Lista de línguas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Abaixo está a lista de línguas. Estão incluídas línguas naturais e artificiais. No caso das naturais, são divididas em suas famílias, grupos e subgrupos.

Famílias por origem comum[editar | editar código-fonte]

Os idiomas nesta lista pertencem a grandes famílias cuja relação genética foi conclusivamente demonstrada. Cada família agrupa idiomas com um mesmo ancestral comum.

Família indo-europeia[editar | editar código-fonte]

Grupo itálico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Sul da Europa, América Latina e África Subsaariana. Minorias na Ásia[1][2][3][4].

Primeiras línguas da Península Itálica.

Grupo celta[editar | editar código-fonte]

Falado em: Ilhas Britânicas e França[5][6][7]

As nações celtas, onde está concentrado os falantes das atuais línguas celtas.

Grupo germânico[editar | editar código-fonte]

Falado em: centro-norte da Europa, América do Norte, Oceania e África Subsaariana. Minorias na América do Sul[8][9][10][11].

Grupo balto-eslávico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Europa oriental[12][13][14][15]

Grupo iraniano[editar | editar código-fonte]

Falado em: Ásia Central[16][17][18]

Grupo indo-ariano[editar | editar código-fonte]

Falado em: Subcontinente Indiano[19][20][21]

Grupo anatólio[editar | editar código-fonte]

Falado em: Península da Anatólia (atual Turquia)[22][23][24]

Outras línguas indo-europeias[editar | editar código-fonte]

Família camito-semítica ou afro-asiática[editar | editar código-fonte]

Grupo semita[editar | editar código-fonte]

Falado em: Oriente Médio e norte da África[33]

Grupo egípcio[editar | editar código-fonte]

Falado em: Egito

Grupo cuchítico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Região do Sahel[36]

Outras línguas camito-semíticas[editar | editar código-fonte]

Família dravídica[editar | editar código-fonte]

Falado em: sul da Índia e Sri Lanka[39][40]

Família urálica[editar | editar código-fonte]

Línguas urálicas constituem uma família de línguas com aproximadamente 30 diferentes idiomas falados por cerca de 20 milhões de pessoas[41][42][43]

Grupo fino-permiano[editar | editar código-fonte]

Falado em: Norte da Europa e Rússia

Grupo úgrico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Hungria; minorias na Rússia

Grupo samoiedo[editar | editar código-fonte]

Falado em: Sibéria

Outras línguas urálicas[editar | editar código-fonte]

Família nígero–congolesa[editar | editar código-fonte]

As línguas nigero-congolesas são uma família de línguas, sendo a maior das línguas africanas, tanto quanto ao número de falantes, quanto à área geográfica[44][45][46]

Grupo adamawa–ubangui[editar | editar código-fonte]

Falado em: África Central

Grupo atlântico ocidental[editar | editar código-fonte]

Falado em: África Ocidental

Grupo benue–congo[editar | editar código-fonte]

Falado em: metade sul da África; minorias no Brasil e Caribe

Família sino-tibetana[editar | editar código-fonte]

Falado em: China e região do Himalaia[47][48][49]

Grupo chinês[editar | editar código-fonte]

Grupo tibeto-birmanês[editar | editar código-fonte]

Grupo quiângico[editar | editar código-fonte]

Família esquimó-aleutiana[editar | editar código-fonte]

Falado em: Ilhas Aleutas, Groenlândia e norte do Canadá

Família austronésia[editar | editar código-fonte]

As línguas austronésias são uma família de línguas com uma vasta área de distribuição pelas ilhas do sudeste asiático e do Pacífico[50][51][52]

Grupo formosiano[editar | editar código-fonte]

Falado em: Taiwan

Grupo malaio-polinésio[editar | editar código-fonte]

Falado em: Oceania e Sudeste da Ásia

Grupo bornéu-filipino[editar | editar código-fonte]

Falado em: Filipinas e Madagascar

Grupo micronésio[editar | editar código-fonte]

Falado em: países da Micronésia

Família maia[editar | editar código-fonte]

Falado em: México, Belize e Guatemala.[53][54][55][56][57]

