de outubro de 2010 foi nomeada membro do Conselho Econômico, Social e Ambiental, devido à sua experiência no campo esportivo. Este mandato expirou em 2015.[39]

Em 27 de junho de 2013, ela foi nomeada membro do Conselho Nacional do Desporto como personalidade qualificada.[40]

Durante o intervalo entre os turnos da eleição presidencial da França em 2017, no dia 7 de maio de 2017, ela fez parte dos sessenta esportistas ativos ou aposentados que assinaram um apelo para votar em Emmanuel Macron "para o esporte continuar sendo uma área de liberdade, igualdade e fraternidade".[41] Após sua vitória, ela escreveu em sua conta no Twitter: "Em março... o melhor para o nosso país. Vamos arrumar as mangas e avançar."[42]

Em 17 de maio de 2017 foi nomeada Ministra dos Esportes durante o primeiro governo de Édouard Philippe, sob a presidência de Emmanuel Macron,[43] cargo que manteve no segundo governo de Édouard Philippe constituído em 21 de junho de 2017.[44] O segundo ministro mais popular do governo no final de 2017, ela é particularmente responsável pela preparação da organização dos Jogos Olímpicos de Verão de 2024.[45]

Em dezembro de 2017, ela trouxe à Assembléia Nacional a Lei Olímpica de Paris 2024.[46]

Conquistas[editar | editar código-fonte]

  • Jogos Olímpicos:[47]
    • Gold medal.svg Espada individual (1996) e Espada por equipes (1996)
    • Silver medal.svg Espada individual (2004)
    • Bronze medal.svg Espada individual (2000) e Espada por equipes (2004)
  • Campeonato Mundial:[47]
    • Gold medal world centered-2.svg Espada individual (1998 e 1999) e Espada por equipes (1998, 2005, 2007 e 2008)
    • Silver medal world centered-2.svg Espada individual (2001) e Espada por equipes (1995 e 2006)
    • Bronze medal world centered-2.svg Espada individual (1995, 2005 e 2006) e Espada por equipes (1997)
  • Campeonato Europeu:[47]
    • Gold medal world centered-2.svg Espada individual (2007)
    • Bronze medal world centered-2.svg Espada individual (2009 e 2010) e Espada por equipes (2007, 2010 e 2011)
  • Copa do Mundo de Esgrima:
    • Gold medal world centered-2.svg 3 Copas do Mundo por espada (2002, 2003 e 2004)
  • Jogos do Mediterrâneo:[48]
    • Silver medal-2008OB.svg Espada individual (2005)
  • Campeonato Francês:[47]
    • Gold medal icon blank.svg Espada individual (1998, 2000, 2002, 2003, 2007 e 2008) e Espada por equipes (1993, 1995, 1996, 1999, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007)
    • Silver medal blank.svg Espada individual (1993, 2005 e 2009)

Distinções[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. A escolha final a favor da esgrimista deu-se pelo voto de uma gama de cinco eleitores, Isabelle Severino da Comissão de Atletas; Bernard Amsalem, chefe de missão em Londres; Jean-Luc Rougé, vice-presidente do CNOSF; Jacques Rey, presidente do Colégio das Federações Olímpicas e Denis Masseglia, presidente do CNOSF. Os outros candidatos eram o jogador de basquete Tony Parker, o nadador Alain Bernard, o ciclista Julien Absalon e o jogador de handebol Nikola Karabatic.

