Lista de membros de UHF

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
UHF
Concerto dos UHF no Teatro Cinema de Fafe, em 2012. Da esquerda para a direita: António Côrte-Real, Ivan Cristiano, António Manuel Ribeiro, Nuno Oliveira e Fernando Rodrigues
Informação geral
Origem Costa de Caparica, Almada
País Portugal Portugal
Gênero(s) Pós-punk, rock, hard rock[1]
Período em atividade 1978–presente
Integrantes António Manuel Ribeiro
António Côrte-Real
Luís Simões 'Cebola'
Ivan Cristiano
Ex-integrantes Américo Manuel, Carlos Peres, Zé Carvalho, José Matos, Luís Espírito Santo, Zé da Cadela, Manuel Hippo, Fernando Deleare, Renato Gomes, João Balão, Rui Beat Velez, Rui Rodrigues, Xana Sin, Pedro Faro, Renato Júnior, Toninho, Nuno Espírito Santo, Rui Dias, Fernando Pinho, Rui Padinha, Jorge Manuel Costa, Nando Lima, Nuno Canoche, Marco Cesário, David Rossi, Nuno Duarte, Fernando Rodrigues, Nuno Oliveira
Página oficial www.uhfrock.com

Esta é a lista de membros dos UHF, uma banda portuguesa de rock formada na Costa de Caparica, Almada, em 1978, por António Manuel Ribeiro (vocalista e guitarrista), Carlos Peres (baixista), Renato Gomes (guitarrista) e Américo Manuel (baterista), após vários encontros no Café Central de Almada. Alternando entre os quatro e os cinco elementos, a formação dos UHF foi sofrendo constantes alterações ao longo dos anos com músicos que gravitam em torno de António Manuel Ribeiro, líder, compositor maioritário das canções e o único membro fundador residente. Os ex-membros englobam 28 músicos e também dez convidados que participaram em digressões.[2][3]

A primeira mudança na formação dos UHF aconteceu quando após a gravação do disco de estreia Jorge Morreu (1979), o baterista Américo Manuel deixou o grupo alegando incompatibilidades laborais e foi substituído por Zé Carvalho. Essa formação gravou o single "Cavalos de Corrida" e os quatro primeiros álbuns com vendas que passaram pelo primeiro lugar no top nacional.[4] Na digressão do álbum Ares e Bares de Fronteira (1983), Carlos Peres anunciou a saída da banda por divergências devido à mudança precipitada de editora, e realizou o último concerto no dia 29 de outubro no Porto.[5] O lugar de baixista foi preenchido por José Matos que,[6] por sua vez, foi substituído no ano seguinte por Fernando Delaere. Ainda em 1984, Zé Carvalho sofreu um grave acidente de viação e deixou a banda por incapacidade física para tocar bateria,[7] e foi substituído por Luís Espírito Santo ao qual se seguiu Zé da Cadela.[3] A gravação do primeiro álbum ao vivo do rock português, Ao Vivo em Almada - No Jogo da Noite, ocorreu em novembro de 1984 e contou com Manuel Hippo na bateria.[8]

Em 1986, Renato Gomes foi o último membro da formação inicial a deixar o grupo por estar "saturado das tantas voltas a dar neste país tão pequeno." A guitarra foi entregue a Rui Rodrigues e Rui Beat Velez foi o baterista.[8] No mesmo ano João Balão substituiu temporariamente o baixista Delaere. Na gravação dos álbuns Noites Negras de Azul e Em Lugares Incertos, ambos de 1988, o baterista Luís Espírito Santo regressou à banda e Xana Sin ocupou o baixo. Pedro Faro teve uma breve passagem como baixista, em 1989, e Renato Júnior encarregou-se das teclas e saxofone.[3][8] De novo com Xana Sin, gravaram os álbuns Este Filme - Amélia Recruta e Julho 13, em 1990. O guitarrista Toninho e o baixista Nuno Espírito Santo protagonizaram nova mexida na formação no álbum Comédia Humana (1991).[9] Após esse trabalho António M. Ribeiro ficou aborrecido com o comportamento do grupo e retomou o seu projeto a solo, aproveitando para fazer mexidas na formação.[4] Em 1993 lançaram Santa Loucura, trabalho que contou com o guitarrista Rui Dias, o baterista Fernando Pinho e com o regresso de Delaere.[10] No álbum 69 Stereo (1996) Rui Padinha entrou para guitarrista.[11] Em 1997 António M. Ribeiro demitiu todos os membros por falta de comunicação e contratou músicos mais jovens. Após alguns concertos com os baixistas Nando Lima e Nuno Canoche,[3] entraram para a formação David Rossi (baixo), Marco Cesário (bateria), Jorge Manuel Costa (teclas) e António Côrte-Real, guitarrista e filho do líder da banda, proporcionando uma atitude musical mais coerente no plano de trabalho. Lançaram o álbum Rock É! Dançando Na Noite (1998).[12]

