Laurent Filipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde janeiro de 2014) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Laurent Filipe
Informação geral
Nome completo Laurent Waegeli Sinde Filipe
Nascimento 1962 (55 anos)
Origem São Paulo
País  Portugal
Gênero(s) Rock, Blues
Instrumento(s) Trompete
Período em atividade 1977 – actualmente

Laurent Waegeli Sinde Filipe mais conhecido por Laurent Filipe[1] (São Paulo, São Paulo, 1962) é um músico, musicólogo, compositor e produtor, mais propriamente trompetista e também ator. É filho do actor José Sinde Filipe e de sua mulher Françoise Elsy Waegeli.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de pai português e de mãe suíça, Laurent Filipe nasceu a 6 de Setembro de 1962, na cidade de São Paulo, Brasil. A carreira artística dos pais (Sinde Filipe e Françoise Ariel), ambos actores de teatro, cinema e televisão, levou Laurent até Espanha, Suíça e Portugal, onde vivia quando se deu a Revolução de Abril de 1974. Dividido entre a paixão pela pintura e pela música, cedo compreendeu que teria que fazer uma escolha. Aos quinze anos enveredou por uma via semi profissional como trompetista, gravando e recebendo os primeiros “cachets”. Tinha 17 anos quando pisou o palco do histórico festival internacional “Cascais Jazz”, em 1979. Certo de que aquele seria o caminho a seguir, comprometeu-se a terminar o Baccalaureat de Letras do ensino francês. Iniciou a década de 80 com a partida para os EUA, onde se licenciou (cum laude) em Composição e Teoria musical pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Kansas (1985). Como bolseiro e a convite do prestigiado Berklee College of Music de Boston prosseguiu e concluiu estudos de mestrado (cum laude) em Composição para cinema, em 1987.

Da famosa escola “Taller de Musics” de Barcelona surgiu então o convite para leccionar. Em 1989 Laurent partiu para Barcelona futura capital Olímpica. A enorme “Movida” cultural que atravessava Espanha levou-o ao Festival Internacional de Guexto em 1990, onde ganhou simultaneamente o prémio de melhor solista e de melhor grupo. Grava então o seu primeiro CD “Laura” e dá inicio a uma intensa actividade como concertista e artista convidado, pela Europa e EUA, onde irá manter uma base de residência até 2001.

A pretexto da “Capital da Cultura” em 94 Laurent regressa a Lisboa. Desenvolve e apresenta inúmeros projectos musicais e editoriais. Entre diversas iniciativas empresariais funda em 1996 o Restaurante Bar “Speakeasy”, local de referência cultural da Lisboa dos anos ´90, ainda em funcionamento. Alarga as actividades musicais e empresariais para a Expo 98 e para o ramo audiovisual, com a empresa Nuvem Eléctrica. Com o 11 de Setembro de 2001 renuncia ao projecto de regressar aos EUA. Prossegue pela Europa, Ásia e África uma actividade como concertista e conferencista. Participa como actor em telenovelas e teleséries. Regressa ao ensino como professor da Escola Superior de Musica e Artes do Espectáculo do Porto, onde permanecerá até 2009. Surge então o convite da Produtora Fremantle e canal SIC para integrar o júri da 3ª e 4º edições do ultra-mediático concurso televisivo “Ídolos”. O concurso torna-se líder de audiências e traz a Laurent Filipe a popularidade e simpatia do grande público. A “LFProduções” é fundada em 2010, ano em que Laurent recebe o convite para o cargo de director geral do “Musibéria Centro Internacional de Musicas e Danças de Raiz Ibérica, em Serpa”. O desenvolvimento, coordenação e gestão do projecto requer uma actividade intensa no sector das parcerias nacionais e internacionais, a par de uma administração criativa, capaz de contornar o período de crise. Com uma vasta discografia a nome próprio, Laurent continua a colaborar como artista convidado de figuras marcantes tais como Mariza, Rui Veloso ou Carlos do Carmo. Mantém uma actividade como conferencista, produtor e gestor de projectos. Reside em Lisboa. Criou e integra os seguintes grupos: "Duo Iberia" (com o pianista espanhol Pedro Sarmiento), "Tributo a Chet Baker", "The Song Band", "Sexteto Mingus e Mais "," Flick Music "(trilhas sonoras de filmes) e" Swing City Orchestra ", dedicado à música de abertura da 30's e 40's.

