Lee Kerslake

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lee Kerslake
Kerslake com o Uriah Heep em Hamburgo, em fevereiro de 1973
Informação geral
Nascimento 16 de abril de 1947
Local de nascimento Bournemouth, Inglaterra
Reino Unido
Morte 19 de setembro de 2020 (73 anos)
Gênero(s) hard rock, heavy metal, rock progressivo
Instrumento(s) bateria
Afiliação(ões) Uriah Heep, Ozzy Osbourne

Lee Kerslake (Bournemouth, 16 de abril de 194719 de setembro de 2020) foi um músico inglês, mais conhecido como baterista de longa data e vocalista de apoio da banda Uriah Heep, e por seu trabalho com Ozzy Osbourne no início dos anos 80.

Biografia[editar | editar código-fonte]

No final dos anos 1960 e início da década de 1970, Kerslake tocou com uma banda chamada The Gods, lançando três álbuns. Ele então se juntou ao Uriah Heep em novembro de 1971, e deixou a banda em outubro de 1979, após o álbum Fallen Angel. Retornou a banda em abril de 1982, no clássico Abominog. Ele também tocou nos álbuns solo de David Byron e Ken Hensley, entre outros. No álbum Firefly, ele foi creditado como Lee "The Bear" Kerslake, uma referência a sua barba e ao seu físico 'avantajado'.

Em 1980, Kerslake encontrou o ex-vocalista do Black Sabbath, Ozzy Osbourne, por acaso em um elevador no Kings Cross Hotel, na Austrália. "Ele estava em uma esquina com seu guarda-costas e seu gerente, e eu estava no outro canto com o meu. Um pouco engraçado". A partir daí, a banda Blizzard of Ozz foi criada, com o baixista Bob Daisley e o guitarrista Randy Rhoads, que logo se tornou um projeto solo de Osbourne. O trabalho de Kerslake pode ser ouvido nos dois primeiros álbuns de Osbourne, Blizzard of Ozz e Diary of a Madman.

Kerslake deixou a banda de Osbourne no início de 1981 para cuidar de sua mãe, que adoeceu na época. Nas notas do álbum Diary of a Madman, Kerslake e Daisley não foram creditados, com o baterista Tommy Aldridge e o baixista Rudy Sarzo ganhando o crédito, mesmo não tocando no disco . Aldridge, tempos depois, declarou: "É óbvio que não toco nesse álbum. Nunca toquei nessa gravação e sempre concordei com Lee Kerslake, em suas entrevistas ou menções, que o crédito deveria ser dele".

Em 1998, Kerslake e Daisley entraram com uma ação contra Ozzy Osbourne e sua gerente / esposa Sharon Osbourne, requerendo royalties e créditos de composição por suas contribuições para a Blizzard of Ozz e Diary of a Madman. Como resultado, as reedições de 2002 de ambos os álbuns removeram os desempenhos de Kerslake e Daisley, substituindo-os por faixas recém-gravadas pelo baixista Robert Trujillo e pelo baterista Mike Bordin (quando os álbuns foram novamente reeditados em 2011, as faixas originais de baixo e bateria foram restauradas).

Em 2003, Kerslake se envolveu no supergrupo Living Loud, um projeto de hard rock também com o baixista Bob Daisley (anteriormente de Uriah Heep, Gary Moore, a banda Ozzy Osbourne, Rainbow e Black Sabbath), o guitarrista Steve Morse (Dixie Dregs, o Steve Morse Band, Kansas, Deep Purple) e o cantor Jimmy Barnes (Shark Island). O tecladista Don Airey (ex-Rainbow, atualmente com Deep Purple) fez uma participação. O grupo lançou um CD auto-intitulado, com várias faixas de Ozzy Osbourne de Daisley / Kerslake.

No início de 2007, foi anunciado no site do Uriah Heep que Kerslake deixou a banda "devido a problemas de saúde em andamento". Kerslake está atualmente semi-aposentado devido a doença. Recentemente, foi divulgado que ele sofre de câncer nos ossos e na próstata.

Em 15 de outubro de 2015, Kerslake e Ken Hensley se juntaram à atual formação do Uriah Heep na Prefeitura de Crocus, em Moscou, para um set de duas horas, relembrando a fase clássica da banda.

Kerslake, durante sua carreira, usou uma variedade de kits de bateria, incluindo Ludwig e Pearl, mas tornou-se estreitamente associado as marcas Premier e Tama, que ele tocou durante a maior parte da carreira. Ele também usa pratos Zildjian.

Morreu no dia 19 de setembro de 2020, aos 73 anos, em decorrência de um câncer de próstata.[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Com The Gods[editar | editar código-fonte]

  • Genesis (1968)
  • To Samuel a Son (1969)
  • The Gods Featuring Ken Hensley (1976)
  • Gods

Com o Head Machine[editar | editar código-fonte]

  • Orgasm (1970)

Com o Toe Fat[editar | editar código-fonte]

  • Toe Fat (1970)

Com o National Head Band[editar | editar código-fonte]

  • Albert One (1971)

Com o Uriah Heep[editar | editar código-fonte]

  • Demons & Wizards (1972)
  • The Magician's Birthday (1972)
  • Uriah Heep Live (1973)
  • Sweet Freedom (1973)
  • Wonderworld (1974)
  • Return to Fantasy (1975)
  • High and Mighty (1976)
  • Firefly (1977)
  • Innocent Victim (1977)
  • Fallen Angel (1978)
  • Abominog (1982)
  • Head First (1983)
  • Equator (1985)
  • Live at Shepperton '74 (1986)
  • Live in Europe 1979 (1986)
  • Live in Moscow (1988)
  • Raging Silence (1989)
  • Different World (1991)
  • Sea of Light (1995)
  • Spellbinder Live (1996)
  • King Biscuit Flower Hour Presents in Concert (1997)
  • Sonic Origami (1998)
  • Future Echoes of the Past (2000)
  • Acoustically Driven (2001)
  • Electrically Driven (2001)
  • The Magician's Birthday Party (2002)
  • Live in the USA (2003)
  • Magic Night (2004)
  • Between Two Worlds (2005)

Com o Ken Hensley[editar | editar código-fonte]

  • Proud Words on a Dusty Shelf (1973)

Com o David Byron[editar | editar código-fonte]

  • Take No Prisoners (1975)
  • Man of Yesterdays: The Anthology

Com o Ozzy Osbourne[editar | editar código-fonte]

Com o Living Loud[editar | editar código-fonte]

  • Living Loud (2003/04)
  • Live in Sydney 2004 (2005, 2CD/DVD)

Com o Berggren Kerslake Band[editar | editar código-fonte]

  • The Sun Has Gone Hazy (2014)

Referências

  1. Lavin, Will (19 de setembro de 2020). «Uriah Heep and Ozzy Osbourne drummer Lee Kerslake has died». NME (em inglês). Consultado em 19 de setembro de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.