Leviatã (2014)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Leviafan
Leviatã (PRT/BRA)
 Rússia
2014 •  cor •  141 min 
Direção Andrey Zvyagintsev
Produção Alexander Rodnyansky
Lançamento 23 de maio de 2014
Idioma língua russa

Leviafan (Левиафан) é um filme de drama russo de 2014 dirigido e escrito por Andrey Zvyagintsev. Foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro na edição de 2015, representando a Rússia.[1] Segundo Zvyagintsev, a história de Marvin Heemeyer nos Estados Unidos o inspirou e foi adaptada para um cenário russo.[2][3] O desenvolvimento do personagem do protagonista é paralelo à figura bíblica de Jó e à história de Naboth's Vineyard. [4][5] O produtor Alexander Rodnyansky disse: "Ele lida com algumas das questões sociais mais importantes da Rússia contemporânea e nunca se torna um sermão de um artista ou uma declaração pública; é uma história de amor e tragédia vivida por pessoas comuns". [6]Os críticos observaram o filme como formidável, lidando com peculiaridades do destino, poder e dinheiro. [7][8]

O filme foi selecionado para competir pela Palma de Ouro na seção principal da competição no Festival de Cannes de 2014. Zvyagintsev e Negin ganharam o prêmio de Melhor Roteiro. [9] O filme foi considerado o melhor filme do ano no BFI London Film Festival de 2014 e no 45º Festival Internacional de Cinema da Índia. Ganhou o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Globo de Ouro de 2015 [10] e o Asia Pacific Screen Award de melhor longa-metragem em 2014.[11] Também foi indicado ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar 2015[12]. Foi escolhido como o 47º maior filme desde 2000 em uma pesquisa de críticos de 2016 da BBC.[13]


Elenco[editar | editar código-fonte]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Situado na cidade fictícia de Pribrezhny (filmado na cidade costeira de Teriberka, Murmansk Oblast), na Rússia, o enredo segue a trágica série de eventos que afetam Kolya (Aleksei Serebryakov), um mecânico de automóveis de cabeça quente, sua segunda esposa Lilya. (Elena Lyadova) e seu filho adolescente, Roma (Sergey Pokhodyaev). O prefeito corrupto da cidade, Vadim (Roman Madyanov), empreendeu um plano legal para desapropriar a terra em que a casa de Kolya é construída.

O plano do prefeito supostamente é construir um mastro de telecomunicações na propriedade de Kolya, oferecendo uma quantia grosseiramente subvalorizada para compensação, embora Kolya acredite que seu plano real seja construir uma casa para si. O amigo de longa data de Kolya, Dima (Vladimir Vdovichenkov), um advogado afiado e bem-sucedido de Moscou, tenta combater a expropriação por meio do sistema judicial local.

Durante o julgamento, Kolya é preso por gritar com policiais corruptos em uma delegacia. Quando o julgamento decide a favor do prefeito, Dima consegue fazê-lo recuar e garantir a libertação de Kolya da prisão, ameaçando-o com documentos comprometedores. No entanto, durante a ausência de Kolya, Lilya se envolve em um encontro sexual improvisado com Dima.

Durante um passeio com o amigo de Kolya, Ivan Stepanich (Sergei Bachursky), o amigo de Roma testemunha Lilya e Dima fazendo sexo e Kolya, sabendo do caso, agride o casal. Enquanto isso, o prefeito Vadim visita seu amigo, um bispo local da Igreja Ortodoxa Russa (Valeriy Grishko), para conforto espiritual, que lhe diz que todo o poder vem de Deus e o encoraja a resolver seus problemas com força. Posteriormente, Vadim e seus bandidos sequestram Dima e executam uma simulação de execução, aconselhando-o a voltar a Moscou. Depois, Vadim continua sua busca pela desapropriação da casa de Kolya. A última aparição de Dima mostra-o olhando pela janela de um trem, ostensivamente no caminho de volta para Moscou.

Lilya volta para casa em Kolya, mas está deprimida com a revelação pública de seu caso. Enquanto a família está fazendo as malas para sair, Kolya e Lilya têm relações íntimas no porão. Roma testemunha o evento e foge de casa, caindo em prantos por um esqueleto de baleia na praia. Ele volta para casa tarde da noite e culpa explicitamente Lilya por tudo o que está dando errado em suas vidas.

Naquela noite, Lilya não consegue dormir e sai de casa de manhã cedo. Ela é mostrada andando perto de falésias sozinha. Na manhã seguinte, ela não aparece no trabalho e o telefone está desligado. Seu corpo é descoberto alguns dias depois. Kolya triste começa a beber ainda mais e, ao encontrar um padre, pergunta por que Deus está fazendo isso com ele. O padre, que é um homem piedoso, cita o livro bíblico de Jó e aconselha Kolya que, quando Jó aceitou seu destino, ele foi recompensado por Deus com uma vida longa e feliz.