Laurent mantém uma actividade regular como compositor, produtor, professor, arranjador e instrumentista em Portugal e no estrangeiro.

Casou em 2006 com a apresentadora e actriz Paula Castelar (Lisboa, 30 de Novembro de 1964), filha natural do radialista Rui Castelar.

Notas biográficas[editar | editar código-fonte]

  • Começou a tocar e gravar em Portugal aos quinze anos de idade. Licenciou-se em Teoria e Composição Musical pela Universidade de Kansas (E.U. A.) em 1985 e obteve uma pós graduação em Composição Musical para Cinema pela Berklee College of Music (E.U. A) em 1987. Tem em curso um doutoramento em ciências humanas.
  • Estudou com os trompetistas Dr. Roger Stoner, Greg Hopkins, e participou em seminários de Wynton Marsalis.
  • Actuou como líder do seu próprio grupo e como “sideman” em diversos clubes e festivais de jazz nos E.U. A., Europa (nomeadamente, o Festival Internacional “Cascais Jazz ‘79”) África e Asia.
  • Participou em sessões com figuras marcantes do jazz tais como: Jimmy Mosher, Aldo Romano, Tete Montoliu, Carles Benavente, Maceo Parker, e o lendário baterista Walter Perkins, entre muitos outros. Apareceu frequentemente como convidado especial de artistas como Mariza e Rui Veloso.
  • Recebeu o prémio “Art Farmer Performance Award” (E.U. A. 1985), o prémio de “Melhor Solista 1990” no Festival Internacional de Jazz de Guetxo (Espanha), onde o seu grupo recebeu também o prémio de” Melhor Grupo”. Em 1996 foi-lhe atribuído o prémio “Melhor Músico de Jazz” pelo programa “Cinco Minutos de Jazz, RDP”.
  • Colaborou activamente como compositor e instrumentista na “ Olimpiada Cultural Barcelona ‘92”,“Madrid Capital da Cultura”e “Lisboa Capital da Cultura’94”, “Expo’98” e “Porto 2001”.
  • É autor de um extenso reportório nos campos da música tradicional, contemporânea (incluindo obras para o “Grupo de Metais do Seixal”, “Remix Ensemble” e “Opus Ensemble”), jazz e Afro-Cubano. Compôs a banda sonora do documentário “City at Night” (E.U. A.), a longa metragem “Porto Santo”, o espectáculo multimédia “Quadrofonia do Tempo” e música para teatro que inclui as obras tais como “Sebastião o Menino Rei”, encomendada pela Expo’98. “Augaciar, Viagem ao Fim do Milénio”, o musical “Mulheres ao Poder”, etc.
  • Trabalha actualmente com as seguintes formações, das quais é autor: “Duo Iberia”, “Homenagem a Chet Baker”, “The Song Band”, o sexteto “Mingus e Mais”, o quarteto “Flick Music” (música de filmes) e a “Swing City Orquestra”, orquestra que já serviu de suporte a Rui Veloso.
  • Colaborou com a Galp Energia na campanha de apoio à Selecção Portuguesa de Futebol para o Campeonato do Mundo de 2010. Para o efeito, Laurent Filipe criou e dirigiu a “Orquestra das Vuvuzelas”. A vuvuzela é um instrumento musical, de origem sul-africana, usado pelos adeptos de futebol nos jogos.

Como autor/produtor/compositor[editar | editar código-fonte]

  • "Laura", Numérica 1992
  • "Divertimento" (Duo Iberia), Numérica 1993
  • "Ad Lib Vol 1", Groove-Movieplay 1995
  • "Poemas de Fernando Pessoa", LFP 1997
  • "Mulheres ao Poder" Um musical, LFP 1002, 1999
  • "Dos" (Duo Iberia) inclui a participação de Misia, New Discoveries Records, ndrecords
  • "A Tribute to Bessie Smith" com Jacinta, EMI-Blue Note, 2003, (www.jacintaportugal.com)
  • "A Luz", Clean Feed Records CFO26, 2004
  • "East of the moon" - Duo Iberia, 2006, Numérica, 2006
  • "Ode to Chet", Som Livre 2006
  • “Flick Music”, I Play 2008
  • "Poemas de Alexandre O´Neill" 2010 LFP 1006
  • "Tanuki Bom Bom" 2011 LFP-Dinalivro
  • "Canções e Duetos" Farol Musica 2011
  • "Tango Frio" 2013 LFP 1007
  • "Poemas de Cesário Verde" 2014 LFP 1008

