Lista de governadores do Acre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Governador do Acre
GovAC.gif
Bandeira do Governador
do Estado do Acre
Duração 4 anos
Criado em 1° de janeiro de 1921
Website http://www.ac.gov.br

Esta é uma lista de governantes do estado do Acre.

O Acre é um estado da federação, sendo governado por três poderes, o executivo, o legislativo e o judiciário. Por meio de referendos e plebiscitos, é permitida a participação popular nas decisões de governo.[1] A atual constituição do Acre foi promulgada em 1989,[2] acrescida das alterações resultantes de posteriores Emendas Constitucionais. O poder executivo acriano está centralizado no governador do estado, que é eleito em sufrágio universal e voto direto e secreto, pela população para mandatos de até quatro anos de duração, e podem ser reeleitos para mais um mandato. Sua sede é o Palácio Rio Branco, que desde 1930 é a sede do governo acriano. O poder legislativo do estado é unicameral, constituído pela Assembleia Legislativa do Acre, localizado no centro de Rio Branco. Ela é constituída por 24 deputados, que são eleitos a cada 4 anos. No Congresso Nacional, a representação acriana é de 3 senadores e 8 deputados federais. A maior corte do poder judiciário acriano é o Tribunal de Justiça do Estado do Acre, localizado no centro de Rio Branco. Compõem o poder judiciário os desembargadores e os juízes de direito.

Com 241 196 eleitores, Rio Branco é o município com o maior número de eleitores. É seguido por Cruzeiro do Sul, com 54,1 mil eleitores, Sena Madureira (27,5 mil eleitores), Tarauacá (24,9 mil eleitores) e Feijó, Brasiléia e Senador Guiomard, com 19,7 mil, 16,2 mil e 13,5 mil eleitores, respectivamente. O município com menor número de eleitores é Santa Rosa do Purus, com 3,1 mil.[3]

Tratando-se sobre partidos políticos, todos os 35 partidos políticos brasileiros possuem representação no estado.[4] Conforme informações divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base em dados de outubro de 2016, o partido político com maior número de filiados no Acre é o Partido dos Trabalhadores (PT), com 10 297 membros, seguido do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), com 8 616 membros e do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), com 8 047 filiados. Completando a lista dos cinco maiores partidos políticos no estado, por número de membros, estão o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), com 5 954 membros; e o Partido Socialista Brasileiro (PSB), com 3 964 membros. Ainda de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o Partido Novo (NOVO) e o Partido da Causa Operária (PCO) são os partidos políticos com menor representatividade na unidade federativa, com 4 e 25 filiados, respectivamente.[4]

Estado Independente do Acre[editar | editar código-fonte]

  presidente
  vice-presidente que assumiu a presidência
  
Nome Imagem Início do Mandato Fim do Mandato Observações Referências e notas
1 Luis Gálvez Rodríguez de Arias Luisgalvez.jpg 14 de julho de 1899 1º de janeiro de 1900 Fundador da Estado Independente do Acre.
2 Antônio de Sousa Braga Antônio de Sousa Braga.jpg 1º de janeiro de 1900 30 de janeiro de 1900 Assume após o Golpe de Estado em
28 de dezembro de 1899, que depôs Gálvez.
3 Luis Gálvez Rodríguez de Arias Luisgalvez.jpg 30 de janeiro de 1900 15 de março de 1900 Reassume com a renúncia do antecessor.
4 Joaquim Vítor da Silva Sin foto.svg 15 de março de 1900 25 de abril de 1900 Assume a presidência temporariamente no cargo de vice-presidente.
Reincorporação à Bolívia Bolivia1888.png 25 de abril de 1900 7 de agosto de 1902 Devolução do território a Bolívia.
5 José Plácido de Castro Plácido de Castro.jpg 7 de agosto de 1902 25 de fevereiro de 1904 Novamente declarado o Estado Independente do Acre.

Território Federal do Acre[editar | editar código-fonte]

Até 1921 o território estava dividido em quatro departamentos (Alto Acre, Alto Purus, Alto Juruá e Alto Tarauaca) que eram chefiados por prefeitos nomeados pela presidência da República. Somente a partir de 1921 é que o território passa a ter um governo centralizado, com mandatário também nomeados pelo governo da União.