Família Ramo Grupos Subgrupos Subramo Língua Código ISO Falantes
Maia Cholano-tseltalano Chol Cholano Chontal, Tabasco chf 55 000 no México
Chol, Tila cti 44 000 no México
Chol, Tumbalá ctu 90 000 no México
Chorti Chorti caa 30 000 na Guatemala
Tseltalano Tseltal, Bachajón tzb 100 000 no México
Tsotsil, Chamula tzc 130 000 no México
Tsotsil, Chenalhó tze 35 000 no México
Tseltal, Oxchuc tzh 90 000 no México
Tsotsil, Venustiano Carranza tzo 4 000 no México
Tsotsil, San Andrés Larrainzar tzs 50 000 no México
Tsotsil, Huixtán tzu 20 000 no México
Tsotsil, Zinacantán tzz 25 000 no México
Huastecano Chicomucelteco cob extinto
Huasteco , Nordeste hsf 1 700 no México
Huasteco, Veracruz hus 50 000 no México
Huasteco, San Luís Potosí hva 70 000 no México
Canjobalano-chujeano Chujeano Chuj, San Sebastián Coatán cac 19 000 na Guatemala
Chuj, Ixtatán cnm 22 000 na Guatemala
9 500 no México
Tojolabal toj 36 000 no México
Canjobalano Canjobal-Jacalteco Jacalteco, Oriental jac 11 000 na Guatemala
Jacalteco, Ocidental jai 78 000 na Guatemala
10 000 no México
Canjobal, Oriental kjb 78 000 na Guatemala
Acateco knj 49 000 na Guatemala
10 000 no México
Mochó (Mototzintleco) Mochó mhc 170 no México
Quicheano-mameano Grande-mameano Ixilano Aguacateco agu 18 000 na Guatemala
Ixil, Nebaj ixi 35 000 na Guatemala
Ixil, Chajul ixj 18 000 na Guatemala
Ixil, San Juan Cotzal ixl 16 000 na Guatemala
Mameano Mam, Setentrional mam 200 000 na Guatemala
1 000 no México
Mam, Meridional mms 125 000 na Guatemala
Mam, Tajumulco mpf 35 000 na Guatemala
Mam Tacaneca mtz 20 000 na Guatemala
1 200 no México
Mam, Central mvc 100 000 na Guatemala
Mam, Todos Santos Cuchumatán mvj 50 000 na Guatemala
10 000 no México
Tectiteco ttc 1 300 na Guatemala
1 000 no México
Grande-quicheano Queqchi Queqchi kek 400 000 na Guatemala
12 000 em El Salvador
9 000 no Belize
Pocom Pocomam, Oriental poa 12 500 na Guatemala
Pocomchi, Ocidental pob 50 000 na Guatemala
Pocomam, Central poc 8 600 na Guatemala
Pocomchi, Oriental poh 42 000 na Guatemala
Pocomam , Meridional pou 28 000 na Guatemala
Quicheano verdadeiro Caqchiquel Caqchiquel, Acatenango Sudoeste ckk 500 na Guatemala
Caqchiquel, Central cak 132 000 na Guatemala
Caqchiquel, Oriental cke 100 000 na Guatemala
Caqchiquel, Setentrional ckc 24 000 na Guatemala
Caqchiquel, Santa María de Jesús cki 18 000 na Guatemala
Caqchiquel, Santo Domingo Xenacoj ckj 5 000 na Guatemala
Caqchiquel, Centromeridional ckd 43 000 na Guatemala
Caqchiquel, Meridional ckf 43 000 na Guatemala
Caqchiquel, Ocidental ckw 77 000 na Guatemala
Caqchiquel, Sudoeste Yepocapa cbm 8 000 na Guatemala
Quiche-Achi Achi, Cubulco acc 48 000 na Guatemala
Achi, Rabinal acr 37 000 na Guatemala
Quiché, Central quc 1 900 000 na Guatemala
Quiché, Cune'n cun 9 000 na Guatemala
Quiché, Oriental quu 100 000 na Guatemala
Quiché, Joyabaj quj 54 000 na Guatemala
Quiché, San Andrés qxi 20 000 na Guatemala
Quiché, Centro Ocidental qut 250 000 na Guatemala
Tsutuil Tsutuil, Oriental tzj 50 000 na Guatemala
Tsutuil, Ocidental tzt 34 000 na Guatemala
Sacapulteco Sacapulteco quv 37 000 na Guatemala
Sipacapense Sipacapense qum 8 000 na Guatemala
Uspanteco Uspanteco usp 3 000 na Guatemala
Iucatecano Itzá Itzá itz † (na Guatemala)
Mopan mop 8 000 no Belize
2 600 na Guatemala
Lacandão Lacandão lac 1 000 no México
Maia iucateco yua 700 000 no México
5 000 no Belize
Maia Chan Santa Cruz yus 40 000 no México

Famílias por afinidade regional[editar | editar código-fonte]

As famílias linguísticas aqui mencionadas não formam clados genéticos comprovados; porém são idiomas com grande léxico comum, gramática semelhante e faladas na mesma região. Alguns idiomas formam pequenas famílias linguísticas com outros por relação genética.

