Leo Kinnunen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leo Kinnunen
Leo Kinnunen 1966.jpg
Kinnunen em 1966.
Informações pessoais
Nome completo Leo Juhani Kinnunen
Nacionalidade finlandês
Nascimento 5 de agosto de 1943
Tampere, Finlândia
Morte 26 de julho de 2017 (73 anos)
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1974
GPs disputados 6 (1 largada)
Títulos 0 (48º em 1974)
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 0
Pole positions 0
Primeiro GP Bélgica GP da Bélgica, 1974 (não-classificado)
Último GP Itália GP da Itália, 1974 (não-classificado)

Leo Juhani "Leksa" Kinnunen (Tampere, 5 de agosto de 1943 - 26 de julho de 2017) foi um piloto finlandês de automobilismo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Kinnunen iniciou a carreira no motociclismo, porém, na década de 1960, passou a se dedicar ao automobilismo, quando recebeu a licença para pilotar carros de corrida. Teve sucesso ao correr em ralis, e chegou a ser vice-campeão de Rallycross em 2 oportunidades.

Por 2 temporadas, correu na Fórmula 3 Finlandesa, e com um Brabham antigo, mostrou competitividade, vencendo diversas provas. Em Ahvenisto, derrotou o sueco Ronnie Peterson, que viria a ser um dos principais nomes da Fórmula 1 na década seguinte. Seu desempenho chamou a atenção de várias equipes da principal categoria do automobilismo. Jochen Rindt queria-o na Lotus em 1971 (o austríaco pretendia encerrar a carreira em 1970), porém a morte do austríaco impediu a contratação. Bernie Ecclestone, então empresário de Rindt e que estava próximo de comprar a Brabham, manifestou interesse em Kinnunen, que preferia correr de graça e, com sua decisão, recusou a proposta.

John Surtees, que havia encerrado a carreira de piloto para trabalhar apenas como dono de equipe, ofereceu um chassi TS16 a Kinnunen para a temporada de 1974, com a condição de que o piloto arranjasse patrocínio. Antti-Aarnio Wihuri, ex-patrão de Kinnunen na Interserie, decidiu inscrever sua equipe e utilizar o carro. Sua estreia na F-1, já aos 30 anos (idade avançada para um novato), foi no GP da Bélgica, onde não se classificou. Mesmo assim, ele já entrava para a história do automobilismo finlandês ao tornar-se o primeiro piloto de seu país a se inscrever para uma corrida de Fórmula 1, e também foi o último piloto a competir com capacete aberto, sem queixeira, na história da categoria.

O único GP em que obteve classificação para o grid foi o da Suécia, abandonando-a com problemas elétricos. Embora 24 carros poderiam largar, Kinnunen foi liberado para correr a prova, por suas boas relações com a organização. Deixou a F-1 após não conseguir vaga no GP da Itália. Em 1975, passou a dedicar-se ao Endurance, onde competiria por mais um ano, até sua aposentadoria.

Morreu em 26 de julho de 2017, aos 73 anos de idade[1]. Não foi citada a causa de seu falecimento, mas Kinnunen já sofria com uma doença prolongada.

Referências

  1. «Morre Leo Kinnunen, primeiro piloto finlandês da história da Fórmula 1». UOL Esporte. 26 de julho de 2017. Consultado em 26 de julho de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.