Leis do Ganso Cinzento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Leis do Ganso Cinzento
Grágás
Páginas do Gragás numa versão do Konungsbók (Livro do Rei)
Criado Ca. 930
Local  Islândia
Propósito Compilação jurídica da legislação da Islândia.

As Leis do Ganso Cinzento (em islandês: Grágás) eram o código jurídico, contendo as leis da Islândia na época do Estado Livre da Islândia (930-1263). [1][2]

O texto destas leis está fundamentalmente preservado em dois manuscritos: O Konungsbók (Livro do Rei), escrito por volta de 1260 e guardado na Biblioteca Real de Copenhaga, e o Staðarhólsbók (Livro de Stadarhol), escrito por volta de 1280 e conservado na Biblioteca da Universidade de Copenhaga. [3]

Entre outras leis, este código abrange disposições com implicações linguísticas, pelas quais a língua local é designada de "língua dinamarquesa" (danska tungu) e apontada como sendo a língua comum de islandeses, dinamarqueses, suecos e noruegueses (danskir eða sœnskir eða norrœnir).[4]

Referências

  1. «Grágás» (em dinamarquês). Grande Enciclopédia Dinamarquesa – Den store danske. Consultado em 5 de junho de 2015. 
  2. Gudmund Sandvik. «Grågås» (em norueguês). Grande Enciclopédia Norueguesa – Store norske leksikon. Consultado em 5 de junho de 2015. 
  3. «Grågås» (em sueco). Nordisk familjebok (Projekt Runeberg). Consultado em 5 de junho de 2015. 
  4. Arild Hald Kierkegaard. «Dansk tunge - Det nordiske sprogfællesskab i vikingetid og tidlig middelalder» (em dinamarquês). Sprogmuseet. Consultado em 9 de junho de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]