Leopoldo I da Bélgica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Leopoldo I
Rei dos Belgas
Rei da Bélgica
Reinado 21 de julho de 1831
a 10 de dezembro de 1865
Sucessor Leopoldo II
 
Esposas Carlota de Gales
Luísa Maria de Orleães
Descendência Luís Filipe, Príncipe Herdeiro da Bélgica
Leopoldo II da Bélgica
Filipe, Conde de Flandres
Carlota da Bélgica
Casa Saxe-Coburgo-Gota
Nome completo
Leopoldo Jorge Cristiano Frederico
Nascimento 16 de dezembro de 1790
  Palácio de Ehrenburg, Coburgo, Saxe-Coburgo-Saalfeld, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 10 de dezembro de 1865 (74 anos)
  Laeken, Bélgica
Enterro Igreja de Nossa Senhora de Laeken, Laeken, Bélgica
Pai Francisco, Duque de Saxe-Coburgo-Saalfeld
Mãe Augusta de Reuss-Ebersdorf
Assinatura Assinatura de Leopoldo I
Brasão

Leopoldo I (Coburgo, 16 de dezembro de 1790Laeken, 10 de dezembro de 1865), nascido príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo-Saalfeld, foi o primeiro Rei dos Belgas[1] de sua eleição em 1831 até sua morte.

Foi o fundador da linhagem belga da Casa de Saxe-Coburgo-Gota. Entre seus filhos, figuram Leopoldo II da Bélgica e a imperatriz Carlota do México.

Família e carreira militar[editar | editar código-fonte]

Leopoldo era o filho mais jovem de Francisco, Duque de Saxe-Coburgo-Saalfeld e de sua segunda esposa, a condessa Augusta de Reuss-Ebersdorf. Somente se tornou príncipe de Saxe-Coburgo-Gota depois de uma troca territorial realizada por seu pai, em 1826.

Retrato equestre de Leopoldo

Em 1795, com cinco anos de idade, Leopoldo foi apontado coronel do regimento imperial de Izmailovski, na Rússia. Sete anos depois, com doze anos, tornou-se general. As tropas napoleônicas ocuparam o ducado de Saxe-Coburgo em 1806. Leopoldo, a quem Napoleão Bonaparte ofereceu a posição de ajudante (recusada), partiu para a Rússia, ao encontro de Alexandre I, que era cunhado de sua irmã Juliana.

Em 1808, Leopoldo acompanhou Alexandre I durante seus encontros com Napoleão em Erfurt. Como general de brigada do regimento de cavalaria russa, participou das campanhas de 1807, 1808 e 1813 e nas batalhas de Lützen, Bautzen e Leipzig (1814) contra as tropas francesas. Tais confrontos garantiram-lhe a posição de major-general do exército russo.

Leopoldo acabou condecorado com várias ordens russas: a Ordem de Santo André, a Ordem de Santa Ana, a Ordem de Santo Alexandre Nevsky, a Ordem de São Jorge, entre outras.

Casamento com a princesa de Gales[editar | editar código-fonte]

Em 1814, a princesa Carlota de Gales, filha e herdeira do rei Jorge IV do Reino Unido, conheceu Leopoldo numa festa realizada no Hotel Pulteney em Londres.[2] A princesa convidou Leopoldo a visitá-la, um convite que o príncipe aceitou, tendo passado três quartos de hora com Carlota. Depois escreveu uma carta ao príncipe-regente, onde pedia desculpa se tinha cometido alguma indiscrição. A carta deixou Jorge muito impressionado, apesar de nunca ter considerado Leopoldo como possível pretendente para a sua filha devido ao seu rendimento reduzido.[3]

Carlota e Leopoldo c. 1816 por George Clint

No início de 1815, Carlota decidiu fazer de Leopoldo (a quem chamava "o Leão") seu esposo.[4] A 14 de Março, foi feito o anúncio na Câmara dos Lordes e foi recebido com grande entusiasmo. O parlamento decidiu oferecer um rendimento de £50,000 por ano a Leopoldo, comprou Claremont House para o casal viver e também disponibilizou uma soma generosa para o casal preparar a casa como desejassem.[5]

Em 2 de maio de 1816, em Carlton House, Leopoldo desposou a princesa Carlota de Gales. Consequentemente, tornou-se marechal de campo britânico e cavaleiro da Ordem da Jarreteira. Em 5 de novembro de 1817, a princesa Carlota deu à luz um menino natimorto e ela própria morreu no dia seguinte. Se ela tivesse sobrevivido, teria se tornado rainha do Reino Unido em 1830 (ano da morte de seu pai), e Leopoldo teria sido titulado príncipe consorte britânico, em vez de rei dos Belgas.