Referências

  1. «Biographie» (em francês). rfo.fr. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2013 
  2. Michel Chemin (24 de julho de 1995). «L'épée française touche l'argent. Un Mondial de bonne augure à un an des Jeux olympiques d'Atlanta.» (em francês). liberation.fr. Cópia arquivada em 25 de março de 2018 
  3. Un poids en moins, L'Équipe acessado em: 24 de fevereiro de 2008
  4. Collectif L'Équipe, 1996, La reine Laura.
  5. La finale d'Atlanta 1996 sur YouTube
  6. «Laura Flessel : le monde après l'Olympe». letelegramme.fr. 9 de outubro de 1998 
  7. Le Livre de l'année 98, L'Équipe
  8. Le Livre de l'année 99, L'Équipe
  9. «À la pointe de l'Épée». L'Équipe 
  10. «Mondiaux de Leipzig, Flessel en Bronze». eurosport.fr. 15 de outubro de 2005 
  11. Mondiaux 2006 à Turin
  12. «Laura Flessel sauve l'honneur». l'Humanité. 5 de outubro de 2006 
  13. Laura Flessel championne d'Europe, sur le site eurosport.fr
  14. «Le bronze pour Laura Flessel aux Championnats d'Europe d'escrime». lemonde.fr. 15 de julho de 2009 
  15. «Championnats d'Europe d'escrime : le bronze pour Laura Flessel». tempsreel.nouvelobs.com. 18 de julho de 2010 
  16. «Championnat d'Europe d'escrime: la France prend le bronze avec Laura Flessel». lepoint.fr. 18 de julho de 2010 
  17. «Escrime/Mondiaux-2010 - Epée dames: Une médaille pour Nisima, Flessel s'arrête en quarts». lequotidien.lu. 8 de novembro de 2010 
  18. «Laura Flessel très déçue». sport.fr. 12 de novembro de 2010 
  19. «Bérézina française aux Mondiaux de Catane». france24.com. 13 de outubro de 2011 
  20. «Escrime - Championnats du monde. Laura Flessel tire sa révérence». leprogres.fr. 17 de outubro de 2011 
  21. «Sans les épéistes françaises...». lequipe.fr. 25 de março de 2012 
  22. «Laura Flessel décroche son ticket pour Londres» (em francês). www.lemonde.fr. Consultado em 21 de abril de 2012. 
  23. «JO : Laura Flessel désignée contre toute attente porte-drapeau de la délégation française» (em francês). Le Figaro. 14 de maio de 2012 
  24. «Montpellier Jeux Olympiques de Londres : Karabatic sera-t-il porte-drapeau pour la France ?» (em fracês). midilibre.fr. 14 de maio de 2012 
  25. «Laura Flessel accepte ses trois mois de suspension». Libération (em francês). 29 de novembro de 2002. Consultado em 21 de abril 2012.. Cópia arquivada em 17 de março de 2017 
  26. a b Aurélien Bouisset (6 de agosto de 2016). «Laura Flessel, version carioca». L'Équipe (22661). p. 15 
  27. Gilles van Kote (12 de agosto de 2008). «L'éternelle envie de Laura Flessel» (em francês). lemonde.fr. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2015 .
  28. «Brasileira Nathalie Moellhausen perde e cai nas quartas, mas faz história para o país na esgrima». mg.superesportes.com.br. 6 de agosto de 2016. Consultado em 10 de março de 2018.. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  29. «Denis Colovic mari de porte-drapeau». Le Progrès (em francês). 30 de julho de 2012. Cópia arquivada em 20 de maio de 2017 
  30. «Danse avec les stars 3 : le casting officiel dévoilé» (em francês). tele.premiere.fr. 18 de setembro de 2012. Arquivado do original em 1 de julho de 2013 
  31. «Canal+ puissance 8 pour Rio» (em francês). mediasportif.fr. Consultado em 6 de agosto de 2016.. Cópia arquivada em 17 de novembro de 2017 
  32. Sacha Noko (4 de agosto de 2016). «Jeux Olympiques de Rio : Quels consultants pour France Télévisions et Canal+ ?» (em francês). lequipe.fr. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2017 
  33. «Stand Up for African Mothers» (em francês). amref.fr. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 
  34. «Plan International» (em francês). planfrance.org. Cópia arquivada em 5 de julho de 2017 
  35. «FLESSEL-COLOVIC» (em espanhol). UNESCO. Consultado em 8 de março de 2018.. Cópia arquivada em 8 de março de 2018 
  36. «Laura Flessel se fend pour les petits clubs» (em francês). humanite.fr. 10 de dezembro de 2005. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2016 
  37. «Lagardère soutient le programme de Laura Flessel» (em inglês). sportstrategies.com. 29 de janeiro de 2008. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2017 
  38. Mélanie Vives (28 de novembro de 2012). «Paris se rêve en ville hôte de la 10e édition des "Gay Games"» (em francês). lemonde.fr. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2016 
  39. «Décret du 28 octobre 2010 portant nomination au Conseil économique, social et environnemental» (em francês). www.legifrance.gouv.fr. 29 de outubro de 2010. Consultado em 26 de dezembro de 2010.. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  40. «Arrêté du 27 juin 2013 portant nomination des membres du Conseil national du sport». www.legifrance.gouv.fr. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  41. «Présidentielle: Matuidi et des sportifs français appellent à voter Macron» (em francês). RMC Sport. 3 de maio de 2017. Consultado em 4 de maio de 2017.. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  42. «Les réactions des sportifs après la victoire d'Emmanuel Macron à la présidentielle» (em inglês). www.lequipe.fr. 7 de maio de 2017. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  43. Adrien Pécout (17 de junho de 2017). «Laura Flessel, une ex-escrimeuse de haut niveau au ministère des sports» (em francês). lemonde.fr. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  44. «Nouveau gouvernement Philippe: Laura Flessel nommée aux Transports, le lapsus d'Alexis Kohler» (em francês). leparisien.fr. 21 de junho de 2017. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  45. «Nouveau gouvernement Philippe: Laura Flessel nommée aux Transports, le lapsus d'Alexis Kohler» (em francês). leparisien.fr. 21 de junho de 2017. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  46. Éric Hacquemand (27 de dezembro de 2017). «Laura Flessel: "la guêpe" dans le nid politique». Paris Match (em francês). p. 22. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 
  47. a b c d Ficha de Laura Flessel no website da FFE
  48. Jeux Méditerranéens d'Alméria en 2005
  49. ORDRE DE LA LEGION D'HONNEUR Décret du 29 août 1996 portant nomination à titre exceptionnel
  50. Académie des sports - palmares
  51. Décret du 31 octobre 2000 portant promotion et nomination

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • «La reine Laura». Le livre de l'année 1996 - Collectif L'Équipe. [S.l.]: L'Équipe. Dezembro de 1996. p. 105 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]