Lilly Reich

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lilly Reich
Nascimento 16 de junho de 1885
Berlim
Morte 14 de dezembro de 1947 (62 anos)
Berlim
Cidadania Alemanha
Ocupação designer, arquiteta
Magnum opus Pavilhão alemão na Feira Universal de Barcelona, Cadeira Barcelona, Vila Tugendhat

Lilly Reich (16 de Junho 1885–14 de Dezembro de 1947) foi uma designer modernista alemã.[1] Ela trabalhou com o arquitecto Ludwig Mies van der Rohe durante mais de dez anos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lilly Reich nasceu em Berlim em 1885. Em 1908 partiu para Viena para trabalhar na Wiener Werkstätte, uma comunidade de artistas, designers e arquitectos. Regressou a Berlin em 1911, onde passou a trabalhar como designer de mobiliário e moda. Nesta altura também trabalhou como decoradora de montras. Em 1912 juntou-se à Deutscher Werkbund e projectou um apartamento modelo para famílias proletárias na Berlin Gewerkschaftshaus, que foi muito elogiado pelo seu funcionalismo. Em 1920 tornou-se a primeira mulher eleita para o conselho de administração da Deutscher Werkbund.

Em 1926 conheceu o arquitecto Mies van der Rohe,[2] enquanto trabalhava para a Messeamt de Frankfurt, onde organizava e projectava feiras profissionais. Trabalharam juntos durante vários anos. Reich e van der Rohe projectaram em conjunto o café Samt & Seide, que representava a Verein deutscher Seidenwebereien (Sociedade Alemã de Tecelagem em Seda) na feira profissional Die Mode der Dame. O espaço Samt & Seide era definido por vários painéis de seda e veludo suspensos a diferentes alturas.[3]

Em 1929, Reich tornou-se directora artística da participação Alemã na Exposição Mundial de Barcelona, para onde Mies van der Rohe projectou o legendário Pavilhão alemão na Feira Universal de Barcelona. Reich colaborou com Mies van der Rohe no desenho da Cadeira Barcelona para o mesmo pavilhão. Em 1932, Reich foi convidada por Mies van der Rohe para dar aulas na Bauhaus e dirigir as oficinas de arquitectura de interiores, no entanto a escola foi encerrada em 1933.

Em 1939 viaja até aos Estados Unidos da América, com a intenção de se juntar a Mies van der Rohe, no entanto ele convence-a a regressar à Alemanha.[4] Depois disso ensinou na Hochschule für bildende Künst (Escola de Belas Artes) depois da Segunda Guerra Mundial. Morreu em Berlim em 1947.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Lilly Reich». Consultado em 8 de Março de 2015. 
  2. «Lilly Reich». Consultado em 8 de Março de 2015. 
  3. Christiane Lange (2011). «"Café Samt & Seide", 1927. Ludwig Mies van der Rohe and Lilly Reich». Consultado em 9 de Março 2015. 
  4. «Lilly Reich». Joelho: Revista de Cultura Arquitectónica (1): 40-43. 2010