Le Monde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Le Monde.svg
Une Le Monde.jpg
Capa da edição de 18 de dezembro de 1944
Periodicidade Diário
Formato Berlinense
Sede Bd Auguste-Blanqui 80, F-75707, Paris Cedex 13
País França
Fundação 1944
Editora Louis Dreyfus
Editor Jérôme Fenoglio
Conselho de redacção 165
Orientação política Centro-esquerda
Idioma Francês
Circulação 331,837[1]
Página oficial lemonde.fr

Le Monde é um jornal diário francês fundado por Hubert Beuve-Méry e continuamente publicado em Paris desde a sua primeira edição em 19 de dezembro de 1944. É um dos mais importantes e amplamente respeitados jornais do mundo.[2]

É um dos dois principais jornais franceses ao lado do Le Figaro e a principal publicação do Grupo La Vie-Le Monde. Tinha uma circulação média de 323.039 exemplares por edição em 2009, cerca de 40 mil das quais vendidas no exterior. O jornal tem próprio site desde 19 de dezembro de 1995 e é muitas vezes o único jornal francês facilmente obtidos em países não francófonos. Ele não deve ser confundido com a publicação Le Monde diplomatique, sobre a qual o Le Monde tem 51% de participação, mas que é editorialmente independente.

O lado jornalístico do jornal tem uma forma colegial da organização, em que a maioria dos jornalistas não são apenas de docente, mas os intervenientes financeiros na empresa, bem como, e participar nas eleições de alta gerência e executivos seniores. Nos anos 1990 e 2000, o Grupo La Vie-Le Monde foi expandido sob a gestão do editor Jean-Marie Colombani com uma série de aquisições. No entanto, a sua rentabilidade não era suficiente para cobrir as grandes dívidas que assumiu para financiar essa expansão e procurou novos investidores em 2010 para salvar a empresa da falência. Em junho de 2010, os investidores Matthieu Pigasse, Pierre Bergé e Xavier Niel adquiriram uma participação controladora no jornal.[3]

Ao contrário de outros jornais do mundo, como The New York Times, o Le Monde era tradicionalmente focado em oferecer análise e opinião, em vez de ser um jornal de registro. Por isso, era considerado menos importante para o jornal oferecer o máximo de cobertura de notícias do que oferecer uma interpretação cuidadosa de eventos atuais. Por exemplo, no 10º aniversário do afundamento do Rainbow Warrior, o jornal implicou diretamente François Mitterrand, que era o presidente francês na época, na operação. Nos últimos anos, no entanto, o jornal criou uma maior distinção entre fato e opinião.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. OJD data Arquivado em 16 de setembro de 2013[Erro data trocada] no Wayback Machine.
  2. Le Monde, Encyclopædia Britannica
  3. Willsher, Kim. "Tycoons given go-ahead for financial takeover of Le Monde" The Guardian, 28 de junho de 2010
  4. «Le Monde — Portrait d'un quotidien» (PDF). Consultado em 30 de setembro de 2016. Arquivado do original (PDF) em 17 de janeiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.