Lewis Hamilton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lewis Hamilton
Lewis Hamilton no GP da Malásia de 2016
Informações pessoais
Nome completo Lewis Carl Davidson Hamilton
Nacionalidade Inglaterra inglês
Reino Unido britânico
Nascimento 7 de janeiro de 1985 (32 anos)
Stevenage, Hertfordshire
 Inglaterra
Altura 1,74[1] m
Registros na Fórmula 1
Temporadas 2007
Equipes McLaren e Mercedes
GPs disputados 189
Títulos 3 (2008, 2014 e 2015)
Vitórias 53
Pódios 105
Pontos 2265[2]
Pole positions 62
Voltas mais rápidas 31
Primeiro GP GP da Austrália de 2007
Primeira vitória GP do Canadá de 2007
Última vitória GP de Abu Dhabi de 2016
Último GP GP da Austrália de 2017

Lewis Carl Davidson Hamilton MBE (Stevenage, 7 de janeiro de 1985) é um piloto de automóveis britânico de Fórmula 1, tricampeão mundial desta categoria em 2008, 2014 e 2015.

Em 2005, foi campeão da Formula 3 Euro Series, tendo como companheiro de equipe o piloto brasileiro Átila Abreu. No ano seguinte competiu na GP2 no lugar do campeão Nico Rosberg, consagrando-se campeão da categoria no mesmo ano.

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Hamilton vence sua primeira corrida na categoria, no Canadá, em 2007.

No final de 2006 foi anunciado pela McLaren como o piloto da equipe para a temporada 2007, onde correu ao lado do bicampeão de 2005 e 2006 Fernando Alonso. Em 2013, Lewis Hamilton mudou-se para a Mercedes.

2007[editar | editar código-fonte]

Em seu primeiro GP na categoria, o GP da Austrália, conseguiu um terceiro lugar. A sua primeira vitória foi no Grande Prémio do Canadá de 2007. Nesta temporada, teve problemas com seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, que acusava a equipe de favorecer o piloto britânico. Hamilton estava com o título da temporada 2007 nas mãos, porém, ele cometeu erros nas duas últimas corridas e o campeão foi Kimi Räikkönen. Mesmo com a perda do título por apenas um ponto, graças ao jogo de equipe da Ferrari em Interlagos, sua performance foi considerada acima da média para um estreante da Fórmula 1.

2008[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2008, a McLaren renovou o contrato de Hamilton, estendendo-o até 2012. Nesse mesmo ano, Lewis Hamilton falou que seu sonho sempre foi pilotar uma McLaren e que pretendia fazer toda sua carreira nesta equipe.[3]

Hamilton consagrou-se campeão Mundial da temporada de 2008 ao ficar em quinto lugar no Grande Prêmio do Brasil de 2008. A disputa só foi decidida na última volta do GP do Brasil, em Interlagos, onde Hamilton, que tinha perdido a posição para Vettel, recuperou a mesma ao ultrapassar Timo Glock. Hamilton entrou para a história como o mais novo campeão de todos os tempos, aos 23 anos,[4] além de ser o primeiro negro campeão na Fórmula 1.

2009[editar | editar código-fonte]

Em 2009, após a primeira etapa da temporada, o Grande Prêmio da Austrália, Hamilton foi desclassificado por ter mentido aos comissários na reunião após a corrida. Durante as últimas voltas da corrida, o piloto da Toyota, Jarno Trulli que estava logo a frente do piloto inglês, teria perdido o controle do carro, saindo da pista e sendo era ultrapassado por Hamilton, enquanto o safety car estava na pista. O inglês então abriu passagem para o italiano recuperar sua colocação ainda sob bandeira amarela. Trulli foi penalizado pelos comissários com 25 segundos. No entanto, a FIA entendeu que Hamilton não deveria ter passado Trulli.[5][6][7]

Nas etapas que vieram a seguir, com o carro limitado, Hamilton não conseguiu o mesmo desempenho da temporada anterior. A primeira vitória da temporada foi apenas na décima corrida, o Grande Prêmio da Hungria. Voltou a ganhar em Cingapura, terminando a temporada em quinto lugar.

2010[editar | editar código-fonte]

Hamilton comemora vitória no Grande Prêmio do Canada de 2010.

