Lista de artistas influenciados por Christina Aguilera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Referida como um ícone popular, Aguilera foi apontada como influência para diversos artistas ao longo dos anos.

Christina Aguilera é uma cantora, compositora, produtora e atriz norte-americana. Iniciou sua carreira quando ainda era criança, participando de diversos programas na televisão nacional durante a década de 1990, incluindo o The Mickey Mouse Club;[1][2] em 1999, fez sua transição para a música popular com a disponibilização de seu álbum de estreia, responsável por catapultar seu nome ao sucesso internacional.[3] Referida como um "completo fenômeno popular",[4] Aguilera é considerada uma figura icônica reconhecida por suas contribuições dentro da música,[5] moda,[6][7] dança,[8] televisão[9] e dos videoclipes.[10] Seus trabalhos são citados como inspiração para diversos artistas ao redor do mundo que surgiram depois dela,[11] pelos quais também é mencionada por ajudar a moldar o atual cenário da música popular.[12][13]

Reconhecida como uma recordista de vendas no mundo, distribuiu cerca de 75 milhões de unidades com seus trabalhos,[14][15] convertendo-se em uma das artistas mais bem-sucedidas da década de 2000.[16] Ao longo de sua carreira, foi reconhecida como uma das melhores cantoras de todos os tempos,[17][18] bem como uma das maiores artistas de origem latina da história.[19][20] Diversos críticos concordam que sua imagem pública e a abordagem de temas como o feminismo, o autoempoderamento, a violência doméstica e a sexualidade em suas obras a estabeleceram como um ícone popular;[6][21] o jornal The New York Times opinou que "Aguilera será lembrada para sempre por seu estilo, sua escandalosa imagem na música popular feminina e sua voz da terra dos gigantes".[9] Sua influência na indústria fonográfica lhe rendeu vários títulos honoríficos, incluindo "Princesa do Pop",[22][23] "Voz da Geração"[24][25] e "Rainha da Reinvenção".[26][27]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Christina Aguilera#Influências
Aguilera citou Whitney Houston (esquerda) e Etta James (direita) como algumas de suas principais influências.

Durante uma entrevista para o Jam!, Aguilera afirmou que se inspira por "artistas femininas positivas que não possuem medo de tomarem riscos e serem ousadas [...] mulheres que dominam a si mesmas".[28] Entre as artistas que citou como inspiração estão Etta James,[29] Whitney Houston,[30] Mariah Carey,[31] Cher,[32] Madonna e Janet Jackson.[28] Além disso, credita o musical The Sound of Music (1959) e sua atriz principal, Julie Andrews, como sua primeira referência para cantar e se apresentar.[33] Para seus trabalhos, ela se influencia por temas como o autoestima,[4] violência doméstica,[34] empoderamento feminino,[11] igualdade de gênero,[35] entre outros.[36]

Durante entrevista para a Billboard, a cantora declarou sentir um "senso de responsabilidade" em fazer alusões à algumas partes de sua vida pessoal em seus projetos para que as pessoas "possam se identificar e não se sintam sozinhas em determinadas circunstâncias".[37] Apesar dos elogios, seus trabalhos provocaram também controvérsia, pela qual ela explicou para a Blender: "Gosto de chocar — acho inspirador. Adoro brincar e experimentar. Quando você é ousado, artisticamente falando, na música e nos vídeos, muitas pessoas automaticamente se sentem ameaçadas por você [...] mas essas são medidas adotadas por verdadeiros artistas".[38] Em relação aos seus visuais, Aguilera comentou que toma como inspiração estrelas de cinema da Velha Hollywood, incluindo Marilyn Monroe, Mary Pickford, Marlene Dietrich, Carole Lombard e Greta Garbo.[39][40]

Contexto e análise[editar | editar código-fonte]

Críticos perceberam a importância de Aguilera para o atual cenário da música popular, bem como no surgimento de novos artistas.

Ao longo de sua carreira, Aguilera foi reconhecida uma das artistas mais importantes da década de 2000,[41][42] bem como uma das maiores à alcançar o mercado fonográfico.[43][5] Além disso, é apontada como influência para diversas novas figuras da indústria do entretenimento; Nick Levine, autor da revista Vice, reportou que "Aguilera é uma das estrelas da música popular mais icônicas de sua geração, uma artista que já foi clamada como influência para Ariana Grande, Lady Gaga, Selena Gomez, Tinashe, Sam Smith e Demi Lovato".[4] Reverenciada por suas contribuições para a música, diversos autores observaram como ela ajudou a moldar o atual cenário musical, dando destaque, entre outras coisas, aos seus trabalhos que atuavam em favor de uma conversa avançada sobre feminismo e sexualidade.[14]

Tony Clayton-Lea, jornalista do The Irish Times, elogiou a intérprete em abordar tais assuntos ao longo de sua vida artística, observando que "desde então, outras estrelas da música popular feminina influenciadas por ela têm assumido funções semelhantes; Lady Gaga, Katy Perry e Ariana Grande — para citar apenas três — em várias ocasiões durante suas carreiras, pegaram carona nesta postura pioneira da artista".[14] Da mesma forma, Jeff Benjamin, colunista da Billboard, enfatizou principalmente seu trabalho em Stripped (2002) como o responsável pelo fenômeno, notando que "depois que o mundo acordou para os lados multifacetados de Aguilera, ficou claro como as maiores estrelas da música popular da atualidade seguiram em um caminho semelhante [ao dela], explorando e incorporando as mesmas estratégias em suas carreiras [...] As estrelas da música se tornaram cada vez mais conscientes do poder que a sexualidade traz aos olhos do público".[12] Benjamin opina que a cantora construiu tal ensinamento seguindo os passos de Donna Summer, Madonna e Cher.[12] Em 15 de junho de 2018, Eddie Fu desenvolveu um artigo para o Genius sobre como a evolução de Aguilera abriu caminho para uma geração de cantores da música popular.[13]

"Com Stripped, Christina redefiniu o [conceito] de artista feminina da música popular no século XXI. O álbum matou a ideia de "castidade" obrigatória que havia dominado as cantoras em todos esses anos [...] Depois dele, artistas como Britney Spears e Beyoncé ficaram mais à vontade em expressarem suas sexualidades e já não sentiam a necessidade de vender uma imagem inocente."

—Terry Young, Jr. do The Hampton Institute.[44]

Escrevendo para o Los Angeles Times, Gerrick D. Kennedy, reconheceu: "Para uma geração que atingiu a puberdade durante a explosão da cultura popular da década de 2000, Aguilera era uma voz essencial que abordava o autoempoderamento, o feminismo, o sexo e a violência doméstica — assuntos que seus contemporâneos estavam se esquivando".[21] Kennedy afirma que graças à essa postura, Aguilera passou a servir de "modelo para jovens artistas que alcançaram a maioridade à frente do público e procuram abandonar suas imagens manufaturada".[21] Richard S. He, editor da Billboard, compartilha da mesma opinião, destacando sua influência em novos nomes do entretenimento: "Muitos de seus fãs eram apenas crianças durante a era do Total Request Live, alguns dos quais se tornaram as estrelas da música popular atual. [Christina] é citada como a inspiração de Camila Cabello, Sam Smith, Alessia Cara, Jessie J, Meghan Trainor e Demi Lovato [...] Entendemos assim que ícones da nossa juventude influenciaram nossa visão sobre música, feminismo e sexualidade".[41]

