Lenço escoteiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O lenço escoteiro é um pedaço de tecido triangular ou retangular dobrado de forma triangular, parte fundamental do uniforme de todas as organizações escoteiras ao redor do mundo. A peça foi adotada pelo fundador do movimento escoteiro Robert Baden-Powell por ter dimensões muito próximas às de ligaduras triangulares muito usadas em primeiros socorros.[1]

Lenço escoteiro aberto (esq) e enrolado(dir).

O lenço no escotismo[editar | editar código-fonte]

A origem do lenço escoteiro está na participação de Robert Baden-Powell na Segunda Guerra Matabele, em 1896, onde trabalhou com Frederick Russell Burnham, o batedor (scout) americano a trabalhar para o exército inglês. Burnham usava no seu uniforme um lenço triangular ao pescoço que servia para prevenir queimaduras solares, o qual Baden-Powell adaptou, sugerindo também que o lenço triangular aberto deveria ter o tamanho ideal para servir para primeiros socorros.

Hoje em dia, o uso das cores dos lenços é diferente entre associações e países, mas a honra que lhe devemos será sempre igual. Usado geralmente em cerimônias, o lenço é enrolado, colocado ao redor do pescoço e então preso com um anel. Cada organização escoteira tem liberdade para definir as cores e o emblema de seu lenço. É uma tradição em acampamentos e eventos ao redor do mundo trocar lenços com outros escoteiros, sendo que alguns chegam a formar verdadeiras coleções.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o lenço escoteiro deve ter catetos medindo de 60 a 90 cm, sendo os grupos escoteiros responsáveis por suas cores e emblema.[2]

Todas as unidades estaduais e a unidade nacional da UEB possuem lenços próprios. O lenço nacional, usado em cerimônias e eventos internacionais, é degradê verde, amarelo e azul e tem por emblema o Cruzeiro do Sul bordado em branco.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal o lenço varia conforme a associação, no Corpo Nacional de Escutas existem apenas cinco lenço diferentes a nível nacional, consoante a secção em que o elemento se encontra: amarelo debruado a branco nos lobitos (6-10 anos), verde debruado a branco nos exploradores (10-14 anos), azul debruado a branco nos pioneiros (14-18 anos), vermelho debruado a branco nos caminheiros (18-23 anos) e verde escuro para os dirigentes. A fraternidade do CNE usa um lenço castanho.

Na Associação dos Escoteiros de Portugal, cada grupo é responsável pelo próprio lenço que é escolhido na formação do Grupo. Os dirigentes da chefia nacional, regional e de núcleo utilizam um lenço diferente mas só quando estão a exercer o cargo em actividades próprias utilizando um lenço azul escuro. A Fraternal Escotista de Portugal (Escotismo Adulto), anteriormente designada Fraternal do Antigos Escoteiros de Portugal, usa um lenço azul celeste com o símbolo da International Scout and Guide Fellowship no vértice .

Lenço de Gilwell[editar | editar código-fonte]

O Lenço de Gilwell é um dos mais antigos lenços escoteiros do mundo, adquirido ao se completar as etapas da Insígnia da Madeira (após conclusão do curso avançado no treinamento de chefes escoteiros). Este lenço representa o vínculo de todos seus portadores com o 1.Grupo de Gilwell, do qual Baden-Powell é considerado chefe permanente.[3]

Referências

  1. Baden-Powell, Robert (2006). Escotismo para rapazes (Curitiba - Paraná - Brasil: Escoteiros do Brasil). p. 49. 
  2. Estatuto de Organização e Regras da União dos Escoteiros do Brasil
  3. Escoteiros do Brasil, União dos (2013). POR - Princípio, Organização e Regas (PDF) (Curitiba - PR - Brasil: Escoteiros do Brasil). p. 73. Consultado em 29/11/2016.