Hamilton começou a temporada de 2010 com um terceiro lugar no Grande Prêmio do Bahrain.[8] O segundo pódio da temporada veio com o segundo lugar conquistado no Grande Prêmio da China. Após conseguir ótimas posições nas corridas na Turquia, Canadá e Europa, Hamilton se tornou o primeiro na Classificação geral. Ao final do campeonato, em 14 de novembro de 2010, de forma surpreendente, o piloto Alemão Sebastian Vettel venceu a corrida em Abu Dhabi. O piloto Inglês chegou em segundo não só na corrida, perdendo também o posto de piloto mais jovem a vencer um campeonato de fórmula 1 para o Vettel. Terminou o campeonato com 240 pontos e três vitórias.

2011[editar | editar código-fonte]

Hamilton começou a temporada com um segundo lugar no GP da Austrália, atrás de Sebastian Vettel da Red Bull,[9] apesar de ter que lidar com o assoalho danificado em sua McLaren, que segundo o piloto, estaria causando perda de pressão aerodinâmica.[10] No Grande Prémio da Malásia, se qualificou em segundo e terminou em sétimo, lutando em parte devido ao desgaste dos pneus e sendo marcados por Fernando Alonso da Ferrari, na fase final. Hamilton e Alonso receberam 20 segundos de tempo de sanções pós-corrida, que Hamilton caiu para o oitavo lugar atrás de Kamui Kobayashi, enquanto Alonso ficou em sexto.

A primeira vitória da temporada veio na China, ultrapassando o então líder da corrida Sebastian Vettel, com apenas quatro voltas restantes para o final.[11] Voltou a vencer na Alemanha.[12] No Grande Prêmio de F1 da Índia realizado em 30 de outubro, volta a ter problemas com Felipe Massa; ao tentar fazer fazer uma ultrapassagem sobre o piloto brasileiro em busca do 5° lugar, estes se colidem novamente ocasionando uma punição de Drive through ao piloto da Ferrari. No GP de Abu Dhabi, Hamilton largou em segundo, e após Vettel abandonar a corrida por conta de um pneu furado na primeira volta, Hamilton assumiu a liderança e dominou a prova até sua 3º vitória na temporada. Na última corrida do ano, no Brasil, Hamilton abandonou a corrida por conta de problemas no câmbio.

2012[editar | editar código-fonte]

O piloto inglês conquistou a primeira pole position da temporada, marcando o tempo de 1min24s922, fazendo uma "dobradinha" com o companheiro de equipe Jenson Button, que ficou em segundo.[13] No começo da prova, Jenson Button largou melhor e assumiu a ponta já na primeira curva da corrida.[14]

No final de setembro, foi anunciada a transferência de Hamilton, da McLaren para a Mercedes, para a disputa da temporada de 2013.[15][16] Segundo declarações de Martin Whitmarsh, a equipe inglesa chegou a fazer uma "proposta financeira que é melhor do que qualquer um na Fórmula 1".[17]

2013[editar | editar código-fonte]

Hamilton pilotando pela Mercedes durante o Grande Prêmio da Malásia de 2013.

Em 2013 fez sua estreia pela equipe Mercedes no Grande Prêmio da Austrália, terminando a prova na quinta colocação. Na etapa seguinte, no Grande Prêmio da Malásia, conquistou seu primeiro pódio pela equipe ao chegar em terceiro lugar.

No Grande Prêmio da Hungria, conquistou a primeira vitória pela equipe Mercedes.[18]

2014[editar | editar código-fonte]

Com o Mercedes F1 W05 afirmando-se superior a todos os concorrentes, Lewis e seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, foram os postulantes ao título mundial. Iniciou a primeira metade do campeonato em desvantagem em relação a ele, especialmente com o abandono na primeira corrida na Austrália. Entretanto, a partir da prova de Singapura, alcançou a liderança do campeonato, reação em meio a cinco vitórias consecutivas: Itália, a citada Singapura, Japão, Rússia e Estados Unidos.

Na última etapa, com pontuação dobrada em Abu Dhabi, necessitava de apenas um segundo lugar para ser campeão - em caso de vitória de Rosberg, porém venceu e obteve seu segundo título.