Lamar Dawson, colunista do The Huffington Post, escreveu que "embora Christina não seja a primeira estrela da música popular a colocar a retórica feminista em seus trabalhos, ela liderou como uma influência do século XXI na então próxima geração de adolescentes que eram muito jovens para o currículo de Janet [Jackson] e Madonna".[45] Além disso, sua imagem e suas contribuições para a moda fazem parte de seu legado na indústria;[46][7] Adam White, jornalista do The Daily Telegraph, a considera como "um dos poucos ícones populares do século XXI a rivalizar com Madonna quando o assunto se trata em transformar repetidamente sua imagem e inspiração artística a cada novo projeto".[6] Seus visuais durante os vídeos musicais de "Lady Marmalade" e "Dirrty" foram objeto de análise da mídia internacional ao passo em que são frequentemente emulados por outros artistas e pelo próprio público.[47][48][49] White opina que a direção visual adotada por Miley Cyrus para a promoção de seu disco Bangerz (2013) a aproximava como a "sucessora cultural" mais óbvia de Aguilera.[6] No entanto, Katie Steen do The Michigan Daily menciona mais precisamente Katy Perry e Nicki Minaj como as "novas versões" da cantora, pois "elas são criticadas por seus [visuais] extravagantes ou vulgares, mas também são elogiadas pelas massas apesar — e também por causa — de suas imagens".[5]

Seu impacto na indústria do entretenimento fez com que fosse ocasionalmente referida como uma "herdeira aparente" de Madonna;[50][51] em 2011, o periódico Rolling Stone desenvolveu um artigo citando-a como uma das possíveis sucessoras ao título de "Rainha do Pop".[52] Paul Telegdy, presidente da NBC Entertainment, reconheceu que "a jornada de Christina — que se iniciou ainda na infância — é inspiração para novos talentos", o motivo pelo qual a escolheu para atuar como uma das mentoras do programa de competição musical The Voice.[53] Além disso, Mark Burnett, responsável pelo departamento televisivo da Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), se referiu a ela como "uma força inegável no mercado da música".[53] Enquanto desenvolvia uma matéria para a revista Time, a vocalista Céline Dion opinou que "sem dúvidas, Aguilera é uma das maiores artistas que o mundo já viu e ouviu [...] que continuará nos surpreendendo por muitos anos".[54]

Legado[editar | editar código-fonte]

Atenção da mídia[editar | editar código-fonte]

Wanessa Camargo (imagem) foi referida como a "Christina Aguilera Brasileira" no início de sua carreira.

No final da década de 1990, o sucesso comercial dos primeiros trabalhos de Aguilera a colocou ao lado de artistas como Ricky Martin, Enrique Iglesias e Jennifer Lopez, creditados como os responsáveis por expandirem a música popular interpretada por artistas de origem latina nos Estados Unidos.[55] Agustin Gurza, editor do Los Angeles Times, se referiu à esse evento como "Explosão Latina", um "fenômeno da cultura popular que prometia mudar a face da América [...] nunca antes tantos artistas latinos passaram tanto tempo no topo das paradas".[56] Além disso, ela se tornou a primeira mulher norte-americana vencedora de um Grammy Latino, uma decorrência de quando seu primeiro disco em espanhol, Mi Reflejo (2000), foi honrado com o prêmio de Melhor Álbum Vocal de Pop Feminino durante a segunda edição da cerimônia.[57][58]

Em início de carreira, Aguilera foi considerada um ídolo entre os jovens;[59][60] em um artigo para a Vice, Wanna Thompson relembrou que "Christina Aguilera e Britney Spears dominavam as principais discussões relacionadas à música popular no final dos anos 1990s [...] suas músicas e visuais perfeitamente embalados atraíam pré-adolescentes e adolescentes que queriam ser como as bonitas estrelas que estavam por toda parte no topo das paradas musicais".[61] Esse efeito fez com que gravadoras investissem em intérpretes que atraíssem o mesmo apelo juvenil; Jessica Simpson e Mandy Moore foram alguns dos nomes catapultados durante esse período.[62][63] No Brasil, esse fenômeno também se mostrou presente; Wanessa Camargo foi comercializada com uma sonoridade semelhante à da cantora,[64] pela qual, inclusive, passou a ser referida na mídia como a "Christina Aguilera Brasileira".[65] Mais tarde, Kelly Key apareceu com a mesma inspiração; em 2014, ela afirmou ter sido procurada por um produtor musical que havia lhe oferecido uma proposta para ser uma cantora de música popular nos moldes de Aguilera e Spears.[66]

Além disso, "cantar como Christina Aguilera" passou a ser usado dentro da mídia para se referirem à artistas com elevada habilidade vocal;[67] JoJo e Natalie Horler foram alguns dos nomes mencionados com esse termo.[68][69] De forma parecida, Jeff Buckley foi chamado de "Christina Aguilera" do rock alternativo, em decorrência de sua "abençoada voz fabulosamente versátil [...] entregando frases delicadas com grande quantidade de melisma".[70] Ser reconhecida por sua extensão vocal também contribuiu para que a intérprete servisse de inspiração à novos talentos na televisão; durante uma entrevista ao NME, Dave Grohl, vocalista da banda Foo Fighters, foi crítico ao observar que programas de competição musical, tais como American Idol e The Voice, padronizavam e preparavam iniciantes para cantarem como Aguilera.[71]

Impacto[editar | editar código-fonte]

"Ser grande na música popular não é necessariamente uma façanha impressionante, mas permanecer grande exige talento, carisma, controle e mais do que sorte. Não é nada menos do que impressionante que a onda de artistas de bubblegum pop que dominaram as estações de rádio na virada do século ainda sejam relevantes [...] Christina Aguilera, Britney Spears e Justin Timberlake são alguns dos ícones mais respeitados da cena musical".

—Artigo desenvolvido pela MTV em 24 de fevereiro de 2010.[72]

Geralmente referida como a "Princesa do Pop" ou "Voz da Geração", o impacto de Aguilera na indústria do entretenimento têm sido objeto de análise por diversos veículos.[22][73][74] Em 2004, foi citada como uma das artistas de maior influência dentro do mercado da música, através de uma lista organizada pelo jornal The Independent;[75] da mesma forma, pelo canal VH1, foi escolhida como a oitava mulher mais importante da indústria.[76] Além disso, em reconhecimento ao seu "talento puro, influência diversa e imensa criatividade", ela foi nomeada como a maior artista de origem latina de todos os tempos pela revista Latina.[19] Em decorrência de sua habilidade vocal, foi apontada por diversas publicações como uma das maiores cantoras da história.[41][17][77]

A importância de seus trabalhos dentro da indústria fonográfica também recebeu destaque; em 2007, cumprindo os critérios estabelecidos através da National Association of Recording Merchandisers (NARM), seu projeto de estreia (1999) foi escolhido para ocupar lugar entre os 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame, uma lista destinada para a "celebração da arte em forma de disco [...] reconhecendo os mais populares e influentes trabalhos divulgados na história da música contemporânea".[78] Além disso, seus projetos seguintes, Stripped (2002) e Back to Basics (2006), foram reconhecidos como um dos melhores publicados ao longo da década de 2000, conforme apresentado em artigos desenvolvidos pela Rolling Stone e Entertainment Weekly.[79][80] De maneira semelhante, "Genie in a Bottle" e "Beautiful" foram referidas como algumas das melhores canções lançadas durante a década de 1990 e 2000, respectivamente.[81][82]

Em decorrência da influência exercida na cultura popular por sua videografia, Aguilera foi nomeada uma das mulheres mais importantes da era dos videoclipes através do VH1.[10] A obra criada para "Dirrty" têm sido referida como "um dos vídeos mais controversos na narrativa da música popular".[83] Bianca Gracie, editora da Billboard, reconhece que videoclipe "quase duas décadas depois [...] inspira cantoras mais jovens — de Demi Lovato à Miley Cyrus — a assumirem o controle de suas imagens e sexualidades".[83] Escrevendo para a mesma publicação, Richard S. He elogiou seu trabalho no vídeo musical para "Beautiful", opinando que "mostrar uma gama de diversidade de pessoas lutando contra a discriminação, autoimagem e identidade de gênero e sexual era ousado para 2002, mas não menos potente para os dias de hoje".[41] Em 2012, sua coleção videográfica, bem como os visuais usados ao longo da carreira, fizeram parte de uma exposição do Museu Nacional das Mulheres nas Artes destinada à "ilustrar os papéis essenciais que as mulheres exerceram no avanço da cultura americana".[84][85] Além disso, Aguilera têm sido referida como a percursora do estilo de dança slutdrop presente, mais tarde, em trabalhos de Beyoncé e Miley Cyrus.[8][86] Posteriormente, a dança serviu de inspiração para a criação do twerk.[83]

Influenciados[editar | editar código-fonte]

Aguilera foi referida como uma das maiores inspirações de Ariana Grande (imagem).
Camila Cabello (imagem) se inspirou em Aguilera enquanto iniciava sua carreira como artista solista.
Aguilera foi mencionada por Demi Lovato (imagem) como sua principal influência.
Selena Gomez (imagem) expressou como Aguilera serviu de referência para seus trabalhos na música popular.

