Lista de metropolitas de Quieve

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Esta é uma lista dos hierarcas ortodoxos cujo título contém uma referência à cidade de Quieve.

História[editar | editar código-fonte]

A história da Cristandade na Ucrânia está intimamente ligada à história da Igreja Ortodoxa Russa, tradicionalmente começando quando Santo André teria chegado onde hoje é Quieve e profetizado a construção de uma grande cidade cristã, erigido uma cruz onde seria hoje a Igreja de Santo André.[1][2] A efetiva cristianização da região, no entanto, começaria no século IX, quando o Império Bizantino enviou bispos ao então Grão-Canato de Rus e os santos irmãos Cirilo e Metódio fizeram missões lá. Em 988, o cristianismo foi oficializado por Vladimir I, grão-duque de Quieve, em evento conhecido como Batismo da Rus.[3][4]

Com a invasão mongol da Rússia, no século XIII, a Sé do Metropolita de Quieve foi transferida para Vladimir, e posteriormente para Moscou, dando origem ao que é conhecido atualmente como o Patriarcado de Moscou. No século XIV, o Grão-Duque Algirdas da Lituânia tentou o retorno dessa Sé para Quieve, que estava sob seu controle. Em 1620, a União de Brest transferiu esta sede para Igreja Católica Romana, gerando a Igreja Greco-Católica Ucraniana, mas a Sé ortodoxa seria reinstituída pelo Patriarcado Ecumênico no mesmo ano.

Em 1685, as então seis eparquias em território ucraniano foram transferidas para a jurisdição da Igreja Ortodoxa Russa, com Gideão (Svyatopolk-Chetvertynsky) sendo escolhido como Metropolita de Quieve, Galícia e Pequena Rússia[5]. Esta Sé, no entanto, progressivamente perdeu força, com suas eparquias sendo transferidas para outras jurisdições, culminando na limitação do título do Metropolita Arsênio a Metropolita de Quieve e Galícia em 1767 por édito de Catarina II da Rússia.[6] Com sua morte três anos depois, a Sé foi reduzida a uma simples diocese administrativa. A Igreja da Ucrânia se tornou provisoriamente um Exarcado em 1921, e, após um duro período de duras perseguições sob a União Soviética, finalmente restaurou sua autonomia em 1990.

Igreja de Rus[editar | editar código-fonte]

O bispado ortodoxo de Rus é mencionado pela primeira vez em 891, como a 60ª na lista de distritos administrativos subordinados ao Patriarca de Constantinopla, e 61ª na carta do imperador Leão VI (886-911). A Sé episcopal, subordinada à direção de Constantinopla, existia em Tmutorokan desde o século VIII.[7][8]

No início do século IX os patriarcas Inácio e Fócio de Constantinopla enviaram bispos a Quieve. Durante o reinado dos príncipes Ascoldo e Deer, o cristianismo foi bastante difundido em Quieve. Muitos historiadores afirmam que Ascoldo e Deer eram cristãos. As crônicas dizem que naquela época havia uma Igreja "catedral" de Santo Elias e outros. No século IX já existia uma Igreja de São Nicolau no túmulo de Ascoldo. E no tratado do Príncipe Igor com Constantinopla, os guerreiros russos fazem um juramento: Cristãos - Deus Todo-Poderoso, e não batizados - Perun. A princesa Olga também era cristã e seu neto, Vladimir, o Grande fez do Cristianismo a religião oficial.[8]