2015[editar | editar código-fonte]

Durante o Grande Prêmio de Mônaco a equipe anunciou a extensão de seu contrato até o fim de 2018. O piloto declarou: "Mercedes é minha casa e eu não poderia estar mais feliz por permanecer aqui por mais três anos."[19] Diferente de 2014 Hamilton liderou o campeonato desde a abertura e tornou-se campeão com antecipação de três corridas ao vencer nos Estados Unidos.

2016[editar | editar código-fonte]

Iniciou a temporada sendo superado largamente pelo companheiro de equipe Rosberg, que venceu as quatro primeiras provas e lhe impôs uma desvantagem de 43 pontos.[20] Na quinta etapa, na Espanha, colidiu com Rosberg duas curvas após a largada e ambos abandonaram. A direção de prova considerou incidente de corrida.[21] Na etapa seguinte, em Mônaco, venceu mas com a ajuda de Rosberg, que em ritmo mais lento, permitiu a ultrapassagem de Hamilton, e este conseguiu superar Daniel Ricciardo.[22]

Venceria a seguir Canadá, Áustria, Grã-Bretanha e Hungria, assumindo a liderança do campeonato com 192 pontos. Tornou-se, ainda, o maior vencedor do Grande Prêmio húngaro com cinco vitórias.[23] No entanto, Rosberg obteria três vitórias consecutivas e reassumiria a liderança em Singapura.[24] Na prova seguinte, na Malásia, enquanto liderava, Rosberg recuperava-se desde a última posição após ser tocado logo após a largada. Desafortunadamente, Hamilton abandonou por quebra do motor a quinze voltas do fim. Seu rival, ao contrario, ainda alcançaria o pódio na terceira posição, ampliando a vantagem sobre Hamilton para 23 pontos.[25] A diferença subiu ainda mais - 30 pontos - no Japão, após Hamilton obter o terceiro posto e Rosberg vencer mais uma vez.

Lewis venceu as quatro últimas provas - Estados Unidos, México, Brasil e Abu Dhabi, mesmo assim, não conseguiu impedir que Rosberg - que terminaria em segundo lugar nestas mesmas provas, alcançasse o título mundial com cinco pontos de vantagem.[26]

Nesta temporada veio a superar na etapa do Brasil a marca de Alain Prost de número total de vitórias - 52, e tornou-se o segundo maior neste quesito, atrás somente de Michael Schumacher vencedor 91 vezes.[27]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

As comemorações extravasadas[editar | editar código-fonte]

No dia 12 de Abril de 2015 após vencer o Grande Prêmio da China, o britânico foi alvo de críticas por ter espirrado champanhe no rosto de uma das mulheres contratadas para recepcionar os pilotos no pódio do Circuito de Xangai. O ato havia passado batido até fotos circularem na internet mostrando o exato momento em que Lewis acertava o rosto da mulher, que pareceu incomodada com a situação. O episódio, que recebeu algumas críticas nas redes sociais, ganhou maior dimensão ao ser condenado por uma líder de uma ONG de defesa dos direitos da mulheres. Roz Hardie, diretora executiva da “Object” destacou que a modelo chinesa não parecia confortável com a atitude do piloto e classificou o comportamento de Hamilton como “sexista”. Ela pediu para que o inglês pedisse desculpas e disse que o episódio retrata o comportamento machista encontrado no mundo do automobilismo.[28]

No dia 11 de Outubro de 2015 após vencer o Grande Prêmio da Rússia, em Sochi, na comemoração, uma imagem chamou atenção: o piloto da Mercedes aparece estourando uma garrafa de champanhe ao lado do presidente russo, Vladimir Putin, que entregou os troféus aos primeiros colocados. Hamilton na ocasião negou o fato: “Eu realmente não molhei. Parece que tem uma foto esquisita, mas não joguei champanhe nele. Eu realmente não quero arrumar problemas”, brincou o piloto.[29]

As disputas com o companheiro de equipe[editar | editar código-fonte]

Por diversas vezes o carro de Lewis e o de Rosberg se tocaram, fazendo com que em todas delas, pelo menos um ficasse de fora da corrida.

