Laurent Filipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Laurent Filipe
Informação geral
Nome completo Laurent Waegeli Filipe
Nascimento 1962 (60 anos)
Origem São Paulo
País Portugal
Gênero(s) todos
Instrumento(s) Trompete, piano
Período em atividade 1977 – actualmente

Laurent Waegeli Filipe (São Paulo, Brasil, 1962), mais conhecido por Laurent Filipe,[1] é um músico, designadamente trompetista, musicólogo, compositor, produtor e também ator. É filho do actor José Sinde Filipe e da atriz Françoise Ariel.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de pai português e de mãe suíça, Laurent Filipe nasceu a 6 de Setembro de 1962, na cidade de São Paulo, Brasil. A carreira artística dos pais (Sinde Filipe e Françoise Ariel), ambos actores de teatro, cinema e televisão, levou Laurent até Espanha, Suíça e Portugal, onde vivia quando se deu a Revolução de Abril de 1974. Dividido entre a paixão pela pintura e pela música, cedo compreendeu que teria que fazer uma escolha. Aos quinze anos enveredou por uma via semi profissional como trompetista, gravando e recebendo os primeiros “cachets”. Tinha 17 anos quando pisou o palco do histórico festival internacional “Cascais Jazz”, em 1979. Completou o Baccalaureat de Letras do ensino francês. Iniciou a década de 80 com a partida para os EUA, onde se licenciou (cum laude) em Composição e Teoria musical pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Kansas (1985). Como bolseiro do prestigiado Berklee College of Music de Boston prosseguiu e concluiu estudos de pós graduação (cum laude) em Composição para cinema, em 1987.

A convite da famosa escola “Taller de Musics” de Barcelona 1989 Laurent partiu, em 1989, para Barcelona futura capital Olímpica. A enorme “Movida” cultural que atravessava Espanha levou-o ao Festival Internacional de Guexto em 1990, onde ganhou simultaneamente o prémio de melhor solista e de melhor grupo. Grava então o seu primeiro CD “Laura” e dá inicio a uma intensa actividade como concertista e artista convidado, pela Europa e EUA, onde irá manter uma base de residência até 2002.

A pretexto da “Capital da Cultura”, em 1994 Laurent regressa a Lisboa. Desenvolve e apresenta inúmeros projectos musicais e editoriais. Entre diversas iniciativas empresariais funda em 1996 o Restaurante Bar “Speakeasy”, local de referência cultural da Lisboa dos anos 1990s. Alarga as actividades musicais e empresariais para a Expo 98 e para o ramo audiovisual. Prossegue pela Europa, Ásia e África uma actividade como concertista e conferencista. Participa como actor em telenovelas e teleséries. Regressa ao ensino como professor da Escola Superior de Musica e Artes do Espectáculo do Porto, onde permanecerá até 2009. A convite da produtora Fremantle e do canal SIC integra o júri da 3ª e 4º edições do ultra-mediático concurso televisivo “Ídolos”. O concurso torna-se líder de audiências e traz a Laurent Filipe a popularidade e simpatia do grande público. A “LFProduções” é fundada em 2010, ano em que Laurent recebe o convite para o cargo de director geral do “Musibéria Centro Internacional de Musicas e Danças de Raiz Ibérica, em Serpa”.

Entre 2015 e 2018 foi Director executivo do programa sócio-cultural “Douro em Movimento Aldeias com Vida” Programa Operacional Regional do Norte Eixo Prioritário I NORTE-52-2015-07 – Internacionalização Sistema de Apoio a Ações coletivas.

Com uma vasta discografia em nome próprio, Laurent colaborou ainda com outras figuras marcantes como Mariza, Rui Veloso ou Carlos do Carmo e mantém uma actividade como conferencista, produtor e gestor de projectos.

Criou e integrou os seguintes grupos: "Duo Iberia" (com o pianista espanhol Pedro Sarmiento), "Tributo a Chet Baker", "The Song Band", "Sexteto Mingus e Mais", "Flick Music" (trilhas sonoras de filmes) e "Swing City Orchestra", dedicado à música de abertura da 30's e 40's.

É autor e realizador dos documentários “Vida e Obra de José Luís Tinoco”[2] e “A Vida Breve de António Fragoso”.[3]

Laurent mantém uma actividade regular como compositor, produtor, professor, arranjador e instrumentista em Portugal e no estrangeiro.

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • “Art Farmer Performance Award” (E.U.A.), 1985;[4]
  • “Melhor Solista” no Festival Internacional de Jazz de Guetxo (Espanha) de 1990;[4]
  • ”Melhor Grupo” (membro do) no Festival Internacional de Jazz de Guetxo (Espanha) de 1990;[4]
  • “Melhor Músico de Jazz”, em 1996, pelo programa “Cinco Minutos de Jazz, RDP”;[4]
  • Primeiro prémio do concurso CAAM de composição de fados e canções SPA 2008.[5]

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Autor/produtor/compositor[editar | editar código-fonte]

  • "Laura", Numérica 1992
  • "Divertimento" (Duo Iberia), Numérica 1993
  • "Ad Lib Vol 1", Groove-Movieplay 1995
  • "Poemas de Fernando Pessoa", LFP 1997
  • "Mulheres ao Poder" Um musical, LFP 1002, 1999
  • "Dos" (Duo Iberia) inclui a participação de Misia, New Discoveries Records, ndrecords
  • "A Tribute to Bessie Smith" com Jacinta, EMI-Blue Note, 2003, (www.jacintaportugal.com)
  • "A Luz", Clean Feed Records CFO26, 2004
  • "East of the moon" - Duo Iberia, 2006, Numérica, 2006
  • "Ode to Chet", Som Livre 2006
  • “Flick Music”, I Play 2008
  • "Poemas de Alexandre O´Neill" 2010 LFP 1006
  • "Tanuki Bom Bom" 2011 LFP-Dinalivro
  • "Canções e Duetos" Farol Musica 2011
  • "Tango Frio" 2013 LFP 1007
  • "Poemas de Cesário Verde" 2014 LFP 1008
  • "As (im)prováveis" Ugurú-LFP 2017

Produtor[editar | editar código-fonte]

  • "O Render dos Herois" António Vitorino d'Almeida, Numérica 1996
  • "O Cancioneiro do Niassa, Canções Proibidas", EMI 1999

Actor[editar | editar código-fonte]

  • Padre Simão em Casos da Vida (episódio O Pedido), TVI 2008
  • Vasco Peres em Deixa-me Amar, TVI 2007-2008
  • Jean Pierre Martin em O Olhar da Serpente, SIC 2002
  • Alvaro Castilho em Os Nossos Dias, RTP 2015/16
  • Emídio em As Poderosas, SIC 2015
  • José Monteiro em Coração D' Ouro, SIC 2016
  • Bill White em A Única Mulher, TVI 2016
  • Paulo Mascarenhas em A Rainha das Flores, SIC 2016
  • Afonso Freitas Mesquita em O Sábio, RTP 2017
  • Vasco Rodrigues em Alguém Perdeu, CMTV 2019


Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (PDF). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 11 de Janeiro de 2014. Arquivado do original (pdf) em 24 de dezembro de 2013 
  2. Página web da RTP, [1]
  3. Página web da Cinemateca Portuguesa, [2]
  4. a b c d Página JazzPortugal da Universidade de Aveiro, [3]
  5. Página e-cultura do Centro Nacional de Cultura, [4]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]