Leo Baekeland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leo Baekeland
Química, inventor
Nacionalidade Bélgica Belga
Nascimento 14 de novembro de 1863
Local Sint-Martens-Latem
Morte 23 de fevereiro de 1944 (80 anos)
Local Beacon
Causa Hemorragia Cerebral
Cônjuge Celine Swarts
Atividade
Campo(s) Química, inventor
Conhecido(a) por Baquelite,Velox
Prêmio(s) Medalha William H. Nichols (1910), Prêmio John Scott (1910), Prêmio Willard Gibbs (1913), Medalha Perkin (1916), Medalha Franklin (1940)

Leo Hendrik Baekeland (Sint-Martens-Latem, 14 de novembro de 1863Beacon, 23 de fevereiro de 1944) foi um inventor e empresário belga, considerado o pai da indústria do plástico.[1]

Professor assistente de química da Universidade de Ghent, aos 26 anos emigrou para os Estados Unidos e abriu o seu próprio escritório de consultoria. Logo ganhou meio milhão de dólares ao vender para a Kodak o seu processo de produção de papel para impressão fotográfica, o Velox, que permitia a impressão por luz artificial. Conheceu também Richard Anthony, proprietário de uma conhecida empresa fotográfica, sendo que, o mesmo vendo a capacidade e o trabalho desempenhado por Baekeland, contratou-o como químico.

Entrou para a ainda recente indústria de plástico e desenvolveu a baquelite, um plástico à base de fenol e formaldeído até hoje usado em uma série de processos industriais. A baquelite ou Bakelite é um plástico formando precipuamente pela goma-laca em conjunto com o alcatrão de hulha. A goma-laca é uma substância natural liberada pela besouro fêmea laca; é a tal goma-laca que dá origem ao plástico baquelite, em conjunto com o já mencionado alcatrão de hulha.

Outro traslado de plástico natural é celulose, composto substancial da xilema das plantas. Levando em consideração uma detalhada análise química, a baquelite é denominada polioxibenzimetilenglicolanidrido. A baquelite pode ser considerado um plástico "thermoset", ou seja, mantém seu formato após ser aquecido.

Leo Baekeland teve registradas em seu nome um número aproximado de 50 patentes. Morreu de hemorragia cerebral em um sanatório na cidade de Beacon, no estado de Nova Iorque, em 23 de fevereiro de 1944.

Sepultado no Cemitério de Sleepy Hollow.

Referências

2.Adam Hart -Davis, O Livro da Ciência, Editora Globo, 2015. ISBN 978852505792.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Edwin Powell Hubble e Albert Sauveur
Medalha Franklin
1940
com Arthur Holly Compton
Sucedido por
Edwin Armstrong e Chandrasekhara Venkata Raman


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.