Em 2 de julho de 1829, Leopoldo casou-se com a atriz Karoline Bauer, titulada posteriormente condessa de Montgomery, uma prima dum conselheiro do rei, barão Christian Friedrich von Stockmar. O contrato de casamento foi assinado sem cerimônia religiosa ou pública e, alegadamente, terminou em 1831, devido a sua ascensão ao trono belga.

Rei dos belgas[editar | editar código-fonte]

Retrato de 1840 por Franz Xaver Winterhalter

Em 1830, o povo da Grécia ofereceu a Leopoldo a coroa grega[6][7], mas ele recusou. Depois que a Bélgica conquistou sua independência dos Países Baixos a 4 de outubro daquele mesmo ano, o Congresso Nacional da Bélgica, depois de considerar muitos outros candidatos, ofereceu a Leopoldo a coroa do país recentemente formado. Ele aceitou e tornou-se o "rei dos belgas", em 26 de junho de 1831. Ele jurou lealdade à constituição na frente da Igreja de São Jacó, na praça de Coudenbergh, Bruxelas, em 21 de julho daquele ano, que hoje é o dia nacional da Bélgica.[8] Jules van Praet tornou-se seu secretário particular.

Menos de duas semanas mais tarde, em 2 de agosto, os Países Baixos invadiram a Bélgica. Os combates continuaram por oito anos, mas em 1839 os dois países assinaram o Tratado de Londres, estabelecendo a independência da Bélgica.

Gravura da família de Leopoldo

Em 9 de agosto de 1832, Leopoldo casou-se de novo, desta vez com a princesa Luísa Maria de Orléans, filha do rei Luís Filipe I da França, com a qual teve quatro filhos.

Com a abertura de uma nova linha ferroviária entre Bruxelas e Mechelen, em 5 de maio de 1835, um dos maiores desejos de Leopoldo — o de construir a primeira ferrovia na Europa continental — tornou-se realidade. No mesmo ano, Leopoldo foi investido cavaleiro da Ordem do Tosão de Ouro.

Em 1840, Leopoldo arranjou o casamento entre sua sobrinha, a rainha Vitória do Reino Unido (filha de sua irmã, Vitória de Saxe-Coburgo-Saalfeld) com seu sobrinho, o príncipe Alberto de Saxe-Coburgo-Gota (filho de seu irmão Ernesto I de Saxe-Coburgo-Gota). Leopoldo agiu como conselheiro de Vitória.

Em 1842, Leopoldo tentou criar leis para regulamentar o trabalho infantil e feminino, mas não teve sucesso. Uma onda de revoluções saltou sobre a Europa depois da deposição do rei Luís Filipe do trono francês, em 1848. A Bélgica permaneceu neutra, por causa dos papéis diplomáticos de Leopoldo.

O Império do Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer a independência do país. Sendo assim, os dois países sempre tiveram relações amigáveis.

Papel na Questão Christie[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Questão Christie

O rei Leopoldo I, mesmo sendo tio materno da rainha Vitória do Reino Unido, deu parecer favorável ao Império do Brasil, durante a Questão Christie (1862-1865).

Morte[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de dezembro de 1865, às 11:45, o rei morreu em Laken, sendo enterrado no jazigo da família real no cemitério de Laken, na Igreja de Nossa Senhora de Laeken, em Bruxelas. A rainha Luísa Maria já tinha falecido havia quinze anos, de tuberculose, aos trinta e oito anos.

Títulos e honrarias[editar | editar código-fonte]

Formas de tratamento e títulos[editar | editar código-fonte]

Estilo de tratamento de
Leopoldo I da Bélgica
Coat of Arms of King Leopold I of Belgium.svg

Estilo Sua Majestade
Tratamento direto {{{directo}}}
Estilo alternativo Sire
Monograma de Leopoldo.
  • 16 de dezembro de 1790 – 6 de abril de 1818: "Sua Alteza Sereníssima, o Príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo-Saalfeld, Duque da Saxônia"
  • 6 de abril de 1818 – 12 de novembro de 1826: "Sua Alteza Real, o Príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo-Saalfeld, Duque da Saxônia"
  • 12 de novembro de 1826 – 21 de julho de 1831: "Sua Alteza Real, o Príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo-Gota, Duque da Saxônia"
  • 21 de julho de 1831 – 10 de dezembro de 1865: "Sua Majestade, o Rei dos Belgas"

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Retrato de Leopoldo ostentando a Cruz de Kulm, por George Dawe.