De acordo com alguns historiadores, até 1037 a Igreja em Quieve estava subordinada à Sé de Ohrid, que naquela época era autocéfala, e não ao Patriarcado de Constantinopla,[9][10] então os primeiros bispos e metropolitas eram búlgaros que pregavam na língua eslava. Uma vez que o Metropolita Teopemto (1037-1049) imediatamente procedeu a re-consagração da Igreja dos Dízimos, então, provavelmente, por volta de 1037 em Constantinopla, os cristãos que consagraram a Igreja dos Dízimos, em 995, foram considerados hereges. Daquela época em diante, a Igreja de Rus, durante todo o período pré-mongol foi chefiada quase exclusivamente por gregos que foram fornecidos à Sé de Quieve pelos Patriarcas de Constantinopla.[11] É por isso que até 1037 não há informações sobre os Metropolitas de Quieve nas fontes de Constantinopla.[8] Em 1054, após a remoção de Hilarion (1051-1054 ou 1055) e a nomeação do metropolita grego Efraim (1054-1065), a Igreja de Quieve finalmente se tornou uma das Metrópoles do Patriarcado de Constantinopla.

Bispos de Quieve (Antes do Batismo da Rus)[editar | editar código-fonte]

Os Bispos de Quieve eram os chefes da Sé episcopal com sede em Quieve, antes do Batismo da Rússia em 988.

  • Anastas Korsunyanin - O primeiro Bispo de Quieve(?). Reitor da Igreja dos Dízimos.[8][12]
  • Misail (860-874) - Bispo de Quieve.
  • Miguel (974-988) - Bispo de Quieve.

Metropolitas de Quieve e Toda a Rússia (988-1461)[editar | editar código-fonte]

Os Metropolitas de Quieve e Toda a Rússia são os primazes da Metrópole de Quieve como parte da Igreja Ortodoxa de Constantinopla.

  • Miguel I (988-991) - Primeiro Metropolita de Quieve, de acordo com a tradição.[13][14]
  • Leôncio (992-1004 ou 1008) - Segundo Metropolita de Quieve, de acordo com a tradição, alguns o consideram como o primeiro. A questão permanece controversa.
  • Teofilato (988-1018 ou 1008-1018) - Primeiro Metropolita de Quieve, atestado por fontes.[13]
  • João I (1019-1035)
  • Teopento (1037-1049)[8]
  • Cirilo I (1049-1051)
  • Hilarião de Quieve (1051-1054 ou 1055) - Primeiro Metropolita de Quieve de origem eslava. Não foi nomeado por Constantinopla.
  • Efraim (1054-1065)
  • George (1065-1076)
  • João II (1078-1089)
  • João III (1089-1097)
  • Nicolau (1097-1104)
  • Nicéforo I (1104-1121)
  • Nikita (1122-1126)
  • Miguel II (1130-1145)
  • Clemente (1147-1155)
  • Constantino I (1155-1158)
  • Teodoro (1161-1163)
  • João IV (1164-1166)
  • Constantino II (1167-1169)
  • Miguel III (1171-1174)
  • Nicéforo II (1182-1198)
  • Mateus (1200 ou 1201-1220)
  • Cirilo II (1224-1233)
  • José (1236-1240)
  • Cirilo III (1242-1281)
  • Máximo (1283-1305) - Metropolita de Quieve e Vladimir. Transferiu a Sede Metropolitana de Quieve para Vladimir.
  • Pedro (1308-1326) - Metropolita de Quieve. O primeiro com residência permanente em Moscou.
  • Vago (1326-1328)
  • Teognosto (1328-1353)
  • Alexandre (1354-1378)
  • Miguel (Mityay) (1378-1379) - Locum Tenens
  • Vago (1379-1381)
  • Cipriano (1381-1382) - Primeiro mandato
  • Pimen (1382-1384)
  • Dionísio I (1384-1385)
  • Vago (1385-1390)
  • Cipriano (1390-1406) - Segundo mandato.
  • Vago (1406-1408)
  • Fócio (1408-1431)
  • Vago (1431-1433)
  • Geracimo (1433-1435)
  • Isidoro, o Apóstata (1437-1441) - Após a assinatura do Conselho de Florença, Isidoro voltou a Moscou como Cardeal da Rússia, em 1441, e foi preso após ser acusado de apostasia.
  • Vago (1441-1448)
  • Jonas (1448-1461) - Em 1448 foi instalado como Metropolita de Quieve, pelo o Grão-Duque de Moscou, sem a aprovação do Patriarca Gregório III de Constantinopla. Durante seu governo a Igreja da Rússia tornou-se autocéfala de fato[15] e título foi alterado para "Moscou e Toda a Rússia".