Família Caucasiana[editar | editar código-fonte]

Falado em: região do Cáucaso

Grupo do noroeste[editar | editar código-fonte]

Grupo nakh[editar | editar código-fonte]

Línguas faladas nas repúblicas autônomas da Chechênia, e Inguchétia, na Rússia, e na Geórgia.

Grupo avar[editar | editar código-fonte]

Línguas faladas na República Autônoma do Daguestão, na Rússia, e no Azerbaijão.

Grupo tzez[editar | editar código-fonte]

Línguas faladas no sul do Daguestão.

Grupo lesguiano[editar | editar código-fonte]

Línguas faladas no sul do Daguestão e norte do Azerbaijão.

Grupo cartveliano ou meridional[editar | editar código-fonte]

  • Svan — língua falada na Geórgia e norte da Turquia.

Línguas faladas na Geórgia e norte da Turquia:

Línguas faladas na Geórgia e norte da Turquia:

Outras línguas caucasianas[editar | editar código-fonte]

  • Khinalug — Línguas faladas norte do Azerbaijão.
  • Dargwa — Línguas faladas na região central do Daguestão.
  • Lak — Línguas faladas na região central do Daguestão.

Família altaica[editar | editar código-fonte]

Falado em: faixa entre a Turquia e o Japão

Grupo turcomano[editar | editar código-fonte]

Falado em: Anatólia e Ásia central

Grupo mongólico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Mongólia e Sibéria

Grupo tungúsico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Sibéria e nordeste da China

Grupo japônico[editar | editar código-fonte]

Falado em: Japão

Outras línguas altaicas[editar | editar código-fonte]

Família do Sudeste Asiático[editar | editar código-fonte]

Grupo tai-kadai[editar | editar código-fonte]

Grupo mon-khmer[editar | editar código-fonte]

Línguas africanas[editar | editar código-fonte]

(Excluídas as das famílias Camito-Semítica e Nigero-Congolesa)

Família kru[editar | editar código-fonte]

Família cuá[editar | editar código-fonte]

Família mandê[editar | editar código-fonte]

Família coissã[editar | editar código-fonte]

Línguas indígenas brasileiras[editar | editar código-fonte]

Nota: muitos destes idiomas são falados por comunidades muito pequenas e sem registro histórico escrito, sem meios para estabelecer relações genéticas mais detalhadas.

Família tupi-guarani[editar | editar código-fonte]

Família macro-jê[editar | editar código-fonte]

Outras línguas[editar | editar código-fonte]

Idiomas isolados[editar | editar código-fonte]

Os idiomas listados nesta categoria não têm parentesco conhecido com nenhum outro idioma.

Línguas crioulas[editar | editar código-fonte]

De base lexical francesa[editar | editar código-fonte]

De base lexical ibérica[editar | editar código-fonte]

De base lexical inglesa[editar | editar código-fonte]

De base lexical ngbandi[editar | editar código-fonte]

De base lexical portuguesa[editar | editar código-fonte]

Línguas artificiais[editar | editar código-fonte]

As línguas artificiais estão dividida em línguas auxiliares, lógicas e artísticas, e seus respectivos subgêneros.

Línguas auxiliares[editar | editar código-fonte]

Mais faladas[editar | editar código-fonte]

Menos faladas[editar | editar código-fonte]

Línguas controladas[editar | editar código-fonte]

  • Inglês básico (também conhecida como inglês simplificado ou inglês simples (Simple English))

Línguas artísticas[editar | editar código-fonte]

Literatura[editar | editar código-fonte]