Partidos
      Partido Social Democrático       Partido Social Progressista       Partido Trabalhista Brasileiro       União Democrática Nacional       Partido Republicano Municipalista       Partido Moderador Brasileiro       Partido Libertador       Partido Republicano Progressista       Aliança Liberal       Partido Republicano       Partido Conservador Nacional       Partido Trabalhista Nacional       Partido Social Trabalhista

Nome Imagem Início do mandato Fim do mandato Partido Observações Cargo público anterior
1   Epaminondas Jácome
1º de janeiro de 1921 17 de fevereiro de 1923 Partido Republicano Municipalista

(PRM)

Nomeado pelo Presidente da República. Capitão do Exército Brasileiro
2   José da Cunha Vasconcelos Sin foto.svg 17 de fevereiro de 1923 26 de maio de 1926 Partido Moderador Brasileiro

(PMB)

Nomeado pelo Presidente da República. Deputado Federal pelo Acre
3   Alberto Diniz Sin foto.svg 26 de maio de 1926 15 de junho de 1927 Partido Libertador

(PL)

Nomeado pelo Presidente da República. Desembargador do Tribunal de Apelação do território do Acre
4   Hugo Carneiro Sin foto.svg 15 de junho de 1927 8 de dezembro de 1930 Partido Republicano Progressista

(PRP)

Nomeado pelo Presidente da República. Juiz municipal e juiz de direito da comarca de Tarauacá
5   Francisco Vasconcelos Sin foto.svg 8 de dezembro de 1930 20 de setembro de 1934 Aliança Liberal

(AL)

Nomeado pelo Presidente da República. Delegado de Polícia de Rio Branco
6   José Maria Brandão Sin foto.svg 21 de setembro de 1934 14 de abril de 1935 Partido Trabalhista Brasileiro

(PTB)

Nomeado pelo Presidente da República. Juiz municipal e juiz de direito da comarca de Rio Branco
7   Manuel Martiniano do Prado Sin foto.svg 14 de abril de 1935 15 de março de 1937 Partido Republicano

(PR)

Nomeado pelo Presidente da República. Sem experiência anterior em cargos públicos
8   Epaminondas Martins Sin foto.svg 15 de março de 1937 30 de agosto de 1941 Partido Trabalhista Brasileiro

(PTB)

Nomeado pelo Presidente da República. Tenente-Coronel do Exército Brasileiro
9   Oscar Passos Sin foto.svg 30 de agosto de 1941 25 de outubro de 1942 Partido Trabalhista Brasileiro

(PTB)

Nomeado pelo Presidente da República. Capitão do Exército Brasileiro
10   Silvestre Gomes Sin foto.svg 25 de outubro de 1942 22 de fevereiro de 1950 Partido Conservador Nacional

(PCN)

Nomeado pelo Presidente da República. Coronel do Exército Brasileiro
11   José Guiomard Sin foto.svg 22 de fevereiro de 1950 30 de junho de 1950 Partido Social Democrático

(PSD)

Nomeado pelo Presidente da República. Capitão do Exército Brasileiro
12   Raimundo Pinheiro Filho Sin foto.svg 1º de julho de 1950 30 de janeiro de 1951 Partido Trabalhista Nacional

(PTN)

Nomeado pelo Presidente da República. General do Exército Brasileiro
13   João Kubitschek Sin foto.svg 30 de janeiro de 1951 21 de maio de 1951 Partido Social Democrático

(PSD)

Nomeado pelo Presidente.

Era primo de Juscelino Kubitschek

Prefeito de Diamantina
14   Amílcar Dutra de Menezes Sin foto.svg 21 de maio de 1951 21 de maio de 1953 Partido Social Progressista

(PSP)

Nomeado pelo Presidente da República. Diretor-Geral do Departamento de Imprensa e Propaganda
15   Abel Maciel Filho Sin foto.svg 21 de maio de 1953 10 de setembro de 1954 Partido Social Trabalhista

(PST)

Nomeado pelo Presidente da República. Prefeito de Tarauacá
16   Francisco d'Oliveira Conde
10 de setembro de 1954 2 de março de 1955 Partido Social Progressista

(PSP)

Nomeado pelo Presidente da República. Sem experiência anterior em cargos públicos
17   Paulo Torres
2 de março de 1955 4 de abril de 1956 Partido Social Trabalhista

(PST)