Metropolitas de Quieve, Galícia e Toda a Rússia (1458-1599)[editar | editar código-fonte]

Em 1458, o Patriarca Isidoro II de Constantinopla reorganizou as dioceses ortodoxas (eparquias) dentro do território do Grão-Ducado da Lituânia, incluindo Quieve, em uma nova Sé e seus primazes receberam um novo título: Metropolita de Quieve, Galícia e Toda a Rússia. A sede da Sé episcopal estava localizada em Vilnius.

  • Vago (1458-1475)
  • Spyridon Satana (1476-1482) - Consagrado como Metropolita de Quieve pelo Patriarca Rafael I de Constantinopla, mas rejeitado por Casimiro IV.
  • Simeão de Quieve (1481-1488)  - Primeiro Metropolita aceito desde 1458.
  • Jonah Hlezna (1489-1494)
  • Macário Chort  (1495-1497)
  • Joseph Bolharynovich (1499-1501)
  • Jonas (1503-1507)
  • José Soltan (1509-1522)
  • José Rusin  (1523-1533)
  • Macário Moskovytyanyn (1534-15550
  • Silvestre Bilkevich (1556-15670
  • Jonas Protasevich (1568-15770
  • Elias Kucha (1577-15790
  • Onesíforo Devochka (1579-1589)
  • Miguel III (1589-1599)

Em 1595, a Metrópole de Quieve, como sede em Vilnius, assina a União de Brest com a Igreja Católica Romana, estabelecendo assim uma Igreja Uniata.

Metropolitas de Quieve, Galícia e Toda a Rússia - Exarca Patriarcal (1620-1685)[editar | editar código-fonte]

Em 1620 - cerca de 25 anos após a implementação da União de Brest - o Patriarca Cirilo Lucaris, de Constantinopla, restabeleceu a Metrópole ortodoxa em Quieve (1620-1685) com uma hierarquia paralela, dentro da Comunidade Polaco-Lituana. A nova Metrópole foi organizada com bispos que se recusaram a aderir à União de Brest. O primeiro hierarca finalmente reconhecido pela Coroa da Polônia foi Pedro Moguila.

  • Jó (1620-1631)
  • Isaías (1631-1633)
  • Pedro III (1633-1646) - Primeiro metropolita ortodoxo aceito após o restabelecimento da Metrópole.
  • Silvestre (1647-1657)

Eleitos em Quieve com residência em Chyhyryn[editar | editar código-fonte]

  • Dionísio II (1657-1663) - Em 1658 foi forçado a transferir sua Sé para Chyhyryn devido à ocupação deQuieve pelas tropas moscovitas.
  • José V (1663-1675)
    • Antonio Vinnicky (1663-1679) - Anti-metropolita.

Nomeados por Moscou com residência em Quieve[editar | editar código-fonte]

  • Lazar Baranovych (1659-1661) - Locum Tenens
  • Methodius Filimonovich (1661-1668) - Locum Tenens
  • Lazar Baranovych (1670-1685) - Locum Tenens

A Metrópole Ortodoxa de Quieve foi, em 1686, transferida do Patriarcado Ecumênico para o Patriarcado de Moscou.

