Lima Duarte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lima Duarte (ator))
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o ator brasileiro. Para outros significados, veja Lima Duarte (desambiguação).
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Lima Duarte
Nome completo Ariclenes Venâncio Martins
Nascimento 29 de março de 1930 (86 anos)
Sacramento,  Minas Gerais
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Ator
Diretor[vago]
Dublador
Cônjuge Marisa Sanches (1951-1961)
Ritva Yarvinin (1962)
Mara Martins (1970-198?)
IMDb: (inglês)

Lima Duarte, nome artístico de Ariclenes Venâncio Martins (Sacramento, 29 de março de 1930), é um ator, diretor[vago], dublador e apresentador brasileiro . É considerado um dos mais importantes atores do Brasil, tornando-se famoso através de vários papéis memoráveis ao longo da história da telenovela brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O começo[editar | editar código-fonte]

Nascido no interior de Minas Gerais, num povoado chamado Nossa Senhora da Purificação do Desemboque e do Sagrado Sacramento, referido por ele como "Desemboque", distrito de Sacramento, chegou em São Paulo de carona num caminhão que transportava mangas.[1]

Filho do boiadeiro araguarino Antônio José Martins e de uma artista do circo América, Lima Duarte jamais se esqueceu de suas raízes, e viu na oportunidade uma forma de entrar em contato com a figura paterna. “Estar aqui na cidade (Araguari), para mim, é de certa forma encontrar-me com meu pai, com um passado que eu não tive oportunidade de conhecer. Tenho certeza que ele permanece vivo em meu coração e em minhas lembranças, das quais também fará parte.”

Começou a trabalhar em rádio, como faz-tudo, até chegar a sonoplasta e, finalmente, a radioator, quando adotou o nome artístico de Lima Duarte por sugestão de sua mãe, que era espírita e lhe aconselhou o nome de seu guia. Ingressou na televisão, da qual é um dos pioneiros no Brasil.

Esteve no elenco da primeira telenovela brasileira, Sua Vida Me Pertence, tornando-se um dos principais nomes do gênero.

Também fez dublagens em português de desenhos animados norte-americanos da Hanna-Barbera, como o Manda-Chuva (e também a segunda voz do Espeto), o Wally Gator, o Dum-Dum de Tartaruga Touché .[2]

Atuou em peças teatrais de protesto como Arena conta Zumbi de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Depois de anos na Tv Tupi,[3] onde passou por grandes dificuldades financeiras devido ao caos da emissora, que acabou falindo, foi contratado pela Rede Globo como diretor, graças à fama obtida pela direção de duas novelas de grande sucesso e popularidade nos anos 60, O Direito de Nascer e Beto Rockfeller, ambas ainda na Tv Tupi.[4] Conseguiu dar um salto na carreira ao interpretar o personagem Zeca Diabo, na novela O Bem-Amado (1973), de Dias Gomes. Imitando a voz fina de um parente na interpretação do violento jagunço, obteve grande notoriedade e foi premiado, transformando esse personagem num dos maiores sucessos da história das telenovelas. Em 1984, substituiu Rolando Boldrin no programa Som Brasil, onde também contava histórias de escritores consagrados como Guimarães Rosa.

Outro personagem antológico da história da telenovela brasileira foi o Sinhozinho Malta de Roque Santeiro, novela escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Houve também o histórico Sassá Mutema, de O Salvador da Pátria (1989). Assim como o seu personagem, também ele se apaixonou pela "professorinha" Clotilde, interpretada por Maitê Proença, mas não foi correspondido.

Em Da Cor do Pecado ele viveu o empresário Afonso Lambertini e protagonizou cenas emocionantes da trama, como a que descobre que o filho não morreu e que logo em seguida é assassinado na frente dele.

Interpretou ainda o prefeito Viriato Palhares em Desejo Proibido (2007/08), novela exibida às 18 horas pela Rede Globo. Em Caminho das Índias (2009), foi Shankar, um brâmane, pai de Bahuan (Márcio Garcia). Interpretou o vilão Max Martinez em Araguaia (2010). Em Julho de 2015 aceita o convite da TV Cultura para apresentar o programa Viola Minha Viola[5]

Dublagem[editar | editar código-fonte]

Lima Duarte também se destacou por dublar alguns personagens de desenho animado da produtora Hanna-Barbera[6]:

