Les Schtroumpfs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Os Smurfs
Os Estrumpfes / Os Smurfs (PT)
Os Smurfs (BR)
Os Smurfs
Informação geral
Formato
Criador(es) Peyo (Pierre Culliford) Bélgica
País de origem  Bélgica
Idioma original Inglês
Produção
Diretor(es) George Gordon, Bob Hathcock, Carl Urbano, Rudy Zamora
Produtor(es) William Hanna, Joseph Barbera, Iwao Takamoto, Gerald Baldwin
Exibição
Emissora de
televisão original
Estados Unidos NBC
Transmissão original 12 de setembro de 1981- 1989
N.º de temporadas 9
N.º de episódios 427 (lista de episódios)

Les Schtroumpfs (no Brasil: Os Smurfs [nota 1] e em Portugal: Os Estrumpfes [nota 2] ou Os Estrunfes [nota 3] [1] [2] e atualmente, devido ao filme, é chamado pela geração mais jovem como Smurfs) é uma franquia belga centrada na ficcional colônia de pequenas criaturas azuis onde vivem em casas em formato de cogumelo na floresta. Os Smurfs foram criados e introduzidos como série de histórias em quadrinhos por Peyo (nome artístico de Pierre Culliford) em 1958, onde foram conhecidos por seu nome original: Les Schtroumpfs. Há mais de cem Smurfs[3] e seus nomes são baseados em adjetivos que enfatizam sua características, por exemplo o Smurf Desastrado, que é atrapalhado ao andar, tropeça sempre em pedras ou algo do tipo. Os Smurfs utilizam-se de barrete frígio, que representa liberdade na era moderna.

A palavra "Smurf" é a tradução original holandesa da palavra francesa "Schtroumpf", que, de acordo com Peyo, é uma palavra inventada durante uma refeição com o cartunista André Franquin, pois não se lembrava da palavra "sal".[4]

No Brasil, são conhecidos principalmente graças a uma série de desenhos animados produzida pela Hanna-Barbera Productions e transmitida pela Rede Globo de Televisão na década de 1980. Atualmente o desenho é reprisado pelo canal Gloob em sua nova dublagem. Em Portugal, a série passou na mesma época pela RTP e posteriormente na TVI em 2005. Agora é retransmitida pela SIC K desde 2 de Agosto de 2011.

Em 2011, foi lançado um filme baseado nos personagens: The Smurfs; em 2013 foi lançado sua sequência: The Smurfs 2 e em 2017 é planejado o lançamento do filme: Get Smurfy.[5] [6]

Origem[editar | editar código-fonte]

Na época que teve a criativa ideia dos Smurfs, Peyo já era criador, artista, e escritor da história em quadrinhos franco-belga titulado Johan et Pirlouit (traduzido em português como Johan e Peewit, Johan e Willian ou João e Gui), que situava-se na Europa durante a idade média e que incluía elementos de espada e magia. Na história Johan como um jovem escudeiro ao Rei, e Peewit seria o leal ajudante. Em 1958, a revista Spirou publicou a história Le Flûte à six trous ("A flauta de seis orifícios") de Johan e Peewit.[7] Nessa história, a aventura envolve-se na recuperação de uma flauta mágica, que necessitou de ajuda da magia do mago Homnibus, que levou Johan e Peewit, através de magia, para a vila dos Smurfs ("Schtroumpfs"), criaturas humanoides de cor azul que poderiam ajudá-los. Suas primeira apresentação total foi no Spirou de 23 de Outubro de 1958.[8]

Schtroumpf é uma palavra cuja pronuncia é similar a palavra alemã "Strumpf", que significa "meia", no entanto, de acordo com Peyo, criador original dos quadrinhos dos Smurfs, o termo e consequente língua dos Smurfs surgiu durante uma refeição com seu colega e amigo André Franquin na costa belga. Peyo momentaneamente esqueceu-se da palavra "sal" e perguntou (em francês) para passar o schtroumpf. Franquin ironicamente respondeu "Aqui o Schtroumpf — quando estiver schtroumpfado, schtroumpfe de volta..." e os dois gastaram o resto da semana falando na "língua do schtroumpf".[4] O nome foi traduzido posteriormente para o holandês como Smurf, que foi adotado no Brasil. Em Portugal, a palavra Estrunfe é uma adaptação fonética da palavra original.

O Universo dos Smurfs[editar | editar código-fonte]

Smurfs[editar | editar código-fonte]

Os Smurfs possuem praticamente a mesma estatura, quase todas as personagens se parecem: maioria do sexo masculino (poucas do sexo feminino, como a Smurfette, Sassette, Vovó e Vexy), com pouca altura (três maças de altura)[9] , com pele azul, vestindo geralmente calça branca com furo para sua calda curta e um chapéu com estilo de barrete frígio, algumas vezes usando algo que identifica alguma personalidade (por exemplo: o "Smurf Pintor" usa uma jaqueta vermelho como avental de pintura).