No dia seguinte, Kolya é preso. A polícia afirma ter provas de que ele forçou Lilya a ter relações com ele e a assassinou com um golpe na cabeça, usando um objeto contundente. As evidências contra ele incluem os depoimentos dele e dos amigos de Lilya sobre ameaças que ele fez a Lilya e Dima quando ele descobriu o caso, e um de seus martelos de loja sendo modelado "de maneira semelhante" ao ferimento em sua cabeça. Kolya é condenado por assassinato e sentenciado a quinze anos em uma prisão de segurança máxima. Sem família, Roma relutantemente concorda em ser acolhido pelos ex-amigos de Kolya, para evitar ser enviado para um orfanato. O prefeito Vadim recebe uma ligação informando a sentença de Kolya, e ele se regozija e diz que Kolya conseguiu o que merecia por ter se levantado contra ele.

No final, a casa de Kolya é demolida e o projeto do prefeito Vadim é revelado: uma igreja luxuosa para seu amigo bispo. O filme termina com um sermão do bispo, com a presença do prefeito. O bispo exalta as virtudes da verdade de Deus versus a verdade do mundo e diz que boas intenções não desculpam atos perversos. Ele diz para a congregação a não agir com força ou astúcia, mas a confiar em Cristo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Quando Andrey Zvyagintsev produziu um curta nos Estados Unidos, ele contou a história de Marvin Heemeyer. Ele ficou impressionado com essa história e queria inicialmente fazer seu filme nos EUA, mas depois mudou de idéia.[14] O roteiro foi escrito por Zvyagintsev e Oleg Negin e é vagamente adaptado das histórias bíblicas de Jó de Uz e do rei Ahab de Samaria e da novela Michael Kohlhaas, de Heinrich von Kleist. O roteiro apresenta mais de quinze personagens, o que é incomum para muitos de um filme de Zvyagintsev.

A fotografia principal ocorreu nas cidades de Kirovsk, Monchegorsk, Olenegorsk, perto de Murmansk, na Península de Kola. Os preparativos para o set começaram em maio de 2013. A fotografia principal ocorreu durante três meses, de agosto a outubro do mesmo ano.[15] As filmagens de cenas externas de Leviathan ocorreram na cidade de Teriberka, na costa do Mar de Barents. [16]

Referências

  1. «Academy Awards Nominees and Winners». Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Consultado em 27 de abril de 2017 
  2. ««Если больше нет юродивых, кто скажет о беззаконии и лжи?»». Коммерсантъ 
  3. Reuters, Da (16 de janeiro de 2015). «Indicado ao Oscar, 'Leviatã' causa controvérsia na Rússia». Cinema. Consultado em 21 de julho de 2020 
  4. Bradshaw, Peter (6 de novembro de 2014). «Leviathan review – a compellingly told, stunningly shot drama». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  5. AdoroCinema, Leviatã: Críticas AdoroCinema, consultado em 21 de julho de 2020 
  6. Keslassy, John Hopewell,Elsa; Hopewell, John; Keslassy, Elsa (17 de fevereiro de 2014). «Berlin – Pyramide Intl. Rolls Out Pre-sales on 'Leviathan,' Russian Director Andrey Zvyagintsev's Follow-Up to 'Elena'». Variety (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2020 
  7. Bradshaw, Peter (22 de maio de 2014). «Cannes 2014 review: Leviathan - a new Russian masterpiece». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  8. Debruge, Peter; Debruge, Peter (23 de maio de 2014). «Film Review: 'Leviathan'». Variety (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2020 
  9. «5 motivos para você assistir a 'Leviatã', o filme que está colocando a Rússia de cabeça para baixo». HuffPost Brasil. 2 de fevereiro de 2015. Consultado em 21 de julho de 2020 
  10. «Golden Globe nominations revealed for 2015 awards». The Independent (em inglês). 11 de dezembro de 2014. Consultado em 21 de julho de 2020 
  11. «8th Annual Asia Pacific Screen Award Winners». Asia Pacific Screen Awards (em inglês). 11 de dezembro de 2014. Consultado em 21 de julho de 2020 
  12. Leviafan - IMDb, consultado em 21 de julho de 2020 
  13. «The 21st Century's 100 greatest films». www.bbc.com (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2020 
  14. Shoard, Catherine (29 de maio de 2014). «Leviathan: the Cannes hit which absolutely definitely doesn't put the boot in to Putin». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  15. ««Левиафан», выплывающий из тумана». www.trud.ru. 27 de março de 2013. Consultado em 21 de julho de 2020 
  16. Teriberka, Mark Franchetti. «Hot Oscar tip from Russia gives Kremlin the shivers» (em inglês). ISSN 0140-0460 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]