Laurie Cunningham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Laurie Cunningham
Informações pessoais
Nome completo Laurence Paul Cunningham
Data de nasc. 8 de março de 1956
Local de nasc. Archway,  Reino Unido
Falecido em 15 de julho de 1989 (33 anos)
Local da morte Madri, Flag of Spain.svg Espanha
Altura 1,80 m
Apelido Laurie
Informações profissionais
Posição Meia
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1974-1977
1977-1979
1979-1983
1983
1983-1984
1984-1985
1985-1986
1986-1987
1987
1988
1988-1989
Inglaterra Leyton Orient
Inglaterra West Bromwich Albion
Espanha Real Madrid
Inglaterra Manchester United (empréstimo)
Espanha Sporting Gijón (empréstimo)
França Olympique de Marseille
Inglaterra Leicester City
Espanha Rayo Vallecano
Bélgica Charleroi
Inglaterra Wimbledon
Espanha Rayo Vallecano
00075 000(15)
00086 000(21)
00044 000(13)
00005 000(1)
00030 000(3)
00030 000(8)
00015 000(0)
00037 000(3)
00001 000(0)
00006 000(2)
00019 000(1)
Seleção nacional
1977-1978
1978
1979-1981
Flag of England.svg Inglaterra Seleção sub-21
Flag of England.svg Inglaterra Seleção B
Flag of England.svg Inglaterra Seleção principal
0006 000(1)
0001 000(0)
0006 000(0)

Laurence Paul Cunningham (Archway, 8 de março de 1956 - Madri, 15 de julho de 1989), foi um futebolista inglês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Futebol inglês[editar | editar código-fonte]

Nascido em Archway, Londres, Cunningham começou a jogar futebol no colégio. Iniciou sua carreira profissional em 1974, pelo Leyton Orient [1]. Em 1977, foi contratado pelo West Bromwich - na época, comandado por Johnny Giles -, onde atuou ao lado de Cyrille Regis e Brendon Batson. Foi a primeira vez que uma equipe inglesa levou a campo três negros como titulares - apelidados pelo técnico Ron Atkinson de "The Three Degrees", uma referência ao trio homônimo de cantoras negras americanas [1].

Cunningham também foi o primeiro negro a integrar uma seleção de futebol inglês em todos os níveis, estreando na equipe sub-21 num amistoso contra a Seleção Escocesa no Bramall Lane Stadium, em 27 de abril de 1977, e na equipe principal em 23 de maio de 1979, contra a Seleção Galesa [2].

Carreira internacional[editar | editar código-fonte]

Foi o primeiro jogador britânico a ser contratado pelo Real Madrid, numa transação estimada em 950.000 libras [1]. Cunningham teria chamado a atenção dos dirigentes espanhóis após sua brilhante atuação contra o Valencia, durante a Copa da UEFA de 1979-80. Conta-se que, sabedor dos interesses do Real Madrid, Cunningham teria ido até o Estádio Santiago Bernabéu após o término da temporada e perguntado se gostariam de contratá-lo [1].

Em sua estréia pelo Real Madrid, Cunningham marcou dois gols na vitória de 3 a 1 contra o Valencia (tendo participado também da jogada que resultou no 3º gol da equipe madrilenha). Com seu excelente desempenho, ajudou o Real Madrid a chegar às semi finais da Taça dos Campeões Europeus 1979-80 onde, apesar de sua brilhante atuação, o time perdeu para o Hamburger SV por um placar de 5 a 3.

Os problemas junto ao Real Madrid começaram quando Cunningham contundiu-se num dos jogos da Taça dos Campeões Europeus 1980-81. Durante a recuperação de uma cirurgia no dedo do pé, Cunningham era frequentemente visto em casas noturnas em companhia da namorada, o que lhe rendeu a reputação de playboy, duras críticas por parte da imprensa espanhola e a antipatia da torcida. Especulava-se que ele estava mais interessado em carros de corrida, arquitetura, moda e vida noturna do que em jogar futebol.

