Lex (URN)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Lex é um tipo de URN fixado pela iniciativa LexML, que permite a identificação precisa de normas jurídicas. Definido atualmente pelo Internet Draft A Uniform Resource Name (URN) Namespace for Sources of Law (LEX)[1].

Brasil[2] e Itália[3] já fazem uso oficial do padrão.

Principios básicos[editar | editar código-fonte]

A URN lex determina um espaço de identificação de nomes (do inglês Namespace Identification, NID), prescrevendo convenções em conformidade com o W3C para identificar, nomear, assinalar, referenciar e gerenciar recursos persistentes de domínio legislativo.

O nome uniforme deve identificar um e somente um documento (Acórdão, Lei, Decreto, Portaria, etc.), e cada nome é criado de forma a ser:

  • auto-explicativo;
  • identificável através de regras simples e claras;
  • compatível com as praticas comumente utilizadas para a referência (citação ou remissão) de documentos jurídicos;
  • capaz de ser criado a partir do texto de remissão, automaticamente (por parser) ou manualmente;
  • ser representativo de ambos, aspectos formais e substantivos do documento.

Traduzindo nomes oficiais[editar | editar código-fonte]

O nome oficial, grafado logo no início do texto de uma norma juridica (epígrafe), pode ser colocado sob um formato simplificado, que é justamente o formato adotado para a grafia formal das URNs tipo LEX.

Exemplo: a "Lei Seca" do Brasil tem como epígrafe "LEI Nº 11.705, DE 19 DE JUNHO DE 2008", podendo então ser traduzido em URN LEX seguindo um procedimento[4] simples e consiste:

  1. Reformatar letras (minúsculas) e remover pontuação: "lei 11705 de 19 de junho de 2008"
  2. Transcrever data (formato numérico ISO, ano-mes-dia): "lei 11705 de 2008-06-19"
  3. Colocação dos elementos na ordem padrão LexML, removendo preposições: "lei;2008-06-19;11705"
  4. Inclusão do contexto (norma da esfera Federal): "br:federal:lei;2008-06-19;11705".

Chegamos à URN, "urn:lex:br:federal:lei:2008-06-19;11705", que identifica de forma única e internacionalmente a "Lei Seca" do Brasil.

Sistemas de "resolução de URNs" com algum poder adicional de busca, podem aceitar URNs ainda mais simples, ditas não-canônicas, mas que, pelo contexto ou pelas restrições impostas à numeração das normas, são ainda URNs únicas. Exemplos:

Identificadores transparentes[editar | editar código-fonte]

URNs são utilizados como identificadores únicos (UIDs), como, por exemplo, para identificar um livro pelo ISBN – assim, o URN também é indicado como "ID público (único)". Neste tipo de utilização pública, a necessidade de uma autoridade central (na Agência Internacional do ISBN no exemplo) como URN-resolver único e necessário, é um problema. Nesse contexto, o usuário do identificador deve consultar a autoridade sobre a identificação correta, a partir de metadados de algum objeto, como no ano ou o título. IDs como ISBN, que precisam de uma autoridade central são também denominados "IDs opacos".

Um uso comum do URN Lex, por outro lado, é a de expressar identificadores transparentes, que podem ser construídos por regras simples ou inferências a partir de metadados básicos. Exemplo: o URN Lex brasileiro é usado para ambos, lei legislativo e caso identificador único e universal, usando regras de formatação e abreviatura nome da autoridade, a data de publicação e o identificador local (presente no título do documento).

URN schemas em que cada URN é também um identificador transparente, pode ser utilizado em sistemas de resolução de URN distribuídos (não centrais); e as urnas pode ser criado na ausência destes sistemas, mesmo antes da gravação nestes sistemas

Sintaxe formal[editar | editar código-fonte]

O identificador tem a estrutura hierárquica tal como se segue:

 "urn:lex:"<NSS>

onde NSS é a string do espaço de nomes específico (do inglês Namespace Specific String) composta como se segue:

<NSS>::=<jurisdicao>":"<nome-local>

onde:

<jurisdicao> é a parte que prove a identificação da jurisdição, geralmente um código de pais, onde a norma foi fixada.
<nome-local> é o nome uniforme estabelecido pela autoridade local da norma.

O elemento <jurisdicao> é composto de dois campos espec'ificos:

<jurisdicao>::=<jurisdicao-codigo>[";"<jurisdicao-unidade>]*

onde:

<jurisdicao-codigo> é usualmente o código de identificação do país onde a lei foi formulada, sendo expresso por um código do padrão ISO 3166 Alpha-2 (br=Brasil, it=Italia, fr=França, etc.).
<jurisdicao-unidade> são as possíveis subdivisões hierarquicas do país, tipocamente estado e cidade. Por exemplo: br refere-se ao país inteiro, br;sao.paulo refere-se ao governo de São Paulo, e br;sao.paulo;campinas ao município de Campinas.