Ficção científica[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Gonçalves, Rodrigo Tadeu; Basso, Renato Miguel. «História da Língua» (PDF). petletras.paginas.ufsc.br. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  2. «Languages of Classical Antiquity series». www.evolpub.com. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  3. Villar, Francisco (2008). Gli Indoeuropei e le origini dell'Europa : lingua e storia. Bologna: Il mulino. OCLC 278432234 
  4. Drigo, Jasmim. «AS LÍNGUAS DA ITÁLIA ANTIGA: UM BREVE PANORAMA» (PDF). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  5. «Wayback Machine». web.archive.org. 3 de outubro de 2003. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  6. Ó Briain, Máirtín (1994). Macaulay, Donald, ed. «Celtic Language». The Linen Hall Review (1): 33–35. ISSN 0266-1500. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  7. The Celtic languages. Donald MacAulay. Cambridge [England]: Cambridge University Press. 1992. OCLC 24541026 
  8. English today: the international review of the English language : ET. (em English). [S.l.: s.n.] 1985. OCLC 960773063 
  9. The Major languages of Western Europe. Bernard Comrie. London: Routledge. 1990. OCLC 21976268 
  10. Beekes, R. S. P. (1996). Comparative Indo-European linguistics : an introduction. Amsterdam: J. Benjamins Pub. OCLC 32543153 
  11. Harbert, Wayne (2007). The Germanic languages. Cambridge: Cambridge University Press. OCLC 252534420 
  12. The Indo-European languages. Mate Kapović, Anna Giacalone Ramat, Paolo Ramat Second edition ed. Abingdon, Oxon: [s.n.] 2017. OCLC 970636060 
  13. Andersen, Henning (1996). Reconstructing prehistorical dialects : initial vowels in Slavic and Baltic. Berlin: Mouton de Gruyter. OCLC 811375199 
  14. Indogermanisch, Slawisch und Baltisch. Bern: Peter Lang International Academic Publishers. 1992. OCLC 1082957506 
  15. Holzer, Georg (2007). Historische Grammatik des Kroatischen : Einleitung und Lautgeschichte der Standardsprache. Frankfurt am Main: Lang. OCLC 166422849 
  16. The Iranian languages. Gernot Windfuhr. London: Routledge. 2009. OCLC 822565468 
  17. Toward a typology of European languages. Johannes Bechert, Giuliano Bernini, Claude Buridant. Berlin: Mouton de Gruyter. 1990. OCLC 815507077 
  18. Windfuhr, Gernot (1979). Persian grammar : history and state of its study. The Hague: Mouton. OCLC 297991996 
  19. Donkin, R. A. (2003). Between east and west : the Moluccas and the traffic in spices up to the arrival of Europeans. Philadelphia: American Philosophical Society. OCLC 857143527 
  20. Masica, Colin P. (1991). The Indo-Aryan languages. Cambridge: Cambridge University Press. OCLC 18947567 
  21. The Indo-Aryan languages. Dhanesh Jain, George Cardona. London: Routledge. 2007. OCLC 648298147 
  22. Kloekhorst, Alwin (5 de dezembro de 2018). «Anatolian evidence suggests that the Indo-European laryngeals *h2 and *h3 were uvular stops». Indo-European Linguistics (1): 69–94. ISSN 2212-5884. doi:10.1163/22125892-00601003. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  23. Melchert, H. Craig (1994). Anatolian historical phonology. Amsterdam: Rodopi. OCLC 31935512 
  24. Melchert, H. Craig (1994). Anatolian historical phonology. Amsterdam: Rodopi. OCLC 31935512 
  25. Ceka, Neritan (2005). The Illyrians to the Albanians. Tirana: Migjeni. OCLC 230287225 
  26. The heritage of Armenian literature. A. J. Hacikyan, Gabriel Basmajian, Edward S. Franchuk, Nourhan Ouzounian. Detroit: Wayne State University Press. OCLC 42477084 
  27. The Cambridge ancient history. I. E. S. Edwards, C. J. Gadd, N. G. L. Hammond, John Boardman, David M. Lewis, F. W. Walbank Third edition ed. Cambridge [England]: [s.n.] OCLC 121060 
  28. Charanis, Peter (1959). «Ethnic Changes in the Byzantine Empire in the Seventh Century». Dumbarton Oaks Papers: 23–44. ISSN 0070-7546. doi:10.2307/1291127. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  29. Adrados, Francisco Rodríguez (2005). A history of the Greek language : from its origins to the present. Leiden: Brill. OCLC 59712402 
  30. Encyclopedia of Indo-European culture. J. P. Mallory, Douglas Q. Adams. London: Fitzroy Dearborn. 1997. OCLC 37931209 
