Lauro António

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lauro António
Nascimento 18 de agosto de 1942 (76 anos)
Lisboa, Portugal Portugal
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Cineasta
Cônjuge Maria Eduarda Ovelheira dos Reis Colares
IMDb: (inglês)

Lauro António de Carvalho Torres Corado ComIH (Lisboa, 18 de agosto de 1942), conhecido como Lauro António, é um cineasta português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em História, foi membro do Cine-clube Universitário de Lisboa e, mais tarde, diretor do ABC Cine-Clube, atividades que o levam à crítica cinematográfica a partir de 1963 e, mais tarde, à coordenação da programação de algumas salas e festivais de cinema. Como sucedeu com outros cineastas da sua geração, particularmente ativos após a Revolução de 25 de Abril de 1974, uma forte componente do seu trabalho destinou-se à televisão. Foi para a RTP que realizou, em 1983, um conjunto de médias-metragens, sob a designação comum de Histórias de Mulheres, constituído por quatro títulos: Paisagem sem Barcos, Mãe Genoveva, Casino Oceano e A Bela e a Rosa.

Tem prosseguido a sua atividade como ensaísta e documentarista, tendo-se, porém, nos últimos anos mantido afastado do cinema. Manhã Submersa, estreada no Festival de Cannes de 1980, permanece como a sua obra maior.

Nos inícios da década de 1990, esteve associado à rede de televisão portuguesa TVI, para a qual foi programador de cinema e na qual teve um horário especial em que apresentava filmes da sua escolha, chamado Lauro António apresenta.

É pai do realizador / encenador Frederico Corado.

A 27 de março de 2018, foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Cinema e Censura em Portugal, ed. Arcádia, Lisboa (1978)
  • Elementos para a História do Cinema Cubano, ed. Enquadramento, Lisboa (1975)
  • Introdução ao Cinema Húngaro, ed. Enquadramento, Lisboa (1974)
  • O Cinema Entre Nós, ed. Cronos, Lisboa (1967)
  • Três Peças em um Acto, ed. Cronos, Lisboa (1966)
  • José Viana: 50 Anos de Carreira, Oeiras (1997)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Lauro António de Carvalho Torres Corado". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 1 de maio de 2018