Nacionais:[9]

Estrangeiras:[9]

Descendência[editar | editar código-fonte]

Nome Nascimento Morte Notas
Com Carlota de Gales
Filho natimorto 5 de novembro de 1817
Com Luísa Maria de Orleães
Luís Filipe, Príncipe Herdeiro da Bélgica 24 de julho de 1833 16 de maio de 1834 Morreu na infância.
Leopoldo II da Bélgica 9 de abril de 1835 17 de dezembro de 1909 Casou-se com Maria Henriqueta da Áustria, com descendência.
Filipe da Bélgica, Conde de Flandres 24 de março de 1837 17 de novembro de 1905 Casou-se com Maria Luísa de Hohenzollern-Sigmaringen, com descendência.
Carlota da Bélgica 7 de junho de 1840 19 de janeiro de 1927 Casou-se com Maximiliano I do México, sem descendência.
Com Arcadie Meyer[10]
Jorge, Barão von Eppinghoven 14 de novembro de 1849 3 de fevereiro de 1904 Casou-se com Ana Brust.
Artur von Eppinghoven 25 de setembro de 1852 9 de novembro de 1840 Casou-se com Ana Harris.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Christophe Giltay (20 de julho de 2013). «Pourquoi dit-on roi des Belges et pas roi de Belgique ?». RTL Info. Consultado em 14 de dezembro de 2015 
  2. Williams, pp. 88–89
  3. Holme, pp.196–197
  4. Chambers, p. 138
  5. Chambers, p. 164
  6. Driault y Lhéritier, 1926, p. 463
  7. Bower, 2001, p. 346.
  8. «National Day and feast days of Communities and Regions» (em inglês). belgium.be. Consultado em 1 de Setembro de 2017 
  9. a b Almanach royal officiel de Belgique. Gante, Bélgica: Librairie polytechnique De Decq. 1865. 17 páginas. Consultado em 3 de agosto de 2019 
  10. Goddyn, Reinout (2002). De kinderen van de koning: Alle erfgenamen van Leopold I (em neerlandês). House of Books. p. 96.
  11. Béeche. Arturo E. The Coburgs of Europe. Eurohistory. 2013. pp. ii, 4, 46, 354-355. ISBN 978-0-9854603-3-4

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ascherson, Neal (1999). The King Incorporated: Leopold the Second and the Congo (Nova edição.). Londres: Granta. ISBN 1862072906.
  • Carson, Patricia (1974). The Fair Face of Flanders (ed. revisada). Ghent: E.Story-Scientia. OCLC 463182600.
  • Chastain, James. "Leopold I". Encyclopedia of 1848. Universidade de Ohio.
  • Chastain, James. "Belgium in 1848". Encyclopedia of 1848 Revolutions. Universidade de Ohio. Consultado em 16 de dezembro de 2013.
  • "Léopold Ier". La Monarchie Belge. Monarchie.be. Consultado em 16 de dezembro de 2013.
  • Pirenne, Henri (1948). Histoire de Belgique (em francês). VII: De la Révolution de 1830 à la Guerre de 1914 (2° ed.). Brussels: Maurice Lamertin.
  • Wolmar, Christian (2010). Blood, Iron & Gold: How the Railways transformed the World. London: Grove Atlantic. ISBN 9781848871717.
  • Polasky, Janet L. (2004). "Leopold I (1790-1865)". Oxford Dictionary of National Biography. doi:10.1093/ref:odnb/41227.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Leopoldo I da Bélgica


Leopoldo I da Bélgica
Casa de Saxe-Coburgo-Gota
Ramo da Casa de Wettin
16 de dezembro de 1790 – 10 de dezembro de 1865
Título criado Coat of Arms of King Leopold I of Belgium.svg
Rei da Bélgica
21 de julho de 1831 – 10 de dezembro de 1865
Sucedido por
Leopoldo II