Lista das composições de Heitor Villa-Lobos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista das composições de Heitor Villa-Lobos.

Choros[editar | editar código-fonte]

Os choros são listados e descritos em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Introdução aos Choros , para violão e orquestra (1929)
  • Choro Nº 1 para violão (1920)
  • Choro Nº 2 para flauta e clarinete (1924)
  • Choro Nº 3 "Pica-páo" (Pica-pau) para clarinete, fagote, saxofone, 3 trompas e, trombone, ou para coro masculino, ou os dois juntos (1925)
  • Choro Nº 4 para 3 trompas e trombone (1926)
  • Choro Nº 5 para piano (1925) "Alma brasileira" 
  • Choro Nº 6 para orquestra (1926)
  • Choro Nº 7 "Settimino"  para flauta, oboé, clarinete, saxofone, fagote, violino, violoncelo, com o tam-tam ad lib. (1924)
  • Choro Nº 8, para orquestra com 2 pianos (1925)
  • Choro Nº 9, para orquestra (1929)
  • Choro Nº 10 para coro e orquestra (1926) "Rasga o coração" 
  • Choro Nº 11 para piano e orquestra (1928)
  • Choro Nº 12, para orquestra (1929)
  • Choro Nº 13 para 2 orquestras e bandas (1929) agora perdido
  • Choro Nº 14 para orquestra, banda e coro (1928) agora perdido
  • Choro bis, para violino e violoncelo (1928-29)
  • Quinteto (em forma de choros) para flauta, oboé, trompa, clarinete e fagote (1928); arr. flauta, oboé, clarinete, trompa, fagote (1951)

Bachianas Brasileiras[editar | editar código-fonte]

As Bachianas Brasileiras são listadas e descritas em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • N° 1 para pelo menos 8 violoncelos (1930-38)
  • Nº 2 para orquestra (1930)
  • Nº 3 para piano e orquestra (1938)
  • Nº 4 para piano (1941);
  • Nº 5 para voz e, pelo menos, 8 violoncelos (1945)
  • Nº 6 para flauta e fagote (1938)
  • Nº 7 para orquestra (1942)
  • Nº 8 para orquestra (1944)
  • Nº 9, para coro ou orquestra de cordas (1945)

Concertos[editar | editar código-fonte]

Os concertos são listados e descritos em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Suite para Piano e Orquestra (1913)
  • Cello Concerto no 1 (1915)
  • Fantasia de movimentos mistos para violino e orquestra (1921)
  • O Martírio dos Insetos para violino e orquestra (1925)
  • Momoprecoce, fantasia para piano e orquestra (1929) ou banda (1931)
  • Ciranda das sete notas para fagote e orquestra de cordas (1933)
  • O Concerto para Piano nº 1 (1945)
  • O Concerto para Piano nº 2 (1948)
  • Fantasia para saxofone soprano, três chifres e cadeias de caracteres (1948)
  • Concerto de guitarra Fantasia Concertante (1951) para Segovia
  • O Concerto para Piano nº 3 (1957)
  • O Concerto para Piano nº 4 (1952)
  • Harpa de Concerto (1953) para Zabaleta
  • Cello Concerto no 2 (1953)
  • O Concerto para Piano nº 5 (1954)
  • Fantasia para Violoncelo e Orquestra
  • Gaita Concerto (1955), para John Sebastian Snr.
  • Concerto Grosso para   quarteto de sopro & conjunto de sopro  (1959)
  • Choros Nº 11 e Bachianas Brasileiras Nº 3 também são  peças para piano e orquestra concertantes

Sinfonias[editar | editar código-fonte]

As sinfonias são listadas e descritas em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Nº 1 O Imprevisto  (1916)
  • Nº 2 Ascensão (1944)
  • Nº 3 A Guerra  (1919)
  • Nº 4 A Vitória  (1919)
  • Nº 5 A Paz  (1920) agora perdido
  • Nº 6 Sobre o linho das montanhas do Brasil  (1944)
  • Nº 7 Odisséia da paz  (1945)
  • Nº 8 (1950)
  • Nº 9 (1951)
  • Nº 10 "Sumé Pater Patrium" (Sinfonia ameríndia)  (1952)
  • Nº 11 (1955)
  • Nº 12 (1957)

Outras obras orquestrais (incluindo ballets)[editar | editar código-fonte]

As outras obras orquestrais são listadas e descritas em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Tédio de Alvorada, poema sinfônico (1916)
  • Naufrágio de Kleônicos, poema sinfônico (1916)
  • Danças Africanas (1916)
  • Sinfonietta no 1 (1916)
  • Iára (1917)
  • Amazonas, ballet &  poema sinfônico (1917)
  • Uirapuru, ballet & poema sinfônico (1917)
  • Dança Frenética (1918)
  • Dança dos Mosquitos (1922)
  • Francette et Piá (1928, orch. 1958)
  • Rudepoema (1926, orch. 1932)
  • O Papagaio do moleque, um episódio sinfônico(1932)
  • Caixinha de Boas Festas, poema sinfônico & ballet (1932)
  • Evolução dos Aeroplanos (1932)
  • Dança da Terra, ballet (1939)
  • Mandu-Çarará, cantata secular /  ballet infantil para coro misto, coro infantil e orquestra (1940)
  • Suíte Saudade da Juventude No 1 (1940)
  • Madona, poema sinfônico (1945)
  • Sinfonietta não 2 (1947)
  • Erosão (Erosão), poema sinfônico (1950)
  • Rudá, poema sinfônico & ballet (1951)
  • Ouverture de L'Homme Tel (1952)
  • Alvorada na Floresta Tropical, ouverture (1953)
  • A Odisseia de uma raça, poema sinfônico (1953)
  • Gênesis, poema sinfônico & ballet (1954)
  • O imperador Jones, um ballet (1956)
  • Fantasia em Três Movimentos (em forma de choros) para a banda do vento (1958)
  • Suite não 1 para orquestra de câmara (1959)
  • Suite não 2 para orquestra de câmara (1959)

Música de câmara[editar | editar código-fonte]

A música de câmara é apresentada e descrita nos livros Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992. (Informações sobre os dois Sextetos místicos em Peppercorn 1991b, 38–39)

  • Sonate-fantaisie no 1 para violino e piano, Desesperança  (1913)
  • Sonate-fantaisie no 2 para violino e piano (1914)
  • Sonata para violino e piano nº 3 (1920)
  • Sonata para violino e piano nº 4 (1923)
  • Trio para piano e cordas no 1 (1911)
  • Trio para piano e cordas no 2 (1915)
  • Trio para piano e cordas no 3 (1918)
  • Sexteto místico, para flauta, oboé, saxofone, harpa, celesta e guitarra (1917, inacabado ou perdido)
  • Sexteto místico, para flauta, oboé, saxofone, harpa, celesta e guitarra (ca. 1955,  substituição)
  • Quarteto simbólico (Impressões da vida mundana), para flauta, saxofone alto, harpa, celesta e vozes femininas (1921)
  • Trio para oboé, clarinete e fagote (1921)
  • Nonetto, Impressão rápida de todo o Brasil  (1923)
  • Quinteto em forma de choros para flauta, oboé, clarinete, trompa inglesa ou trompa e fagote (1928)
  • Quatuor, para flauta, oboé, clarinete e fagote (1928)
  • O assobio a Jato para flauta e violoncelo (1930)
  • Distribuição de Flores para flauta e violão (1937)
  • Trio para violino, viola e violoncelo (1945)
  • Divagacão para violoncelo, piano e baixo tambor (adlib.) (1946)
  • Duo para violino e viola (1946)
  • Fantaisie concertante para piano, clarinete e fagote (1953)
  • Duo para oboé e fagote (1957)
  • Quinteto Instrumental para flauta, violino, viola, violoncelo e harpa (1957)
  • Fantasia Concertante para 16 ou 32 violoncelos (1958)
  • Chôros Nºs 2,3,4,7 e Bachianas Brasileiras Nºs 1 e 6 são também música de câmara 

Quarteto de cordas[editar | editar código-fonte]

Os quartetos de cordas são listados e descritos em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992. Informações sobre as duas versões do Quarteto Nº 1 em Peppercorn 1991b, 32.

  • Suíte graciosa (5 de Março de 1915)
    • Andante
    • Allegretto
    • Grega Cançonette
  • Quarteto de cordas Nº 1, revista da Suíte graciosa(1946)
    • Cantilena
    • Brincadeira
    • Canto lírico
    • Cançoneta
    • Melancolia
    • Saltando como um Saci
  • Quarteto De Cordas Nº 2 (1915)
  • Quarteto De Cordas Nº 3 (1917)
  • Quarteto De Cordas Nº 4 (1917)
  • Quarteto De Cordas Nº 5 (1931)
  • Quarteto De Cordas Nº 6 (1938)
  • Quarteto De Cordas Nº 7 (1942)
  • Quarteto De Cordas Nº 8 (1944)
  • Quarteto De Cordas Nº 9 , (1945)
  • Quarteto De Cordas Nº 10 , (1946)
  • Quarteto De Cordas No. 11 (1948)
  • Quarteto De Cordas Nº 12 (1950)
  • Quarteto De Cordas Nº 13 (1951)
  • Quarteto De Cordas Nº 14 (1953)
  • Quarteto De Cordas Nº 15 (1954)
  • Quarteto De Cordas No. 16 (1955)
  • Quarteto De Cordas No. 17 (1957)
  • Villa Lobos deixou esboços para um quarteto de cordas que seria o decimo oitavo.

Óperas[editar | editar código-fonte]

As óperas são listadas e descritas em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Aglaia (1909) incorporada a  Izaht
  • Elisa (1910)
  • Comédia lírica em 3 atos (1911)
  • Izaht (1914)
  • Jesus (1918)
  • Malazarte (1921)
  • Magdalena, opereta (1947)
  • Yerma (1955)
  • A Menina nas nuvens, opereta (1957-58)

Balés[editar | editar código-fonte]

  • ver: outras obras orquestrais

Música para filmes[editar | editar código-fonte]

A música para filmes é apresentada e descrita em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Descobrimento do Brasil  (1938)
  • Green Mansions (1959) (adaptada como o concerto  Floresta do Amazonas)

Obras para violão solo[editar | editar código-fonte]

A música para violão está listada e descrita em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992. Informações sobre o recém-descoberto, mas de 1928, Valsa-choro se encontram em  https://web.archive.org/web/20070218094019/http://durand-salabert-eschig.com:80/actualite.html, (acessado em 4 de dezembro de 2006).

  • Panqueca (1900)
  • Mazurka em ré maior (1901)
  • Valsa brilhante (1904), originalmente intitulada Valsa concerto no. 2
  • Fantasia (1909)
  • Canção brasileira (1910)
  • Quadrilha (1910)
  • Tarantela (1910)
  • Simples, Mazurka (1910)
  • Dobrados (1909-1912)
  • Choro não. 1, "Choro típico" (1920)
  • Suíte popular brasileira (1928, rev. 1947-48)
  1. Mazurka-Choro
  2. Schottish-Choro
  3. Valsa-Choro
  4. Gavotta-Choro
  5. Chorinho
  • Valsa-choro (ca. 1928),  o original rejeitado da Suíte popular, foi substituído por uma nova "Valsa-choro" na revisão de 1947-48
  • Douze études (1929; rev. 1948/53)
  1. Etude No. 1 em mi menor: Allegro non troppo
  2. Etude No. 2 em lá maior: Allegro
  3. Etude N.º 3 em ré maior: Allegro moderato
  4. Etude Nº 4 em sol maior: Un peu modéré—Grandioso
  5. Etude Nº 5 em dó maior: Andantino—Poco meno
  6. Etude No. 6 em mi menor: Poco Allegro
  7. Etude Nº 7, em mi maior: Tres animei—Moins
  8. Etude Nº 8 em dó sustenido menor: Modéré
  9. Etude No. 9 em fá sustenido menor: Tres peu animei
  10. Etude Nº 10 em B menor: Tres animei—Un peu animei—Vif
  11. Etude No. 11, em mi menor: Quaresma—Poco meno—Animei
  12. Etude N.º 12 em Um menor: Animei—Più mosso—um tempo primo—Un peu plus animei
  • Valsa sentimental (1936)
  • Cinco Prelúdios (1940)
  1. Prelúdio Nº 1 em mi menor: Andantino espressivo Più mosso
  2. Prelúdio Nº 2 em mi maior: Andantino—Più mosso
  3. Prelúdio Nº 3 em lá menor: Andante—Molto adagio e dolorido
  4. Prelúdio Nº 4 em mi menor: Lento—Animado—Moderato
  5. Prelúdio Nº 5 em ré maior: Poco animado—Meno—Più mosso
  6. Prelúdio Nº 6 (Perdido)

Música para piano solo[editar | editar código-fonte]

As músicas para o piano são listadas e descritas em Villa-Lobos, sua obra 1974, Appleby 1988, Peppercorn 1991a, Tarasti 1995, e Wright 1992.

  • Celestial, valsa (1904)
  • Tristorosa, valsa (1910)
  • Ibericarabe (1914)
  • Ondulando (1914)
  • Danças Características Africanas (1915)
  • Suíte Floral (1918)
  • Histórias da Carochinha (1919)
  • A Lenda do Caboclo (1920)
  • Carnaval das crianças (1920)
  • A Prole do Bebê, first series (1920)
    • Branquinha (A Boneca de Louça) 
    • Moreninha (A Boneca de Massa) 
    • Caboclinha (A Boneca de Barro)
    • Mulatinha (A Boneca de Borracha) 
    • Negrinha (A Boneca de Pau) 
    • A Pobrezinha (A Boneca de Trapo)  
    • O Polichinelo 
    • A Bruxa (A Boneca de Pano) 
  • A Prole do Bebê, second series (1921)
    • A Baratinha de Papel 
    • O Gatinho de Papelão 
    • O Camundongo de Massa 
    • O Cachorrinho de Borracha 
    • O Cavalinho de Pau 
    • O Boizinho de Chumbo 
    • O Passarinho de Pano 
    • O Ursinho de Algodão 
    • O Lobinho de Vidro 
  • A Prole do Bebê, third series (1926) now lost
  • A Fiandeira (1921)
  • Rudepoêma (1921–26)
  • Simples coletânea, W134 (1922)
  • Sul America (1925)
  • Cirandinhas (1925)
    • Zangou-se o Cravo com a Rosa
    • Adeus, Bela Morena
    • Vamos, Maninha
    • Olha Aquela Menina
    • Senhora Pastora
    • Cai, Cai, Balão
    • Todo Mundo Passa
    • Vamos Ver a Mulatinha
    • Carneirinho, Carneirão
    • A Canoa Virou
    • Nesta Rua tem um Bosque
    • Lindos Olhos Que Ela Tem
  • Cirandas (1926)
    • Terezinha de Jesus
    • A Condessa 
    • Senhora Dona Sancha
    • O Cravo Brigou com a Rosa 
    • Pobre Cega 
    • Passa, Passa Gavião 
    • Xô, Xô, Passarinho 
    • Vamos Atrás de Serra, Calunga 
    • Fui no Tororó 
    • O Pintor de Cannahy 
    • Nesta Rua, Nesta Rua
    • Olha o Passarinho, Dominé 
    • À Procura de uma Agulha 
    • A Canoa Virou 
    • Que Lindos Olhos! 
    • Có, Có, Có 
  • Saudades das selvas brasileiras (1927)
  • Bachianas brasileiras no. 4 (1930–41)
    • Preludio – (Introdução) (1941)
    • Coral – (Canto do Sertão)  (1941)
    • Aria – (Cantiga)  (1935)
    • Dansa – (Miudinho)  (1930)
  • Caixinha de Música Quebrada (1931) – Little Broken Music Box
  • Francette et Pià (1932)
  • Valsa da dor (1932)
  • Guia Prático (1932–49)
  • Ciclo brasileiro (1936–37)
    • Plantio do Caboclo 
    • Impressões Seresteiras 
    • Festa no Sertão 
    • Dança do Índio Branco 
  • As Três Marias (1939)
  • New York Sky-Line Melody (1939)
  • Poema Singelo (1942)
  • Homenagem a Chopin (1949)
    • Nocturne
    • Ballade

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Appleby, David P. 1988. Appleby, David P. 1988. Heitor Villa-Lobos: A Bio-Bibliography New York: Greenwood Press. ISBN 0-313-25346-3.
  • Pimenta, Lisa M. 1991a. Peppercorn, Lisa M. 1991a. Villa-Lobos, the Music: An Analysis of His Style Translated by Stefan De Haan. London: Kahn & Averill; White Plains, NY: Pro/AM Music Resources. ISBN 1-871082-15-3.
  • Pimenta, Lisa M. 1991b. Peppercorn, Lisa M. 1991b. "Villa-Lobos ‘ben trovato’." Tempo: A Quarterly Review of Modern Music, no. 177 (June): 32–39.
  • Tarasti, Eero. 1995. Tarasti, Eero. 1995. Heitor Villa-Lobos: The Life and Works. Jefferson, North Carolina: McFarland. ISBN 0-7864-0013-7.
  • Villa-Lobos, sua obra: Programa de Ação Cultural, 1972. 1974. Villa-Lobos, sua obra: Programa de Ação Cultural, 1972. 1974. Second edition. Rio de Janeiro: MEC, DAC, Museu Villa-Lobos.
  • Wright, Simon. 1992. Wright, Simon. 1992. Villa-Lobos. Oxford and New York: Oxford University Press. ISBN 0-19-315475-7.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]