Liniers (artista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Liniers
Nome completo Ricardo Liniers Siri
Nascimento 15 de novembro de 1973 (46 anos)
Buenos Aires
Nacionalidade argentino
Ocupação Quadrinista
Página oficial
macanudoliniers.blogspot.com/

Liniers ou Ricardo Liniers Siri (Buenos Aires, 15 de novembro de 1973) é um quadrinista argentino cujos trabalhos já foram publicados em diversas revistas como Rolling Stone, Spirou e La Mano.[1] Ele é descendente do vice-rei de Buenos Aires Santiago de Liniers.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Liniers estudou publicidade, mas não se dedicou a ela. Desde pequeno foi ávido leitor de quadrinhos, conhecendo a obra de Hergé, Goscinny e Uderzo, Quino, Héctor Germán Oesterheld, Charles Schulz e Herriman. Começou a desenhar para fanzines, e logo passou a desenhar para meios de comunicação profissionais, como Lugares, ¡Suélteme!, Hecho en Buenos Aires, Calles, Zona de Obras, Consecuencias, ¡Qué Suerte!, Olho Mágico, 9-11 Artists Respond, Comix 2000 e outras obras.

A partir de 1999, passou a publicar semanalmente no suplemento NO! do jornal Página/12. Em junho de 2002, após ter sido apresentado pela quadrinista Maitena, Liniers passou a publicar Macanudo na última página do jornal La Nación.

Em 2001 publicou, com Santiago Rial Ungaro, o livro Warhol para Principiantes.

Realizou duas mostras como artista plástico: "Macanudo", em Ludi (2001), e "Mono en Bicicleta", em La Bibliotheque (2003)...

Obra[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Macanudo Nº1 (2004)
  • Macanudo Nº2 (2005)
  • Bonjour (2005)
  • Macanudo Nº3 (2006)
  • Macanudo Nº4 (2006)
  • Cuadernos 1985-2005 (2006)
  • Lo que hay antes de que haya algo (2007)
  • Macanudo Nº5 (2007)
  • Macanudo Nº6 (2008)
  • Conejo de viaje (2008)
  • Oops! (2008, em parceria com Kevin Johansen)
  • El Macanudo Universal - Vols. 1-5 (2009)
  • Macanudo Nº7 (2009)
  • Macanudismo (2010)
  • Kama Sutra dos quadrinhos (2002)

Capas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Perfil no jornal La Nación
  2. Liniers ganhou o Gardel Prize de melhor capa de álbum por este trabalho

Ligações externas[editar | editar código-fonte]