Linha 8 da CPTM

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Linha 8 - Diamante
Mapa das estações
Mapa das estações
Inauguração:1875 (143 anos) Como Linha Tronco da Estrada de Ferro Sorocabana
1971 (47 anos) Repassada para FEPASA
1996 (22 anos) Repassada à CPTM como Linha B - Cinza
2008 (10 anos) Mudança de nome para Linha 8 - Diamante
Estações:20
Comprimento:35 km
Bitola:Bitola larga
Estado:Em Serviço
Unknown route-map component "CONT1+f"
Para Luz (Linha 7)
Straight track Head station
Júlio Prestes
Unknown route-map component "SKRZ-Ao" Unknown route-map component "SKRZ-Ao"
Viaduto sobre a Rua Silva Pinto
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEe"
Viaduto Engº Orlando Drummond Murgel
Straight track Level crossing
Passagem de nível
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEe"
Viaduto Pacaembú
Straight track Straight track Unknown route-map component "utCONT1+f"
Unknown route-map component "BHF-L" + Unknown route-map component "HUBaq"
Unknown route-map component "BHF-R" + Unknown route-map component "HUBq"
Urban station on track + Unknown route-map component "HUBeq"
Palmeiras–Barra Funda Acesso às Linhas 3red.png e 7roxo.png
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEm" Unknown route-map component "uSBRÜCKEe"
Viaduto Antarctica
Straight track Straight track Unknown route-map component "uENDEe"
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEe"
Viaduto Pompéia
Unknown route-map component "BS2r" Unknown route-map component "KMW"
Km 5
Unknown route-map component "BS2+r" Station on track
Lapa - Linha 8 (Não confundir com a Lapa - Linha 7)
Unknown route-map component "CONTr+g" Straight track
Para F. Morato/Jundiaí (Linha 7)
Station on track
Domingos de Moraes
Underbridge
Viaduto Domingos de Moraes
Unknown route-map component "KMW"
Km 10
Station on track
Imperatriz Leopoldina
Underbridge
Viaduto Miguel Mofarrej
Unknown route-map component "eABZgl" Unknown route-map component "CONTl+f"
Para Grajaú (Linha 9)
Unknown route-map component "SKRZ-Ao" Unknown route-map component "SKRZ-Ao"
Marginal Pinheiros
Bridge over water Bridge over water
Ponte Nova Fepasa sobre o Rio Pinheiros
Unknown route-map component "SKRZ-Ao" Unknown route-map component "SKRZ-Ao"
Marginal Pinheiros
Unknown route-map component "STR+GRZq" Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre São Paulo e Osasco
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEe"
Viaduto Único Galfrio
Unknown route-map component "BHF-L" Unknown route-map component "BHF-R"
Presidente Altino Acesso à Linha 9greenturquoise.png
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEe"
Viaduto Guerino Spitaletti
Unknown route-map component "KMW" Straight track
Km 15
Unknown route-map component "SBRÜCKEa" Unknown route-map component "SBRÜCKEe"
Viaduto Dona Ignês Coutinho
Unknown route-map component "BHF-L" Unknown route-map component "KBHFe-R"
Osasco Acesso à Linha 9greenturquoise.png
Underbridge
Viaduto Presidente Tancredo Neves
Station on track
Comandante Sampaio
Station on track
Quitaúna
Level crossing
Passagem de nível
Unknown route-map component "KMW"
Km 20
Station on track
General Miguel Costa
Unknown route-map component "SKRZ-G4u"
Viaduto sob Rodoanel Mário Covas (SP-21)
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Osasco e Carapicuíba
Level crossing
Passagem de nível (Pedestres)
Station on track
Carapicuíba
Underbridge
Viaduto Ver. Jorge Julian
Station on track
Santa Terezinha
Bridge over water
Rio Cotia
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Carapicuíba e Barueri
Underbridge
Viaduto Gal. Pedro R. Silva
Station on track
Antônio João
Unknown route-map component "KMW"
Km 25
Underbridge
Viaduto dos Trabalhadores
Station on track
Barueri
Underbridge
Viaduto Ver. Isaías Pereira Souto
Station on track
Jardim Belval
Unknown route-map component "KMW"
Km 30
Station on track
Jardim Silveira
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Barueri e Jandira
Underbridge
Viaduto Rev. José Manuel da Conceição
Station on track
Jandira
Station on track
Sagrado Coração
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Jandira e Itapevi
Underbridge
Viaduto Ameríndia
Station on track
Engenheiro Cardoso
Unknown route-map component "KMW"
Km 35
Underbridge
Viaduto José dos Santos Novaes
Unknown route-map component "KBHFa-L" Unknown route-map component "KBHFe-R"
Itapevi (Acesso Gratuito sentido A. Bueno)
Station on track
Santa Rita (Acesso Gratuito)
Level crossing
Passagem de nível
Unknown route-map component "KMW"
Km 40
Level crossing
Passagem de nível
Unknown route-map component "KBHFxe"
Amador Bueno (Acesso gratuito)
Unknown route-map component "exdCONTf"
Ligação com os trilhos da Rumo Logística