Resposta dos artistas[editar | editar código-fonte]

  • Em 2019, durante uma entrevista para a Marie Claire, Bebe Rexha creditou Aguilera como uma de suas principais influências quando questionada, explicando que "gosta de mulheres fortes e poderoas que têm algo a dizer e não possuem arrependimentos".[113]
  • Bobby Abley, estilista britânico, declarou que Christina é um de seus maiores "ídolos".[226] Além de ter desenvolvido roupas em referência aos trabalhos da artista,[227] ele expôs que o videoclipe, bem como a mensagem transmitida no tema "Beautiful" (2002) o "atingiu com tanta força" que lhe "confortou a seguir avançando".[116]
Dua Lipa (imagem) reconheceu que Aguilera era a cantora em quem se espelhava para a carreira artística.
  • Considerando Aguilera como uma de suas maiores influências desde a infância,[228] Demi Lovato afirmou que ela serviu de inspiração para seus trabalhos.[132] Em 2018, seguida por sua colaboração com a intérprete, ela comemorou que "sonhos realmente se realizam".[229]
  • Dua Lipa explicou sua admiração por Aguilera ao ser entrevistada pelo jornal De Volkskrant em 2017: "Eu realmente gosto de tudo nela. Suas apresentações, suas transformações, a forma como ela sempre se reinventa, mas especialmente sua voz. Eu sabia que todas as cantoras não seriam nada se tirassem todo o brilho de suas produções, mas não com Aguilera. Quando ela se despisse de todo o brilho e maquiagem, sua voz continuaria ali. Ela era a cantora em quem eu me espelhava".[137]
  • Em 2016, o artista brasileiro Jão apontou a vocalista como uma de suas influências: "Ela [é] uma mulher que não teve uma trajetória fácil e, ainda assim, foi atrás de seus sonhos [...] Ela luta pelas causas que acredita dentro e fora dos palcos".[152]
  • Durante o programa Watch What Happens Live with Andy Cohen, Lady Gaga descreveu a importância de Aguilera para sua habilidade vocal: "Quando eu tinha 15 anos, eu cantava 'I Turn to You' (1999) com todas as forças dos meus pulmões tentando atingir todas suas notas altas, então ela foi uma inspiração para que eu tivesse uma alcance vocal mais amplo".[230]
  • Lauren Jauregui, durante entrevista para a People, ilustrou a influência da cantora no desenvolvimento de seus trabalhos: "É uma artista que fala a verdade através de sua música e [realmente] dá a sua alma".[171]
  • Pixie Lott confessou ao The Guardian sobre as comparações que recebia na mídia: "Tenho sido comparada com diversas intérpretes femininas [..] algumas eu nem entendo [mas] adoro ser comparada à Aguilera, porque ela é meu ídolo".[196]
  • Em 2019, através de sua página oficial no Twitter, Rosalía expressou sua admiração pela vocalista, incluindo-a entre as principais mulheres que lhe exerceram influência na carreira artística.[202]
  • Tinashe relembrou que Aguilera foi a primeira artista que se tornou fã sem a influência dos pais; ao ser perguntada pelo The Fader, ela comentou: "[Aguilera] foi o primeiro concerto que eu presenciei e, vocalmente, ela se tornou uma grande influência para mim".[216]
  • Wanessa Camargo, chamada no início de sua carreira como a "Christina Aguilera Brasileira" através da mídia,[65] reconheceu o impacto da cantora em seus trabalhos.[220] Além disso, durante conversa com a Rolling Stone Brasil, expressou sua admiração por ela: "Sou fã, não sei como aquele vozeirão sai daquela mulher tão pequena".[65]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lynn Hirschberg (1 de julho de 2011). «From the Vaults: The Fall & Rise of Christina Aguilera» (em inglês). W. Consultado em 7 de julho de 2020 
  2. Richard Harrington (12 de fevereiro de 2000). «Christina Aguilera's Fast Track» (em inglês). The Washington Post. Consultado em 7 de julho de 2020 
  3. BBC Staff (11 de outubro de 1999). «Christina's Mouse Magic» (em inglês). BBC News. Consultado em 7 de julho de 2020 
  4. a b c Nick Levine (2 de agosto de 2019). «We're Long Overdue for a Christina Aguilera Comeback» (em inglês). Vice. Consultado em 1 de julho de 2020 
  5. a b c Michigan Daily Staff (25 de janeiro de 2012). «Step Into the Salon: Christina Aguilera's Controversial Pop Legend Status» (em inglês). The Michigan Daily. Consultado em 1 de julho de 2020 
  6. a b c d Adam White (9 de novembro de 2019). «Get a Little Naughty: How Christina Aguilera Turned Pop Dirrty» (em inglês). The Daily Telegraph. Consultado em 1 de julho de 2020 
  7. a b Sarah Toscano (14 de outubro de 2019). «10 of Christina Aguilera's Most Iconic Outfits» (em inglês). Elite Daily. Consultado em 1 de julho de 2020 
  8. a b Sophie Wilkinson (1 de dezembro de 2012). «Slutdropping: The Dancefloor Move That's Bringing Women Together» (em inglês). The Guardian. Consultado em 1 de julho de 2020 
  9. a b Jon Caramanica (17 de setembro de 2012). «How Christina Aguilera Changed Judging of Reality TV Music» (em inglês). The New York Times. Consultado em 7 de julho de 2020 
  10. a b VH1 Staff (16 de maio de 2003). «50 Greatest Women of the Video Era» (em inglês). VH1. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 4 de novembro de 2012 
  11. a b c d e Eric Solomon (30 de julho de 2018). «Is There Life Beyond the Pop Lifecycle for Christina Aguilera?» (em inglês). PopMatters. Consultado em 13 de junho de 2020 
  12. a b c d e Jeff Benjamin (29 de outubro de 2017). «How Christina Aguilera's 'Stripped' Album Is Influencing the Pop Scene 15 Years Later» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de julho de 2020 
  13. a b Eddie Fu (15 de junho de 2018). «How Christina Aguilera's Evolution Paved the Way for a Generation of Pop Singers» (em inglês). Genius. Consultado em 1 de julho de 2020 
  14. a b c Tony Clayton-Lea (3 de novembro de 2019). «Christina Aguilera at 3Arena, Dublin: Everything You Need to Know» (em inglês). The Irish Times. Consultado em 1 de julho de 2020 
  15. Muri Assunção (27 de junho de 2020). «Christina Aguilera's Name Was 'Too Ethnic' for Music Execs» (em inglês). New York Daily News. Consultado em 7 de julho de 2020 
  16. Billboard Staff (11 de dezembro de 2009). «Artists of the Decade» (em inglês). Billboard. Consultado em 7 de julho de 2020. Arquivado do original em 8 de junho de 2014 
  17. a b c d Rolling Stone Staff (3 de dezembro de 2010). «100 Greatest Singers of All Time» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 13 de junho de 2020 
  18. Joshua David Stein (16 de maio de 2010). «Christina Aguilera Reclaims the Fame» (em inglês). Out. Consultado em 7 de julho de 2020 
  19. a b Sugey Palomares (8 de fevereiro de 2013). «The 50 Best Latin Singers and Pop Stars of All Time» (em inglês). Latina. Consultado em 1 de julho de 2020 
  20. Darek Michael Wajda (23 de junho de 2013). «Latino Celebrities Sign Open Letter to Congress on Gun Violence» (em inglês). NBC News. Consultado em 7 de julho de 2020 
  21. a b c Gerrick D. Kennedy (2 de julho de 2018). «Q&A: After a Six-Year Hiatus, Christina Aguilera Finds Her 'Liberation'» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 1 de julho de 2020 
