Libaneses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Libaneses
Lebanese people.JPG
Estephan El Douaihy · Bashir Shihab II · Youssef Karam · Charbel · Elias Peter Hoayek · Gibran Khalil Gibran · Camille Chamoun · Mohammad Hussein Fadlallah · Fairuz · Rafic Hariri · Michel Suleiman · Amin Maalouf · Mario Kassar · Rabih Abou-Khalil · Haifa Wehbe · Youssef Mohamad · Myriam Fares · Nancy Ajram
População total

Líbano: 4 017 095 (todos os grupos étnicos)[1]
Total mundial: 8[2]–14 milhões[3][4][5][6]

Regiões com população significativa
Brasil Brasil 7 milhões[7] [8][9]
Líbano 3 971 941[10]
 Argentina 1 milhão[11]
 Estados Unidos 440 mil[12]
 México 400 mil[13]
 Canadá 250 mil[14]
 Austrália 181 mil[15]
 Chile 90 mil[16]
Uruguai 70 mil[17]
Senegal 30 mil[18]
 Reino Unido 10 459[19]
 Israel 2 500[20]
Línguas
Vernacular falada
Árabe e árabe cipriota maronita
Tradicional falada
fenício, sucedido pelo aramaico ocidental[21]
Línguas secundárias
francês, inglês
Diáspora
francês, inglês, espanhol, português
Religiões

O povo libanês (em árabe: الشعب اللبناني) é um conjunto de pessoas originárias do que é hoje o país do Líbano, incluindo aqueles que tinham habitado o Monte Líbano antes da criação do moderno estado libanês. O patrimônio cultural e linguístico do povo libanês é uma rica mistura da cultura fenícia de raiz com as culturas estrangeiras como a dos assíriospersasgregosbizantinos e turcos otomanos, que dominaram o seu povo ao longo de milhares de anos.

Um facto curioso sobre o povo libanês é que a maioria dele não vive no Líbano. Tal como acontece com os seus antecessores, os libaneses sempre viajaram pelo mundo, e muitos deles resolveram emigrar definitivamente, mais notavelmente nos séculos XIX e XX. Atualmente, existem cerca de 4 milhões de pessoas no Líbano e um número estimado de 15 milhões de pessoas de ascendência libanesa no mundo, a maioria delas no Brasil.[carece de fontes?]

No Líbano, as principais minorias são os armênios, os curdos, os turcos, os assírios, os iranianos e muitas etnias europeias (GregosFranceses, e Italianos).

Brasil[editar | editar código-fonte]

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil afirma haver entre 7 e 10 milhões de descendentes de libaneses no Brasil.[22] Contudo, pesquisas independentes, baseadas na autodeclaração do entrevistado, encontraram números bem menores. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2008, 0,9% dos brasileiros brancos entrevistados disseram ter origem familiar no Oriente Médio, o que daria cerca de um milhão de pessoas.[23] Segundo outra pesquisa, de 1999, do sociólogo e ex-presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Simon Schwartzman, somente 0,48% dos brasileiros entrevistados afirmaram ter ancestralidade árabe, percentual que, numa população de cerca de 200 milhões de brasileiros, representaria em torno de 960 mil pessoas.[24]

Os descendentes de libaneses têm forte participação na política brasileira.[25] Em 2015, 8% dos parlamentares brasileiros eram de ascendência libanesa, uma porcentagem muito maior do que a sua presença na população em geral.[26] Esse ativismo político pode ser explicado pelo êxito econômico e pelos investimentos em educação das famílias árabes no Brasil. Dessa forma, seus descendentes conseguiram penetrar em diferentes segmentos da política brasileira, nos mais diferentes partidos políticos e sob várias ideologias.[27] Segundo pesquisa de 1999, conduzida por Simon Schwartzman, descendentes de árabes e de judeus eram os dois grupos mais bem-sucedidos no Brasil do ponto de vista econômico.[28] O atual Presidente da República, Michel Temer, é filho de libaneses.[29]

Referências

  1. CIA, the World Factbook (2006). "Lebanon". Retrieved March 8, 2009.
  2. Bassil promises to ease citizenship for expatriates
  3. «Country Profile: Lebanon». FCO. 3 April 2007. 
  4. Fielding-Smith, Abigail (2009-06-05). «From Brazil to Byblos, Lebanese diaspora pours in for vote». thenational. Consultado em 2009-12-25.  [ligação inativa]
  5. Foreign & Commonwealth Office. «Country Profile: Lebanon» (governmental). FCO. Consultado em 2009-12-25. 
  6. Linking Lebanon. «Lebanese Diaspora». LinkingLebanon. Consultado em 2009-12-25. 
  7. Intelectuais de origem libanesa no Brasil descrevem o seu luto :: TXT Estado
  8. «:: Embaixada do Líbano no Brasil ::». Libano.org.br. Consultado em 2011-07-04. 
  9. «News :: Politics :: Sleiman meets Brazilian counterpart, Lebanese community». The Daily Star. Consultado em 2011-07-04. 
  10. #People CIA - The World Factbook - Lebanon
  11. - Argentinian President's visit to the Lebanese Parliament
  12. «The Arab Population: 2000» (PDF). 
  13. «The biggest enchilada». 
  14. «Canada and Lebanon, a special tie». 
  15. «Austrália 2006 Census». 
  16. «Arab Chileans.». 
  17. «Les Libanais d'Uruguay» (PDF). «En Uruguay, ils sont actuellement quelque 70 000 habitants d'origine libanaise.» 
  18. «Lebanese Immigrants Boost West African Commerce». 
  19. Organisation for Economic Co-operation and Development
  20. «ShowFull». 
  21. Owens, Jonathan (2000). Arabic as a Minority Language Walter de Gruyter [S.l.] p. 347. ISBN 3-11-016578-3. 
  22. Visita do Ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, ao Irã e ao Líbano – 13 a 16 de setembro de 2015
  23. IBGE. IBGE: Características Étnico-Raciais da População.
  24. Simon Schwartzman (1999). [«Fora de foco: diversidade e identidades étnicas no Brasil» Verifique |url= (Ajuda). Consultado em 07/01/2016. 
  25. Diogo Bercito (14 de junho de 2015). «Origem de políticos brasileiros, Líbano tem rua com nome de Michel Temer». Folha de S. Paulo. Consultado em 2 de maio de 2016. 
  26. No Congresso, 8% dos parlamentares têm origem libanesa
  27. "BBC", O que explica a força dos descendentes de árabes na política brasileira?, http://www.bbc.com/portuguese/brasil/2016/04/160429_arabes_politica_if_jf 
  28. Fora de foco: diversidade e identidades étnicas no Brasil
  29. Vilarejo libanês do 'filho Michel Temer' segue igreja ortodoxa grega
Ícone de esboço Este artigo sobre o Líbano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.