  31. Vlassopoulos, Kostas (1 de agosto de 2013). Greeks and Barbarians (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  32. «Introduction to Tocharian». lrc.la.utexas.edu. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  33. The Semitic languages. Robert Hetzron. New York: Routledge. 1998. OCLC 35814815 
  34. Proquest digitized newspapers: The New York Times recent. (em English). [S.l.: s.n.] 2008. OCLC 1035502633 
  35. Layton, Bentley (2007). Coptic in 20 lessons : introduction to Sahidic Coptic with exercises & vocabularies. Leuven [Belgium]: Peeters. OCLC 122260267 
  36. Lipiński, Edward (2001). Semitic languages : outline of a comparative grammar 2nd ed ed. Leuven: Peeters. OCLC 46969899 
  37. African languages : an introduction. Bernd Heine, Derek Nurse. Cambridge [England]: Cambridge University Press. 2000. OCLC 42810789 
  38. «Ongota». Ethnologue (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  39. «Dravidian languages | History, Grammar, Map, & Facts». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  40. Narayana Rao, Velcheru (1992). Symbols of substance, court and state in Nāyaka period Tamilnadu. David Dean Shulman, Sanjay Subrahmanyam. Delhi: Oxford University Press. OCLC 624311193 
  41. Mood in the languages of Europe. Björn Rothstein, Rolf Thieroff. Amsterdam: John Benjamins Pub. Co. 2010. OCLC 697608404 
  42. The Uralic languages : description, history, and foreign influences. Denis Sinor. Leiden: Brill. 1988. OCLC 16580570 
  43. «Nyelvtudományi közlemények.». Nyelvtudományi közlemények. (em Undetermined). 1862. ISSN 0029-6791. OCLC 470184623. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  44. The Oxford handbook of African languages. Rainer Vossen, Gerrit Jan Dimmendaal First edition ed. Oxford: [s.n.] 2020. OCLC 1236029614 
  45. Dimmendaal, Gerrit J.; Storch, Anne (11 de fevereiro de 2016). «Niger-Congo». Oxford Handbooks Online (em inglês). doi:10.1093/oxfordhb/9780199935345.001.0001/oxfordhb-9780199935345-e-3. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  46. African languages : an introduction. Bernd Heine, Derek Nurse. Cambridge [England]: Cambridge University Press. 2000. OCLC 42810789 
  47. Benedict, Paul K. (1942). «Thai, Kadai, and Indonesian: A New Alignment in Southeastern Asia». American Anthropologist (em inglês) (4): 576–601. ISSN 1548-1433. doi:10.1525/aa.1942.44.4.02a00040. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  48. Baxter, William Hubbard (1992). A handbook of old Chinese phonology. Berlin: Mouton de Gruyter. OCLC 25628474 
  49. International Association for Tibetan Studies. Seminar (2002). Medieval Tibeto-Burman languages : proceedings of a symposium held in Leiden, June 26, 2000, at the Ninth Seminar of the International Association of Tibetan Studies. Christopher I. Beckwith. Leiden: Brill. OCLC 133163850 
  50. The Austronesian languages of Asia and Madagascar. K. Alexander Adelaar, Nikolaus Himmelmann. London: Routledge (Taylor & Francis Group). 2011. OCLC 777385527 
  51. Croft, William (2012). Verbs : aspect and causal structure. Oxford [England]: Oxford University Press. OCLC 820011194 
  52. Robbeets, Martine (1 de janeiro de 2017). «Austronesian influence and Transeurasian ancestry in Japanese: A case of farming/language dispersal». Language Dynamics and Change (em inglês) (2): 210–251. ISSN 2210-5832. doi:10.1163/22105832-00702005. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  53. Barrera Vásquez, Alfredo; Bastarrachea Manzano, Juan Ramón; Brito Sansores, William (1980). Diccionario maya Cordemex: maya-español, español-maya (em Spanish). Mérida, Yucatán, México: Ediciones Cordemex. OCLC 7550928 
  54. «FAMSI © 2001 - David Bolles». www.famsi.org. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  55. Campbell, Lyle (1997). American Indian languages : the historical linguistics of Native America. New York: Oxford University Press. OCLC 48140020 
  56. International journal of American linguistics. (em English). Chicago: University of Chicago Press. 2003. OCLC 795957581 
  57. Linguistics. Norman A. McQuown. Austin: University of Texas Press. 1972. OCLC 9745253