No Grande Prêmio da Bélgica em 2014 Hamilton liderava a prova depois de ter superado Rosberg na largada, mas o companheiro tentou a ultrapassagem em um ponto não muito propício. Sem espaço e sem conseguir frear a tempo, a asa dianteira de Rosberg acabou pegando o pneu traseiro esquerdo de Hamilton. Com o toque, o composto de Lewis rasgou e o britânico precisou abandonar a prova, e viu a vitória cair no colo de Daniel Ricciardo. Nico, que precisou trocar a asa dianteira, terminou em segundo, mas acabou sendo vaiado no pódio. O curioso é que, de novo, a palavra "inaceitável" foi a usada por Toto Wolff para descrever o incidente caseiro.[30]

No Grande Prêmio da Áustria em 2016 Hamilton colocou por fora de Rosberg na curva 2. O alemão não quis deixar barato, espalhou e ambos se tocaram. O inglês saiu da pista e retornou mergulhando à frente do companheiro e tomou a ponta. Nico quebrou a asa dianteira, que prendeu embaixo do carro. Enquanto Hamilton partia para uma vitória improvável, Rosberg se arrastava para cruzar em quarto, atrás de Verstappen e Raikkonen. Ao final da prova, Toto Wolff, chefe da equipe, classificou o incidente como "estúpido", e não descartou adotar ordens de equipe na Mercedes, ainda que saiba que a medida pode desagradar os fãs. Já Nico culpou o companheiro pelo incidente.[31]

No Grande Prêmio da Espanha em 2016 Hamilton foi ultrapassado pelo companheiro Nico Rosberg na primeira curva. O britânico tentou dar o troco na saída da curva três, mas Nico fechou a porta e Hamilton acabou saindo da pista, perdendo o controle e batendo de no alemão. Fim de prova para as Flechas de Prata.[32]

No dia 27 de Novembro de 2016 na última corrida do mundial de pilotos de F1 no GP de Abu Dhabi, Lewis Hamilton fez de tudo para que os rivais colassem e ultrapassassem Nico Rosberg, na tentativa de que o companheiro de equipe  fosse superado por Sebastian Vettel (Ferrari) e Max Verstappen (RBR) e chegasse em quarto, posição que renderia ao britânico o tetracampeonato mundial. A tática ousada de Hamilton, classificada até como "jogo sujo" por Vettel, elevou a tensão nos boxes da Mercedes e deu contornos dramáticos às voltas finais. Em determinado momento, preocupada com o risco de seus pilotos não vencerem a corrida, a escuderia alemã entrou pelo rádio pedindo para que o britânico apertasse o ritmo, mas o tricampeão ignorou as ordens e segurou Rosberg até o fim da prova. Terminada a corrida, o chefe da escudeia, Toto Wolff, falou que estava dividido pela atitude de Lewis, mas que acima de tudo ela abria um precedente.[33]

Resultados na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Legenda: (Corridas em negrito indicam pole position); (Corridas em itálico indicam volta mais rápida)