Nomeado pelo Presidente da República. Chefe do

Departamento Federal Segurança pública

18   Valério Magalhães Sin foto.svg 4 de abril de 1956 10 de novembro de 1958 Partido Social Democrático

(PSD)

Nomeado pelo Presidente da República. Secretário-Geral do Território Federal de Ponta Porã
19   Manuel Fontenele de Castro Sin foto.svg 10 de novembro de 1958 18 de março de 1961 Partido Social Democrático

(PSD)

Nomeado pelo Presidente da República. Prefeito de Rio Branco
20   José Altino Machado Sin foto.svg 18 de março de 1961 4 de setembro de 1961 Partido Trabalhista Brasileiro

(PTB)

Nomeado pelo Presidente da República. Procurador do Ministério da Justiça e Segurança Pública
21   Osvaldo Pinheiro de Lima Sin foto.svg 4 de setembro de 1961 29 de outubro de 1961 União Democrática Nacional

(UDN)

Nomeado pelo Presidente da República. Deputado Federal pelo Acre
22   Rui Lino
29 de outubro de 1961 15 de junho de 1962 Partido Trabalhista Brasileiro

(PTB)

Nomeado pelo Presidente da República. Deputado Federal pelo Acre

Governo do estado do Acre[editar | editar código-fonte]

Partidos
      Nenhum (militar)       Aliança Renovadora Nacional       Partido do Movimento Democrático Brasileiro       Partido da Social Democracia Brasileira       Partido dos Trabalhadores
      Partido Democrático Social       Partido Progressista       Partido Trabalhista Brasileiro

Governador
(Nascimento–Falecimento)
Retrato Eleito Início do mandato Fim do mandato Partido político Vice-governador Cargo público anterior
1   Aníbal Miranda Ferreira da Silva
(1916–2004)
Sin foto.svg [nota 1] 15 de junho de 1962 1º de março de 1963 Partido Trabalhista Brasileiro
(PTB)
vago Diretor da Companhia de Desenvolvimento
Industrial do Acre (CODISACRE)
2   José Augusto de Araújo
(1930–1971)
1962 1º de março de 1963 8 de maio de 1964[nota 2] Partido Trabalhista Brasileiro
(PTB)
vago Deputado federal pelo Acre
3   Edgard Cerqueira
(1929–2002)
Sin foto.svg [nota 3] 8 de maio de 1964 19 de setembro de 1966 Nenhum (militar) vago Comandante da 4ª Companhia
de Fronteiras
4   Jorge Kalume
(1920–2010)
Sin foto.svg 1966[nota 4] 19 de setembro de 1966 15 de março de 1971 Aliança Renovadora Nacional
(ARENA)
vago Deputado federal pelo Acre
5   Wanderley Dantas
(1932–1982)
Sin foto.svg 1970[nota 5] 15 de março de 1971 15 de março de 1975 Aliança Renovadora Nacional
(ARENA)
Alberto Costa
(ARENA)
Deputado federal pelo Acre
6   Geraldo Mesquita
(1919–2009)
1974[nota 6] 15 de março de 1975 15 de março de 1979 Aliança Renovadora Nacional
(ARENA)
Omar Sabino
(ARENA)
Senador pelo Acre
7   Joaquim Macedo
(1927–2006)
1978[nota 6] 15 de março de 1979 15 de março de 1983 Aliança Renovadora Nacional
(ARENA)
José Fernandes Rego
(ARENA)
Deputado federal pelo Acre
Partido Democrático Social
(PDS)
8   Nabor Júnior
(1930–)
1982 15 de março de 1983 14 de maio de 1986[nota 7] Partido do Movimento Democrático Brasileiro
(PMDB)
Iolanda Fleming
(PMDB)
Deputado federal pelo Acre
9   Iolanda Fleming
(1936–)
1982 14 de maio de 1986 15 de março de 1987 Partido do Movimento Democrático Brasileiro
(PMDB)
vago Vice-governadora do Acre
10   Flaviano Melo
(1949–)
1986 15 de março de 1987 2 de abril de 1990[nota 7] Partido do Movimento Democrático Brasileiro
(PMDB)
Édison Cadaxo
(PMDB)
Prefeito de Rio Branco
11   Édison Cadaxo
(1921–2002)
1986 2 de abril de 1990 15 de março de 1991 Partido do Movimento Democrático Brasileiro
(PMDB)
vago Vice-governador do Acre
12   Edmundo Pinto
(1953–1992)
1990 15 de março de 1991 17 de maio de 1992[nota 8] Partido Progressista Reformador
(PPR)
Romildo Magalhães
(PPR)
Deputado estadual do Acre
13   Romildo Magalhães
(1946–)
1990 17 de maio de 1992 1º de janeiro de 1995 Partido Progressista Reformador
(PPR)
vago Vice-governador do Acre
14   Orleir Cameli
(1949–2013)
1994 1º de janeiro de 1995 1º de janeiro de 1999 Partido Progressista Brasileiro
(PPB)
Labib Murad
(PPB)
Prefeito de Cruzeiro do Sul
Partido da Frente Liberal
(PFL)
15   Jorge Viana
(1959–)
Senador Jorge Viana - Segunda Foto Oficial.jpg 1998
2002
1º de janeiro de 1999 1º de janeiro de 2007 Partido dos Trabalhadores
(PT)
Édison Cadaxo
(PSDB)
Prefeito de Rio Branco
Binho Marques
(PT)
16   Binho Marques
(1962–)
Binhomarques.jpg 2006 1º de janeiro de 2007 1º de janeiro de 2011 Partido dos Trabalhadores
(PT)
César Messias
(PP)
Vice-governador do Acre
17   Tião Viana
(1961–)
2010
2014
1º de janeiro de 2011 1° de janeiro de 2019 Partido dos Trabalhadores
(PT)
César Messias
(PP)
Senador pelo Acre
Nazareth Araújo
(PT)
18 Gladson Cameli

