Lindolf Bell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lindolf Bell
Nascimento 2 de novembro de 1938[1]
Timbó[1]
Morte 10 de dezembro de 1998 (60 anos)[1]
Blumenau
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Elke Hering[1]
Filho(s) Pedro Bell
Rafaela Bell
Eduardo Bell[1]
Ocupação poeta
Principais trabalhos As Vivências Elementares
Prémios Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (1984)
Movimento estético Poesia
Página oficial
http://www.LindolfBell.com.br

Lindolf Bell (Timbó, 2 de novembro de 1938Blumenau, 10 de dezembro de 1998) foi um poeta brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lindolf Bell era formado pela Escola de Arte Dramática de São Paulo. Seu gosto pela poesia veio dos pais, Theodor e Amália Bell, ambos lavradores (o pai também foi caminhoneiro ). Sua mãe costumava declamar poemas em reuniões familiares. Essa influência foi definitiva na carreira de Bell, encontrando-se enraizada na vida e nas obras do poeta.

Lindolf foi líder do movimento Catequese Poética, uma iniciativa que levava a poesia às ruas por meio de recitais e de cantorias que fazia na janela de sua amada, praças, ruas, viadutos, escolas e universidades, permitindo que milhares de pessoas conhecessem essa forma de arte. Esse trabalho deu a Bell um grande reconhecimento, no Brasil e também no estrangeiro.

Casou-se com a escultora blumenauense Elke Hering. Na década de 1970 os dois, juntamente com o casal de amigos Péricles e Arminda Prade, fundaram a primeira galeria de arte de Santa Catarina, a Açu-Açu, em Blumenau.

Lindolf Bell é atualmente o nome mais citado da poesia catarinense.[carece de fontes?]

Obras[editar | editar código-fonte]

Casa de Lindolf Bell em Timbó, hoje um museu.
  • 1962 - Os Póstumos e as Profecias.
  • 1963 - Os Ciclos. ( Duas edições: 1963 e 1964 )
  • 1965 - Convocação.
  • 1966 - Curta Primavera. ( Narrativa Lírica )
  • 1966 - A Tarefa.
  • 1967 - Antologia Poética de Lindolf Bell.
  • 1971- As Annamárias. (Três edições: 1971, 1979 e 1993)
  • 1974 - Incorporação.
  • 1980 - As Vivências Elementares.
  • 1984 - O Código das Águas. ( Três edições: 1984,1992,1994 )
  • 1985 - Setenário.
  • 1987 - Texto e Imagem.
  • 1993 - Iconographia.
  • 1994 - Pré-textos para um fio de esperança.
  • 1994 - Requiem.

Referências

  1. a b c d e «Biografia do Poeta». Casa do Poeta Lindolf Bell. Consultado em 27 de Janeiro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.