Temporada Equipe Chassis Motor 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Classificação Pontos
2007 Vodafone
McLaren Mercedes
McLaren MP4-22 Mercedes FO 108T 2.4 V8 AUS
3
MAL
2
BAH
2
ESP
2
MON
2
CAN
1
EUA
1
FRA
3
GBR
3
ALE
9
HUN
1
TUR
5
ITA
2
BEL
4
JAP
1
CHN
Ret
BRA
7
109
2008 Vodafone
McLaren Mercedes
McLaren MP4-23 Mercedes FO 108V 2.4 V8 AUS
1
MAL
5
BAH
13
ESP
3
TUR
2
MON
1
CAN
Ret
FRA
10
GBR
1
ALE
1
HUN
5
EUR
2
BEL
3*
ITA
7
CIN
3
JAP
12
CHN
1
BRA
5
98
2009 Vodafone
McLaren Mercedes
McLaren MP4-24 Mercedes FO 108W 2.4 V8 AUS
DSQ
MAS
7
CHN
6
BHR
4
ESP
9
MON
12
TUR
13
GBR
16
ALE
16
HUN
1
EUR
2
BEL
Ret
ITA
12†
CIN
1
JAP
3
BRA
3
ABU
Ret
49
2010 Vodafone
McLaren Mercedes
McLaren MP4-25 Mercedes FO 108X 2.4 V8 BHR
3
AUS
6
MAL
6
CHN
2
ESP
14†
MON
5
TUR
1
CAN
1
EUR
2
GBR
2
ALE
4
HUN
Ret
BEL
1
ITA
Ret
CIN
Ret
JAP
5
COR
2
BRA
4
EAU
2
240
2011 Vodafone
McLaren Mercedes
McLaren MP4-26 Mercedes FO 108X 2.4 V8 AUS
2
MAL
8
CHN
1
TUR
4
ESP
2
MON
6
CAN
Ret
EUR
4
GBR
4
ALE
1
HUN
4
BEL
Ret
ITA
4
CIN
5
JAP
5
COR
2
IND
7
EAU
1
BRA
Ret
227
2012 Vodafone
McLaren Mercedes
McLaren MP4-27 Mercedes FO 108X 2.4 V8 AUS
3
MAL
3
CHN
3
BHR
8
ESP
8
MON
5
CAN
1
EUR
19†
GBR
8
ALE
Ret
HUN
1
BEL
Ret
ITA
1
CIN
Ret
JAP
5
COR
10
IND
4
EAU
Ret
EUA
1
BRA
Ret
190
2013 Mercedes AMG Petronas Formula 1 Team Mercedes W04 Mercedes FO 108Z 2.4 V8 AUS
5
MAL
3
CHN
3
BHR
5
ESP
12
MON
4
CAN
3
GBR
4
ALE
5
HUN
1
BEL
3
ITA
9
CIN
5
COR
5
JAP
Ret
IND
6
EAU
7
EUA
4
BRA
9
189
2014 Mercedes AMG Petronas Formula 1 Team Mercedes F1 W05 Mercedes PU106A Hybrid AUS
Ret
MAL
1
BHR
1
CHN
1
ESP
1
MON
2
CAN
Ret
AUT
2
GBR
1
ALE
3
HUN
3
BEL
Ret
ITA
1
SIN
1
JAP
1
RUS
1
EUA
1
BRA
2
EAU
1
384
2015 Mercedes AMG Petronas Formula 1 Team Mercedes F1 W06 Hybrid Mercedes PU106A Hybrid AUS
1
MAL
2
CHN
1
BHR
1
ESP
2
MON
3
CAN
1
AUT
2
GBR
1
HUN
6
BEL
1
ITA
1
SIN
Ret
JAP
1
RUS
1
EUA
1
MEX
2
BRA
2
EAU
2
381
2016 Mercedes AMG Petronas Formula 1 Team Mercedes F1 W07 Hybrid Mercedes PU106C Hybrid AUS
2
BHR
3
CHN
7
RUS
2
ESP
Ret
MON
1
CAN
1
EUR
5
AUT
1
GBR
1
HUN
1
ALE
1
BEL
3
ITA
2
SIN
3
MAL
Ret
JAP
3
EUA
1
MEX
1
BRA
1
EAU
1
380
2017 Mercedes AMG Petronas Formula 1 Team Mercedes AMG F1 W08 EQ Power+ Mercedes-AMG F1 M08 EQ Power+ 1.6 V6 AUS
2
CHN
BHR
RUS
ESP
MON
CAN
EUR
AUT
GBR
HUN
BEL
ITA
SIN
MAL
JAP
EUA
MEX
BRA
EAU
18

Em corridas que não completaram 75% das voltas a pontuação é reduzida pela metade.

† Não terminou o Grande Prêmio, mas foi classificado porque completou 90% da corrida.