  22. a b Lola Ogunnaike (30 de julho de 2006). «Christina Aguilera, That Dirrty Girl, Cleans Up Real Nice» (em inglês). The New York Times. Consultado em 1 de julho de 2020 
  23. Gerrick D. Kennedy (23 de agosto de 2013). «MTV Video Music Awards: 30 Moments That Make It a Can't-Miss Event» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 7 de julho de 2020 
  24. Chuck Arnold (15 de junho de 2018). «Christina Aguilera Has Officially Made Her Comeback» (em inglês). New York Post. Consultado em 7 de julho de 2020 
  25. Geoff Herbert (1 de outubro de 2012). «Christina Aguilera Fights 'Fat Girl' Reports» (em inglês). The Post-Standard. Consultado em 7 de julho de 2020 
  26. Hazel Cills (4 de junho de 2013). «Christina Aguilera: The Style Evolution of a Diva» (em inglês). Vice. Consultado em 7 de julho de 2020 
  27. Emma Powell (3 de maio de 2018). «'Queen of Reivention': Christina Aguilera Drops New Single» (em inglês). Evening Standard. Consultado em 7 de julho de 2020 
  28. a b Stephanie McGrath (17 de maio de 2000). «The Christina Aguilera Interview» (em inglês). Jam!. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 11 de julho de 2012 
  29. Jennifer Vineyard (28 de junho de 2006). «Christina Aguilera Can Die Happy — She's Bonded With 'Bad Girl' Idol Etta James» (em inglês). MTV News. Consultado em 1 de julho de 2020 
  30. Alisa Valdes-Rodriguez (26 de julho de 1999). «Genie Behind 'Bottle'» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 1 de julho de 2020 
  31. Dominguez 2003, p. 19
  32. Krista Smith (24 de novembro de 2010). «Forever Cher» (em inglês). Vanity Fair. Consultado em 1 de julho de 2020 
  33. Craig Rosen (29 de setembro de 2000). «Christina Aguilera Climbs Every Mountain for 'My Kind of Christmas'» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 24 de maio de 2011 
  34. Claudia Harmata (9 de outubro de 2019). «Christina Aguilera Gets Award from Domestic Violence Shelter» (em inglês). People. Consultado em 1 de julho de 2020 
  35. Sophie Wilkinson (26 de outubro de 2017). «15 Years After Christina Aguilera's 'Stripped', We're Still Nowhere Near Gender Equality» (em inglês). Vice. Consultado em 1 de julho de 2020 
  36. Mesfin Fekadu (7 de junho de 2010). «Review: Aguilera Has An Identity Crises on New CD» (em inglês). The Boston Globe. Consultado em 1 de julho de 2020 
  37. David Greenwald (13 de agosto de 2006). «'Basic' Instinct» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de julho de 2020 
  38. Nick Duerden (15 de novembro de 2003). «The Good, the Bad and the Dirrty» (em inglês). Blender. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 7 de agosto de 2009 
  39. Corey Moss (29 de junho de 2006). «Christina Channels Marilyn Monroe For Intimate Album Cover» (em inglês). MTV News. Consultado em 1 de julho de 2020 
  40. Hello! Staff (20 de outubro de 2004). «Christina Turn Hollywood Pin-Up In Latest Shot» (em inglês). Hello!. Consultado em 1 de julho de 2020 
  41. a b c d Richard S. He (4 de maio de 2018). «Christina Aguilera: How She Found, Lost and Liberated Her Voice Again» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de julho de 2020 
  42. Jeremy Helligar (15 de junho de 2018). «Can Christina Aguilera Reclaim Her (Rightful) Place as Top Pop Star?» (em inglês). Variety. Consultado em 1 de julho de 2020 
  43. Dave Quinn (13 de setembro de 2018). «Christina Aguilera Open to Duet with Britney Spears» (em inglês). People. Consultado em 1 de julho de 2020 
  44. Terry Young, Jr. (22 de maio de 2014). «Revisiting "Stripped": How Christina Aguilera Challenged Notions of Feminism and Sexuality, and Spoke for the Youth of America» (em inglês). The Hampton Institute. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 28 de maio de 2014 
  45. Lamar Dawson (22 de outubro de 2017). «Christina Aguilera's 'Stripped' is 15 and Still Amazing» (em inglês). The Huffington Post. Consultado em 1 de julho de 2020 
  46. Jon Caramanica (17 de setembro de 2012). «How Christina Aguilera Changed Judging of Reality TV Music» (em inglês). The New York Times. Consultado em 1 de julho de 2020 
  47. Sarah Lindig (11 de dezembro de 2016). «Kylie Jenner Wears Xtina Outfit at Christina Aguilera's Birthday Party» (em inglês). Harper's Bazaar. Consultado em 1 de julho de 2020 
  48. Christopher Luu (20 de maio de 2020). «Kim Kardashian Just Brought Christina Aguilera's 'Dirrty' Look Into 2020» (em inglês). InStyle. Consultado em 1 de julho de 2020 
  49. Ali Drucker (24 de agosto de 2016). «I Dressed Christina Aguilera's Most Iconic and Insane Looks» (em inglês). Cosmopolitan. Consultado em 1 de julho de 2020 
  50. BBC Staff (30 de agosto de 2003). «Madonna Sigue en Boca de Todos...» (em espanhol). BBC News. Consultado em 1 de julho de 2020 
  51. Ana Belén García (14 de agosto de 2018). «Madonna, La Incombustible Reina del Pop» (em espanhol). Radiotelevisión Española. Consultado em 1 de julho de 2020 
  52. Chris Molanphy (29 de junho de 2011). «Introducing the Queen of Pop» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 1 de julho de 2020 
  53. a b Phil Gallo (2 de março de 2011). «Christina Aguilera To Be Judge on NBC's 'The Voice'» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de julho de 2020 
  54. Céline Dion (18 de abril de 2013). «TIME 100: The 100 Most Influential People in the World» (em inglês). Time. Consultado em 1 de julho de 2020 
  55. Jennifer Mota (14 de maio de 2019). «Remember the U.S. Latin Music Wave at the Turn of the Millennium?» (em inglês). People en Español. Consultado em 6 de julho de 2020 
  56. Agustin Gurza (15 de agosto de 2004). «1999 Was the Year of the Latin Explosion» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 6 de julho de 2020 
  57. Corey Moss (30 de outubro de 2001). «Latin Grammy Honor Christina's Spanish, Ricky's Moves» (em inglês). MTV News. Consultado em 6 de julho de 2020 
  58. Christina Saraceno (30 de outubro de 2001). «Christina Wins Latin Grammy» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 6 de julho de 2020 
  59. Jon Matsumoto (16 de dezembro de 2002). «Christina Aguilera: A Gifted Artist with an Independent Vision» (em inglês). Broadcast Music, Inc. Consultado em 6 de julho de 2020 
  60. Monica Eng (16 de janeiro de 2000). «Pop Idol's Store Visit Cut Short By Chaos» (em inglês). Chicago Tribune. Consultado em 6 de julho de 2020 
  61. Wanna Thompson (16 de novembro de 2018). «Gwen Stefani Should Have Been Canceled a Long Time Ago» (em inglês). Vice. Consultado em 6 de julho de 2020 
  62. Stephen Thomas Erlewine (9 de novembro de 1999). «AllMusic Review - Sweet Kisses» (em inglês). AllMusic. Consultado em 6 de julho de 2020 
  63. Stephen Thomas Erlewine (9 de maio de 2000). «AllMusic Review - I Wanna Be With You» (em inglês). AllMusic. Consultado em 6 de julho de 2020 