Como produtor[editar | editar código-fonte]

  • "O Render dos Herois" António Vitorino d'Almeida, Numérica 1996
  • "O Cancioneiro do Niassa, Canções Proibidas", EMI 1999

Como compositor[editar | editar código-fonte]

  • "Folc" Opus Ensemble, EMI Classics 1998
  • "Contemporary Portuguese Music", Opus Ensemble, Strauss, 2001

Como "sideman" (discografia parcial)[editar | editar código-fonte]

  • "Walking", Orquestra Girassol, 1978
  • "Angola Minha Namorada" Waldemar Bastos EMI, 1989
  • "Konieck Contemprari Ensemble" Fresh Sound, 1991
  • "Viagens" Pedro Abrunhosa, Polgyram, 1993
  • "3º Capitulo" Da Weasel, EMI, 1997
  • "Passagem" Orquestra Sons da Lusófonia, Movieplay, 1996
  • "Simmons 50%" RMS, 1995
  • "Quinto Império" Amélia Muge, Sony, 1994
  • "Desafinados", Tetvocal, EMI 1995
  • "Racismo Não" Fernando Girão, a favor da AMI, EMI/VC 1996
  • "Imagens" André Sardet, Polygram Mercury, 1996
  • "Nus Teus Olhos" Gil do Carmo, BMG 1998
  • "Mátria" Paulo de Carvalho e Ivan Lins, Universal 1999
  • "Africa de Todas as Côres" Ze Ze N'Gambi, Numerica 1999
  • "Cromatismo Ucraniano" Luis Lapa, Upbeat Records 2000
  • "20 Anos de Ar de Rock", Rui Veloso, EMI 2000
  • "Dias da Publicidade", Jorge Rivotti, Strauss 2001
  • "Ride On", António Mardel, Strauss-Evolution, 2001

...etc.

Crítica[editar | editar código-fonte]

"...la emoción del trompetista LF que, cantando, tradujo brillantemente a su garganta el mismo fraseo elegante ejecutado poco antes sobre los graves de su trompeta."..."a emoção do trompetista LF o qual, cantando, traduziu brilhantemente com a sua garganta o mesmo frazeado elegante, executado pouco antes sobre os graves do seu trompete". Luis Martin ABC Madrid

"LF es un trompeta brillante que no tiene que recurrir a la espectacularidad gratuita para destacar". "LF é um trompetista brilhante que não precisa de recorrer a à espectacularidade gratuita para se destacar". Jesus Moreno in Diario del Altoaragón


Um remarquable quintete où s'illustre l'art tout à fait étonnant (et hard bopien) du très prometteur trompettiste Laurent Filipe". "Um quinteto notável onde se ilustra a arte absolutamente surpreendente (e hard-bopiana) do muito promissor trompetista Laurent Filipe." in Ecouter Magazine

A propósito de "Laura" "Um jovem músico que se prepara para soprar os ventos da música portuguesa, um acorde puro daquilo que pode ser um novo Jazz...Laurent só faz sair a sua imensa capacidade inventiva e criativa..." Anabela Martins da Cruz, in Diário de Noticias

"A propósito do "Trio Homenagem a Chet Baker" ..."a voz própria da trompete-jazz portuguesa nos tempos que correm" Manuel Carvalho, in Público edição Porto

A propósito do "Duo Iberia" "Con una formación insólita, el Duo ofereció una de las actuaciones mas subyugantes que recordamos....musica del más alto nivel creativo imaginable" "Com uma formação insólita, o Duo ofereceu uma das actuações mais dominantes de que há memória...musica do mais alto nível creativo imaginável". António Sanchez,in Jazzred

Laurent Filipe y Pedro Sarmiento hicieron la música más grande de todo el festival. Las ideas iban como rayos de trompeta a piano y viceversa, en un intercambio casi fisico de energia." Laurent Filipe e Pedro Sarmiento fizeram a "maior" música de todo o Festival. As ideias seguiam como raios da trompete ao piano e vice versa, num intercâmbio de energia quase fisico. Federico Gonzalez, in El País

A propósito de "Ad Libitum" "O que sobresai do som da orquestra deverá ser mesmo a sua coesão e cumplicidade... Ad. Libitum demonstra a OrquestraSom do Mundo como uma grande banda". Leonel Santos in DNCompacto

Trabalhos como actor[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (pdf). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 11 de Janeiro de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 24 de Dezembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]