Les Moins de seize ans

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Les Moins de seize ans
Autor(es) Gabriel Matzneff
Idioma francês
País Flag of France.svg França
Género ensaio
Editora Julliard
Lançamento 1974
Páginas 128 páginas
ISBN 2260000177

Les Moins de seize ans ("Os menores de dezesseis anos") é um ensaio do escritor francês Gabriel Matzneff, publicado em 1974 na coleção Idée fixe[1] da editorial Julliard. A peça, na qual o autor exalta as relações amorosas com adolescentes,[2][3][4] foi motivo de escândalo na França por causa do seu enfoque transgressor da pederastia.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Em Les Moins de seize ans Gabriel Matzneff enaltece as relações amorosas com adolescentes de ambos os sexos e protesta contra a ordem moral da sociedade occidental que condena e percebe a pederastia como un fato violento e destrutivo.[5] Manifestando abertamente a sua preferência para adolescentes, tanto masculinos quanto femininos,[6] o autor analisa aspectos como o compromisso e as dificuldades emotivas que implicam as relações com jovens.

Matzneff realisa uma tentativa desmitificadora da pretensa ingenuidade dos adolescentes, recorrendo à definição freudiana da criança como "polimorficamente perversa". Ele afirma que a adolescência é a idade em que os menores precisam mais de contatos sexuais e que a sociedade "não tem direito nenhum de proibir-lhes satisfazer esta sede". Ele critica a familia e denuncia o que considera uma possessividade excesiva de mães para filhos.

Segundo Matzneff, os pederastas exercem uma influência positiva sobre os seus amantes adolescentes, porque os ajudam a descobrirem o mundo e a se descobrirem eles mesmos. Todavia, o autor mostra o seu desagrado pela pederastia com pretensões pedagógicas.

A obra é formada por oito capítulos que intercalam extratos duma carta de amor dirigida ao escritor por uma amante de 15 anos que ele teve na época em que escreveu o livro, com o título Lettre de la petite fille au vilain monsieur ("Carta da menina ao malvado senhor").

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Peyreffitte, Roger. "Les délices de Matzneff" (em francês). Pariscope, 1974-11-14.
  2. Marsan, Hugo. "Matzneff récidive" (em francês). Gai Pied Hebdo, 1988-11-10.
  3. De Smedt, Marc. "Matzneff et la bisexualité" (em francês). Le Magazine Littéraire, nº 94, 1974-11-1.
  4. Savater, Fernando. "Eros y reacción" (em espanhol). El País, 2010-11-2.
  5. Ambroise-Rendu, Anne-Claude. "La dangerosité du criminel sexuel sur enfant, une construction médiatique?" (em francês). Les temps des Médias, nº 15, 2/2010, pp. 72-86.
  6. Schoolcraft, Ralph. "Scenarios of Desire in the Fiction of Pascal Bruckner" (em inglês). South Central Review, Vol. XXIV, nº 2 (verão 2007), pp. 81-104.