As entradas de Ivan Cristiano (bateria), em 1999, e de Fernando Rodrigues (baixo) em 2000 – que substituiu o relâmpago Nuno Duarte[3] – juntando-se a António M. Ribeiro e a António Côrte-Real, resultou na formação mais longa e mais estável da história da banda.[13] O baixista Luís Simões 'Cebola' após participar como convidado em 2008,[14] tornou-se membro integrante em 2013, substituindo Fernando Rodrigues que saiu nesse ano e regressou em 2015, como convidado, para ocupar as teclas que estiveram a cargo de Nuno Oliveira desde 2008.[3] Em 2020 Oliveira regressou às teclas como convidado, e tornou a sair Rodrigues.

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

António Manuel Ribeiro

Atividade: 1978–presente
Instrumentos: vocal, guitarra e teclas
Contribuições na banda: Todos os lançamentos.[3]
Ribeiro fundou a banda em novembro de 1978 juntamente com Carlos Peres, Américo Manuel e Renato Gomes. É o único membro fundador residente e o principal compositor e produtor do grupo.[2] Em paralelo com os UHF, Ribeiro mantém uma carreira a solo totalizando quatro discos. Além de cantor e músico é também escritor e autor irregular de várias crónicas para rádios e jornais. Lançou sete livros.[15]

António Côrte-Real

Atividade: 1997–pesente
Instrumentos: guitarras solo e rítmica
Contribuições na banda: Todos os lançamentos a partir de Rock É! Dançando Na Noite (1998).[3]
Filho de António Manuel Ribeiro, Côrte-Real cresceu inserido no ambiente musical. Iniciou a carreira musical nos Falso Alarme (1991–1993), seguindo-se os Finisterra (1992–1996), MKD (1993) e Sirius (1996–1999). Tornou-se membro integrante dos UHF em 1997 e em atividade paralela fez parte das formações dos Cronic (2002–2003) e formou as bandas Revolta, em 2006,[carece de fontes?] e a União das Tribos em 2013 que se mantém no ativo.[16] Com os músicos Fernando Rodrigues e Ivan Cristiano lançou o disco Portugal Acústico (2010), que teve a parceria e vocalização de Ricardo Soler.[17] Também em 2010, criou o projeto instrumental Côrte-Real Trio lançando o álbum ACR3-Midnight in Lisbon.[18]

Ivan Cristiano

Atividade: 1999–presente
Instrumentos: bateria e vocal de apoio
Contribuições na banda: Convidado a participar na gravação do álbum Rock É! Dançando Na Noite (1998). Posteriormente tornou-se membro integrante com contribuições em todos os lançamentos.[3]
Ivan iniciou a carreira como beatbox nos Black Company, em 1988, participando também com General D e Machine Gun Poetry. Como baterista estreou-se em 1992 nos Mindsnare (depois Bloodshed) e Sírius (depois Manga). Após participar como convidado em 1997, foi contratado para membro integrante dos UHF, em 1999, e em atividade paralela colaborou com os Lovedstone (depois Plastica) e The Lithium.[19] Participou no álbum Amorexia (2008) dos Pó d'Escrer,[20] e em 2010 cooperou com António Côrte-Real e Fernando Rodrigues nos discos Portugal Acústico e ACR3-Midnight in Lisbon.[17][18] Foi convidado por Pedro e Os Lobos a participar nos álbuns Num Mundo Quase Perfeito (2014) e Este Chão Que Pisamos (2016).[21][22] Em 2017 fundou juntamente com Bruno Rodrigues os Moksha Sound Journeys, sem desvincular-se dos UHF.[23] Acompanhou instrumentalmente Hugo Edgar no álbum Terras do Destino (2018).[24]

Luís Simões 'Cebola'

Atividade: 2008, 2013–presente
Instrumentos: baixo e vocal de apoio
Contribuições na banda: Todos os álbuns a partir de A Minha Geração (2013).[3]
Cebola iniciou a carreira musical em 1995 nos Stone Jesus, seguindo-se Viviane, dR.estranhoamor, Phil Mendrix Band, Rita Redshoes, União das Tribos, entre outros.[25] Em 2008 foi convidado pelos UHF para substituir temporariamente o baixista Fernando Rodrigues e em 2013 tornou-se membro integrante. É membro residente dos dR.estranhoamor, mantendo a atividade paralela com os UHF.[26][27]

Concerto comemorativo dos 40 anos dos UHF, em 29 de dezembro de 2018, na Casa da Música, Porto.

