Lei do Açúcar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Lei do Açúcar foi sancionada em 5 de abril de 1764 pelo Parlamento inglês. Essa lei substituía a Lei do Melaço, reduzindo pela metade os impostos cobrados sobre o melaço, mas estabelecendo novos impostos adicionais sobre o açúcar, e tinha como objetivo por um fim no contrabando e de proteger os agricultores ingleses radicados nas Antilhas e para o governo ganhar mais dinheiro sobre o açúcar, que era indispensável nesta época. Taxava o açúcar que entrava nos Estados Unidos da América e que não fosse comprado das Antilhas inglesas. Sendo matéria-prima do rum, e este por sua vez, juntamente com o tabaco eram utilizados pelos colonos para comprar escravos na África, a lei desagradou muito os habitantes da então colônia inglesa.[1][2]

O objetivo da lei do açúcar era incentivar os colonos a consumir somente o açúcar diretamente dos ingleses. Aumentava os impostos que os colonos deviam pagar sobre o melaço, o vinho, o café, a seda, roupas brancas, artigos de luxo e o linho em seus portos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Colonização dos EUA (3): Lei do Açúcar e do Selo desagradam colônias». educacao.uol.com.br. Consultado em 28 de maio de 2019 
  2. «A Independência das treze colônias inglesas na América - Apresentação | ANPHLAC». anphlac.fflch.usp.br. Consultado em 28 de maio de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre História dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.