  64. Natália Andreotti (14 de janeiro de 2001). «Confira alguns lançamentos em CD». Folha de S. Paulo. Consultado em 6 de julho de 2020 
  65. a b c Ademir Correa (14 de janeiro de 2011). «'Você precisa estar preparado para não acontecer', diz Wanessa Camargo» (em inglês). Rolling Stone Brasil. Consultado em 25 de junho de 2020 
  66. Tabata Uchoa (22 de julho de 2014). «Kelly Key diz que guarda 'grandes segredos' do ex-marido Latino». O Dia. Consultado em 6 de julho de 2020 
  67. Warren & Lengel 2005, p. 112
  68. «Chris Brown: The Future of R&B». Vibe. 14 (7–12). Vibe Media Group. 1 de janeiro de 2006. p. 165 
  69. Kerri Mason (15 de agosto de 2009). «The Billboard Reviews» (em inglês). Billboard. Consultado em 6 de julho de 2020. Arquivado do original em 5 de novembro de 2009 
  70. Jude Rogers (2 de junho de 2007). «Jeff Buckley? No, Thank You» (em inglês). The Guardian. Consultado em 6 de julho de 2020 
  71. NME Staff (25 de março de 2013). «Dave Grohl: 'TV Talent Shows Make Everyone Sound Like Fucking Christina Aguilera'» (em inglês). NME. Consultado em 6 de julho de 2020 
  72. MTV Staff (24 de fevereiro de 2010). «Spotted: Backstreet Boys Prove They Have Soul in Seoul» (em inglês). MTV News. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 27 de fevereiro de 2010 
  73. Jillian Mapes (29 de março de 2011). «Billboard Bits: Christina Aguilera Congratulates Britney Spears, Snoop Dogg Working with Charlie Sheen» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de julho de 2020 
  74. Chuck Arnold (15 de junho de 2018). «Christina Aguilera Has Officially Made a Comeback» (em inglês). New York Post. Consultado em 1 de julho de 2020 
  75. Ciar Byrne (29 de junho de 2004). «The Music Industry's 100 Most Influential People» (em inglês). The Independent. Consultado em 1 de julho de 2020 
  76. VH1 Staff (13 de fevereiro de 2012). «The 100 Greatest Women In Music» (em inglês). VH1. Consultado em 1 de julho de 2020 
  77. MTV Staff (22 de janeiro de 2003). «22 Greatest Voices in Music» (em inglês). MTV. Consultado em 16 de maio de 2020. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2003 
  78. Andrew Moore (maio de 2007). «Definitive 200» (em inglês). Rock and Roll Hall of Fame. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 10 de maio de 2007 
  79. RS Staff (8 de dezembro de 2009). «The Decade-End Readers' Poll» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 1 de julho de 2020 
  80. Brian Hiatt (17 de junho de 2008). «The New Classics: Music» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2008 
  81. VH1 Staff (13 de dezembro de 2007). «Top 100 Songs of the '90s» (em inglês). VH1. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2012 
  82. RS Staff (17 de junho de 2011). «100 Best Songs of the 2000s» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 1 de julho de 2020 
  83. a b c Bianca Gracie (27 de julho de 2018). «Director David LaChapelle & Choreographer Jeri Slaughter on the Making of Christina Aguilera's 'Dirrty' Music Video» (em inglês). Billboard. Consultado em 4 de maio de 2020 
  84. Amy Mannarino (6 de agosto de 2012). «Women Who Rock: Vision, Passion, Power» (em inglês). Museu Nacional das Mulheres nas Artes. Consultado em 1 de julho de 2020 
  85. Elizabeth Olson (26 de outubro de 2012). «'Women Who Rock' Exhibit Traces Female Music Artists in America» (em inglês). The New York Times. Consultado em 1 de julho de 2020 
  86. Lucy Morris (28 de abril de 2017). «11 Moments from Christina Aguilera's Dirrty Video That Showed the MTV Age Was a Lawless Paradise» (em inglês). Grazia. Consultado em 1 de julho de 2020 
  87. Jocelyn Vena (9 de novembro de 2009). «Adam Lambert Says He's More Like Beyoncé Than Daughtry» (em inglês). MTV News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  88. Neil Z. Yeung (28 de julho de 2018). «About Agnez Mo» (em inglês). Apple Music. Consultado em 13 de junho de 2020 
  89. Thea Fathanah Arbar (1 de dezembro de 2019). «Transformas Agnez Mo: Penyanyi Cilik, Kini Go International» (em indonésio). CNBC. Consultado em 13 de junho de 2020 
  90. James Christopher Monger (13 de dezembro de 2019). «About Ailee» (em inglês). Apple Music. Consultado em 13 de junho de 2020 
  91. Jeff Benjamin (26 de julho de 2013). «Ailee Nabs First Solo No. 1 on K-Pop Hot 100» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  92. Kwele Serrell (12 de julho de 2016). «Take a Minute to Watch Alessia Cara's Video for 'Scars to Your Beautiful'» (em inglês). Vice. Consultado em 13 de junho de 2020 
  93. Tufayel Ahmed (10 de novembro de 2016). «A Conversation with Alessia Cara on Feminism, Donald Trump and Taylor Swift» (em inglês). Newsweek. Consultado em 13 de junho de 2020 
  94. Marie Claire Staff (26 de agosto de 2015). «Interview: Alexa Goddard» (em inglês). Marie Claire. Consultado em 13 de junho de 2020 
  95. Kim Messina (21 de julho de 2010). «Exclusive Q&A with Alexis Jordan» (em inglês). J-14. Consultado em 13 de junho de 2020. Arquivado do original em 1 de janeiro de 2011 
  96. Neha Gandhi (8 de julho de 2010). «Cute New Diva Alert: Alexis Jordan» (em inglês). Seventeen. Consultado em 13 de junho de 2020 
  97. MTV Staff (1 de agosto de 2019). «Get to Know: Alice Chater» (em inglês). MTV News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  98. Sam Damshenas (18 de janeiro de 2019). «Alice Chater Is the Triple-Threat Pop Star We Need in 2019» (em inglês). Gay Times. Consultado em 13 de junho de 2020 
  99. Rob Copsey (1 de novembro de 2016). «Fifth Harmony: 'We Don't Know What the Future Hold, But We're Excited'» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 13 de junho de 2020 
  100. Jenny Eliscu (10 de março de 2004). «Q&A: Amy Lee» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 13 de junho de 2020 
  101. Público Staff (14 de fevereiro de 2008). «La Cantante Angy Versiona Éxitos de Los 90 en Su Primer Álbum de Estudio» (em espanhol). Público. Consultado em 13 de junho de 2020 
  102. Folha Staff (5 de março de 2019). «Anitta faz homenagem a Christina Aguilera com nova fantasia temática para o Carnaval de BH». Folha de S. Paulo. Consultado em 13 de junho de 2020 
  103. Holly Byrnes (21 de julho de 2014). «Who Will Win The Voice Tonight? We've Quizzed the Finalists to Help You Make Up Your Mind» (em inglês). News Corp Australia. Consultado em 13 de junho de 2020 
  104. Paper Staff (2 de maio de 2017). «Singer Anne-Marie on Moving from Musical Theatre to Pop Music and Saying 'Boy Bye' in Song» (em inglês). Paper. Consultado em 13 de junho de 2020 
  105. Tainá Goulart (12 de julho de 2018). «Anne-Marie sonha em vir ao Brasil para cantar sobre empoderamento». Contigo!. Consultado em 13 de junho de 2020 
  106. João Gobern (29 de maio de 2016). «Ariana Grande: A menina que não quer crescer». Diário de Notícias. Consultado em 13 de junho de 2020 