Exemplos de fontes de lei identificadas são:

urn:lex:it:stato:legge:2003-09-21;456 (Italian act) 
urn:lex:fr:etat:lois:2004-12-06;321 (French act)
urn:lex:es:estado:ley:2002-07-12;123 (Spanish act)
urn:lex:ch;glarus:regiere:erlass:2007-10-15;963 (Glarus Swiss Canton decree)
urn:lex:eu:council:directive:2010-03-09;2010-19-UE (EU Council Directive)
urn:lex:us:federal.supreme.court:decision:1963-03-18;372.us.335 (US FSC decision)

Exemplos concretos[editar | editar código-fonte]

Uso no Brasil[editar | editar código-fonte]

Conforme norma LexML Parte 2,[5]

A atribuição de um nome uniforme tem como objetivo associar a cada documento jurídico, legislativo ou parte dele um identificador unívoco, em um formato padronizado que dependa apenas das características do próprio documento (metadados) e que, por isso, seja independente da disponibilidade em rede, da sua localização física e das modalidades de acesso.
Tal identificador é utilizado como instrumento para representar as referências — e mais genericamente qualquer tipo de relação — entre os documentos. O seu emprego facilita, em um ambiente de rede com recursos (documentos) distribuídos entre diversas fontes eletrônicas de informação, a construção de um hipertexto global entre os documentos jurídicos, legislativos e de bases de conhecimento contendo as relações entre os mesmos.

Há um vocabulário controlado, fixado pela norma LexML Parte 6.[6] que estabelece os termos que podem ser empregados como nome de jurisdição, nome de autoridade e nome de tipo de documento.

Relação com o modelo FRBR[editar | editar código-fonte]

Relação entre o Modelo BRBR e as URNs LEX.

A ilustração ao lado mostra o caso mais geral, onde não apenas a "obra conceitual" é identificada, mas também outras obras derivadas e ainda consistentes com a obra original. Exemplos:

  • urn:lex:br:federal:lei:2006-07-24;11326 é a ficha catalográfica da obra conhecida como "Lei nº 11.326, de 24 de Julho de 2006". O objeto descrito é uma abstração intelectual do tipo CreativeWork especialidada como Legislation.
    No modelo FRBR a URN LEX está identificando uma obra de forma abrangente, sem restringir formato, língua, ou outro variação de *expressão* ou *manifestação*.
  • urn:lex:abnt:norma:1994-09-30;9050@2015.pdf é uma URN LEX referenciando um arquivo formato PDF, portanto uma manifestação específica, e além disso a URN LEX está designando também uma versão específica da obra.

A sintaxe geral das URNs LEX pode ser assim resumida:

  • urn:lex:ETC designa uma obra FRBR (ou seja um CreativeWork no jargão SchemaOrg).
    Exemplos: urn:lex:br:federal:lei:2006-07-24;11326 e urn:lex:abnt:norma:1994-09-30;9050.
  • urn:lex:ETC~forma, urn:lex:ETC@versao ou urn:lex:ETC~forma@versao designam expressões da obra FRBR.
    Exemplos:
  • urn:lex:ETC$EXT, urn:lex:ETC@versao$EXT, urn:lex:ETC~forma$EXT ou urn:lex:ETC~forma@versao$EXT designam extensões de arquivo (identificam arquivos concretos com formatos específicos), portanto manifestações da obra FRBR.
    Exemplos: urn:lex:br:federal:lei:2006-07-24;11326$html, urn:lex:abnt:norma:1994-09-30;9050@2015$pdf.

A partir destes dois exemplos de alvo da identificação URN LEX, podemos listar várias outras possibilidades com suas respectivas URNs LEX:

URN LEX Descrição FRBR
br:federal:lei:2006-07-24;11326~texto-pt-br Texto original (em português), ~texto-pt-br é default, ou seja, pode ser omitido da URN LEX. Com e sem indicador de expressão serão sinônimos.
br:federal:lei:2006-07-24;11326~compilado Texto compilado (atualizado por outras leis).
br:federal:lei:2006-07-24;11326~texto-en Texto traduzido para o inglês
... Arquivo HTML do texto original
... Arquivo PDF do texto original
... Arquivo PDF do texto original e assinado digitalmente pela autoridade emitente.
... Fragmento da obra "Diário Oficial da União de 25/7/2016", presente na Seção-1, página-1, e que apresenta relação de equivalência com a obra "Lei 11.326 de 2006".

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. A Uniform Resource Name (URN) Namespace for Sources of Law (LEX), IETF http://tools.ietf.org/html/draft-spinosa-urn-lex-04
  2. Portal LexML http://www.lexml.gov.br/
  3. Portal Norme In Rete http://www.normeInRete.it
  4. Portal do Projeto LexML, FAQ. http://projeto.lexml.gov.br/documentacao/destaques-lexml#nomes-persistentes
  5. LexML Brasil (2008), "Parte 2 – LexML URN ", http://projeto.lexml.gov.br/documentacao/Parte-2-LexML-URN.pdf
  6. LexML Brasil (2008), "Parte 6 – Vocabulários Controlados", http://projeto.lexml.gov.br/documentacao/Parte-6-Vocabularios-Controlados.pdf