Liga Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Liga Norte
Lega Nord
Presidente Matteo Salvini
Fundação 1989 (aliança)
1991 (partido)
Sede Milão,  Itália
Ideologia Federalismo
Regionalismo
Populismo
Conservadorismo
Anti-imigração
Eurocepticismo
Anti-globalização
Espectro político Direita a Extrema-direita
Grupo no Parlamento Europeu Europa das Nações e das Liberdades
Camera dei Deputati
17 / 630
Senado
12 / 315
Parlamento Europeu
5 / 73
Parlamentos Regionais
56 / 917
Presidentes Regionais
2 / 20
Cores Verde e Branco
Página oficial
http://www.leganord.org/

A Liga Norte (em italiano Lega Nord, cujo nome oficial é Lega Nord per l'Indipendenza della Padania) é um partido político regionalista do Norte de Itália[1], fundado em 1991, após a unificação de vários pequenos partidos autonomistas e regionalistas.

História[editar | editar código-fonte]

A Liga rapidamente se tornou um dos partidos mais influentes da Itália, muito graças à sua retórica populista e anti-corrupção. Muito do crescimento eleitoral da Liga, explica-se pelos enormes escândalos de corrupção (Tagentopoli) que surgiram aquando da fundação do partido[2]. O partido, aproveitando, o clima de desconfiança em relação aos velhos partidos da I República (1946-1994) obteve resultados espectaculares e, mesmo com o fim do I República, a Liga continuou a ter uma forte base eleitoral[3]. A partir da década de 1990, a Liga tornou um fiel parceiro de coligação de centro-direita, liderado pela Força Itália de Silvio Berlusconi[4].

Ideologicamente, a Liga é definido como um partido de direita[5] e, até, de extrema-direita[6], pelo discurso anti-imigração, anti-Islão e, até, xenófobo[7], apesar de seus dirigentes, dizerem que o partido nem é de esquerda nem de direita[8]. Em temas como o aborto, casamento gay ou legalização de drogas leves, o partido segue uma linha conservadora[9], apesar de, nos seus primeiros tempos, o partido ter seguido uma linha liberal nestas questões[10]. O partido defende uma linha económica liberal, defendendo menos burocracia estatal e impostos mais baixos[11], além de ter uma forte componente ecológica. Na questão da União Europeia, apesar do partido criticar forte o actual modelo da UE, o partido defende uma "Europa da Regiões"[12], e, nas últimas eleições legislativas, o partido defendia a emissão de Eurobonds, mais poderes para o Parlamento Europeu, a eleição directa do Presidente da Comissão Europeia e a centralidade de Itália na política europeia[13]. Por fim, o partido defende a criação de um verdadeiro sistema federal em Itália, que devolva mais poderes para as regiões do Norte de Itália[14].

A sua afiliação europeia da Liga Norte também demonstra a "viagem" ideológica do partido. Após a sua fundação, o partido foi membro da Aliança Livre Europeia, mas, após entrar num governo de coligação com a Força Itália, em 1994, foi expulso da Aliança[15]. Após a expulsão, o partido decidiu integrar o ELDR e seus eurodeputados integraram a Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa, mas, com a maior radicalização e crescente eurocepticismo do partido, o partido foi integrando grupos eurocépticos como a União das Nações pela Europa (2004) e a Europa da Liberdade e da Democracia(2009)[16]. Após as eleições europeias de 2014, o partido foi um dos fundadores do grupo da Europa das Nações e das Liberdades, que inclui partidos como a Frente Nacional e o Partido da Liberdade da Áustria[17].

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Câmara dos Deputados[editar | editar código-fonte]

Data Votos % +/- Deputados +/- Status
1992 3 395 384 8,6 (4.º)
55 / 630
Oposição
1994 3 235 248 8,4 (5.º) Baixa0,2
117 / 630
Aumento62 Governo
1996 3 776 354 10,8 (4.º) Aumento2,4
59 / 630
Baixa58 Oposição
2001 1 464 301 3,9 (6.º) Baixa6,9
30 / 630
Baixa29 Governo
2006 1 749 632 4,6 (6.º) Aumento0,7
28 / 630
Baixa2 Oposição
2008 3 024 758 8,3 (3.º) Aumento3,7
60 / 630
Aumento32 Governo
2013 1 390 156 4,1 (5.º) Baixa4,2
18 / 630
Baixa42 Oposição

Senado[editar | editar código-fonte]

Data Votos % +/- Deputados +/- Status
1992 2 732 461 8,2 (4.º)
25 / 315
Oposição
1994 3 235 248 8,4 (5.º) Aumento0,2
60 / 315
Aumento35 Governo
1996 3 394 733 10,4 (4.º) Aumento2,0
27 / 315
Baixa33 Oposição
2001 1 464 301 3,9 (6.º) Baixa6,5
17 / 315
Baixa10 Governo
2006 1 530 667 4,5 (6.º) Aumento0,6
13 / 315
Baixa4 Oposição
2008 2 644 248 7,9 (3.º) Aumento3,4
26 / 315
Aumento13 Governo
2013 1 328 555 4,3 (5.º) Baixa3,6
18 / 315
Baixa8 Oposição

