Leucemia monoblástica aguda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Leucemia monoblástica aguda (LMA-M5)[1] é considerada como um subtipo da leucemia mielóide aguda.

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Para preencher o critério da Organização Mundial de Saúde (OMS) para LMA-M5, um paciente deve ter mais de 20% de blastos na medula óssea, e destes blastos, mais de 80% devem ser da linhagem monocítica. Uma subclassificação foi feita (M5a versos M5b) dependendo da linhagem monocítica, se mais de 80% são monoblastos a subclassificação a cosnidera como M5a (Leucemia monoblástica aguda) se a mistura de monoblastos e promonócitos é menor que 80%, ela é considerada como Leucemia monocítica aguda.

A LMA-M5 expressa marcadores CD13, CD33, CD11b, CD11c. Monoblastos podem ser positivos para CD34.

Causas[editar | editar código-fonte]

M5 é associada com caracterísitcas anormalidades cromossômicas, geralmente envolvendo 11q23 ou t(9;11)afetando o locus LLM, entretanto translocação LLM também é achada em outros subtipos de LMA. A presença de LLM dá um prognóstico desfavorável a LMA-M5 comparada a outras alterações genéticas como t(9;11)

Referência[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.