Originalmente, haviam cem Smurfs, todos do sexo masculino, porém o número foi aumentando com a chegada de mais personagens (que adicionou, inclusive, personagens femininas), como Smurfette, Bebê, Sassette e Selvagem.

Língua[editar | editar código-fonte]

A característica da língua dos Smurfs é o frequente uso da palavra indefinida "smurf" e suas derivadas (como smurfar e smurfando). Os Smurfs comumente substituem substantivos e verbos pela palavra "smurf": "Nós vamos smurfar ao Rio Smurf hoje". Quando usado como verbo, a palavra "smurf" frequentemente substitui os verbos "fazer", "ser", "estar", "gostar" ou "fazer".

A simples substituição de palavras por "smurf" feito por humanos pode ser insuficiente: Peewit explica que a frase "estou smurfando ao smurf" significa "estou indo à floresta", mas um Smurf o corrige dizendo que a frase correta seria "estou smurfando ao smurf" e o que Peewit tinha dito foi "estou cantando e caminhando ao amanhecer". Concluimos que "estou smurfando ao smurf" é diferente de "estou smurfando ao smurf".[10]

Vila dos Smurfs[editar | editar código-fonte]

Quando apareceram pela primeira vez em 1958, os Smurfs viviam em uma parte do mundo chamado "Le Pays Maudit" (francês de "o País Amaldiçoado"). Para chegar lá requeria-se de magia ou uma viagem através de densas florestas, profundos pântanos salgados, ardente deserto e uma alta cordilheira.[11] Os Smurfs usam as cegonhas para se locomoverem para lugares longes, tal como o reino onde Johan e Peewit moram, e para manterem-se atualizados nos acontecimentos do mundo exterior.[12]

Na histórias de Johan et Pirlouit, a vila dos smurfs é feita de casas com formato de cogumelo de diferentes formatos e tamanhos em uma terra desolada e rochosa com somente poucas árvores. No entanto, na série própria dos Smurfs, as casas são mais semelhantes entre sí e localizados claramente no meio de uma densa floresta com grama, um rio e vegetação. Humanos, como Gargamel, são mostrados morando nas proximidades, embora seja quase impossível para alguém de fora achar a vila dos Smurfs, exceto quando acompanhado por um Smurf.

Economia[editar | editar código-fonte]

A comunidade dos Smurfs geralmente toma forma de um ambiente de cooperação, de compartilhamento e de gentileza baseado no princípio em que cada Smurf tem algo em que ele ou ela é bom de fazer e contribui com isso para a sociedade dos Smurfs com pode. Em retorno, cada Smurf colabora para as necessidades de cada um, de moradia e roupas até comida sem troca de dinheiro.

Personagens[editar | editar código-fonte]

O Papai Smurf é o líder da vila dos Smurfs. Os outros Smurfs são comumente nomeados por suas personalidades, como o Gênio, Ranzinza, Vaidoso e Desastrado, ou por sua profissão, como o Poeta, Ator, Habilidoso, Harmonia e Fazendeiro. Há outros Smurfs que são não são nomeados por essas categorias, tal como Papai Smurf, Bebê, Vovô, Vovó, Sassette, Smurfette, Vexy e Hackus.

Smurfette, Vexy e Hackus foram criados por Gargamel usando sua formula mágica e eles tiveram que ser convertidos em Smurfs. Sassette também é uma personagem criada da mesma fórmula; na história em quadrinhos não teve a necessidade de formula mágica para ser convertida para Smurf, mas no desenho animado, houve.

Diversos personagens não Smurfs aparecem ao percorrer da história que incluem os vilões Gargamel, seu gato Cruel e a bruxa Hogatha e os amigos dos Smurfs que incluem o cavalheiro Johan, seu amigo Peewit e o mago Homnibus.

Moedas dos Smurfs[editar | editar código-fonte]

A Bélgica, país de origem de Peyo, criador dos Smurfs, recentemente cunhou uma série de moedas de 5 euros com uma figura de um Smurf, a fim de comemorar o 50º aniversário de existência dos personagens.