Ex-membros[editar | editar código-fonte]

Américo Manuel

  • Atividade: 1978–1979
  • Instrumentos: bateria
  • Contribuições na banda: Jorge Morreu (1979)

Carlos Peres

  • Atividade: 1978–1983
  • Instrumentos: baixo e vocal de apoio
  • Contribuições na banda: Todos lançamentos até Ares e Bares de Fronteira (1983)

Zé Carvalho

José Matos

  • Atividade: 1983–1984
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: "Puseste o Diabo em Mim (1984)

Luís Espírito Santo

Zé da Cadela

  • Atividade: 1984
  • Instrumentos: bateria
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Manuel Hippo

Fernando Deleare

  • Atividade: 1984–1986, 1987, 1993–1997
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Ao Vivo em Almada - No Jogo da Noite (1985) e todos os lançamentos de Santa Loucura (1993) a 69 Stereo (1996)

Renato Gomes

  • Atividade: 1978–1986
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Todos os lançamentos até Ao Vivo em Almada - No Jogo da Noite (1985)

João Balão

  • Atividade: 1986
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Rui Beat Velez

  • Atividade: 1986–1987
  • Instrumentos: bateria
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Rui Rodrigues

  • Atividade: 1986–1990
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Todos os lançamentos de Noites Negras de Azul (1988) a Julho, 13 (1990)

Xana Sin

Pedro Faro

  • Atividade: 1989
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Hesitar (1989)

Renato Júnior

  • Atividade: 1989–1995
  • Instrumentos: teclas e saxofone
  • Contribuições na banda: Todos os lançamentos de Hesitar (1989) a Cheio (O melhor de) (1995)

Toninho

  • Atividade: 1990–1992
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Comédia Humana (1991)

Nuno Espírito Santo

  • Atividade: 1991–1992
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Comédia Humana (1991)

Rui Dias

  • Atividade: 1992–1994
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Santa Loucura (1993)

Fernando Pinho

  • Atividade: 1993–1995
  • Instrumentos: bateria
  • Contribuições na banda: Santa Loucura (1993)

Rui Padinha

  • Atividade: 1996–1997
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Cheio (O melhor de) (1995) e 69 Stereo (1996)

Jorge Manuel Costa

Nando Lima

  • Atividade: 1997
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Nuno Canoche

  • Atividade: 1997–1998
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Marco Cesário

  • Atividade: 1997–1999
  • Instrumentos: bateria
  • Contribuições na banda: Todos os lançamentos de Rock É! Dançando Na Noite (1998) a Sou Benfica (1999)

David Rossi

  • Atividade: 1998–2000
  • Instrumentos: baixo e vocal de apoio
  • Contribuições na banda: Todos os lançamentos de Rock É! Dançando Na Noite (1998) a Sou Benfica (1999)

Nuno Duarte

  • Atividade: 2000
  • Instrumentos: baixo
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Fernando Rodrigues

Nuno Oliveira

Membros de digressão[editar | editar código-fonte]

Vitor Macaco

  • Atividade: 1978
  • Instrumentos: vocal
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Alfredo Pereira

  • Atividade: 1979
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Francis

  • Atividade: 1983
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Nenhuma

José Neves

  • Atividade: 1983
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Gil

  • Atividade: 1987
  • Instrumentos: teclas
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Rui Beat Velez

  • Atividade: 1989
  • Instrumentos: bateria
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Rui Rodrigues

  • Atividade: 1994–1995
  • Instrumentos: guitarra
  • Contribuições na banda: Todos os lançamentos de Noites Negras de Azul (1988) a Julho, 13 (1990)

Alexandre Manaia

  • Atividade: 2002
  • Instrumentos: teclas
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Mário Lopes

  • Atividade: 2002–2003
  • Instrumentos: teclas
  • Contribuições na banda: Nenhuma

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Formações[editar | editar código-fonte]