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data Votos % +/- Deputados +/-
1989 636 242 1,8 (9.º)
2 / 81
1994 2 162 586 6,5 (5.º) Aumento4,7
6 / 87
Aumento4
1999 1 395 547 4,5 (6.º) Baixa2,0
4 / 87
Baixa2
2004 1 613 506 5,0 (7.º) Aumento0,5
4 / 78
=
2009 3 126 915 10,2 (3.º) Aumento5,2
9 / 72
Aumento5
2014 1 688 197 6,2 (4.º) Baixa4,0
5 / 73
Baixa4

Eleições regionais[editar | editar código-fonte]

Os resultados apresentados serão os das últimas eleições:

Região Data Votos % Deputados Status
Apúlia 2015 38 661 2,4 (11.º)
0 / 51
Extra-parlamentar
Emília-Romanha 2014 233 439 19,4 (2.º)
8 / 48
Oposição
Friul-Veneza Júlia 2013 33 050 8,3 (5.º)
3 / 49
Oposição
Ligúria 2015 109 209 20,3 (3.º)
5 / 31
Governo
Lombardia 2013 1 253 770 23,2 (2.º)
27 / 80
Governo
Marche 2015 69 065 13,0 (3.º)
3 / 30
Oposição
Piemonte 2014 141 741 7,3 (4.º)
2 / 39
Oposição
Toscana 2015 214 430 16,2 (2.º)
7 / 40
Oposição
Trentino-Alto Ádige 2013 14 759 6,2 (5.º)
2 / 35
Oposição
Vêneto 2015 757 329 40,9 (1.º)
24 / 51
Governo
Úmbria 2015 49 203 14,0 (3.º)
2 / 20
Oposição

Referências

  1. «Parties and Elections in Europe». parties-and-elections.eu. Consultado em 14 de abril de 2016 
  2. Caramani, Daniele. Challenges to Consensual Politics: Democracy, Identity, and Populist Protest in the Alpine Region (em en). [S.l.]: Peter Lang. ISBN 9789052012506
  3. Caramani, Daniele. Challenges to Consensual Politics: Democracy, Identity, and Populist Protest in the Alpine Region (em en). [S.l.]: Peter Lang. ISBN 9789052012506
  4. Caramani, Daniele. Challenges to Consensual Politics: Democracy, Identity, and Populist Protest in the Alpine Region (em en). [S.l.]: Peter Lang. ISBN 9789052012506
  5. «La Lega Nord | Italy». www.lifeinitaly.com. Consultado em 14 de abril de 2016 
  6. «Italy's far right jolts back from dead». POLITICO (em inglês). Consultado em 14 de abril de 2016 
  7. Wodak, Ruth. The Politics of Fear: What Right-Wing Populist Discourses Mean (em en). [S.l.]: SAGE. ISBN 9781473933590
  8. «Lega: Zaia, non è di destra nè di sinistra». www.iltempo.it. Consultado em 14 de abril de 2016 
  9. Zaslove, Andrej. The Re-invention of the European Radical Right: Populism, Regionalism, and the Italian Lega Nord (em en). [S.l.]: McGill-Queen's Press - MQUP. ISBN 9780773538511
  10. Zaslove, Andrej. The Re-invention of the European Radical Right: Populism, Regionalism, and the Italian Lega Nord (em en). [S.l.]: McGill-Queen's Press - MQUP. ISBN 9780773538511
  11. Zaslove, Andrej. The Re-invention of the European Radical Right: Populism, Regionalism, and the Italian Lega Nord (em en). [S.l.]: McGill-Queen's Press - MQUP. ISBN 9780773538511
  12. «Per una Lega unita ed una Padania libera ed indipendente». Radio Radicale (em italiano). Consultado em 14 de abril de 2016 
  13. «Programma Lega Nord Elezioni Politiche 2013». www.prov-como.leganord.org. Consultado em 14 de abril de 2016 
  14. «Per una Lega unita ed una Padania libera ed indipendente». Radio Radicale (em italiano). Consultado em 14 de abril de 2016 
  15. Gould, Andrew C.. Europe's Contending Identities: Supranationalism, Ethnoregionalism, Religion, and New Nationalism (em en). [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 9781139867757
  16. Gould, Andrew C.. Europe's Contending Identities: Supranationalism, Ethnoregionalism, Religion, and New Nationalism (em en). [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 9781139867757
  17. «Far-right parties form group in EU parliament». euobserver.com. Consultado em 14 de abril de 2016 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]