Referências

  1. «Fórmula 1 2007 — Lewis Hamilton». Terra 
  2. «Lewis Hamilton stats f1». statsf1 
  3. «Lewis Hamilton cita Ayrton Senna em seu discurso da vitória na fábrica da McLaren». Globo.com. Globoesporte.com 
  4. «Hamilton wins Formula One World Championship» (em inglês). CNN 
  5. «F1: Hamilton desclassificado na Austrália, Trulli recupera terceiro posto». Semanário Expresso. Aeiou.expresso.pt 
  6. MUNHOZ, Rafael. «Hamilton é desclassificado de Melbourne». Revista Racing. Racing.terra.com.br 
  7. «Hamilton é desclassificado do GP da Austrália; Trulli recupera 3º lugar». Folha Online. Site da Folha de S. Paulo 
  8. «Confira o resultado final do GP do Bahrein». Terra Networks. Portal Terra. 14 de março de 2010 
  9. «Resultado:GP da Austrália 2011». UOL Esporte. Consultado em 8 de julho de 2012 
  10. «Lewis Hamilton comemora segundo lugar». Lance!. Lancenet. 27 de março de 2011. Consultado em 8 de julho de 2012 
  11. «Lewis Hamilton vence o GP da China de F-1». Globo.com. O Globo. Consultado em 8 de julho de 2012 
  12. «Lewis Hamilton vence o GP da Alemanha de Fórmula-1». Globo.com. O Globo. Consultado em 8 de julho de 2012 
  13. «Lewis Hamilton conquista primeira pole position do ano». iG. 17 de março de 2012 
  14. «Button vence na Austrália; brasileiros se chocam e abrem mal a temporada». globoesporte.com. 18 de março de 2012 
  15. «Hamilton deixa McLaren e acerta com Mercedes para lugar de Schumacher». Globo.com. Globoesporte.globo.com. 28 de setembro de 2012 
  16. «Hamilton na Mercedes». Universo Online. Terceirotempo.bol.uol.com.br 
  17. «McLaren diz que propôs a Hamilton ser piloto mais bem pago da F1». Portal Terra 
  18. «Lewis Hamilton vence o Grande Prêmio da Hungria de F-1». Globo.com. 28 de julho de 2013 
  19. «Lewis Hamilton signs new Mercedes contract until 2018 season» (em inglês). Sky Sports. 21 de maio de 2015 
  20. «Nico passeia na Rússia, vence sétima seguida e iguala marca de Schumi». Globoesporte.com. 1 de maio de 2016 
  21. «Hamilton e Nico batem na primeira volta e abandonam o GP da Espanha». Globoesporte.com. 15 de maio de 2016 
  22. «Sem arrependimentos, Rosberg avalia decisão de deixar Hamilton passar em Mônaco: "Foi bem simples e óbvio"». Grande Prêmio. 31 de maio de 2016 
  23. «Hamilton vence na Hungria e assume liderança da F1». UOL. 24 de julho de 2016 
  24. «Rosberg reassume liderança da F1 com vitória no GP de Cingapura e abre 8 pontos de Hamilton. Confira classificação». Grande Prêmio. 18 de setembro de 2016 
  25. «Hamilton e Nico dão azar; Ricciardo e Verstappen fazem dobradinha da RBR». Globoesporte.com. 2 de outubro de 2016 
  26. «Hamilton vence com 'tática Villeneuve', mas Rosberg é campeão com segundo lugar em Abu Dhabi». Grande Prêmio. 27 de novembro de 2016 
  27. «'Ter mais vitórias do que Prost e Senna não parece ser real', diz Hamilton». ESPN. 14 de novembro de 2016 
  28. «Lewis é criticado por jogar champanhe no rosto de mulher no pódio da China». Vencedor da corrida em Xangai, piloto teve o comportamento condenado por líder de grupo que faz campanha contra o sexismo: "Ele parece ter abusado de sua posição". GloboEsporte.com. 14 de abril de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2015 
  29. «Hamilton se envolve em 2ª 'polêmica do champanhe' de 2015. Agora com Putin». Do UOL, em São Paulo. 13 de outubro de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  30. «Hamilton revela que, em reunião, Rosberg admitiu ter batido de propósito para "provar que tinha razão"». 24 de agosto de 2014. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  31. «Saiu faísca! Hamilton e Nico se tocam na volta final, e inglês vence na Áustria». 3 de julho de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  32. «Rosberg e Hamilton se chocam na primeira volta e deixam GP da Espanha». 15 de maio de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  33. «Hamilton pode ser punido pela Mercedes por não cumprir ordens». 27 de novembro de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Precedido por
Alemanha Nico Rosberg
Campeão Mundial de GP2 Series
2006
Sucedido por
Alemanha Timo Glock
Precedido por
Finlândia Kimi Räikkönen
Alemanha Sebastian Vettel
Campeão Mundial de Fórmula 1
2008
201415
Sucedido por
Reino Unido Jenson Button
Alemanha Nico Rosberg