A Linha 8–Diamante da CPTM compreende o trecho definido entre as estações Júlio Prestes e Itapevi, com extensão operacional entre as estações Itapevi e Amador Bueno. Até março de 2008 denominava-se Linha B–Cinza.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Estação Júlio Prestes, em São Paulo: marco zero da linha
TUE Série 5000 alinhando na Estação Comandante Sampaio, em Osasco

A Linha 8 tem 35,28 quilômetros de extensão de Júlio Prestes a Itapevi e vinte estações, servindo a sub-região oeste da Região Metropolitana de São Paulo, composta pelos municípios de Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba e Osasco, além de bairros a oeste da capital até a estação Júlio Prestes, no centro. Além de Itapevi, há um trecho de extensão operacional até Amador Bueno com 6,3 quilômetros. A linha foi inaugurada em 1875 com o primeiro trecho da antiga Estrada de Ferro Sorocabana, que ligava a atual Estação Júlio Prestes (ao lado da Estação da Luz, em São Paulo) a Sorocaba. Esta linha teve uma importância histórica muito grande, principalmente para o nascimento de cidades que margeavam a ferrovia, como Itapevi, Jandira, Mairinque e Osasco.

Em 1934 foram criados oficialmente os serviços de transporte suburbanos, nascidos "da expansão urbana experimentada por municípios como Osasco, Itapevi [e] Carapicuíba", segundo análise do jornal Folha de S. Paulo mais de quarenta anos depois.[2] A linha seria eletrificada entre 1944 e 1945, época em que os serviços suburbanos já atingiam Amador Bueno. Entre as décadas de 1950 e 1960 a linha sofreu sua primeira reforma, tendo sido adquiridos em 1958 os TUE Kawasaki-Toshiba (atual série 4800 da CPTM). Esses trens, entretanto, sofreram um desgaste "fora do comum", e apenas sete anos depois o sistema já demandava ampliação.[2] Enquanto em 1959 as linhas de subúrbio da Sorocabana transportaram cerca de dezesseis milhões de passageiros, doze anos depois esse número dobrou, com o sistema permanecendo praticamente igual.[2]

Em 1971 a ferrovia passou a ser administrada pela nova estatal Ferrovia Paulista S.A. – FEPASA, que no final da década de 1970 e início da década de 1980 renomeou a linha como Linha Oeste promovendo uma completa reforma nos seus serviços de trens metropolitanos, reconstruindo todas as estações da linha (exceto Júlio Prestes) e ampliando a bitola de um metro para 1,60 metro entre Júlio Prestes e Itapevi, adquirindo os TUE Francorail-Cobrasma (atual série 5000 da CPTM) e reformando os TUE Toshiba (padrão denominado "Rio Claro") usados na extensão entre Itapevi e Amador Bueno. Até agosto de 1998 os trens metropolitanos atenderam também as estações entre Amador Bueno e Mairinque, cruzando todo o município de São Roque, já fora da Região Metropolitana de São Paulo. Em 1996[3] os serviços passaram às mãos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que unificou os serviços de trens metropolitanos da Grande São Paulo.

Características[editar | editar código-fonte]

Trilhos da Linha 8 da CPTM no bairro da Água Branca

Das estações Júlio Prestes e Barra Funda, na capital, até Itapevi, com extensão operacional até Amador Bueno, nesse mesmo município; atende ainda Osasco, Carapicuíba, Barueri e Jandira. Santa Rita, Cimenrita, Ambuitá e Amador Bueno eram consideradas "paradas" e não "estações", pois não possuíam qualquer infraestrutura interna, tais como agência de estação, bilheterias e outros serviços. Após a modernização, Amador Bueno passou a ser considerada "estação", mesmo sendo basicamente igual a Santa Rita, e ambas não possuem infraestrutura interna, como agência de estação, bilheterias etc.; apenas banheiros (Cimenrita e Ambuitá foram desativadas). O embarque nestas paradas é gratuito, sendo que os passageiros só pagam o valor da passagem se efetuarem a transferência para os trens que seguem para Júlio Prestes, em Itapevi.

A Linha 8 em sua articulação com a Linha 9 é estratégica na montagem de um bom sistema de transferência e integração modal. De Lapa a Barra Funda, as linhas 8 e 7 (que atende à sub-região noroeste da Região Metropolitana) seguem em faixas independentes, separadas por uma área ocupada em alguns trechos por edificações e equipamentos urbanos. Neste ponto há a proposta de deslocar a Linha 8 para a atual faixa de domínio da linha 7, resultando na utilização, pelas duas linhas, de uma única estação na Lapa e na Água Branca, proporcionando melhor inserção urbana e liberando áreas para outros investimentos.

