Liga Comunista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados para Liga Comunista, veja Liga Comunista Internacionalista.
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados para Liga Comunista, veja Liga dos Comunistas.

Liga Comunista foi um agrupamento da Oposição de Esquerda no Brasil, formado em 1931, com atuação no interior do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e que deu origem, em 1934, à Liga Comunista Internacionalista brasileira, organização formada por Mario Pedrosa, Lívio Xavier, Fúlvio Abramo, Aristides Lobo e Benjamin Péret, entre outros militantes do PCB.

Pequena história[editar | editar código-fonte]

Como descreve Mario Pedrosa, militante do Partido Comunista, quando viajava para fazer um curso de capacitação política na URSS em 1929, entrou em contato, na Alemanha, com as críticas de Leon Trotski à política implementada pela Internacional Comunista. Posteriormente, através de intensa correspondência com Lívio Xavier, informou aos militantes brasileiros as divergências existentes. [1]Mário retorna ao Brasil em julho de 1929 e organiza primeiramente o Grupo Comunista Lenin (GCL) . Em janeiro de 1931, os integrantes do GCL fundam a Liga Comunista (LC), seção brasileira da Oposição de Esquerda Internacional . Alguns anos depois, no Primeiro de Maio de 1934, durante o comício do dia do trabalho, realizado na cidade de São Paulo, anunciam então sua transformação em Liga Comunista Internacionalista (LCI), rompendo definitivamente com o PCB, e passando a trabalhar pela formação da IV Internacional no Brasil.[2]

Referências

  1. CASTRO, Ricardo Figueiredo de; "Os intelectuais trotkistas nos anos 30". In REIS FILHO, Daniel Aarão (org.) Intelectuais, história e política: séculos XIX e XX. Rio de Janeiro:7Letras, 2000; p 141
  2. Mário Pedrosa, Lívio Xavier e as origens do marxismo no Brasil. Por Ricardo Figueiredo de Castro.
  • CASTRO, Ricardo Figueiredo de. A Oposição de Esquerda brasileira (1928-1934) : teoria e práxis. Niterói, 1993. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal Fluminense
  • MARQUES NETO, J. C.. Solidão Revolucionária. Mário Pedrosa e as origens do trotskismo no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 1993. 350 p. (pg 108 e 109).

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.