Leyton House Racing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Reino Unido/Japão Leyton House
Nome completo Leyton House Racing
Sede Bicester, Reino Unido
Fundador(es) Akira Akagi
Pessoal notável Gustav Brunner
Adrian Newey
Ian Phillips
Nome posterior March Engineering
Pilotos Brasil Maurício Gugelmin
Itália Ivan Capelli
Áustria Karl Wendlinger
Pilotos de teste Itália Bruno Giacomelli
Chassis CG901, CG911
Motor Judd e Ilmor
Pneus Goodyear
Combustível BP
Histórico na Fórmula 1
Estreia Estados Unidos GP dos Estados Unidos, 1990
Último GP Austrália GP da Austrália, 1991
Grandes Prêmios 30 (23 largadas)
Campeã de construtores 0 (7º em 1990)
Campeã de pilotos 0 (10º em 1990, com Ivan Capelli)
Vitórias 0 (2º no GP da França de 1990, com Ivan Capelli)
Pole Position 0
Voltas rápidas 0
Pontos 8
Posição no último campeonato
(1991)
12º (1 pontos)

A Leyton House Racing foi uma equipe de Fórmula 1 que disputou as temporadas de 1990 e 1991.

História[editar | editar código-fonte]

Surgiu após a compra da equipe March pelo japonês Akira Akagi (falecido em 2018[1]), proprietário da empresa imobiliária Leyton House[2], que já patrocinava a escuderia desde 1988. O italiano Ivan Capelli e o brasileiro Maurício Gugelmin, desde 1987 na March, continuaram na Leyton House para a temporada de 1990.

O melhor resultado foi o 2° lugar de Capelli no GP da França de 1990, em Paul Ricard, tendo liderado até as voltas finais, quando Alain Prost o superou. Na mesma prova, Gugelmin abandonou com problemas mecânicos. A escuderia terminou o campeonato inicialmente em 7º lugar, sendo promovida à sexta posição no Mundial de Construtores após a Larrousse ser desclassificada

No final de 1991, um grande problema abalou a equipe: seu dono foi acusado de usar a equipe para praticar o golpe de lavagem de dinheiro e foi preso. Sendo assim, a Leyton House, que marcou apenas um ponto no campeonato, deixou de existir depois do GP da Austrália, recuperando o nome original. No GP anterior, no Japão, Capelli deixou a escuderia para dar lugar ao jovem austríaco Karl Wendlinger, que não pontuou, assim como Gugelmin.

Resultados da Leyton House na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Temporada Nome oficial Modelo Chassi Motor Pneu Combustivel (fornecedor) Principal patrocinador Cor Pilotos Pilotos de testes Classificação pilotos Classificação construtores
1990 Leyton House Racing CG901 Judd EV 3.5 V8 Goodyear BP Azul 15 Brasil Mauricio Gugelmin
16 Itália Ivan Capelli
Itália Bruno Giacomelli Capelli - 10º (6 pts.)
Gugelmin - 18º (1 pt.)
7º lugar (7 pts.)
1991 Leyton House Racing CG911 Ilmor 2175A 3.5 V8 Goodyear BP Azul 15 Brasil Mauricio Gugelmin
16 Itália Ivan Capelli[nota 1]
Áustria Karl Wendlinger[nota 2]
Capelli - 20º (1 pt.)
Gugelmin - 25º (0 pt.)
Wendlinger - 36º (0 pt.)
12º lugar (1 pt.)

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Capelli disputou 14 etapas.
  2. Wendlinger disputou os GP's do Japão e da Austrália.

Referências

  1. レイトンハウス創始者、赤城明氏の急逝に寄せて Motorsport.com (versão japonesa), 11 de agosto de 2018.
  2. «Leyton House Racing: a intensa história da imobiliária japonesa que virou equipe de Fórmula 1». FlatOut. 6 de maio de 2019. Consultado em 2 de março de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.