Lei de Littlewood

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Lei de Littlewood diz que indivíduos podem esperar um milagre acontecer a eles na razão de aproximadamente 1 por mês.

A lei foi criada pelo professor da Universidade de Cambridge, J. E. Littlewood, e publicada numa coleção de seu trabalho, A mathematican's miscellany (Uma miscelânea Matemática); ela procura, dentre outras coisas, ridicularizar um elemento de suposta fenomenologia sobrenatural e está relacionado à mais geral Lei dos Números Realmente Grandes, que diz que com uma amostra grande o suficiente, qualquer coisa exorbitante é possível de acontecer.

A Lei de Littlewood, fazendo certas suposições, é explicada como se segue: um milagre é definido como um evento excepcional de especial significado ocorrendo na freqüência de 1 em 1 milhão; durante as horas que um humano está acordado e alerta, ele vai experimentar 1 coisa por segundo (por exemplo, ver a tela do computador, o teclado, o mouse, o artigo etc.); adicionalmente, um humano está alerta aproximadamente 8 horas por dia; e como resultado, um humano irá, em 35 dias, ter experimentado, sob estas suposições, 1.008.000 coisas. Aceitando esta definição de um milagre, pode-se supor que alguém observe uma ocorrência miraculosa durante 35 dias seguidos—e portanto, de acordo com este raciocínio, eventos aparentemente miraculosos são na verdade, coisas comuns.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Littlewood's Miscellany, (editado por B. Bollobás, Cambridge University Press; 1986. ISBN 0-521-33702-X)
  • Debunked! ESP, Telekinesis, Other Pseudoscience, (Georges Charpak e Henri Broch, traduzido do francês por Bart K. Holland, Johns Hopkins University Press. ISBN 0-8018-7867-5)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • A Lei de Littlewood descrita numa revisão de Debunked! ESP, Telekinesis, Other Pseudoscience (Freeman J. Dyson, New York Review of Books).