Júlio Prestes ↔ Itapevi Itapevi ↔ Amador Bueno
Extensão 35,28 km 6,33 km
Média de passageiros transportados/dia[4] 432 178 -
Intervalo entre trens (pico) 5 min 30 min/15 min
Quantidade de estações 22 3
Trens (hora pico) 18 2
Tempo de percurso 58 min 12 min
Distância média entre estações 1.857m 1.585m
Oferta de lugares no pico 23.580 -
Velocidade média operacional 80 km/h 50 km/h
Passagens em nível 2 3

Estações[editar | editar código-fonte]

Mapa anterior da linha, usado até 2008
Atual Série 5400 (Extensão)
Salão de passageiros da série 8000
Sigla Estação Município Observações MDU (08/2018)[4]
JPR Júlio Prestes São Paulo 7 677
BFU Palmeiras–Barra Funda São Paulo Integração gratuita com a Linha 3–Vermelha do Metrô de São Paulo, com a Linha 7–Rubi da CPTM e acesso ao Terminal Rodoviário da Barra Funda. 145 732
LAP Lapa São Paulo Integração tarifada com o Terminal Lapa da SPTrans. Futura integração com a Linha 7–Rubi da CPTM. 22 929
DMO Domingos de Moraes São Paulo 16 814
ILE Imperatriz Leopoldina São Paulo 15 428
PAL Presidente Altino Osasco Integração gratuita com a Linha 9–Esmeralda. 11 401
OSA Osasco Osasco Integração gratuita com a Linha 9–Esmeralda, acesso ao Terminal Rodoviário de Osasco. 54 182
CSA Comandante Sampaio Osasco 11 686
QTU Quitaúna Osasco 5 002
GMC General Miguel Costa (ex km 21) Osasco 17 416
CPB Carapicuíba Carapicuíba Acesso ao Terminal Urbano de ônibus de Carapicuíba. 27 703
STE Santa Terezinha Carapicuíba 1 828
AJO Antônio João Barueri 12 023
BRU Barueri Barueri Integração tarifada com o Terminal Intermunicipal de ônibus de Barueri. 22 926
JBE Jardim Belval Barueri 3 152
JSI Jardim Silveira Barueri Integração tarifada com o Terminal Intermunicipal de ônibus do Jardim Silveira. 6 807
JDI Jandira Jandira Integração tarifada com o Terminal Intermunicipal de ônibus de Jandira. 13 775
SCO Sagrado Coração Jandira 2 074
ECD Engenheiro Cardoso Itapevi 5 522
IPV Itapevi Itapevi Integração gratuita com a extensão operacional para Amador Bueno. Cartão Benfácil da Benfica BBTT. 28 101

MDU = média de passageiros embarcados por dia útil em cada estação, desde o início do ano. Nas estações com duas ou mais linhas, o MDU representa a totalidade de passageiros embarcados na estação, sem levar em conta qual linha será utilizada pelo usuário.

Extensão operacional[editar | editar código-fonte]

O trecho da extensão operacional esteve desativado para processo de modernização. A CPTM voltou a prestar serviço entre Itapevi e Amador Bueno em 3 de abril de 2014, dando início à operação assistida no trecho. No dia 23 de abril de 2014 a extensão foi entregue oficialmente pelo governador Geraldo Alckmin. Na ocasião foi anunciado que as estações Cimenrita e Ambuitá, hoje demolidas, seriam reconstruídas. Nessa extensão são utilizados os TUE série 5000 (Atual série 5400) compostos por quatro carros (dois motores e dois reboques) que sofreram sua primeira reforma em 1999 e a segunda em 2013/2014 para utilizá-los nesse trecho. Curiosamente no projeto inicial previa-se a utilização do TUE Série 4400 nesse trecho.

Sigla Estação Município Observações MDU
(08/2018)[4]
IPV Itapevi Itapevi Modernização entregue em 1 de outubro de 2010. 28 101
SRT Santa Rita Itapevi Modernização entregue em 3 de abril de 2014. N/D
ABU Amador Bueno Itapevi Modernização entregue em 3 de abril de 2014. N/D

Projetos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Obras e projetos da CPTM

A CPTM realizou uma audiência pública, em julho de 2013, para apresentar o projeto que ligará Sorocaba e São Paulo por meio de trens da CPTM. Em Sorocaba, serão duas estações: uma na região central e outra no bairro Brigadeiro Tobias. O investimento na linha de Sorocaba a São Paulo será de 4,3 bilhões de reais. O início das obras estava previsto para 2015, com previsão de conclusão em 2020.

Ele também prevê conexão futura com uma nova extensão de trem da Linha 8 até Alphaville. A chegada dos trens ao bairro tem sido cogitada desde a gestão de José Serra no governo estadual, mas nunca saiu da fase de estudos.

Obras[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Obras da CPTM

Imagens das obras[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Galeria de imagens da CPTM

Referências

  1. «Linhas da CPTM ganham novos nomes». Governo do Estado de São Paulo. 3 de abril de 2008. Consultado em 26 de junho de 2018. 
  2. a b c «Vinte anos sem renovações». Folha de S. Paulo (17 924). São Paulo: Empresa Folha da Manhã S.A. 30 de abril de 1978. 18 páginas. ISSN 1414-5723 
  3. [CPTM - Nossa História «Título ainda não informado (favor adicionar)»] Verifique valor |url= (ajuda) Página oficial da CPTM
  4. a b c «Tabela Novos Negocios Agosto 2018» (PDF). CPTM. Consultado em 8 de agosto de 2018.. Cópia arquivada (PDF) em 18 de julho de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]