  107. Associated Press (12 de março de 2008). «Her Name Is Ashley Alexandra Dupré, 22» (em inglês). NBC News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  108. Ian Urbina (13 de março de 2008). «Ashley Alexandra Dupré: Woman at the Center of Eliot Spitzer's Downfall» (em inglês). The New York Times. Consultado em 13 de junho de 2020 
  109. Heather Phares (3 de maio de 2019). «Ashley Tisdale - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  110. Nick Levine (22 de junho de 2009). «Ashley Tisdale: 'Guilty Pleasure'» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 13 de junho de 2020 
  111. Lucy Mapstone (11 de janeiro de 2019). «Ava Max: My Parents Left Albania in 1990 and Lived in a Church in Paris for a Whole Year» (em inglês). Belfast Telegraph. Consultado em 13 de junho de 2020 
  112. Joel Goldfine (27 de março de 2020). «Watch: Ava Max Premieres 'Kings & Queens' Video» (em inglês). Paper. Consultado em 13 de junho de 2020 
  113. a b Marie Claire Staff (4 de abril de 2019). «Bebe Rexha On Battling Anxiety and Her Biggest Pinch-Me Moment» (em inglês). Marie Claire. Consultado em 13 de junho de 2020 
  114. Jesus Trivino (20 de novembro de 2012). «Introducing Singer & Rapper Becky G» (em inglês). Latina. Consultado em 13 de junho de 2020 
  115. Dillon Cleary (1 de maio de 2015). «Kidsday Reporters Talk to Singer Becky G» (em inglês). Newsday. Consultado em 13 de junho de 2020 
  116. a b Dino Bonačić (1 de abril de 2018). «Bobby Abley». Gay Times. Londres, Inglaterra: Gay Times Ltd. Consultado em 13 de junho de 2020 
  117. Faima Bakar (6 de janeiro de 2019). «Pokemon Becomes High Fashion at London Fashion Week Men's Show» (em inglês). Metro. Consultado em 13 de junho de 2020 
  118. Keryce Chelsi Henry (1 de março de 2017). «Bridgit Mendler Is Taking Her Genre-Fluid Sound On the Road» (em inglês). Nylon. Consultado em 13 de junho de 2020 
  119. Kevin C. Johnson (8 de novembro de 2014). «Q&A: Area Teen Bryana Salaz Soars on 'The Voice'» (em inglês). St. Louis Post-Dispatch. Consultado em 13 de junho de 2020 
  120. Adriano Moreno (30 de maio de 2017). «Camila Cabello Se Inspira en Edurne y Christina Aguilera Para Su Debut en Solitario» (em espanhol). LOS40. Consultado em 13 de junho de 2020 
  121. Associated Press (22 de maio de 2013). «'American Idol' Winner Candice Glover Rolling Out Debut Album in July» (em inglês). The Post-Standard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  122. Mesfin Fekadu (22 de maio de 2013). «American Idol Winner Candice Glover to Release Debut Album July 16» (em inglês). Toronto Star. Consultado em 13 de junho de 2020 
  123. Amanda Cavalcanti (31 de maio de 2018). «Como mulheres trans e drag queens abrem os caminhos na música pop brasileira». Vice. Consultado em 13 de junho de 2020 
  124. Beatriz F. Rebolledo (1 de outubro de 2015). «Carmen Boza: "Me Identifico Con La Sensibilidad de Nick Drake, Escucho Sus Discos y Me Vuela La Cabeza"» (em espanhol). ABC. Consultado em 13 de junho de 2020 
  125. Jessica Radloff (25 de junho de 2015). «The Promising Talent of The Voice's Christina Grimmie» (em inglês). Glamour. Consultado em 13 de junho de 2020 
  126. Redação GQ (15 de fevereiro de 2019). «Pupila de Anitta, Clau agradece o apoio da amiga: 'Ela me ajudou muito'». GQ. Consultado em 13 de junho de 2020 
  127. Rangel Querino (4 de agosto de 2017). «Claudia Leitte lança clipe para seu novo single 'Baldin de Gelo'; assista». Universo Online. Consultado em 13 de junho de 2020 
  128. Matt Collar (12 de março de 2013). «Coco Jones - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  129. Natalie Finn (14 de novembro de 2012). «Courtney Stodden to Make Singing and Stripper-Pole Debut at Gay Bar» (em inglês). E! News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  130. Alex Abel (18 de fevereiro de 2013). «Dana Vollmer Success Tips» (em inglês). Seventeen. Consultado em 13 de junho de 2020 
  131. Mariah Haas (29 de setembro de 2017). «Demi Lovato Reveals Christina Aguilera Album Inspiration» (em inglês). People. Consultado em 13 de junho de 2020 
  132. a b Madison Vain (29 de setembro de 2017). «Demi Lovato: Eminem, Céline Dion, Christina Aguilera Influenced My Music» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 13 de junho de 2020 
  133. Raissa Pascoal (10 de dezembro de 2018). «A comportada afilhada de Amy Winehouse». Veja. Editora Abril. Consultado em 13 de junho de 2020 
  134. BBC Staff (21 de agosto de 2019). «RuPaul's Drag Race UK: Meet the Queens for First UK Series» (em inglês). BBC News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  135. Gary Susman (5 de março de 2003). «Versace Signs Christina Aguilera» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 13 de junho de 2020 
  136. Spiegel Staff (6 de março de 2003). «Christina Aguilera: Versace Neue Muse» (em alemão). der Spiegel. Consultado em 13 de junho de 2020. Arquivado do original em 12 de junho de 2013 
  137. a b Volkskrant Staff (2 de novembro de 2017). «'Als Het Slecht Gaat Met de Wereld, Gaat Het Goed Met de Popmuziek'» (em neerlandês). de Volkskrant. Consultado em 13 de junho de 2020 
  138. Tom Lamont (15 de abril de 2018). «Dua Lipa: 'Pop Has to Be Fun. You Can't Get Upset About Every Little Thing'» (em inglês). The Guardian. Consultado em 13 de junho de 2020 
  139. DN Staff (11 de fevereiro de 2009). «Duffy procura novas influências». Diário de Notícias. Consultado em 13 de junho de 2020 
  140. Patrick Crowley (24 de dezembro de 2018). «Farrah Moan Talks 'Drag Race' Elimination, Feud with Gia Gunn & Performing with 'Idol' Christina Aguilera» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  141. Shelby Black (24 de março de 2017). «Com Through Queens! Meet the Contestants Slaying Season 9 of 'RuPaul's Drag Race'» (em inglês). Paper. Consultado em 13 de junho de 2020 
  142. Rangel Querino (29 de maio de 2018). «Cantora Francinne se apresenta na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo». Universo Online. Consultado em 13 de junho de 2020 
  143. Sabrina Sweeney (22 de novembro de 2012). «First Aid Kit: A Band of Contradictions» (em inglês). BBC News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  144. Kat George (11 de novembro de 2015). «The Power of Adele and Grimes: How Pop Is Catching Up to Modern Femininity» (em inglês). Vice. Consultado em 13 de junho de 2020 
  145. Sierra Tishgart (22 de maio de 2012). «Singer Haley Reinhart on Recording Her Debut Album» (em inglês). Teen Vogue. Consultado em 13 de junho de 2020 
  146. Lauren Rearick (10 de janeiro de 2020). «Halsey References Lady Gaga, Christina Aguilera and More Pop Stars in Her 'You Should Be Sad' Video» (em inglês). Teen Vogue. Consultado em 13 de junho de 2020 
  147. Eric Russell (6 de novembro de 2019). «How HANA Created 'Hanadriel' on Twitch in Four Weeks» (em inglês). Paper. Consultado em 13 de junho de 2020 