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel
1951 Sua Vida Me Pertence
1952 Rosas para o Meu Amor
1952–59 TV de Vanguarda
1954 Casa de Bonecas Krogstad[7]
As Aventuras de Red Ringo
O Destino Desce de Elevador
Sangue na Terra Joviano
1955 Posto Avançado Tomás
Engenho das Almas Belarmino
Caminhos Sem Fim Berto
Oliver Twist
1956 E o Vento Levou
1957 Lever no Espaço Geraldo Gomes
1958 TV Teatro Episódios "O Anel" e "Caixinha de Música"
1958–59 TV de Comédia Episódios "O Azar de Chico Fogueteiro" (58), "Era uma Vez um Vagabundo" (58) e "Não Saias Esta Noite" (59)
1962 Cleópatra Júlio César
1964 Gutierritos, o Drama dos Humildes Gutierritos
O Direito de Nascer
A Gata Barrabal
1965 Um Rosto Perdido Cândido
Olhos que Amei Leopoldo
O Mestiço Diretor
1966 Os Irmãos Corsos
1966 A Ré Misteriosa Fernando
Calúnia Moreira
1967 Paixão Proibida Santa Maria
1968 Beto Rockfeller Domingos / Duarte / Manoel Maria / Conde Wladimir / Secundino
O Rouxinol da Galileia
O Décimo Mandamento Salvador
1970 Toninho on the Rocks Diretor
As Bruxas Michel
1971 A Fábrica Pepê
1972 O Bofe Diretor
1973 Os Ossos do Barão Egisto Ghirotto
O Bem-Amado José Tranqüilino da Conceição (Zeca Diabo)
Caso Especial Episódios "Duelo" (1973), "O Capote" (1973), "O Crime de Zé Bigorna" (1974) e "O Homem que Veio do Céu" (1978)
1974 O Rebu Boneco
1975 Roque Santeiro Francisco Teixeira Malta (Sinhozinho Malta)
Pecado Capital Salviano Lisboa
1977 Espelho Mágico Carijó
1979 Marron Glacê Oscar
Pai Herói Malta Cajarana
1980 a 1984 O Bem-Amado Zeca Diabo
1982 Paraíso João das Mortes
1983 Champagne Raul
1984 - 1989 Som Brasil Ele mesmo (apresentador)
1984 Partido Alto Cocada
Caso Verdade, Episódio: Esperança Jacobino
1985 Roque Santeiro Francisco Teixeira Malta (Sinhozinho Malta)
1985 O Tempo e o Vento General Rafael Pinto Bandeira
Tenda dos Milagres Contador de Milagres
1987 Expresso Brasil Zeca Diabo / Sinhozinho Malta
1989 O Salvador da Pátria Sassá Mutema
1990 Meu Bem, Meu Mal Dom Lázaro Venturini
Rainha da Sucata Onofre Pereira
1992 Pedra sobre Pedra Murilo Pontes
1993 Agosto Turco Velho
Fera Ferida Major Emiliano Cerqueira Bentes
O Mapa da Mina Delegado
Você Decide Episódios "O Juramento" (1993), "O Sósia" (1997), "Vida Dupla" (1997), "O Príncipe da Feira" (1999), "Fidelidade" (1999) e "Uma Lição das Arábias" (2000)
1995 A Próxima Vítima Zé Bolacha (José Mestieri)
Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados Druggist
1996 O Fim do Mundo Coronel Ildásio Junqueira
Sai de Baixo Episódios "Me Engana Que Eu Gosto" e "O Céu Pode Espernear"
1997 A Indomada Murilo Pontes
1998 Pecado Capital Tonho Alicate
Corpo Dourado Zé Paulo
1999 O Auto da Compadecida Bispo Borba
2000 Uga-Uga Nikos Karabastos
2001 Porto dos Milagres Senador Vitório Vianna
Brava Gente Washington
2002 Sabor da Paixão Miguel Maria Coelho
O Quinto dos Infernos Conde dos Arcos
2003 Sítio do Picapau Amarelo João Melado
2004 Senhora do Destino Senador Vitório Vianna
Da Cor do Pecado Afonso Lambertini
O Pequeno Alquimista Filolal
2005 Belíssima Murat Güney
2007 Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Bento
Desejo Proibido Viriato Palhares
2009 Caminho das Índias Shankar Sündrani
Chico e Amigos Diego Pepino
2010 Araguaia Max Martínez
2012 A Turma do Didi Rei Arthur (especial de fim de ano "O Segredo do Natal")[8]
2014 Didi e o Segredo dos Anjos Sábio [9]
2015 Os Experientes Doutor Pricolli [10]
2015 I Love Paraisópolis Dom Peppino (Giussepe Sarti)[11]
2016 Criança Esperança Sassá Mutema (de O Salvador da Pátria)[12] / Ele mesmo

Teatro[editar | editar código-fonte]


Cinema[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u59129.shtml Acessado em 17/06/10
  2. http://www.hannabarbera.com.br/entrevis/lima.htm. Acessado em 17/06/10
  3. http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_4521.html Acessado em 17/06/10
  4. Oliveira Sobrinho, José Bonifácio. Casa da Palavra, : . O Livro do Boni. 2011 [S.l.: s.n.] p. 314. ISBN 8577342263. 
  5. http://divirta-se.uai.com.br/app/noticia/mexerico/2015/07/20/noticia_mexerico,169752/lima-duarte-deve-assumir-viola-minha-viola.shtml
  6. «RetrôTV». Consultado em 7/4/2015. 
  7. SILVA, Jane Pessoa da. Ibsen no Brasil. Historiografia, seleção de textos críticos e Catálogo Bibliográfico. São Paulo: USP, 2007. p. 612
  8. «Lima Duarte e Priscila Fantin participam de episódio especial de Natal da ‘Aventuras do Didi’». Área Vip. Consultado em 20 de Setembro de 2016. 
  9. Keila Jimenez (22 de outubro de 2014). «Cabeludo, Lima Duarte volta à TV como oráculo em telefilme de Renato Aragão». F5 - televisão. Outro Canal. Consultado em 22 de outubro de 2014. 
  10. Natália Boere (05 de abril de 2015). «Estrelas da série 'Os experientes', veteranos como Beatriz Segall, Othon Bastos e Juca de Oliveira falam sobre envelhecer». O Globo. Revista da TV. Consultado em 25 de abril de 2015. 
  11. Rodrigo Dau (22 de abril de 2015). «Lima Duarte aceitou papel de mafioso só para contracenar ao lado de Tatá Werneck». Extras - I Love Paraisópolis. Consultado em 25 de abril de 2015. }}
  12. «Atores relembram papéis históricos durante mesão do 'Criança Esperança'». Consultado em 04 de julho de 2016. 
  13. «Troféu Mário Lago homenageia famosos no palco do Domingão desde 2002». 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Lima Duarte
Precedido por
Paulo José
por O Rei da Noite
Troféu Candango de Melhor Ator
por O Crime do Zé Bigorna

1977
Sucedido por
Nelson Xavier
por A Queda