Cunningham recuperou-se a tempo para a final da Taça dos Campeões contra o Liverpool, em Paris. Embora estivesse claramente sem condições físicas, ele jogou todos os 90 minutos da partida, vencida pelo Liverpool por 1 a 0. Durante os treinos para a temporada 1981-82, Cunningham sofreu uma lesão na coxa e permaneceu afastado por quase todo o campeonato (à exceção de três participações discretas, sem gols). Sua única contribuição de destaque naquela temporada foi no jogo contra o Kaiserslautern pelas quartas de final da Copa UEFA. À má fase, somou-se uma tragédia pessoal: sua cunhada e duas de suas sobrinhas foram assassinadas em Londres, fazendo com que o atleta mergulhasse em profunda depressão [3]. Com atuações apenas medianas, Cunningham foi emprestado ao Manchester United em abril de 1983.

Seu período no Manchester não rendeu bons frutos (1 gol em 5 jogos) e, no seu retorno ao Real Madrid, Cunningham foi prontamente emprestado ao Sporting Gijón, para a temporada 1983-84. Em Gijón (então comandado por Vujadin Boškov, seu antigo técnico no Real Madrid) seu desempenho caiu consideravelmente e o desgaste das 30 partidas disputadas pelo clube resultou em várias contusões. Ao término do seu empréstimo, sendo ignorado pelo Real Madrid, Cunningham transferiu-se para o Olympique de Marseille [4].

Cunningham permaneceu apenas uma temporada na França, retornando à Inglaterra em 1985 para juntar-se ao Leicester City. Sua permanência no país natal também foi inexpressiva e as lesões só permitiram que ele jogasse por meia temporada. No final da temporada 1985-86, Cunningham voltou para a Espanha para jogar a Segunda Divisão Espanhola pelo Rayo Vallecano, onde disputou 37 partidas na temporada 1986-87. Com o retorno da boa forma física, ele conseguiu garantir uma transferência financeiramente atraente para o Charleroi da Bélgica , na temporada 1987-88. Entretanto, Cunningham sofreu outra lesão e acabou por retornar à Inglaterra para um contrato de curta duração com o Wimbledon FC, participando da vitória contra o Liverpool na final da Copa da Inglaterra de 1988 [4].

Com a boa fase, Cunningham voltou à Espanha para disputar a temporada 1988-89 pelo Rayo Vallecano, sendo responsável pelo gol que garantiu a subida do time para a Primeira Divisão Espanhola [1].

Morte[editar | editar código-fonte]

Laurie Cunningham morreu precocemente, aos 33 anos de idade, em um acidente automobilístico em Madri, em 15 de julho de 1989 [4].

Em 2004, ele foi escolhido como um dos 16 maiores jogadores do West Bromwich Albion, numa votação realizada durante as comemorações dos 125 anos de fundação do clube inglês [5].

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe Divisão Jogos Gols
1974-75 Leyton Orient FC Segunda Divisão Inglesa 17 1
1975-76 34 8
1976-77 26 6
1976-77 West Bromwich Primeira Divisão Inglesa 13 6
1977-78 33 6
1978-79 40 9
1979-80 Real Madrid Primeira Divisão Espanhola 29 8
1980-81 12 5
1981-82 3 0
1982-83 0 0
1983 Manchester United Primeira Divisão Inglesa 5 1
1983-84 Sporting Gijón Primeira Divisão Espanhola 30 3
1984-85 Olympique de Marseille Primeira Divisão Francesa 30 8
1985-86 Leicester City Primeira Divisão Inglesa 15 0
1986-87 Rayo Vallecano Segunda Divisão Espanhola 37 3
1987 Charleroi Primeira Divisão Belga 1 0
1988 Wimbledon FC Primeira Divisão Inglesa 6 2
1988-89 Rayo Vallecano Segunda Divisão Espanhola 19 1

Títulos[editar | editar código-fonte]

Campeonato
Clube Temporada
La Liga Real Madrid 1979-1980
Copa do Rei Real Madrid 1979-1980
1980-1981
Copa da Inglaterra Wimbledon 1987-1988

Referências

  1. a b c d e Shea, Julian. From Brisbane Road to the Bernabeu. BBC
  2. Embora Viv Anderson tenha sido o primeiro futebolista negro a integrar a seleção inglesa principal (estreando num amistoso seis meses antes), Cunningham foi o primeiro negro a disputar uma partida competitiva pelo selecionado.
  3. Asesinados tres familiares del madridista Cunningham. El Mundo Deportivo, 20 de julio de 1982.
  4. a b c Narval, Dadan. Laurie Cunningham: la trágica vida de la Perla Negra. Diarios de Fútbol, 15 de julio de 2009.
  5. The wraps come off 125th anniversary mural. West Bromwich Albion FC.

Nota[editar | editar código-fonte]