Metropolitas de Quieve, Galícia e Pequena Rússia (1685-1770)[editar | editar código-fonte]

  • Gedeão (1685-1690) - O ex-bispo de Lutsk, Gedeão Chetvertinsky foi eleito pelo Sobor iniciado pelo Hetman Ivan Samoilovych e mais tarde foi consagrado por Moscou em vez de Constantinopla.
  • Barlaão (1690-1707)
  • Josafá (1708-1718) - Em 1718, Pedro, o Grande, aboliu o metropolita.
  • Barlaão (1722-1730) - Arcebispo.
  • Rafael (1731-1747) - Metropolita desde 1743. Em 1743 o metropolita foi reintegrado.
  • Timóteo (1748-1757)
  • Arsênio (1757-1770) - Em 1767, Catarina, a Grande, destituiu Arsênio do título de "e Pequena Rússia".

Metropolitas de Quieve e Galícia (1770-1921)[editar | editar código-fonte]

Em 1770, o Metropolita de Quieve foi destituído de bispos sufragâneos e transformado em uma Arquiparquia com o título de "metropolita" em homenagem.

  • Gabriel (1770-1783)
  • Samuel (1783-1796)
  • Hieroteu (1796-1799)
  • Gabriel II (1799-1803)
  • Serapião (1803-1822)
  • Eugênio (1822-1837)
  • Filareto I (1837-1857)
  • Isidoro (1858-1860)
  • Arsênio II (1860-18760
  • Filoteu (1876-1882)
  • Platão (1882-1891)
  • Joanínio (1891–19000
  • Teognosto (1900-1903)
  • Flaviano (1903–1915)
  • Vladimir (1915–1918)
  • Nicodemo (1918) - Como Bispo de Chyhyryn.
  • Antônio (1918–1919) - Primeiro Hierarca da Igreja Ortodoxa Russa Fora da Rússia.
  • Nazário Blinov - (1919–1921)

Metropolitas e Arcebispos de Quieve e Galícia - Exarca da Ucrânia (1921-1990)[editar | editar código-fonte]

Em 1921 a autonomia parcial foi restabelecida na forma de exarcado.

  • Miguel, (1921–1925) - Bispo (1921–27) e Exarca da Ucrânia (1921–1929).
  • Jorge Deliev (1923–1928) -  Bispo. Interino.
  • Macário Karamzin (1924) - Bispo. Interino.
  • Sérgio Kuminsky (1925–1930) -  Bispo. Interino.
  • Demétrio Verbitsky (1930-1932) - Arcebispo.
  • Sergio Grishin (1932–1934)  - Arcebispo.
  • Constantino (1934–1937) - Exarca da Ucrânia (1929–1937).
  • Alexandre (1937–1938)
  • Nicolau (1941–1944) - Exarca da Ucrânia (1941).
  • João (1944–1964) - Exarca da Ucrânia.
  • Josafá II (1964-1966) - Exarca da Ucrânia.
  • Filareto II, 1966-1990) - Exarca da Ucrânia.

Metropolitas de Quieve e Toda a Ucrânia (1990-Atualidade)[editar | editar código-fonte]

Em 1990, o Exarcado Ucraniano recebeu o status de "autogoverno"[16] formando a Igreja Ortodoxa Ucraniana.

Igreja Ortodoxa da Ucrânia[editar | editar código-fonte]

Esta igreja foi estabelecida por um conselho de unificação em 15 de dezembro de 2018. O conselho votou para unir as igrejas ortodoxas ucranianas existentes (a Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de Quieve, a Igreja Ortodoxa Autocéfala da Ucrânia e parte da Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de Moscou) por meio de seus representantes, com base na independência canônica completa. O Primaz da Igreja é o "Metropolita de Quieve e de toda a Ucrânia". Todos os membros da Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Quieve e da Igreja Ortodoxa Autocéfala da Ucrânia, e dois membros da Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscou[19][20], fundiram-se na Igreja Ortodoxa da Ucrânia e o Concilio de Unificação elegeu Epifânio, ex-Metropolita de Pereyaslavl e Belotserkovsky da Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de Quieve, como seu primeiro Primaz[21][22][23][24][25][26]. O decreto que concedeu oficialmente autocefalia à Igreja Ortodoxa da Ucrânia foi assinado em 5 de janeiro de 2019.