Em outros desenhos[editar | editar código-fonte]

  • No desenho Yin Yang Yo!, os Smurfs aparecem como criaturinhas pequenas, chamadas de Smorks, são iguais aos Smurfs nas aparências, os Smorks também disseram que moravam numa casa de cogumelo, igual a dos Smurfs. Porém os Smorks não são bons, eles queriam substituir a população por Smorks, mas graças aos dois protagonistas, Yin e Yang, os Smorks se multiplicaram na casa do inimigo deles, Carl.
  • Na primeira versão do cartoon de As Tartarugas Ninja, eles são citados como o desenho animado favorito dos vilões Bebop e Rocksteady.
  • No desenho Nilba e os Desastronautas, o episódio "Nilbatar" faz uma paródia aos Smurfs quando o protagonista Nilba se transforma num D'javi (paródia dos N'avi do filme Avatar) e vai parar numa aldeia similar a dos Smurfs onde ele se encontra com dois D'javis similares a Papai Smurf e Smurffete.

Suposta analogia ao Comunismo[editar | editar código-fonte]

O desenho chamou atenção de alguns comentaristas políticos nos anos 80. Segundo eles os Smurfs seriam uma referência ao Comunismo.[13] A comunidade divide fraternamente tudo o que produz, não há classes sociais, vestem o mesmo tipo de roupa (calças e touca brancas), exceto o seu líder, que veste as mesmas peças de vestuário, porém na cor vermelha.[14] Em oposição aos Smurfs, levando em consideração a ideia de que realmente sejam comunistas, estão Gargamel e Cruel, o gato. A dupla inimiga representa o imperialismo, a vontade de dominar os "mais frágeis". O passatempo de Gargamel era capturar e cozinhar os Smurfs para transformá-los em ouro numa suposta referência em oprimir a classe trabalhadora e transferir os lucros aos burgueses capitalistas.[15] Chegou-se mesmo a afirmar que o nome original "Schtroumpf" foi alterado para "Smurf" para coincidir com as iniciais da expressão "Socialist Men Under Red Father" [15] , literalmente: "Homens Socialistas Sob (o comando do) Pai Vermelho", sendo que o "Pai vermelho" seria o líder Papai Smurf, o único a se vestir de vermelho, cor-símbolo do movimento Comunista.

Outras acusações, contudo, mencionariam possíveis referências ao Nazismo, anti-semitismo e sexismo.

Acerca destas acusações, Thierry Culliford, filho de Peyo e atual dirigente do Studio Peyo, disse que as acusações estavam "entre o grotesco e a falta de seriedade".[16] [17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Durante as primeiras publicações são chamados de Strunfs
  2. Tradução original do francês.
  3. Segundo o Acordo Ortográfico de 1990.

Referências

  1. "Os Estrunfes" estão de volta (fotogaleria e vídeo) Expresso (29 de julho de 2011). Visitado em 1 de julho de 2015.
  2. Os Estrumpfes “estrumpfam” hoje 50 anos Público (Portugal) (23 de outubro de 2008). Visitado em 1 de julho de 2015.
  3. Smurfs 101 (em inglês) BlueBuddies.com. Visitado em 1 de julho de 2015. "There are over 100 Smurfs in the Smurf Village."
  4. a b Les Amis - Pierre Culliford dit Peyo (em francês). Visitado em 14 de junho de 2015.
  5. Sem Katy Perry, novo 'Smurfs' tem Demi Lovato como Smurfette G1 (14 de junho de 2015). Visitado em 1 de julho de 2015.
  6. ‘Get Smurfy': Reboot de ‘Os Smurfs’ ganha foto e terá Demi Lovato CinePOP (14 de junho de 2015). Visitado em 1 de julho de 2015.
  7. BDoubliées. Spirou année 1958 (em francês).
  8. "Smurfs preparing big 50th birthday celebrations", The China Post, 16 de Janeiro de 2008. Página visitada em 14 de junho de 2015. (em inglês)
  9. Meet Us (em inglês). smurf.com. Acessado em 01 de julho de 2015.
  10. Le Sortilège de Maltrochu, escrito e desenhado por Peyo, publicado em 1967.
  11. La Flûte à six Schtroumpfs (publicado em 1958) e Le Pays maudit (publicado em 1961), ambos escritos e desenhados por Peyo.
  12. La Flûte à six Schtroumpfs (publicado em 1958), escrito e desenhado por Peyo.
  13. Glasser, Daniel H. (28 de março de 1985). Studant Sees "Smurfs" As Marxist Brainwashing (em inglês) Penn State ‒ Behrend Collegian. Visitado em 2 de julho de 2015.
  14. Andrew Dougherty. The Theory of Smurfian Communism (em inglês). Visitado em 2 de junho de 2015.
  15. a b ajkohn (18 de julho de 2001). The Smurfs as Marxist Propoganda? (em inglês) Kuro5hin. Visitado em 2 de junho de 2015.
  16. Wim (18 de maio de 2011). Sieg Smurfs ! (em inglês) forbidden planet international. Visitado em 2 de julho 2015.
  17. Smurfiversary Transcript (em inglês) On The Media (29 de fevereiro de 2008). Visitado em 2 de julho de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Les Schtroumpfs