  148. Heather Phares (24 de junho de 2015). «Hilary Duff - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  149. Lizzy Goodman (5 de dezembro de 2014). «Billboard Women in Music Honoree Iggy Azalea: 'If I Lose Every Award to Sam Smith, I'm Okay with It'» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  150. Fabiana Schiavon (2 de maio de 2018). «'Tenho que comer muito arroz com feijão para chegar perto da Rihanna', diz Iza». Folha de S. Paulo. Consultado em 13 de junho de 2020 
  151. Alexa Frades (14 de abril de 2015). «Jacquie Lee: 'The Voic' Runner-Up Seeks Stardom» (em inglês). Sun Sentinel. Consultado em 13 de junho de 2020 
  152. a b Jordana Pires (28 de setembro de 2016). «Aposta CH: Jão Romania faz cover de Selena Gomez». Capricho. Editora Abril. Consultado em 13 de junho de 2020 
  153. Katie Atkinson (6 de março de 2009). «'American Idol' Finalist Jasmine Murray Is Glad Singing Aguilera 'Paid Off'» (em inglês). MTV News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  154. Richard S. He (4 de maio de 2018). «20 Years of Xtina: How She Found, Lost and Liberated Her Voice Again» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  155. Mark Bialczak (19 de fevereiro de 2010). «Jessie James Will Sing National Anthem Before Mirabito Outdoor Classic in Syracuse» (em inglês). The Post-Standard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  156. Liam McBain (15 de fevereiro de 2018). «Johnny Weir Shades Russian Figure Skaters for Performing to Christina Aguilera» (em inglês). Out. Consultado em 13 de junho de 2020 
  157. David Jeffries (12 de maio de 2020). «JoJo - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  158. Sharon Clott Kanter (27 de julho de 2015). «Jordin Sparks Interview on Life Advice, Music and Inspiration» (em inglês). InStyle. Consultado em 13 de junho de 2020 
  159. Andreas Borcholte (25 de junho de 2019). «Juju: Die Charts-Rappering Im Porträt: 'Ich Kann Alles Machen, Was Ich Will'» (em alemão). Der Spiegel. Consultado em 13 de junho de 2020. Arquivado do original em 26 de junho de 2019 
  160. Patrick Smith (7 de novembro de 2017). «Best New Music 2017 - Kali Uchis's Delectable R&B» (em inglês). The Daily Telegraph. Consultado em 13 de junho de 2020 
  161. Insanul Ahmed (29 de abril de 2013). «Who Is Kat Dahlia» (em inglês). Complex. Consultado em 13 de junho de 2020 
  162. Correio Staff (22 de outubro de 2002). «Kelly Key: 'Só sei que arrebentei'». Correio da Manhã. Consultado em 13 de junho de 2020 
  163. Joey Guerra (14 de fevereiro de 2018). «RodeoHouston Performer: Kelsea Ballerini» (em inglês). Houston Chronicle. Consultado em 13 de junho de 2020 
  164. Glenn Rowley (22 de maio de 2020). «Christina Aguilera Loves Kim Kardashian Channeling Her 'Dirrty' Aesthetic in White Bikini & Chaps» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  165. Claire Landsbaum (21 de novembro de 2019). «'I'm the Shit and You Want This': How Kim Petras Manifested Her Way to Pop Stardom» (em inglês). Vanity Fair. Consultado em 13 de junho de 2020 
  166. Jake Viswanath (27 de março de 2018). «Kim Petras Is Pop Music's Biggest Scholar» (em inglês). V. Consultado em 13 de junho de 2020 
  167. Lauren Duca (30 de outubro de 2016). «Kylie Jenner Dressed as Christina Aguilera in 'Dirrty' for Halloween» (em inglês). Teen Vogue. Consultado em 13 de junho de 2020 
  168. Emma Stefansky. «Kylie Jenner's Final Form Might Just Be Dirrty-Era Christina Aguilera» (em inglês). Vanity Fair. Consultado em 13 de junho de 2020 
  169. Zayda Rivera (18 de dezembro de 2013). «Christina Aguilera, Lady Gaga Put Feud Rumors to Rest with Duet on 'The Voice'» (em inglês). New York Daily News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  170. Zach Johnson (18 de dezembro de 2013). «Christina Aguilera and Lady Gaga Perform on The Voice, Effectively Putting Feud Rumors to Rest» (em inglês). E! News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  171. a b Jeff Nelson (24 de outubro de 2018). «Lauren Jauregui Talks 'Expectations', Feeling 'Free' After Fifth Harmony» (em inglês). People. Consultado em 13 de junho de 2020 
  172. BBC Staff (2 de junho de 2012). «The Voice UK, Series 1 - Leanne Mitchell» (em inglês). BBC One. Consultado em 13 de junho de 2020 
  173. Rangel Querino (26 de julho de 2017). «Lia Clark lança clipe para 'Boquetáxi'». Universo Online. Consultado em 13 de junho de 2020 
  174. Jon O'Brien (27 de março de 2020). «Little Mix - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  175. Leo Pereira (5 de novembro de 2012). «Longe de Rouge, Luciana Andrade prepara turnê solo: 'Voltar significa muito para mim'». Caras. Consultado em 13 de junho de 2020 
  176. Jamie Primeau (8 de janeiro de 2013). «Lucy Hale on Pretty Little Liars Premiere» (em inglês). Seventeen. Consultado em 13 de junho de 2020 
  177. Contigo! Staff (23 de abril de 2020). «Luísa Sonza é elogiada por Christina Aguilera e comemora na web: 'A rainha me notou'». Contigo!. Consultado em 13 de junho de 2020 
  178. Mariana Madrinha (3 de agosto de 2017). «Mariana Pacheco: 'Comecei a cantar antes de começar a falar'». Sol. Consultado em 13 de junho de 2020 
  179. Jake Viswanath (14 de maio de 2018). «Artist to Artist: Marian Hill». V. Consultado em 13 de junho de 2020 
  180. Robert Michael Poole. «J-Pop Starlet May J. Reveals Her Persian Heritage» (em inglês). Japan Today. Consultado em 13 de junho de 2020 
  181. Lisa Zhito (17 de janeiro de 2013). «10 Questions: Megan & Liz» (em inglês). Broadcast Music, Inc. Consultado em 17 de outubro de 2020 
  182. Robbie Daw (13 de agosto de 2014). «Meghan Trainor Talks 'All About That Bass' and Her Upcoming Album & Offers Up a Cotton Candy Giveaway» (em inglês). Idolator. Consultado em 13 de junho de 2020 
  183. Patrick Ryan (12 de maio de 2016). «Review: Meghan Trainor Exudes Confidence on 'Thank You'» (em inglês). USA Today. Consultado em 13 de junho de 2020 
  184. Niloufar Haidari (31 de maio de 2016). «I Took Melanie Martinez on a Date to an Ice Cream Parlour» (em inglês). Vice. Consultado em 13 de junho de 2020 
  185. Timothy Mitchell (25 de fevereiro de 2014). «A Miley-Inspired Short History of Cheeky Chaps» (em inglês). New York Post. Consultado em 13 de junho de 2020 
  186. Mike Nied (24 de outubro de 2017). «Reflecting On the Impact of Christina Aguilera» (em inglês). Idolator. Consultado em 13 de junho de 2020 
  187. RTE Staff (15 de julho de 2011). «Nadine Talks Reunion and US Album Release» (em inglês). Raidió Teilifís Éireann. Consultado em 13 de junho de 2020 
  188. Nación Staff (1 de novembro de 2004). «Natasha Thomas: Touch of Pink de Lacoste» (em espanhol). La Nación. Consultado em 13 de junho de 2020 
  189. Debbie Encalada (16 de junho de 2014). «Interview: Nikki DeLoach Talks 'Awkward' and Being on Mickey Mouse» (em inglês). Complex. Consultado em 13 de junho de 2020 
  190. Doreen St. Félix (1 de setembro de 2019). «Normani and the Work of the Pop Princess» (em inglês). The New Yorker. Consultado em 13 de junho de 2020 