(1978–)

Foto oficial de Gladson Cameli (cropped).jpg 2018 1º de janeiro de 2019 Em exercício Partido Progressista
(PP)
Major Rocha
(PSDB)
Senador pelo Acre

Notas

  1. Indicado pelo presidente João Goulart.
  2. Renunciou em razão do Cerco ao Palácio.[5][6]
  3. O capitão Edgard Pedreira de Cerqueira Filho foi eleito indiretamente governador pela Assembleia Legislativa do Acre, substituindo o então governador José Augusto de Araújo, que renunciara após o Cerco ao Palácio, por conta do Ato Institucional Número Um.[5][6]
  4. Eleições indiretas, realizadas pela Assembleia Legislativa do Acre, em conformidade com o Ato Institucional Número Três, tendo Kalume sido escolhido pelo presidente Castelo Branco.
  5. Eleições indiretas, realizadas pela Assembleia Legislativa do Acre, em conformidade com o Ato Institucional Número Três, tendo ambos governador e vice-governador escolhidos pelo presidente Emílio Garrastazu Médici.
  6. a b Eleições indiretas, realizadas pela Assembleia Legislativa do Acre, em conformidade com o Ato Institucional Número Três, tendo ambos governador e vice-governador escolhidos pelo presidente Ernesto Geisel.
  7. a b Renunciou para disputar o cargo de senador.
  8. Assassinado a tiros.[7][8]

Referências

  1. Supremo Tribunal Federal (STF) (10 de novembro de 1999). «Lei n.º 9.868 de 10 de novembro de 1999». Consultado em 15 de outubro de 2016 
  2. «Constituição do estado do Acre» 
  3. JUS Eleitoral (setembro de 2016). «Consulta Quantitativo - Acre (AC)». Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Consultado em 15 de outubro de 2016 
  4. a b «Filiados - Tribunal Superior Eleitoral (TSE)». Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Outubro de 2016. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  5. a b Marcel, Yuri (31 de março de 2014). «Ditadura: Resistência ao Regime no Acre começou com seringueiros». G1. Consultado em 3 de junho de 2016 
  6. a b Rocha, Lyvia Milenna de Souza; da Silva, Francisco Bento; de Paula, Elder Andrade (Julho de 2005). «GOVERNO JOSÉ AUGUSTO (ACRE 1962-64): UM PARADIGMA DE RUPTURA?». Anais da 57ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Consultado em 3 de junho de 2016 
  7. «Governador do AC é assassinado em hotel de São Paulo». Folha de S.Paulo. 18 de maio de 1992. Consultado em 3 de junho de 2016 
  8. «Arquivo G1: Governador do Acre é morto em hotel em SP». G1. 17 de maio de 2007. Consultado em 3 de junho de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências