Liga Internacional de Pa Kua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Liga internacional de pa kua)
Ir para: navegação, pesquisa

O ensinamento do Pa-Kua (Wade-Giles) é um dos pilares fundamentais da filosofia e pensamento Chinês, sendo ele baseado nos oito trigramas que representam os estágios de mutação da natureza. Se atribui a Fu-Hsi o mérito de ter compilado esta antiga sabedoria a aproximadamente 5 mil anos.[1]Os antigos estudiosos perceberam nos movimentos das estações e do planeta um padrão, criando a partir desse um conhecimento de grande conteúdo filosófico, com diversos objetivos e aplicações. A Liga internacional tem como objetivo ensinar o conhecimento Pa Kua para o ocidental com um sistema de ensino próprio desenvolvido pelo Mestre Superior Rogelio Giordano Magliacano e ensinado através de 9 modalidades: Acrobacia, Armas de Corte, Arqueria, Arte Marcial, Cosmodinâmica, Energia, Reflexologia, Ritmo e Sintonia.

O Mestre[editar | editar código-fonte]

O Mestre Magliacano iniciou seus estudos de artes marciais aos 9 anos com Judo, chegando a praticar várias outras artes marciais como Shaolin Honan, Taekwondo, Sipalki com o mestre Yoo Soo Nam da escola Yon-bi Ryu, Hapkido com o Mestre Woo Lee. Depois passando para o estudo de Medicinas tradicional chinesa e Ayurveda.

Na década de 70, o Mestre Rogelio Giordano Magliacano viajou a Coreia a fim de validar seu certificado em Hapkido o que ele fez no dia primeiro de dezembro de 1975 através da Korean Hapkido Federation[2] e seu certificado de acupuntura que foi emitido no dia 3 de fevereiro de 1976 pelo Instituto de Acupuntura Oriental da Coreia, foi nessa viagem que o mestre conheceu o Mestre I Chang Ming, na época exilado na Coréia e iniciou o seu estudo de Pa-Kua. Depois de árduo trabalho e atingido o grau de Maestria, foi autorizado a ensinar o conhecimento Pa-Kua de forma geral a população.

Levado pelo desejo de estender o conhecimento a qualquer pessoa que se dispusesse a aprendê-lo, o Mestre desenvolveu um método de ensino que hoje forma a base da Liga Internacional de Pa-Kua, fundada oficialmente em 1976, na Argentina. Dando início à difusão em seu país de nascimento, o Mestre aos poucos foi levando Pa-Kua a outras cidades e países. Hoje, a Liga Internacional de Pa-Kua conta com centenas de recintos de prática em diversos países, como Brasil, Argentina, Uruguai, Estados Unidos, Itália, Portugal, Espanha, Inglaterra, Alemanha, Suíça, Rússia, Israel, entre outros.

Em 1976 depois do seu retorno da Coreia o Mestre visitou a redação da revista argentina de artes marciais YudoKarate e contou como estava entusiasmado com uma disciplina nova chamada Pa Kua e a descreveu como uma atividade dedicada a busca do conhecimento e que compreendia muitas facetas para capacitar o desenvolvimento do individuo. Após o primeiro encontro o Mestre Giordano continuou a viajar e encontrar o Mestre I Chang Ming[3]

O Mestre faleceu em 2007 deixando seu aluno mais graduado o Mestre Nicolas Moyano como o novo Mestre Superior responsável pela Liga Internacional de Pa Kua.

A escola e o sistema de graduações[editar | editar código-fonte]

A escola foi criada no dia 08 de agosto de1976 com intuito de ensinar Pa Kua de uma maneira mais fácil para o ocidente, assim cortou-se boa parte dos termos em chinês e adicionou o uso de faixas como graduação para organizar com mais facilidade o formato de ensino e permitir que outras pessoas também pudessem ensinar. As graduações em Pa Kua funcionam em três etapas, a primeira etapa é divida em duas com as faixas coloridas e a faixa preta com oito graus, a segunda etapa é a faixa vermelha e a ultima é a faixa branca representando a ultima etapa do desenvolvimento. Cada disciplina funciona de forma independente quanto as graduações, ou seja, você pode ser vermelha em Armas de Corte, amarela em Arqueria e azul em Acrobacia, o aluno vai sempre carregar a faixa na cor da maior graduação e utilizar distintivos nas cores das outras modalidades.

Padrão de Pa Kua utilizado na Liga internacional

Ordem das Faixas:

  • Branca
  • Amarela
  • Laranja
  • Verde
  • Cinza (Recebe autorização para dar aulas sob supervisão do seu Mestre)
  • Azul
  • Vermelha
  • Preta 1º (Recebe autorização plena para dar aulas)
  • Preta 2º (Recebe autorização para ministrar avaliações)
  • Preta 3º (Recebe o título de mestre na disciplina em que conquistou a graduação)
  • Preta 4º ao 7º (Recebe o título de Mestre em Pa Kua Liga Internacional)
  • Preta 8º (Recebe o titulo de Mestre Superior)
  • Vermelha
  • Branca

O Ensino[editar | editar código-fonte]

O ensino na Liga Internacional se da de forma oral como era feito tradicionalmente na China[4], mesmo os manuais antigos eram feitos baseados na visão pessoal que a pessoa que o escreveu teve do que foi ensinado, assim se da dentro da Liga internacional e os informes escritos por cada aluno que vê ali uma forma de materializar o conhecimento que foi passado de forma oral.
O conhecimento Pa Kua é muito amplo e, assim, o mestre resolveu dividi-lo em 9 modalidades(ou seja, de forma distinta do que I Chang Ming passou) para que cada aluno escolha o que lhe agrada mais. As disciplinas são como formas diferentes de se estudar o mesmo conhecimento.

As disciplinas são:

Arte Marcial[editar | editar código-fonte]

A arte marcial de Pa Kua possui o foco na auto defesa, trabalhando a evolução das técnicas indo desde o mais básico buscando se desvencilhar do agarre, ao mais avançado com técnicas de imobilização. Dentro da arte marcial o aluno vai aos poucos estudando a circularidade das técnicas de Pa Kua, buscando utilizar a força do oponente contra ele mesmo e o combate contra mais de um oponente.

Amas de Corte[editar | editar código-fonte]

Tipos diferentes de Dao utilizados na China, em Pa Kua vamos aprender alguns deles

Falar sobre armas antigas chinesas certamente nos adentra em um universo de imensa vastidão devido a enorme quantidade de modelos e tipos diferentes.

Dentro das aulas da modalidade de Armas de Corte Pa Kua nós vamos trabalhar com uma série de armas chinesas entre elas por exemplo o Sabre Chinês ou Dao, essa é uma nomenclatura que refere-se não há um modelo específico e sim a uma categoria de armas chinesas semelhantes.[5]

Há uma grande variedade de armas nessa categoria que se diferenciam por formato da lâmina, ponto de clipe, tamanho e curvatura do cabo, entre outros. Para que o treino possa ser mais completo, optou-se por um modelo em madeira mais genérico, que possa abordar todas essas características.

Alguns exemplos de sabres chineses que se encaixam nessa categoria seriam o WoDao, o  LiuyeDao e o Yanmaodao. O NiuweDao, conhecido popularmente no Brasil como "Facão" ou somente Dao, também é classificado dentro dessa categoria.

No Pa Kua ainda trabalhamos outras duas categorias de sabres, os curtos (usados em pares - Shuang Dao) e os longos. Vamos estudar a fundo cada uma das armas, sua história e a técnica de cada uma aplicando nas movimentações circulares de Pa Kua.

Pa Kua Ritmo[editar | editar código-fonte]

Dois vasos feitos em terra cota decorados com acrobatas do período Han (206 AC - 9 DC) Exposto no Cernuschi Museum, Paris, França.

O Pa Kua ritmo é uma aula de defesa pessoal intensa, que visa o condicionamento físico e, como consequência, o fortalecimento muscular. Os exercícios feitos no ritmo da música trabalham de forma aeróbica às mesmas técnicas aprendidas na modalidade de arte marcial, juntamente com exercícios posturais, isométricos, de velocidade, potência e força.

Acrobacia[editar | editar código-fonte]

A Acrobacia faz parte da história chinesa, inicialmente servia para os guerreiros exibirem as suas habilidades marciais ao grande público.[6] Dentro dessa modalidade nós vamos realizar o estudo de movimentações acrobáticas que buscam combater os medos e bloqueios dos alunos, além do fortalecimento físico e desenvolvimento da coordenação.

Cosmodinâmica (Tai Chi)[editar | editar código-fonte]

Nome cunhado pelo Mestre Superior Rogelio Giordano ele remonta a ideia da movimentação em harmonia com o universo, através do conceito do micro e macrocosmo[7], bastante aplicado nos estilos internos chineses (NeiJia). Nessa modalidade vamos trabalhar a forma de movimentos ("taolu" "套路") utilizada na Liga Internacional de Pa Kua aplicada ao conceito dos 8 trigramas, com movimentos lentos e continuos que lembram os utilizados dentro dos estilos de Tai Chi Chuan, como os exercícios de Tui Shou.

Sintonia (Tao Yin ou Yoga Chinesa)[editar | editar código-fonte]

O Dao Yin Tu (Quadro de Exercícios), medindo 100x50 cm, as posturas, como em toda concepção de mundo chinesa, são baseadas na observação da natureza.

O nome sintonia vem da busca da modalidade em se sintonizar consigo mesmo e com as pessoas a sua volta, essa prática trabalha posturas que imitam os movimentos dos animais e da natureza relacionando a prática aliada à respiração para a manutenção da longevidade e orientação de fluxo do Qi (Chi). Na china o termo Yoga Chinesa está normalmente relacionado a pratica de K'ai Men que significa literalmente "porta aberta" por se tratar de uma prática que busca abrir os nossos canais de energia, mente e espirito.[8] O termo também é utilizado para a prática do Tao Yin que combina posturas com a respiração buscando a manutenção energética.[9]

Reflexologia[editar | editar código-fonte]

O estudo da reflexologia está diretamente relacionada ao estudo do micro e macro corpo, utilizando partes do corpo que são massageadas a fim de uma harmonização geral, além das massagens são trabalhados exercícios de alongamento e fortalecimento.

Pa Kua Energia[editar | editar código-fonte]

Busca a harmonização do nosso corpo através do estudo das técnicas chinesas de harmonização, aliadas ao estudo do fluxo do QI (Chi) em nosso corpo. São estudadas técnicas de Qi Qong e Do inn, além de alongamentos e fortalecimento.

Arquearia[editar | editar código-fonte]

Nessa modalidade são ensinadas as técnicas tradicionais de tiro com arco chinês com posturas diversas que vão desde o desenvolvimento interno ao estudo de movimentações de guerra. Entre as técnicas trabalhadas em aula vamos realizar a puxada tradicionalmente chinesa utilizando o polegar para puxar a corda, apoiando o dedo médio no polegar e o indicar esticado na corda.[10]

A Itinerância[editar | editar código-fonte]

A itinerância é um momento especial dentro do ano Pakuano e acontece a cada 3 meses quando a cidade local recebe um Mestre de fora de seu estado ou país que funciona como um representante da Liga Internacional. O objetivo da itinerância é de recarregar energeticamente os alunos e mestres da cidade. Enquanto o Mestre itinerante está na cidade, ele tem três objetivos para cumprir:

  1. Avaliar os alunos e fiscalizar todas as aulas gerais;
  2. Ministrar cursos e aulas especiais;
  3. Manter o conhecimento unificado trabalhando diretamente com os instrutores locais

Lista de Cursos[editar | editar código-fonte]

Cursos Apresentados na Escola

Os cursos dentro da escola funcionam como uma disciplina extra-curricular, sendo que cada curso possui um numero de módulos que pode variar de um único modulo a 12 módulos.

Esses cursos são ensinados durante a itinerância ou por um Mestre acima de terceiro grau.

Cursos de Armas[editar | editar código-fonte]

Bastão Curto
Bastão Longo
Tonfa (Shuang Guai)
Nunchaku (Shuang jie gun)
Forma da Jian
Aplicação da Jian
Ba Gua Dao (Sabre de Pa Kua)
Faca

Cursos Marciais[editar | editar código-fonte]

Luta Livre
Corpo a Corpo
Combate Circular

Cursos Terapêuticos[editar | editar código-fonte]

Vias de energia
Chien Chi Kua
Tiang Ling (Feng Shui)
Movimentos Estacionais
Perfil Pessoal

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Chia, Mantak (2001). La puerta de todas las maravillas. Barcelona: Sirio. pp. pp 47 
  2. «Hapkido - Viajero». Yudo Karate n 26. Fevereiro 1975 
  3. Peñalver, Gastón (Outubro 2008). «En búsqueda del conocimiento». Yudo Karate 
  4. Guo, Elizabeth (2007). Chinese Martial Arts Training Manuals: A Historical Survey Martial Arts and Self Defense Series. [S.l.]: Blue Snake Books. pp. pp 98 
  5. Costa, Antonio Luiz M. C. (2015). Armas Brancas: Lanças, espadas, maças e flechas – como lutar sem pólvora da pré-história ao século XXI. [S.l.]: Draco 
  6. Bobbie., Kalman, (2008). China, the culture. New York: Crabtree. ISBN 9780778793014. OCLC 183928745 
  7. Despeux, Catherine (1981). TAI-CHI CHUAN - Arte Marcial, Técnica da Longa Vida. [S.l.]: Pensamento. pp. pp 47–49 
  8. 1919-, Soo, Chee, (1983). Taoist yoga : the Chinese art of Kʼai Men 1st pbk. ed., rev ed. Wellingborough, Northamptonshire: Aquarian Press. ISBN 9780850303322. OCLC 9972877 
  9. medicine),, Sanchez, Camilo (Physician of traditional Chinese. Daoist Meridian Yoga : Activating the Twelve Pathways for Energy Balance and Healing. London: [s.n.] ISBN 9780857012364. OCLC 932060101 
  10. Selby, Stephen (2000). Chinese Archery. [S.l.]: Hong Kong University press. pp. pp 201