Formação Álbuns Singles notáveis
1978[28][3]
1978 – 1979[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • Carlos Peres – baixo, vocal de apoio
  • Américo Manuel – bateria
1979[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • Alfredo Pereira – guitarra[note 2]
  • Carlos Peres – baixo, vocal de apoio
  • Américo Manuel – bateria
1979 – 1983[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra, teclas
  • Renato Gomes – guitarra
  • Carlos Peres – baixo, vocal de apoio
  • Zé Carvalho – bateria
1983[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra, teclas
  • Renato Gomes – guitarra
  • Francis – guitarra[note 2]
  • José Matos – baixo
  • Zé Carvalho – bateria
1983 – 1984[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra, teclas
  • Renato Gomes – guitarra
  • José Neves – guitarra[note 2]
  • José Matos – baixo
  • Luís Espírito Santo – bateria
1984[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • José Matos – baixo
  • Zé Carvalho – bateria
1984[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Zé da Cadela – bateria
1984 – 1985[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Manuel Hippo – bateria
1985 – 1986[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Rui Beat Velez – bateria
1986[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Renato Gomes – guitarra
  • João Balão – baixo
  • Rui Beat Velez – bateria
1986 – 1987[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Rodrigues – guitarra
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Gil – teclas[note 4]
  • Rui Beat Velez – bateria
1987 – 1988[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Rodrigues – guitarra
  • Xana Sin – baixo, vocal de apoio
  • Luís Espírito Santo – bateria
  • "Na Tua Cama", (Maio 1988)
1988 – 1989[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Rodrigues – guitarra
  • Pedro Faro – baixo
  • Luís Espírito Santo – bateria
  • Rui Beat Velez – bateria[note 5]
1989[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Rodrigues – guitarra
  • Pedro Faro – baixo
  • Renato Júnior – teclas, saxofone
  • Luís Espírito Santo – bateria
1989 – 1990[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Rodrigues – guitarra
  • Xana Sin – baixo, vocal de apoio
  • Renato Júnior – teclas, saxofone
  • Luís Espírito Santo – bateria
1990 – 1992[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Toninho – guitarra
  • Nuno Espírito Santo – baixo
  • Renato Júnior – teclas, saxofone
  • Luís Espírito Santo – bateria
  • "Brincar no Fogo", (Agosto de 1991)
1992 – 1994[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Dias – guitarra
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Renato Júnior – teclas, saxofone
  • Fernando Pinho – bateria
  • "Sarajevo (Verão 92)", (Agosto de 1993)
1994 – 1995[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Rodrigues – guitarra[note 6]
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Renato Júnior – teclas, saxofone
  • Luís Espírito Santo – bateria
1995 – 1997[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Padinha – guitarra
  • Fernando Delaere – baixo, vocal de apoio
  • Luís Espírito Santo – bateria
  • "Foge Comigo Maria", (Outubro de 1996)
1997[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • Rui Padinha – guitarra
  • Nando Lima – baixo
  • Jorge Manuel Costa – teclas, saxofone
  • Luís Espírito Santo – bateria
1997 – 1998[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Nuno Canoche – baixo
  • Jorge Manuel Costa – teclas, saxofone
  • Marco Cesário – bateria
1998 – 1999[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • David Rossi – baixo, vocal de apoio
  • Jorge Manuel Costa – teclas, saxofone
  • Marco Cesário – bateria
  • "Quando (Dentro de Ti)", (Maio de 1998)
  • "Uma Palavra Tua", (Junho de 1999)
1999 – 2000[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Nuno Duarte – baixo
  • Jorge Manuel Costa – teclas, saxofone
  • Ivan Cristiano – bateria
2000 – 2002[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Fernando Rodrigues – baixo, vocal de apoio
  • Jorge Manuel Costa – teclas, saxofone
  • Ivan Cristiano – bateria
2002[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Fernando Rodrigues – baixo, vocal de apoio
  • Alexandre Manaia – teclas[note 4]
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
2002 – 2003[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Fernando Rodrigues – baixo, vocal de apoio
  • Mário Lopes – teclas[note 4]
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
2003 – 2008[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Fernando Rodrigues – baixo, vocal de apoio
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
  • "A Lágrima Caiu", (Agosto de 2003)
  • "Matas-me Com o Teu Olhar", (Novembro de 2004)
2008[3]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Luís Simões 'Cebola' – baixo, vocal de apoio
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
2008 – 2013[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Fernando Rodrigues – baixo, vocal de apoio
  • Nuno Oliveira – teclas, guitarra, bandolim
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
  • "O Vento Mudou", (Março de 2010)
2013 – 2015[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Luís Simões 'Cebola' – baixo, vocal de apoio
  • Nuno Oliveira – teclas, guitarra, bandolim
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
  • "A Minha Geração", (Maio de 2013)
2015 – 2019[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Luís Simões 'Cebola' – baixo, vocal de apoio
  • Fernando Rodrigues – teclas, guitarra[note 4]
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
2019 – presente[3][29]
  • António Manuel Ribeiro – vocal, guitarra
  • António Côrte-Real – guitarra
  • Luís Simões 'Cebola' – baixo, vocal de apoio
  • Nuno Oliveira – teclas, guitarra[note 4]
  • Ivan Cristiano – bateria, vocal de apoio
Notas
  1. Convidado para vocalista
  2. a b c Convidado para 2º guitarrista
  3. a b c Single de inéditos
  4. a b c d e Convidado para teclista
  5. Convidado para 2º baterista
  6. Convidado para guitarrista

