Levetiracetam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Levetiracetam
Alerta sobre risco à saúde
Levetiracetam.svg
Levetiracetam3d.png
Levetiracetam Structural Formula.svg
Nome IUPAC (S)-2-(2-Oxopirrolidin-1-il)-buturamida
Identificadores
Número CAS 102767-28-2
PubChem 5284583
DrugBank DB01202
ChemSpider 4447633
Código ATC N03AX14
Propriedades
Fórmula química C8H14N2O2
Massa molar 170.2 g mol-1
Farmacologia
Excreção urina
Riscos associados
Frases R R22 R36
Frases S S26
LD50 1038 mg·kg-1 (rato i.v.) [1]
Compostos relacionados
Compostos relacionados N-vinilpirrolidona
Brivaracetam (mais um propil ligado à pirrolidona)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Levetiracetam é um fármaco antiepilético[2] semelhante ao agente nootrópico piracetam. Droga estruturalmente diferente de qualquer outro agente antiepiléptico, o levetiracetam é eficaz no tratamento de crises parciais, como adjuvante ou em monoterapia.

Após uma dose oral, sua absorção é rápida (atinge concentração máxima em 1 hora) e praticamente completa (96%). Sua ligação às proteínas plasmáticas é de apenas 10%. Uma porção menor da droga sofre metabolização hepática. A droga é eliminada em grande parte (66%) sem sofrer metabolização. Tem muito pouco risco de interações medicamentosas. Em geral, o levotiracetam é bem tolerado.

Efeitos colaterais mais comuns incluem sonolência, astenia e tontura. A droga é usualmente iniciada em 500 mg 2 vezes ao dia. Doses de mais de 3000mg/dia não oferecem vantagem terapêutica.

Referências

  1. (en) « Levetiracetam » em ChemIDplus.
  2. Portal Saúde. Nota Técnica N° 37 /2012. Acesso em 18 de abril de 2013