Leis de gravitação do varejo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As leis de gravitação do varejo ou leis de comércio a retalho buscam formular os princípios relacionados as áreas de atuação dos varejistas ou retalhistas. Formuladas por William J. Reilly em 1931 após o estudo da conta de clientes de uma loja de departamento no texas e posteriormente corroborada por Paul Converse e outros estudiosos.

Alguns princípios formulados por Reilly são:

  • A atração de fregueses varia diretamente com a população da área em que o varejo se encontra.
  • A atração de fregueses varia inversamente com o quadrado da distância a ser percorrida por estes.
  • Uma cidade de maior população atraem o consumo de uma localidade menor, na proporção direta do número de habitantes.
  • Uma cidade de maior população atraem o consumo de uma localidade menor, na proporção inversa ao quadrado da distância entre elas.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • "The Law os Retail Gravitation", Reilly, W.J, Universidade do Texas, 1931
  • "A Study of Retail Trade Areas in East Central Illinois", Converse, PD, ed. Urbana Universidade do Illinois, 1943

75 anos depois, já tem uma validade relativa. A IKEA, rede de retalho (varejo) de móveis, cresceu a partir de lojas que ficavam a certa distância das grandes cidades, pois ali os lotes eram mais baratos, a mão-de-obra mais estável, etc. As famílias preferiam perder 2h para ir e voltar, comprar mais barato e ser bem atendidas.

A LIDL, na Alemanha, supermercados, MAKRO, atacadista, também cresceram assim e só hoje se estabelece na saída das cidades.

Esta lei também é conhecida como "Lei de comércio a retalho", importante na aplicabilidade da delimitação regional geográfica das regiões de um país.

Ícone de esboço Este artigo sobre Administração é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.