  191. El Hunt (16 de agosto de 2019). «All of the Noughties Pop References in Normani's 'Motivation' Video» (em inglês). NME. Consultado em 13 de junho de 2020 
  192. Bruna Nobrega (28 de abril de 2018). «New Star: Aos 16 anos, Nova Miller tem uma voz poderosíssima». Capricho. Editora Abril. Consultado em 13 de junho de 2020 
  193. NY Staff (2 de outubro de 2019). «The Best of Paris Fashion Week» (em inglês). The New York Times. Consultado em 13 de junho de 2020 
  194. Géssica Brandino (5 de maio de 2019). «Vocalista do Years & Years afirma ter ouvido 'apenas coisas ruins' sobre Bolsonaro». Folha de S. Paulo. Consultado em 13 de junho de 2020 
  195. Noli Provoste (10 de maio de 2019). «Paloma Mami on Working with Diplo and Making Anthems for 'Girls in the Club'» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  196. a b Pixie Lott (27 de agosto de 2009). «Pixie Lott's Diary: 'After the Single Hit No. 1 It Went Crazy'» (em inglês). The Guardian. Consultado em 13 de junho de 2020 
  197. A Redação (23 de outubro de 2020). «Priscilla Alcântara se inspira em Christina Aguilera e solta a voz em animação» (em inglês). O Tempo. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  198. Nadia Younes (29 de março de 2017). «PWR BTTM On New Album Pageant» (em inglês). The Skinny. Consultado em 13 de junho de 2020 
  199. Glenn Gamboa (24 de maio de 2011). «LI's Raquel Castro Finds Her 'Voice'» (em inglês). Newsday. Consultado em 13 de junho de 2020 
  200. Julia Wang (1 de janeiro de 2013). «Rihanna - Biography» (em inglês). People. Consultado em 13 de junho de 2020. Arquivado do original em 26 de dezembro de 2014 
  201. Daisy Jones (20 de novembro de 2017). «The Subversive Pop Power of Rina Sawayama» (em inglês). Vice. Consultado em 13 de junho de 2020 
  202. a b P. Cantó (12 de março de 2019). «Música: Rosalía Elige a Las 28 Mujeres que Le Inspiran: de Aretha Franklin a Azúcar Moreno» (em espanhol). El Confidencial. Consultado em 13 de junho de 2020 
  203. Lauren McCarthy (13 de novembro de 2018). «Sabrina Carpenter Is Making the Leap with Her New Album, Singular: Act 1» (em inglês). W. Consultado em 13 de junho de 2020 
  204. Sarah Murphy (23 de agosto de 2016). «Speedy Ortiz's Sadie Dupuis Unveils Solo Album as Sad13» (em inglês). Exclaim!. Consultado em 13 de junho de 2020 
  205. Cameron Adams (15 de abril de 2015). «Sam Smith on Lady Gaga, Tom Petty, Boy George... and His Next Album» (em inglês). News Corp Australia. Consultado em 13 de junho de 2020 
  206. Jason Lymangrover (14 de abril de 2019). «Sara Bareilles - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  207. Seventeen Staff (16 de outubro de 2008). «Savannah Outen Stops by Seventeen» (em inglês). Seventeen. Consultado em 13 de junho de 2020 
  208. Mike Wass (2 de setembro de 2015). «Selena Gomez's New Album Was Inspired By Christina Aguilera's 'Stripped'» (em inglês). Idolator. Consultado em 13 de junho de 2020 
  209. Sara Nuta (11 de janeiro de 2019). «Sir Babygirl Is the Pop Act You Need to Know» (em inglês). Paper. Consultado em 13 de junho de 2020 
  210. Ian Gormely (15 de fevereiro de 2019). «Sir Babygirl Is Making 'Outsider Top 40' for Everyone on 'Crush on Me'» (em inglês). Exclaim!. Consultado em 13 de junho de 2020 
  211. Caras Staff (14 de julho de 2019). «Solange Almeida encarna Christina Aguilera no 'Show dos Famosos'». Caras. Consultado em 13 de junho de 2020 
  212. Agustín Gómez Cascales (24 de outubro de 2007). «Entrevista a Suzanne Vega» (em espanhol). El Mundo. Consultado em 13 de junho de 2020 
  213. Lucía M. Cabanelas (18 de março de 2016). «Sweet California: 'Rocío Nunca Va a Ser Competencia para Nosotras'» (em espanhol). ABC. Consultado em 13 de junho de 2020 
  214. Tamar Herman (16 de junho de 2016). «Tiffany Talks 'Whirlwind' Solo Debut & Life Outside Girls' Generation Activities» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  215. MTV Staff (8 de abril de 2015). «Falamos com Tinashe sobre 'Aquarius', seu disco novo, e sua vida na estrada». MTV Brasil. Consultado em 13 de junho de 2020 
  216. a b Duncan Cooper (11 de fevereiro de 2014). «Things Have Changed: YG, Tinashe and Jim-E Stack on Growing Up in the '90s» (em inglês). The Fader. Consultado em 13 de junho de 2020 
  217. Stephen Daw (2 de abril de 2018). «Christina Aguilera & Troye Sivan Meet and Snuggle Up for an Instagram Photo» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de junho de 2020 
  218. Heather Phares (24 de outubro de 2018). «Vanessa Hudgens - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  219. NY Times Staff (30 de junho de 2008). «New CDs by Vanessa Hudgens, Wolf Parade, Alkaline Trio, Soulja Boy» (em inglês). The New York Times. Consultado em 13 de junho de 2020 
  220. a b Gazeta Staff (26 de agosto de 2007). «Wanessa Camargo está com CD novo». Grupo Gazeta de Comunicação. Consultado em 13 de junho de 2020 
  221. Fan Winston (9 de outubro de 2013). «Steven Spielberg's Kids' Band Wardell Signed by Jay Z's Roc Nation» (em inglês). NBC News. Consultado em 13 de junho de 2020 
  222. Nui Te Koha (19 de fevereiro de 2010). «Whitney's Labour of Love» (em inglês). Herald Sun. Consultado em 17 de outubro de 2020. Arquivado do original em 11 de dezembro de 2011 
  223. Rob Garratt (18 de dezembro de 2019). «Pop Star Zara Larsson Talks About the Songs That Mean the Most to Her» (em inglês). The National. Consultado em 13 de junho de 2020 
  224. Heather Phares (3 de maio de 2017). «Zendaya - Influenced By» (em inglês). AllMusic. Consultado em 13 de junho de 2020 
  225. Flávio Seixlack (16 de janeiro de 2012). «Zola Jesus diz que não gosta de tocar ao vivo: 'Me enche de ansiedade'». G1. Consultado em 13 de junho de 2020 
  226. Bobby Abley (13 de setembro de 2019). «About Bobby Abley» (em inglês). Bobby Abley. Consultado em 25 de junho de 2020 
  227. 12 de junho de 2017. «Bobby Abley Turned London Fashion Week Men's Into Teletubbyland» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 25 de junho de 2020 
  228. Bianca Betancourt (6 de junho de 2018). «Demi Lovato Made An Appearance at Christina Aguilera's Las Vegas Show» (em inglês). Teen Vogue. Consultado em 25 de junho de 2020 
  229. Liz Calvario (30 de janeiro de 2019). «Christina Aguilera Praises 'Strong' Demi Lovato Ahead of 2019 GRAMMYs» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 25 de junho de 2020 
  230. Carl Williott (12 de setembro de 2013). «Lady Gaga Apologizes to Christina Aguilera for Their Real/Imagined Feud on 'Watch What Happens'» (em inglês). Idolator. Consultado em 25 de junho de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dominguez, Pier (2003), Christina Aguilera: A Star is Made - the Unauthorized Biography, ISBN 9780970222459, Amber Books Publishing 
  • Warren & Lengel, John T. & Laura B. (2005), Casting Gender: Women and Performance in Intercultural Context, ISBN 9780820474199, Peter Lang 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]