A Igreja Ortodoxa da Ucrânia é reconhecida apenas pelo Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, bem como pelo Patriarcado de Alexandria, Igreja da Grécia e Igreja do Chipre.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Damick, Andrew S. «Life of the Apostle Andrew». Chrysostom. Consultado em 25 de junho de 2007. Arquivado do original em 27 de julho de 2007 
  2. Voronov, Theodore (13 de outubro de 2001). «The Baptism of Russia and Its Significance for Today». Orthodox. Clara. Consultado em 25 de junho de 2007. Arquivado do original em 18 de abril de 2007 
  3. Theophanes Continuatus, Ioannes Cameniata, Symeon Magister, Georgius Monachus. Ed. I. Becker. Bonnae, 1838 (CSHB), p. 196.
  4. «Archbishop Averky (Taushev). The Baptism of Rus' and the Legacy to the Russian People of Holy Prince Vladimir». OrthoChristian.Com. Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  5. «Historical-Canonical Basis for the Unity of the Russian Church. Priest Mikhail Zheltov». OrthoChristian.Com. Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  6. Arseniy na Pravoslavnaya Entsiklopediya (em russo)
  7. «History of the Ukrainian church». www.encyclopediaofukraine.com. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  8. a b c d e «Christianization of Ukraine». www.encyclopediaofukraine.com. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  9. «Михаил Дмитриевич Приселков - Очерки по церковно-политической истории Киевской Руси X-XII вв.. Скачать книгу бесплатно в электронной библиотеке TheLib.Ru». thelib.ru. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  10. М.в, Первушин (2016). «Информационная война в древней Руси». Вестник славянских культур (3). ISSN 2073-9567. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  11. «955 лет со дня преставления благоверного князя Ярослава Мудрого». Церковно-Научный Центр "Православная Энциклопедия" (em russo). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  12. «АНАСТАС КОРСУНЯНИН». www.pravenc.ru. Consultado em 10 de janeiro de 2021 
  13. a b «Metropolitas de Quieve e toda a Rússia (988-1305)». Sociedade Ortodoxa Educacional "Rússia em cores". Consultado em 20 de dezembro de 2020 
  14. «Александр Парменов. Равноапостольный князь Владимир. Часть 2: Крещение Руси / Православие.Ru». pravoslavie.ru (em russo). Consultado em 20 de dezembro de 2020 
  15. «ИОНА». www.pravenc.ru. Consultado em 19 de dezembro de 2020 
  16. «X. The Ukrainian Orthodox Church | The Russian Orthodox Church» (em inglês). Consultado em 10 de janeiro de 2021 
  17. «Українська Православна Церква Київський Патріархат». www.cerkva.info (em ucraniano). Consultado em 10 de janeiro de 2021 
  18. «Metropolitan Onufry: Biografia, Obras - Cristianismo - 2021». Consultado em 10 de janeiro de 2021 
  19. «Порошенко: Ми недооцінили вплив РПЦ на дочірні структури». Українська правда (em ucraniano). Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  20. «В Киеве создана независимая православная церковь. Ее главой избран 39-летний митрополит Епифаний». BBC News Русская служба (em russo). Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  21. «Unification Orthodox Assembly to be held on Dec 15». Interfax-Ukraine (em inglês). Consultado em 11 de agosto de 2020 
  22. «Tens of thousands of people gathered on St Sofia Square in Kyiv, expect good news from Unification Council». risu.org.ua. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  23. «St. Sophia's Cathedral square guarded by almost 4,000 police officers». www.ukrinform.net (em inglês). Consultado em 11 de agosto de 2020 
  24. «The council started late». Orthodoxie.com (em inglês). 15 de dezembro de 2018. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  25. «Metropolitan Epifaniy (Dumenko) becomes Primate of One Local Orthodox Church of Ukraine». risu.org.ua. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  26. «Interfax-Religion». www.interfax-religion.com. Consultado em 11 de agosto de 2020