Referências

  1. «UHF + Jarojupe». Município Arcos de Valdevez. 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 23 de maio de 2018 
  2. a b Rui Miguel Abreu (21 de maio de 2018). «António Manuel Ribeiro: "Não cheguei aqui de cadeira de rodas nem de bengala". Entrevista de vida com um resistente, a alma dos UHF». Blitz. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq M. Ribeiro 2014, pp. 336–337
  4. a b «UHF». Infopédia–Porto Editora. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  5. M. Ribeiro 2014, p. 65
  6. M. Ribeiro 2014, p. 256
  7. M. Ribeiro 2014, p. 196
  8. a b c «UHF–Duros e Teimosos». Sinfonias de Aço–Anos 80. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  9. «Comédia Humana–UHF». Fonoteca C.M.Lisboa. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  10. «Santa Loucura (CD)». Fonoteca C.M.Lisboa. 1993. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  11. Luís Jerónimo (1997). «Escritos de Fernando Magalhães–1997». Google Livros. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  12. Pedro Brinca. «Os UHF por conta própria». Setúbal Na Rede. Consultado em 2 de agosto de 2018. Arquivado do original em 25 de março de 2015 
  13. Ribeiro, António (2010). «Entrevista ao grupo UHF» (entrevista). J.A. Lisboa: Jornal das Autarquias. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  14. «UHF comemoram 30 anos de carreira». Rádio Douro Nacional. 27 de fevereiro de 2008. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  15. «António Manuel Ribeiro». Wook. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  16. «União das Tribos & convidados ao vivo–Hard Club». Coolture. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  17. a b «"Portugal Acústico" chega às Fnac». Jornal HardMusica. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  18. a b «Côrte-Real Trio». Rastilho Records. Consultado em 2 de agosto de 2018. Arquivado do original em 2 de agosto de 2018 
  19. «Ivan Cristiano–Biography». Paiste Artists. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  20. «Amorexia–Pó D'Escrer». Fonoteca C.M.Lisboa. Consultado em 25 de novembro 2020 
  21. «Música Indie Folk–Pedro e Os Lobos». Viral Agenda. Consultado em 25 de novembro de 2020 
  22. «Pedro e os Lobos–Cine Teatro Garrett–Povoa de Varzim». Eventbu. 10 de fevereiro de 2018. Consultado em 25 de novembro de 2020 
  23. «A cultura aberta inicia mais um ano de atividades em festa». Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro. Consultado em 4 de agosto de 2018 
  24. «Fado nas Terras do Destino». Timpanas. 24 de janeiro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2020 
  25. «Cebola». ReverbNation–eMinor Incorporated. Consultado em 18 de novembro de 2018 
  26. Davide Pinheiro (19 de junho de 2009). «No princípio era a palavra, depois o amor». Diário de Notícias. Consultado em 4 de agosto de 2018 
  27. António Maurício (15 de novembro de 2018). «Os dR.estranhoamor estão de regresso com "Egologia"». Arte Sonora. Consultado em 16 de novembro de 2020 
  28. M. Ribeiro 2014, p. 184
  29. a b c d e f g h i j k l m n o p q «Discografia UHF». Spirit Of Rock. Consultado em 2 de agosto de 2018 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • M. Ribeiro, António (2014). Por Detrás do Pano. Avenida da Liberdade 166 1º andar 1250-166 Lisboa: Chiado Editora. 337 páginas. ISBN 978-989-51-2692-7 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre UHF (banda portuguesa)